Sem Shakira, Iron e U2 Tricolor perde feio no futebol

Foto: Fernando Dantas/Gazeta PressVergonhosa. Assim foi a eliminação do São Paulo nas semifinais do Paulistão, neste sábado, em pleno Morumbi, ou melhor, ex-Morumbi, e agora a nova Casa dos Artistas. Só que desta vez, o show não foi da Shakira, nem do Iron das quantas e muito menos do chato do U2. Prevaleceu o futebol, graças a Deus, com Ganso e Neymar comendo a bola na vitória incontestável de 2 a 0.

Pena que a Shakira, o Iron das quantas e o U2 não joguem bola. Podem até trazer dinheiro, mas deixam os tradicionais torcedores do futebol tristes, frustrados, decepcionados, chorando as pitangas nas arquibancadas, nos camarotes empoeirados do velho e mofo Cícero Pompeu de Toledo.

Vão anotando aí: neste primeiro semestre, o Tricolor já perdeu um campeonato (Paulistão) e a dignidade democrática também ao reeleger o presidnete Juvenal Juvêncio pela terceira vez seguida.

Respondam por favor a esse velho jornalista, que viu desfilar pelo gramado do ex-Maior Estádio Particular do Mundo jogadores como Canhoteiro, Mirandinha, Gérson, Pedro Rocha, Roberto Dias, Jurandir, Serginho Chulapa, Raí, Muller, Sidney, Silas, Falcão, Kaká, Júlio César e até Luís Fabiano; onde foi parar o futebol são-paulino?

E assim caminha a mediocridade…

Adriano passeia no Rio e vira mala sem alça no Timão

O departamento médico do Corinthians deverá manifestar-se nesta quinta-feira sobre a grande mancada de Adriano no Rio de Janeiro. Do nada, o Imperador foi filmado dando um passeio descontraído em um shopping da cidade. Jogador andou de escada rolante, parou em lojas, fez compras e desapareceu.

Médico Joaquim Grava havia proibido o dito cujo de andar nos primeiros 15 dias após a cirurgia no tendão de Aquiles (rompido em um treino normal no CT do clube). Jogador desrespeitou a determinação e agiu como bem quis. Na verdade, Timão vai pagar caro a aposta de Ronaldo, que virou empresário e “sócio” do Corinthians.

Adriano recebe R$ 300 mil mensais, por um contrato de um ano, isso sem jogar. Estava previsto, se ele seguisse o tratamento à risca, uma liberação em cinco meses. Como se viu, Adriano é teimoso, não está nem aí com regras e aos poucos vai se transformando em uma tremenda “mala sem alça”, aliás, como tinha previsto o são-paulino Marco Aurélio Cunha.

Língua maldita do baixinho tricolor.

E tenho dito

Gramado ruim do Morumbi e viva a Casa dos Artistas

O torcedor do São Paulo que for ao Morumbi ver a partida contra o Goiás, válida pela Copa BR, nesta quarta-feira, vai levar um tremendo susto. O gramado do estádio Cícero Pompeu de Toledo está bastante “careca”, isto é, cheio de falhas, principalmente nas áreas onde ficam os goleiros. A péssima situação da cancha só chegou a esse ponto por causa de três shows seguidos no local: Shakira, Iron Maiden e U2.

Diretoria gabou-se de ter arrecadado milhões. Em compensação, apesar dos cuidados com a grama, a equipe de futebol poderá ser prejudicada terrivelmente. Além da partida de quarta diante do clube goiano (Tricolor pode até empatar), no próximo sábado acontecerá o difícil clássico contra o Santos, na decisão da semifinal do Paulistão. O São Paulo valoriza o toque, o passe curto, onde a bola precisa rolar no “tapete verde”. Pelo jeito, a cobiça falou mais alto e agora salve-se quem puder.

Morumbi deixou de ser o Templo do Futebol Paulista e transformou-se na Casa dos Artistas. A próxima tirada do marketing tricolor talvez seja convidar Sílvio Santos para apitar uma partida. Por que não Faustão ou Gugu?

O presidente Juvenal Juvêncio ainda briga pela abertura da Copa 2014 nos bastidores (dizem que ele estava por de trás do atraso das obras do Itaquerão, forçando a barra no Ministério Público). No entanto, nada faz para melhorar o velho Cícero Pompeu de Toledo na prática. Não providenciou a cobertura do dito cujo, vestiários estão ruins, torcedor ainda senta o traseiro no cimento frio e para estacionar em dia de jogo é um horror. Guardadores chegam a pedir R$ 50,00.

E assim caminham a avareza e a mediocridade…

Júlio César, do Timão, é o melhor goleiro do planeta…

Meus amigos e inimigos (como diria Matinas Suzuki), a partir de hoje resolvi considerar o goleiro Júlio César, do Corinthians, o maior e melhor da posição no Brasil. Vou parar de dar murro em ponta de faca. Só eu critico o rapaz e já está parecendo coisa pessoal, quando não tem nada a ver.

No Mesa Redonda, da TV Gazeta, fiquei sozinho quando critiquei o rapaz pela gritante falha no gol do Oeste, de Fábio Santos. Decidi que não sou escada do sucesso para ninguém. A relação de Júlio César com o Corinthians é problema das partes.

E assim caminha a mediocridade…

Semifinais com grandes salvam o triste Paulistão

Até agora, o Paulistão 2011 não empolgou ninguém. Fase classificatória foi travada. Nas quartas-de-final, deu a lógica. São Paulo x Santos, de um lado. De outro, Palmeiras x Corinthians. Para dizer a verdade, o campeonato irá entrar para a história por causa dessas duas partidas.

Mesmo assim, apenas o Timão não está brigando em outra competição. O Santos, por exemplo, terá de viajar para o México, encarando o América. O São Paulo mede forças com o Goiás, desta vez no Morumbi, pela Copa BR. Sem Luís Fabiano (amarelou na estreia) e talvez ainda sem Lucas (contundido).

Palmeiras vai encarar o Coritiba na próxima fase da Copinha, mas nessa semana descansa. Como a bola paulista, outrora forte e vencedora, anda mais por baixo do que nariz de cobra, não dá para apontar um favorito ao título.

Hora de colocar o coração no bico das chuteiras e pisar fundo.

E tenho dito!

Casa pode cair para Andrés Sanchez no Timão

Andrés Sanchez

Foto: Sérgio Barzaghi/Gazeta Press

O final de gestão do presidente Andrés Sanchez está sendo um desastre no Corinthians. Até agora, o clube da Fiel foi eliminado na Pré-Libertadores pelo Tolima (único brasileiro fora da competição), perdeu Roberto Carlos para um clube russo, Ronaldo abandonou a carreira e, para completar, a grande aposta para a temporada terá de ficar cinco meses em recuperação: Adriano rompeu o tendão de Aquiles, operou e reabilitação será demorada.

Os prejuízos são enormes. Se ganhasse a Libertadores, Timão receberia R$ 10 milhões. Os salários de Ronaldo continuam sendo pagos, parte pelo clube, parte pelos patrocinadores: R$ 20 milhões. Como terá de bancar do próprio bolso o tratamento de Adriano, além dos salários de R$ 300 mil, acrescente-se outros R$ 2 milhões. Total de R$ 30 milhões e 32 mil saírão do caixa alvinegro até dezembro.

Outro grave problema: Itaquerão. Obras estão sendo empurradas com a barriga pela empreiteira Odebrecht, encarregada de erguer o estádio para a abertura da Copa 2014 no Brasil. Sob comando de Sanchez, clube teve vários progressos. A democracia na escolha de conselheiros e presidente (não tem mais continuísmo no poder) foi uma delas. Dívidas foram equilibradas, se bem que até aumentaram em relação ao dirigente anterior, Alberto Dualib (clube devia R$ 100 milhões, agora R$ 120). Com a vinda de Ronaldo, além de dois títulos (Paulista e Copa do Brasil em 2009), Timão virou manchete mundial na mídia. Sanchez também conseguiu o maior acordo com a TV de toda história do clube, cerca de R$ 110 milhões por ano.

No entanto, com o abandono de Ronaldo, Sanchez se viu perdido. Arriscou em Adriano e quebrou a cara. Próximos passos terão de ser bem pensados. Caso contrário caos no Parque São Jorge. Perder Paulistão, o princípio do fim. Não conseguir vaga na Libertadores 2012, decadência total.

E tenho dito!

Timão aposta em reforços para esquecer Adriano

A contusão de Adriano, na última terça-feira, abalou as estruturas do Corinthians. Ninguém esperava por tamanho revés: ficar sem o Imperador por cinco meses, ou seja, ele só estreará no Brasileirão no meio do segundo turno, se a recuperação for bem feita. Por isso, a palavra de ordem é contratar, reforçar a equipe para o Brasileirão. Alex, do Spartak, é o primeiro nome da lista. Está tudo certo com o jogador e as negociações com o clube russo devem seguir, agora até por interesse do próprio Timão. Alex seria a estrela da temporada para substituir Adriano.

Outros deverão vir também. Um goleiro, um lateral-esquerdo e mais um atacante, para a reserva de Liedson. A dúvida está entre Gilberto, do Santa Cruz e o atacantge do São Caetano, Eduardo, autor de dois gols contra o Corinthians na vitória de 2 a 0. Os goleiros Luis (Azulão), Tadeu Cardoso (Santa Cruz) e Neneca (Santo André) e estão na mira. Existe um interesse distante por Claudio Bravo (Real Sociedad, da Espanha), que está encostado por lá, embora seja titular da seleção chilena.

E tenho dito!

Morumbi esquece futebol e vira Casa dos Artistas

Como imaginar as finais do Paulistão ou de qualquer outro campeonato sem jogos no Morumbi? Há um tempo atrás, isso seria uma piada de mau gosto. No entanto, se bobear, não acontecerá nenhum jogo de decisão no velho e bom estádio Cícero Pompeu de Toledo.

Caso o São Paulo seja eliminado pela Portuguesa (hipóstese absurda, porém, válida), a casa esportiva ficará jogada às traças. Por um motivo simples: Santos, Palmeiras e Corinthians já definiram o Pacaembu como sede. Pior: se o próprio Tricolor passar pela Lusa pode optar pela Arena Barueri.

O absurdo dos absurdos acontece porque o estádio do Morumbi ficou com o gramado terrivelmente prejudicado por seguidos shows ocorridos no local. Os fãs de Shakira, Iron Meiden, U2 fizeram um estrago daqueles no palco que outrora só via a arte de um Pelé, Gérson, Rivellino, Ademir Da Guia, Canhoteiro, Roberto Dias, Jairzinho, Garrincha e tantos outros mitos da bola nacional.

Diretoria, diante da falta de verbas e recursos no futebol, transformou o estádio na Casa dos Artistas, nome de um reality show do SBT anos atrás, que fez de Supla, Bárbara Paz e Luiza Ambiel os grandes destaques do mundo televisivo.

Morumbi, de Templo Sagrado do Futebol Paulista à Casa dos Artista.

E assim caminham a decadência, a avareza e a mediocridade…

Ronaldo é o Novo Kia Joorabchian do Corinthians

Foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press

Por ironia do destino, o Corinthians arrumou um novo “sócio”: Ronaldo. Para dizer a verdade, um “parceiro rico”, assim como nos tempos da MSI e de Kia Joorabchian, ainda tão criticado por uma ala mais conservadora do clube. O empresário é dono da Sport International, que agencia Carlitos Tevez, David Luís, Mascherano; intermediou a ida de Robinho para a Inglaterra, como também deverá levar Neymar para a Europa, sem falar de Lucas Piazon (do São Paulo). Kia domina o mercado inglês. O “cover” dele no Brasil passou a ser Ronaldo.

Como Kia fez com Carlitos Tevez, Ronaldo deverá fazer com Ganso. O iraniano tirou Tevez do Boca, colocou no Corinthians e o negociou com o West Ham, posteriormente Manchester United, agora o City, futuramente talvez o Barcelona. O Fenômeno com Ganso deverá agir de forma parecida. O meia virá para o Timão e depois só Deus sabe. Como na época de Alberto Dualib (voltando aos poucos ao cenário alvinegro), Sanchez também não colocará um tostão do bolso para ter o grande meia. Será um “presente” de Ronaldo, assim como Tevez (e Mascherano) foram de Kia na época.

A tal da 9nine já fechou com Neymar, Ganso, Adriano , Falcão (do futsal), Seedorf (quase certo) e promete anunciar muito mais nos próximos dias, assim como a Sports International com os craques europeu. Ronaldo está intermediando negociações (a de Adriano por exemplo), por baixo dos panos claro, assim como a MSI fez com Tevez e Mascherano.

Ronaldo ainda está no começo. Mas tem um grande futuro. Todos dirigentes do mundo atendem um telefonema do ex-jogador. De Sílvio Berlusconi (Milan da Itália e ministro por lá também) até Roman Abramovic (magnata russo dono do Chelsea inglês). Bobear até Obama (presidente dos EUA) fala com o Fenômeno.

Pelé (como ex-jogador e ídolo nacional) já foi superado. Ronaldo, sem dúvida, irá usar a própria imagem para ficar bilhardário, talvez trilhardário. Por enquanto, vai usar o Corinthians. No futuro, igual a Kia, talvez clubes ingleses ou italianos.

E assim caminham o capitalismo selvagem e a mediocridade…

Cervejinha liberada para Adriano no Timão. E daí?

Corinthians e Adriano fizeram um pacto. Jogador pode tomar cerveja e comer à vontade pelo menos uma vez por semana. Os conservadores estão horrorizados. Afinal, como um atleta de alta performance pode entrar em forma se ficar tomando uma por ai, de bar em bar? Bem, o assunto é polêmico. Mas futebol, cachaça, samba e mulher sempre caminharam juntos. Já faz parte da Cultura brasileira. Apenas os hipócritas fazem vistas grossas para ao dia a dia do brasileiro, que afunda as dívidas e as mágoas em um copo, nos balcões da vida, todo santo dia.

Quando eu jogava no Veteranos da Àgua Branca era moleque ainda. Mas nunca vou me esquecer de Raul. O cara só fechava o gol se tomasse uma “branquinha”, do contrário não conseguia se concentrar e levava um peru atrás do outro. Alcoólatra? Talvez. Mas ali ele era um semi-deus da bola. Tanto assim que mandaram buscar uma cachaça de alambique de Piracicaba. O garrafão ficava numa mesinha e só depois de Raul fartar-se qualquer um poderia beber também.

No futebol profissional, vários são os exemplos. Doutor Sócrates, no próprio Corinthians. Ele dava entrevista tomando uma caixa de cerveja. Antes de cada jogo, ninguém segurava a fera. Em campo, para desespero dos adversários, era sempre o melhor. Passes de calcanhar, gols de placa, futebol mágico. Ezequiel, também do Timão, gostava de Vodka. Para ninguém notar, tomava com Fanta Laranja (está no livro de Joaquim Grava). Agora, jogadores são mais sutís. Gostam de cair na farra em casas norturnas e todos tomam todas, até os mais jovens. Uns são visto em boates gays e similares…

E adianta proibir qualquer um de beber ou se entregar aos prazeres do Deus Baco? Na maioria dos casos não. O jeito é administrar, fazer o sujeito beber cada vez menos até parar de vez. Medida tomada em relação a Adriano foi inteligente, no mínimo.

E tenho dito!