Gazeta Esportiva

A exigência de avaliação médica antes de se iniciar a atividade física em academias, parques e clubes tem sido cada vez mais freqüentes. Esse processo é comumente denominado de avaliação pré-participação.

Tal prática é utilizada há alguns anos em países europeus e norte americanos, e tem como objetivo principal rastrear doenças e identificar fatores de risco cardiovasculares que possam ser lesivos para a saúde. Entre os atletas de alta performance é fácil entender o porquê das avaliações periódicas, basta lembrarmos de algumas tragédias como a dos jogadores de futebol Serginho, Miklos Feher e Marc-Vivien Foe.

A Itália foi o primeiro país a tornar obrigatória a avaliação pré-participação entre atletas que entrassem em qualquer competição oficial, construíram centros de formação e treinamento de profissionais altamente capacitados e centros de avaliação de atletas e investigação de patologias. A partir disso, protocolos de avaliação inicial que incluem história pessoal e familiar, exame físico e eletrocardiograma foram desenvolvidos e aplicados com os rigores necessários. Passados quase 30 anos, podemos verificar uma diminuição importante no número de atletas que apresentaram morte súbita em solo italiano.

Apesar de ser discutível o uso de exames como eletrocardiograma, teste de esforço e ecocardiograma, não se discute a importância da avaliação periódica de atletas. No entanto, quando falamos em esportistas amadores, praticantes de atividade física e pessoas que desejam iniciar atividade física não existem estudos científicos que sustentem tal prática ou mesmo recomendações precisas sobre quais são as doenças a serem rastreadas.

Pensando nisso, deixo duas perguntas a serem respondidas: será que todas as pessoas se beneficiam de realizar tal avaliação pré-participação? É necessário realizar um exame médico para fazer exercícios?

A avaliação dos riscos cardiovasculares, por outro lado tem grande valia, pois, praticar atividade física com maior segurança é sempre importante, principalmente, para aqueles que visam saúde. Além disso, o exame médico pode trazer outros benefícios como prevenção de lesões, otimizar e procurar o melhor tipo de treinamento para tratar os problemas detectados, orientação alimentar e de descanso. A diversidade marca esse grupo de pessoas praticantes de atividade física, mas, que não são atletas profissionais. Portanto, suprir as necessidades de cada praticante é fundamental.

Prática de atividade física regular é o fator mais importante para a longevidade e melhora da qualidade de vida, sendo, recomendada para todas as pessoas. Progressão correta da atividade física, especialmente em indivíduos que apresentam fatores de risco para doença cardiovascular, iniciando com exercício leve a moderado e evoluindo sem excessos. Respeitar as limitações como no caso de lesões prévias, indicar o melhor tipo de exercício ou esporte, respeitar idade e sexo, orientando o exercício de forma individualizada. Nesse caso, o ideal seria realizar não só a avaliação inicial, mas, acompanhar a evolução do paciente até ingressar em programa de exercícios mais intensos.

Em atletas profissionais que apresentam alto estresse fisiológico, levando o corpo ao limite, é prudente que se faça os exames para rastrear e descartar possíveis doenças graves, como a doenças cardíacas congênitas. Em contrapartida, a população comum pode se beneficiar muito de uma avaliação que vise a promoção de saúde e melhora da qualidade de vida.

Leonardo Kenji Hirao

Medicina do Esporte e do Exercício

Grupo de Medicina Esportiva do Hospital das Clínicas – FMUSP





RSS feed | Trackback URI

4 Comentários »

Comentário by mateus saito
2011-11-18 13:04:00

Existe alguma legislação que exige um mínimo de avaliação para determinado esporte?

 
Comentário by cienciadoesporte
2011-11-28 12:07:38

Aqui no Brasil não existe uma exigência em relação ao esporte. Fica a cargo dos clubes e dos próprios atletas realizar essa avaliação periódica.
Leonardo Hirao

 
Comentário by Nikos
2011-12-31 14:11:06

Exames médicos são importantes antes das atividades fisicas, principalmente nos sedentários. Mas, acho que o mais importante, é o acompanhamento no decorrer das atividades físicas porque o sedentário é inexperiente e tende a exagerar ou trabalhar de maneira equivocada. Exames médicos são necessários, mas o bom senso e o acompanhamento são mais importantes.

 
Comentário by Sara
2012-02-10 19:45:27

Bem itenrnssaete… Concordo plenamente, mas mesmo sabendo fica dificil fugir desta realidade!

 
Nome (obrigatório)
Email (required - never shown publicly)
URI
Seu comentário (smaller size | larger size)