De volta aos treinos

LINHA DE CHEGADA

Hoje voltei aos treinos com o objetivo de participar novamente de uma corrida de rua. A última foi em 2004, a Meia Maratona de Buenos Aires. Desde então, o rompimento do ligamento cruzado anterior do joelho direito durante um jogo de futebol, fratura por estresse nas duas tíbias – fruto do excesso de treinamento – e um probleminha na coluna me deixaram fora dos treinos. Já recuperado é hora de retornar.

Assim como fiz no passado, vou utilizar esse espaço para relatar a rotina de treinamentos e a esperada evolução. Nesta segunda-feira, corri 4 Km na esteira sem forçar muito. E é só o começo!

Paulistas seguem na frente

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

O São Paulo segue no topo do Campeonato Brasileiro, com 100% de aproveitamento. O futebol, entretanto, não chega a encher os olhos. Com a corda no pescoço, sequela dos fracassos na Copa do Brasil e no Campeonato Paulista, Paulo César Carpegiani procurou fechar o time, reforçar a marcação e explorar os contra-ataques. A tática, até aqui, está dando certo. O time está vencendo e o fantasma da demissão do treinador vai perdendo força.

O Corinthians também está surpreendo com uma boa campanha. A equipe só perdeu pontos no Rio de Janeiro para o Flamengo em jogo que poderia ter vencido e aparece isolado na segunda colocação. Como os principais reforços ainda não estrearam, o corintiano tem boas razões pra se animar com o futuro da equipe no Brasileirão. O goleiro Júlio César, muito criticado nos últimos meses e pressionado com a chegada do jovem – e bom - Renan, merece reverência. Foi o melhor da equipe contra o Fluminense fazendo defesas bonitas e dífíceis.

A terceira posição é do Palmeiras que ficou no empate  com o Inter em Porto Alegre. O Verdão, assim como aconteceu no Campeonato Paulista, tem compensado a carência de reforços com dedicação tática e espírito de luta, mérito de Luis Felipe Scolari, comandante desses guerreiros. 

Linha de Chegada

No linha de chegada hoje gostaria de destacar a Fórmula Um. Há muito tempo não via uma corrida tão emocionante como o GP do Canadá. Jenson Button passou Sebastian Vettel na última volta, uma recompensa merecida a um piloto que fez uma prova de recuperação com atitude de campeão. Button é vice-líder do mundial e dá pinta de que pode sonhar com o título.

Brasileiros começam mal

Surpreendente o começo dos clubes brasileiros na Libertadores da América. Em seis jogos, apenas uma vitória, uma derrota e quatro empates. Claro que a maior surpresa até aqui foi a eliminação do Corinthians para o Tolima. Mas também surpreendem os empates do Fluminense, em casa, diante do Argentinos Juniors, e o de ontem do Santos, diante do Deportivo Táchira, na Venezuela.

Não acreditei no que vi. O Santos chegou a levar sufoco do modesto time venezuelano e por pouco, muito pouco, não deixou o campo derrotado. Apesar da constante presença de clubes brasileiros na decisão do torneio sul-americano – desde 2005 o Brasil participou de todas as finais -, a Libertadores nunca foi fácil. Ainda assim, sobra soberba.

Hoje teremos as estreias do Inter e do Cruzeiro. O Colorado encara o Emelec, em Quito, enquanto os mineiros recebem o Estudiantes de La Plata, numa reprise da decisão de 2009, vencida pelos argentinos. Amanhã é a vez do Grêmio, único brasileiro que venceu nesta edição da Libertadores.E tem tudo pra vencer de novo, claro, se não entrar em campo com o espírito do “já ganhou”. O adversário é o Oriente Petrolero, da Bolívia.

Linha de Chegada

Pouco antes das seis da matina, deixava minha casa de bike com destino ao complexo Constâncio Vaz Guimarães para mais um treino sob o comando do mestre Wanderlei de Oliveira. Hoje fizemos no Parque do Ibirapuera 8 tiros de 400 metros.  O recomeço não é fácil, mas é animador. Já estou ansioso para participar da primeira prova.

Até quando?

Marcelo Ferrelli/Gazeta PressA saída de Roberto Carlos do Corinthians merece reflexão. O que faz um grupo, organizado ou não, ameaçar, perseguir, rotular um jogador que há menos de dois meses foi eleito o melhor em sua posição num campeonato tão disputado como o Brasileirão? Profissional que participou de praticamente todos os jogos, que treinou regularmente e se dedicou com raça nas partidas em que atuou. O mais curioso é que é esse mesmo grupo que pede por jogadores quando as coisas não vão bem.

Essa caça às bruxas só traz prejuízo ao clube - ou aos clubes, levando em consideração que o Corinthians não é o único quando o assunto é a ação de vândalos. Creio que muitos bons jogadores vão pensar duas vezes antes de fechar com o Corinthians. Isso já aconteceu no passado. Aí vai sobrar para a diretoria e seus diretores, supostamente incompetentes  na arte de reforçar um time, claro, na visão desses revoltados.

Sobre o Roberto, não me venham dizer que o fato de poder fazer dinheiro lá fora, mesmo estando com 37 anos, foi fundamental para sua decisão. A verdade é que ele é um vencedor. Tem uma rica história com passagens por Palmeiras, Inter de Milão, Real Madrid, Seleção Brasileira… Definitivamente, ele não precisa passar por isso. Que Roberto Carlos possa ser feliz onde saibam reconhecer o seu valor.

Linha de Chegada

Voltei aos treinos na última sexta-feira, sob o comando do mestre Wanderlei de Oliveira. 3Km Wind Sprint 100m x 100m. Vou relatar neste espaço cada etapa dos treinamentos. Estou ansioso pela primeira prova, mas ainda vai demorar.

Liverpool em dias bem brasileiros

Roy Hodgson (Foto: AFP)

O título nada tem a ver com a qualidade técnica da equipe inglesa. A comparação se deve ao comportamento da torcida dos “Reds” nos últimos jogos.

O Liverpool, um dos maiores vencedores do futebol inglês, além dos títulos, sempre se destacou pelo apoio incondicional de seus torcedores, especialmente em “Anfield Road”, a casa do Liverpool. Os jogadores sempre são recebidos com a famosa canção “You`ll Never Walk Alone” e esse apoio, na maioria das vezes,  resultou em viradas espetaculares, em vitórias memoráveis. Hoje, entretanto, a situação é outra.

Embora tenha conquistado a Liga dos Campeões da Europa em 2005 (depois de estar perdendo por 3 a 0 para o Milan), há 19 anos o Liverpool não vence o Campeonato Inglês. Na atual temporada o time figura na 12°posição e a paciência da torcida acabou. Tem sido comum nos últimos dias ouvir as vaias dos torcedores com a bola rolando, algo que não é comum por lá. A manifestação, tão comum no Brasil, provocou a surpresa do ameaçado técnico Roy Hodgson, após a derrota em casa para o Wolverhampton: “O famoso apoio de Anfield não apareceu desde que cheguei aqui”.

De qualquer forma, a moda de invadir Centro de Treinamento, felizmente, ainda não chegou por lá.

Linha de Chegada

Marilson Gomes do Santos é a grande esperança brasileira na 86°Corrida Internacional de São Silvestre. Sem dúvida é o maior favorito para encarar as feras africanas, em especial, o quenianno James Kipsang que luta pelo tricampeonato. Já no feminino, será uma grande surpresa, ver alguém superar a queniana Alice Timbilili. Torcida, entretanto, não vai faltar.

O Santos sai na frente

Jonathan (Foto: Washington Alves/Divulgação)

O mercado do futebol está muito devagar neste final de ano. Muitas especulações e pouquissimas contratações. Enquanto Palmeiras e  Grêmio sonham com Ronaldinho Gaúcho – que deve mesmo ficar no Milan -; e o Corinthians, com Adriano, o Santos foi às compras e até aqui foi a equipe que melhor se reforçou para 2011.

O Peixe contratou Elano, jogador que dispensa apresentações, Charles – por empréstimo de um ano – que estava no Lokomotiv Moscou – e o bom lateral-direito Jonathan que fez um belo Campeonato Brasileiro com a camisa do Cruzeiro. Além reforços, o Santos ainda terá a volta de Paulo Henrique Ganso que se recupera de uma cirurgia no joelho.

Campeão Paulista e da Copa do Brasil em 2010, o time que será dirigido por Adilson Batista tem boas chances de repetir o sucesso em 2011. A Libertadores é o grande objetivo. E as chances de conquista são maiores na medida que carrega pressão menor se comparado ao rival Corinthians, que jamais conquistou o torneio sul-americano.

Linha de Chegada

Depois de 20 dias sem treinar e uns quilinhos a mais devido às festas de Natal, voltei a treinar hoje. Uma corrida leve de 5Km se tornou árdua devido ao tempo parado. Pode até parecer aquela tradicional promessa de final de ano, mas 2011 vai ser diferente. Assim como Mutley,  famoso personagem do desenho animado da Cartoon Network, eu quero “medalha, medalha”.

A propósito, meus parabéns àqueles que estão preparados para mais uma Corrida Internacional de São Silvestre. Que a medalha a ser conquistada simbolize, em seu fechamento, mais um ano de conquistas e superação.

Aprendendo a mergulhar

Hoje, no Linha de Chegada, não vou falar sobre preparação para tradicionais corridas de rua. A atenção se volta agora sobre algo que descobri neste final de semana e que exige um poder de superação tão intenso quanto correr.

A convite de um casal de amigos, decidi fazer o que já desejei no passado, mas que por circunstâncias – falta de tempo e estímulo – acabei deixando de lado: me inscrevi num curso de mergulho.

Na primeira parte, após preencher uma declaração médica cheia de itens, uma manhã inteira de aulas teóricas que mostra os caminhos para exploração do mundo subaquático. Noções básicas sobre os equipamentos necessários, manutenção; enfim, cuidados para que você possa desfrutar desse universo desconhecido, mas fascinante, de maneira segura e prazerosa.

Na segunda parte, vamos para uma piscina onde tentamos aplicar algumas orientações tão detalhadas em vídeo e na esplanação do instrutor. Aí é que a coisa pega. Tudo soa estranho. As roupas, as nadadeiras, os equipamentos… Mas é a máscara o primeiro grande problema. Algo assustador! Você já não respira pelo nariz e essa nova sensação lhe causa pânico. Vagarosamente você encosta o rosto na água, respira sob ela e o que vem à mente? “O que estou fazendo aqui? Vou desistir!” Entretanto, o sábio instrutor lhe explica: “Logo você se esquecerá da máscara, respire com tranquilidade”. E assim, o pânico vai cedendo espaço a um prazer tão intenso quanto o temor inicial. O respirar vai se tornando suave, natural… Fica o gosto de quero mais! E tem!

No dia seguinte, novos exercícios na piscina pela manhã, aulas teóricas à tarde e prova final à noite. Ufa! Passei!

Agora é esperar pelo check-out e praticar no mar tudo aquilo que exaustivamente foi ensinado em aulas teóricas e práticas nas águas de uma piscina.