Apito deve proteger todos os craques, não apenas Neymar

Três expulsões na partida entre Santos 6, Ponte Preta 1. A de Renato Cajá nem a senhora mãe dele poderia defendendê-lo, tal a violência desnecessária no choque com o adversário. Porém, as outras duas foram questões interpretativas. De qualquer forma, apito foi correto em preservar Neymar, que apanhou muito contra o Mirassol, mas exagerou e prejudicou a Macaca na severidade das expulsões.

Concordo que o craque deva mesmo ser preservado. Não apenas Neymar, um talento maravilhoso do futebol brasileiro. E sim todos, absolutamente todos grandes jogadores. Casos de William e Liedson (Corinthians), Lucas e William José (São Paulo) e até de Maicon Leite (Palmeiras). Eles podem não ter a magnitude do santista Neymar, mas merecem respeito tanto quanto o dito cujo. E também apanham demais.

O que não pode ficar no ar é que o técnico Muricy Ramalho, do Peixe, reclama e todos na Federação Paulista abaixam a cabeça. Em 2011, por ter vários jogadores convocados para a seleção brasileira no decorrer do ano, a CBF adiou mais de cinco jogos do Santos. Em algumas ocasiões, o Peixe escapou de boa. Por exemplo, diante do Timão que, na rodada seguinte, meteu 5 a 0 nos então Meninos de Carpegiani.

A ordem informal dada nos bastidores da Federação precisa ser válida para os artistas da bola em geral. Se valer apenas para Neymar, Santos será favorecido injustamente.

E tenho dito!

Empate justo e heróico do Timão na estreia da Libertadores

Foto: AFP

Foto: AFP

Nada é fácil para o Corinthians. No último lance do jogo, aos 48 minutos do segundo tempo, o volante Ralf meteu a cabeça na bola e deixou tudo igual no placar, 1 a 1, em São Cristobal, na Venezuela. O gol da equipe da casa foi de Herrera, depois de uma bobeira geral do zagueiro Chicão com goleiro Júlio César. Timão, porém, sentiu a estreia e o fantasma da Libertadores incomodou bastante. Do técnico Tite ao massagista, sem dúvida.

Tite, por exemplo, entrou em campo com o mesmo time que venceu o São Paulo, domingo passado, pelo Paulistão. Só que a fidelidade do treinador ao grupo acabou sendo danosa. Jorge Henrique e Danilo não renderam a mesma coisa e produção caiu demais.

Na etapa final, valeu o esforço, a pegada, a raça e a garra do Alvinegro Paulista. Várias chances de gol foram criadas. Leandro Castan, por exemplo, perdeu gol certo diante do goleiro venezuelano. Elton (que entrou no lugar de Liedson e jogou bem melhor) também arriscou. Alex, substituto de Emerson Sheik, deu outra movimentação ao meio-campo e tentou finalizações.

O Tachira ainda teve um gol anulado, aliás, corretamente. Atacante estava à frente da linha bola no momento do segundo toque. Mas Júlio César não deixou de falhar. Primeiro defendeu com o pé. E novamente rebateu  para dentro da área. No final, Ralf fez o gol salvador e tudo ficou zen de novo. Começo duro, suado, rasgado. Bem ao estilo do Timão.

E tenho dito!

Para quem esperava Tevez ou Montillo, o chinês Chen Zhi-Zhao

Para o fanático corintiano dois nomes eram esperados no clube para a disputa da Libertadores: Carlitos Tevez (Manchester City) ou Montillo (Cruzeiro). Com a vitória de Mário Gobbi sobre Paulo Garcia, veio o primeiro grande reforço para a difícil temporada de 2012: o chinês Chen Zhi-Zhao. Documentação da fera já foi liberada e o meia vai desabar por aí nos próximo dias.

A vinda do bruto é a primeira jogada de marketing de Luís Paulo Rosenberg, agora o vice de Gobbi. Para ele, essa será uma tentativa de explorar o mercado da China, com bilhões de habitantes e um grande potencial econômico. A idéia é espetaculosa, mas uma tremenda bomba, sem pé e nem cabeça.

O tal Chen Zhi-Zhao não tem a menor expressão, aliás, o futebol na China e um cachorro balançando o rabo ali na esquina são a mesma coisa. Os caras gostam de natação, vôlei, basquete e vários esportes olímpicos, sem falar das milenares lutas marciais. Mas futebol não é a praia deles. Antes tivesse contratado um japonês ou um coreano, onde o dito esporte já tem uns 30 anos de tradição. Ou trazer um especialista para treinar atletas na academia de MMA do Anderson Silva. Por que não?

Rosenberg já avisa que não quer Tevez, mas podem chegar outros Chens Zhi-Zhaos. O anuncio, estatégicamente, foi feito na véspera da estréia na Libertadores. Quer dizer, ninguém está nem aí com o grande reforço de Rosenberg. Mas quem é o empresário? Quanto vai custar essa aventura? A custo zero que não será. Ou tem gente no Timão que acredita em coelhinho da Páscoa?

É o que eu sempre digo: da cabeça de publicitário e do bumbum de um nenê ninguém sabe nunca o que irá aparecer.

E assim caminham a genialidade e a mediocridade…

Parabéns Gobbi, mas cuidado com escorpião no ombro

Uma velha fábula serve de alerta para o novo presidente do Corinthians, o delegado Mário Gobbi. Reza a lenda que uma tempestade provocou grande enchente no reino animal. Vários bichos se afogaram quando tentaram atravessar um rio. Ali, em uma das margens, uma velha e boa tartaruga prestes a se aventurar. O mergulho seria difícil, mas para ela, com mais de 120 anos nas costas, não haveria maiores problemas.

Quando se preparou para enfrentar o desafio, um grito veio de um galho de árvore, quase levado pela forte correnteza. “Me ajude tartaruga. Eu não sei nadar”. A cascuda olhou para cima e viu um escorpião preto, feio, daqueles de ferrões fortes. “Não brinque. Não sou louca de andar com um escorpião nas costas”, retrucou. “Por favor, prometo que não vou mordê-la. Se fizer, morreremos nós dois. Socorro!!!”.

Bondosa, cheia de compreensão, a tartaruga aceitou o acordo. O escorpião preto como a noite, carregado de veneno, subiu em cima dela, entre as patas e o casco, vamos dizer, no que se poderia chamar de ombro. A travessia foi mais dura do que a velha e experiente tartaruga imaginava. Águas estavam barrentas, cheias de pedaços de troncos e violentas demais.

Sucesso. Quando os dois bichos estavam para chegar à margem, o escorpião não aguentou. Seguindo os instintos assassinos, cravou o ferrão na companheira de infortúnio. Enquanto a bichinha morria envenenada e o escorpião afogado, a tartaruga desabafou: “Você prometeu que não ia me picar. Está vendo. Agora estamos morrendo…”. Já com água lotando seus frágeis pulmões, o escorpião suspirou: “…quem mandou levar um escorpião nas costas?”.

Boa sorte, Mário Gobbi, e ande sempre com os ombros limpos.

E tenho dito!

Síndrome da Maldição da Libertadores já incomoda o Corinthians

Foto: Marcelo Ferrelli/GAzeta PressA hora de estrear na Libertadores vem chegando (será na próxima quarta-feira na Venezuela) e o Corinthians já começa a demonstrar uma certa tensão. Não é à toda que somou dois empates no Paulistão, contra adversários apenas razoáveis, casos de Bragantino e agora Mogi Mirim. Sem dúvida, a síndrome da Maldição da Libertadores já atacou o elenco alvinegro, pentacampeão brasileiro nomês de dezembro.

Impressionante: equipe jogou do meio-campo para trás contra o Sapão, como se o Mogi fosse o Real Madrid ou o Barcelona. Respeitou demais um adversário fraco e sem expressão. O técnico Tite é um tremendo retranqueiro é verdade, mas jogadores não estão demonstrando vontade de vencer, garra e pegada. Fazem um golzinho e já estão felizes. Deu para o gasto.

Estariam de pernas bambas, sentindo o peso da responabilidade de uma competição sul americana, nunca vencida pelo clube? Para piorar tem clássico contra o São Paulo no domingo e eleições no clube no sábado. Elenco está inseguro quanto ao futuro. Se perder do Tricolor, como será recebida a queda pela Fiel? Caso perca Mário Gobbi, Tite será mantido?

Resumo: Timão sem crise, não é Timão.

E assim caminha a mediocridade…

Santos vai passar o ano exorcizando fantasma do Barcelona

Quem viu a partida entre Santos 1, Oeste Paulista 1 matou a charada de vez: o Peixe vai passar o ano tentando exorcizar o fantasma do Barcelona. Afinal, a derrota de 4 a 0 na decisão do Mundial de Clubes, um vexame histórico e internacional, ainda pesa nas costas dos Meninos da Vila. De repente, Éder Lima tinha a cara do Puyol; Adriano Alves era Piqué. Sem falar que Fernandinho lembrou Messi e Wanderson tinha repentes de Pedro. Bobear, Muricy Ramalho viu alguma semelhança entre Estevam Soares e Guardiola.

Claro que tudo isso faz parte do imaginário santista, mas acaba influenciando no real, no jogo disputado contra qualquer adversário. Por incrível que pareça, o mais desinibido, embora cansado, foi Ganso. Talvez até por estar de saída (confessou interesse do Porto de Portugal e do Corinthians). O restante dos atletas envolvidos no trágico encontro com o Barça estão com o moral em frangalhos.

Antes, então, atuar com a maioria dos reservas. Muitos deles não se afetaram com a derrocada do Japão, mesmo porque nem fizeram parte dela. Dessa forma, o Santos pegaria corpo de novo e voltaria a encantar os olhos do povão brasileiro, como diria o meu amigo Fernando Soléra.

E tenho dito!

Um desrespeito total a Vanderlei Luxemburgo e Joel Santana

Os dirigentes do Flamengo chegaram ao fundo do poço. Ninguem recebe salário na Gávea há cinco meses (atacante Deivid entrou na Justiça na quarta-feira), trouxeram Vágner Love sem um tostão nos cofres, querem piratear Adriano no Corinthians  e agora jogam dois profissionais de maior respeito no futebol brasileiro um contra o outro, casos dos técnicos Vanderlei Luxemburgo e de Joel Santana.

Brincadeira tem hora e limite também. Luxa deu entrevista após a classificação do Mengo na Libertadores sem saber se ainda era treinador. Na Bahia, Joel nem sabia o que dizer sobre a situação. No final da noite desta quarta-feira, o site Globo.com publicou que Luxa seria despedido após partida do Engenhão e que Joel já era novo técnico do Mengo.

Colegas cariocas não tem a menor noção. O Flamengo é intocável. Se Patrícia Amorim fosse presidenta do Corinthians, já tinha sido chamada para depor na Polícia Federal sem dúvida. Mas lá no Rio nada acontece. Romário, por exemplo, deputado federal pelo Rio, vive metendo o pau em São Paulo. Mas é na terra dele que aconteceu escândalo do Panamericano, Complexo do Alemão foi invadido, bueiros explodem pelas ruas do nada, três prédios desabaram e ninguém sabe explicar nada até agora.

Em uma linguagem bíblica, Rio é uma mistura de Sodoma e Gomorra, mais Babilônia.

E assim caminham o desrespeito e a mediocridade…