Marin limpa a CBF de Teixeira e ganha pontos no Planalto Central

Fernando Dantas/Gazeta Press

Fernando Dantas/Gazeta Press

De um omisso ninguém pode acusar o presidente da CBF, José Maria Maria. Nesta quarta-feira, ele assumiu toda e qualquer mudança no futebol brasileiro tendo em vista a Copa de 2014. Deixou claro ter sido o responsável pela saída de Mano Menezes, pela extinção do cargo de Supervisor de Seleções (até então ocupado por Andrés Sanchez) e praticamente confirmou ter trazido de volta Felipão. Só não mencionou Carlos Alberto Parreira como  Coordenador Técnico, como estão susurrando os cariocas.

De qualquer forma, ninguém da época de Ricardo Teixeira está na CBF. Todos foram devidamente “decapitados”. Confesso que fiquei surpreso com a saída de Sanchez. Será que ele foi abandonado por Lula, o dono do Brasil? Ou preferiu aceitar o convite de Fernando Haddad para ser o futuro secretário de Esportes do Município?

Alguém, no alto-escalão, perdeu na queda de braço.  Dilma estaria engolindo Lula devagar? Fato: Marin limpou a CBF de Teixeira e ganhou pontos no Planalto.

E tenho dito!

Protegido por Lula, Sanchez só deixa CBF se quiser

Djalma Vassão/Gazeta Press

Djalma Vassão/Gazeta Press

Depois da queda do técnico Mano Menezes, ficou bem claro um cenário: Ricardo Teixeira e todos que estavam com ele estão fora dos planos da presidenta Dilma. Embora a CBF seja uma entidade privada, está com um “interventor” sim. Afinal, José Maria Marin é extamente o que? Sem dúvida, o porta-voz do Planalto Central.

O vice-presidente da República, Michel Temer, é o responsável pela realização da Copa 2014. Dilma não quer mais escândalos. Pegou mal para o País o envolvimento de João Havelange e Ricardo Teixeira em trambiques internacionais entre CBF e Fifa. Além disso, obras de estádios e de infraestrutura estavam atrasadas. Como ficam os compromissos assumidos por Lula há quase cinco anos atrás?

Mano caiu, mas por trás dele tem um edifício gigante desabando também. Andrés Sanchez, o gerente de futebol, porém, pode ser mantido. Afinal, quem se arrisca a desafiar o nosso querido Lula, o dono do Brasil?

E tenho dito!

Tite é o cara para a assumir a Seleção e Mano cai tarde demais

AFP

AFP

Demorou e lá se foi o técnico Mano Menezes ladeira abaixo. Nada mais justo. Ele entrou para fazer uma renovação e malogrou. Deu um pouco de azar, afinal a nova geração só tem Neymar. Talvez Oscar, daqui a algum tempo. O fato é que Mano não encaixou. O presidente da CBF, José Maria Marin, sentiu o momento e resolveu colocar o dito cujo no olho da rua após a conquista do bicampeonato do tal Superclássico das Américas.

E agora? Bem, Tite é a solução sem dúvida. O Corinthians é hoje um time moderno, sem estrelas, que marca bem, ataca rápido e sabe utilizar o moderno 4-2-3-1 como nenhum outro no Brasil. E mais: Tite é um cara dígno, decente, família, amigo, honesto com os jogadores, não se mete em negócios paralelos, estuda futebol e tem uma dignidade do tamanho do coração da Fiel torcida.

Para conquistar a Copa de 2014, vamos precisar de tudo isso e muito mais.

E tenho dito!

Flu é o campeão do Tribunal e o Palmeiras se explode de vez

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

A cariocada conseguiu. O Fluminense sagrou-se campeão brasileiro derrotando o  Palmeiras por 3 a 2, em Presidente Prudente. E ainda passou um sufoco. Vencia por 2 a 0, cedeu o empate e virou na ruindade do adversário. E o Palmeiras? Bem, faltou categoria, raça, vergonha na cara e cabeça fria. Um empate até que cairia bem, nessa altura do campeonato.

Quantos jogos o Flu foi beneficiado pelo apito? Me lembro de alguns: contra a Ponte Preta e o Botafogo, por exemplo. Mas é bom reconhecer as grandes defesas de Diego Cavalieri e os gols (alguns incríveis) de Fred. Novidade tática, porém, nenhuma.

A Lei de Talião é assim: em 2010 Palmeiras entregou o jogo para o Flu ser campeão. Agora, praticamente, a cariocada devolveu a gentileza, jogando uma pá de cal na sepultura do Alviverde.

E tenho dito!

Timão a caminho do Japão e Verdão indo para a Segunda Divisão…

Esse foi o cartaz escrito a mão por um torcedor corintiano em Brasília, mostrado pela Sportv, durante a partida Atlético GO 0, Corinthians 2. Maldade? Não, infelizmente, a pura e cruel realidade. Enquanto o Timão treina para o Mundial aproveitando o Brasileirão, o Verdão esperneia para não cair para a Série B pela segunda vez na gloriosa história.

O que fazer? O técnico Gilson Kleina deixou o gramado lamentando os gols perdidos, a bola na trave, os dois contra-ataques mortais do Botafogo (2 a 2). Para ele, o placar moral deveria ter sido 4 a 2 sobre os cariocas. Pior é que a Ponte Preta, abandonada por ele dias atrás, já soma 43 pontos ganhos, dez a mais do que o pobre Palestra. É a fase, diria aquele personagem do Jô Soares.

Já o Coringão mostra um entrosamento sensacional, uma marcação implacável e até capricho demais na hora da finalização, por isso deixou a Arena do Jacaré com pelo menos 5 a 0 em cima do Atlético-GO, matematicamente rebaixado.

Não é à toa que um time está indo para o Japão, disputar um justo Mundial de Clubes; outro, para a Segunda Divisão, comer o pão que o diabo amassou outra vez. Será que agora vão aprender a lição?

E tenho dito!