Adriano na frente de Rogério Ceni, Luís Fabiano e Ronaldinho

Deus escreve certo por linhas tortas, dizia sempre a minha finada avó. Vejam os casos dos polêmicos Adriano (Corinthians), Ronaldinho (Flamengo); Rogério Ceni e Luís Fabiano (São Paulo). O futebol brasileiro deve a todos eles momentos de glória e esperança, sem dúvida. No entanto, o mais criticado deles todos, o Imperador, foi o único a ganhar um título em 2011. Aliás, gol dele contra o Atlético Mineiro foi decisivo e belíssimo. Não é qualquer um que faz um igual.

Luís Fabiano estourou a coxa (quatro semanas parado). Rogério Ceni fez uma cirurgia no ombro (ninguém sabe se volta a jogar bola, afinal tem 40 anos) e Ronaldinho Gaúcho é uma uruca só no Fla. Não recebe há meses, brigou com o técnico Vanderlei Luxemburgo e agora luta contra a sombra de Vágner Love.

Todos fracassaram. Porém, só Adriano é cobrado. E por que? Ora, joga no Corinthians. Imaginem se a contusão de Luís Fabiano tivesse ocorrido com o Imperador? Um caos! Adriano seria linchado em praça pública pelos coleguinhas blogueiros, que usam a internet como se fosse o próprio banheiro.

Enquanto isso, Adriano se mostra iluminado. É problemático, sem dúvida. Porém, todo gênio é excêntrico, foge da normalidade, tem lá os seus caprichos. Enquanto Ceni e Favela estão de molho no departamento médico tricolor; Ronaldinho lamentando-se pelos corredores da Gávea, Adriano treina firme e forte para ajudar o Timão na Libertadores.

E tenho dito!

EXCLUSIVO: Andrés Sanchez ainda acredita no Imperador em 2012

O ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, fez questão de colocar os pingos nos is quanto ao assunto Adriano. Ele, pelo telefone, esclareceu toda a situação. Disse que ainda acredita sim em um ótimo desempenho do Imperador nos próximos seis meses. “Fui mal-entendido. Falei que Adriano não tinha correspondido às expectativas. Mas vários fatores contribuíram para isso, alguns que fugiram do controle do jogador. A contusão no tendão de Aquiles, por exemplo, deixando-o vários meses parado”, falou com exclusividade para o Blog  ”E Tenho dito”.

Andrés, por outro lado, não nega ter alimentado uma enorme expectativa com a chegada de Adriano. “Na minha cabeça, ele seria o substituto de Ronaldo que, aliás, só parou por problemas físicos mesmo. Mas veio a contusão e a recuperação foi lenta e difícil. Foi nesse sentido que fiquei frustrado”, reforçou. Na transmissão da TV Globo de quarta-feira, durante a partida entre Guaratinguetá 0 x Corinthians 2, o repórter Mauro Naves revelou que Adriano ficou chateado com as ponderações de Sanchez. “Chegou a ele metade só do que eu falei. Infelizmente, tenho muitos inimigos por aí. Eles adorariam me ver em choque não só com Adriano, mas com todo elenco”, fuzilou.

Quanto à conquista da 8ª Copinha São Paulo pelo Timãozinho, Sanchez também retrucou. “Não é que deixamos as categorias de base de lado. Simplesmente tivemos de tirá-los de Itaquera por causa da construção da nossa Arena. Fizemos um acordo com o Flamengo de Guarulhos e os alojamos por lá. Eu como corintiano entendo ter sido o mais correto. O estádio foi sempre um sonho da Fiel torcida. Durante um século fomos humilhados. Éramos chamados de sem-teto por alguns rivais. Agora, isso vai acabar”, disse. “Mesmo assim, ganhamos o pentacampeonato brasileiro, a Copinha e vamos disputar todos os campeonatos dessa temporada”, finalizou.

E tenho dito!

Adriano não matou a mãe e Fiel está sendo injusta

Nunca vi tamanha injustiça com um jogador de futebol. Afinal, Adriano não é um anjo de candura, nem um monge franciscano. Porém, tem qualidades inegáveis e ajudou muito o Corinthians a ser pentacampeão brasileiro. Fez um gol apenas, é verdade. Gol que valeu por 50, contra o Atlético Mineiro, no Pacaembu, na vitória suada por 2 a 1.

Só por ter faltado um treino para curtir o aniversário da mãe, querem crucificá-lo. A torcida xinga e pede para clube mandá-lo embora. Aí, então, me pergunto: teria o jogador assassinado a mãe? Não, claro que não. Agiu de boa fé. Como diria o poeta, “mãe é mãe”. Qual é o problema?

O paulistano é conservador demais. Votava sempre em Paulo Maluf, elegeu Collor de Mello, Geraldo Alckmin e José Serra, contra Lula, Marta Suplicy, Genoíno e outros representantes da esquerda. Fiel é irritantemente conservadora. Gosta de ver o ídolo caído, aos pés da cruz. Quando deveria ser esperta, usar a cabeça e pensar a longo prazo.

O Imperador precisa ser encarado com outros olhos. É uma  espécie de arma secreta. Fica ali, esperando a vez de ser utilizado, de forma estratégica. Tem tanta qualidade que pode se dar a esse luxo. Sheik, inteligente e experiente, pediu paciência e com razão. É melhor apostar em Adriano do que chorar na rampa no final da Libertadores. Ou não?

E assim caminham a consciência de culpa e a mediocridade

Na lógica da desgraça, foi ótimo Timão perder da Lusa

No Corinthians, as coisas para darem certo precisam acontecer às avessas. Ou seja, às vezes é melhor perder do que ganhar. Curiosamente, o primeiro jogo de 2011 foi contra a Portuguesa. O Timão venceu e Roberto Carlos marcou um gol olímpico. Lembram? Partida válida pelo Paulistão. Um mês e pouco depois, o Bando de Louco viu a equipe do coração ser eliminada da Libertadores pelo Tolima.

Pela lógica da desgraça e do absurdo, que sempre norteia os corintianos, a derrota para a Portuguesa agora no princípio de 2012 pode significar um bom desempenho na primeira fase da Libertadores e, talvez, até o título. E não adianta dizer que não. Tudo para o Timão é meio estranho, místico, atrapalhado e sem coerência.

E Tenho dito!

Santos cai na real e Palmeiras faz um catadão em 2012

Pelo jeito, as vidas de palmeirenses e santistas serão um osso duro de roer em 2012. O presidente do Santos resolveu fechar meio clube para poder pagar o salário de Neymar, mantendo o jogador no Brasil. A idéia inicial não era bem essa. A “revolução de Laor” tinha como objetivo aproximar o futebol brasileiro do primeiro mundo, ou seja, não deixar as jovens revelações deixarem o País tão cedo.

Esforço louvável, porém, em vão. Depois da derrota para o Barcelona, os erros estão aparecendo mais do que os acertos. De repente, o Peixe só pegou moleza na Libertadores por isso venceu a competição; fechou o futebol feminino (Marta foi receber prêmio na Fifa e chorou ao lembrar disso); e Paulo Henrique Ganso virou um tremendo mico (não está em boa fase técnica há tempos e mercado fechou-se para ele).

Já o Palmeiras, meu Deus!, não tem dinheiro para grandes vôos. César Sampaio, gerente de futebol, esteve no Mesa Redonda, da TV Gazeta, e soltou o verbo. Clube precisa apostar nos renegados, como Daniel Carvalho, Carlos Alberto um pobre diabo zagueiro argentino que caiu em desgraça no River Plate e assim por diante. Até Valdívia transformou-se no fio da esperança.  E que todos rezem para o time não se ver em maus lençóis, como no passado, quando caiu para a Segundona.

E assim caminham os sonhos e a mediocridade…

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

O presidente do Santos resolveu fechar meio clube para poder pagar o salário de Neymar

Timão pentacampeão no rumo certo da Libertadores 2012

Vários são os fatores que me levam a crer que finalmente o Corinthians irá vencer uma Libertadores. Não que entenda ser esse um torneio importante. A conquista do Brasileirão 2011 foi muito mais significativa. Timão provou ser regular do começo ao fim e por isso levou o penta. Na competição sul-americana prevalece o mata-mata e qualquer previsão fica complicada de ser feita. A regularidade é prejudicada.

Desta vez, o clube atingiu outro estágio. Primeiro, manteve o grupo. Ninguém saiu. Ficaram Liedson, Sheik, Alex, Adriano, William, Paulinho, Ralf, Castan, todos jogadores de grande importância na campanha passada. Segundo, Tite também foi prestigiado. Elenco esteve sempre nas mãos do Barão dos Pampas e, na retranca ou não, equipe marca muito, chega junto e consegue os resultados necessários.

Reforços que vieram até agora foram meia-boca. Atual diretoria poderia ter comprado melhor. Com certeza, depois das eleições do clube, quem assumir deverá investir. Equipe necessita de lateral-direito, esquerdo, goleiro razoável, meia-esquerda e um atacante de bom nível. Por incrível que pareça, Timão começa 2012 bem na frente, com time, esquema tático e gana de levar um título inédito. Sem falar do Itaquerão, o futuro estádio mais querido e maravilhoso do Brasil.

Agora vai!

E tenho dito!