Uma boa notícia

O Ministério do Esporte anunciou sua adesão ao projeto MiniAtletismo. Trata-se de trabalho elaborado por especialistas da IAAF, adaptado à realidade nacional pela CBAt. A meta é levar a prática do atletismo a crianças de 7 a 12 anos, em escolas, clubes, associações comunitárias etc.

O projeto é inovador, pensa na melhor forma de mostrar o que é o atletismo e como se pratica. Sempre considerando que se está trabalhando com crianças. Com pequenos espaços, material reciclável, o projeto pode ser implantado a custos baixíssimos. Com um pequeno preparo, a partir da Cartilha do MiniAtletismo, publicada pela CBAt, professores e monitores estarão habilitados a iniciar o trabalho, sempre buscando envolver as crianças na preparação dos eventos.

Os autores do projeto lembram que é importante tornar a prática do atletismo “atraente, acessível e instrutiva”. De fato, isto é ainda mais importante por ser o atletismo o esporte-base. Isto é, quem faz uma boa iniciação atlética poderá, eventualmente, seguir no atletismo ou em outra modalidade, já que este aprendizado inicial facilitará a entrada em um mundo esportivo mais amplo.

Muitos iniciados não chegarão, é certo, à prática esportiva profissional. Mas certamente terão um ganho educacional importante e, de qualquer forma, conhecerão melhor o esporte, cada vez mais uma atividade humana essencial em todo o mundo.

É interessante também o anúncio feito pela Secretaria de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, de que pretende montar um projeto piloto em convênio com a Prefeitura de Anápolis (GO). Afinal, foi o prefeito da cidade, Antonio Roberto Gomide, presente ao encontro organizado em Manaus pela Confederação Brasileira de Atletismo, em 24 de fevereiro último, o primeiro a anunciar a adesão de sua cidade ao projeto. Participaram do encontro representantes do Ministério do Esporte, de Governos estaduais e de Prefeituras de várias partes do Brasil.

Como resultado, os Governos do Pará e do Ceará também anunciaram a intenção de levar a prática do MiniAtletismo nas escolas destes Estados. Também Santa Catarina e Minas Gerais estudam uma forma de adesão, enquanto que a Prefeitura de Sapiranga, na região metropolitana de Porto Alegre, já informou a decisão de implantar o projeto nas escolas da cidade.

São Paulo volta ao Brazilian Athletics Tour

A disputa de Meetings internacionais no Brasil começou em São Paulo, mais exatamente em 1985, com uma disputa no Ibirapuera. O evento trouxe ao País nomes como o norte-americano Edwin Moses, bicampeão olímpico dos 400 m com barreiras e então invicto a mais de 100 provas. Além, entre outros, de um jovem Joaquim Cruz, então com 22 anos, que tinha na bagagem o título dos 800 m, conquistado um ano antes nos Jogos de Los Angeles.

Até 1995, o Meeting, então já com o nome de “Grande Prêmio Brasil”, etapa do IAAF Grand Prix, ficou em São Paulo. Em 1996 foi para o Rio de Janeiro, onde ficou até 2001. De 2002 a 2009 o evento foi realizado no Estádio Olímpico do Pará, onde reuniu em três ocasiões públicos superiores a 40 mil pessoas. Com o Rio escolhido para sede olímpica de 2016, o GP voltou à cidade em 2010.

Na primeira década do Século 21, graças à parceria com a Caixa e com entidades públicas e particulares locais, a Confederação Brasileira de Atletismo passou a realizar outros Meetings internacionais. Atualmente são cinco Grandes Prêmios, em cidades de diferentes Estados.

Em 2011, São Paulo, que por falta de pista não pôde fazer parte do circuito no ano passado, está de volta ao Brazilian Athletics Tour, principal circuito do Atletismo latino-americano. A competição paulista acontecerá no dia 29 de maio e fechará o Tour, que terá as demais etapas em Fortaleza (11 de maio), Belém (15), Rio de Janeiro (22) e Uberlândia (25).

Atletas de primeira linha participarão mais uma vez do Tour, vindos de todos os continentes. E está garantida, é claro, a presença dos principais nomes do Atletismo nacional, caso de Fabiana Murer, a campeã mundial indoor do salto com vara, cuja prova está marcada exatamente para São Paulo. A prova da campeã olímpica Maurren Maggi está programada para Belém e Rio de Janeiro.