Ao Santos tudo é importante

Foto: Divulgação/SFC Foto: Divulgação/SFC

Ao dizer que ao Santos é mais importante a Libertadores Muricy dá um recado que pode desmotivar a galera para os jogos do Paulistão.<p>
Aliás, essa de participar de uma competição com o pensamento voltado para outra não costuma dar certo. Ou não foi assim no ano passado, quando o Peixe minimizou o Brasileirão e jogou todas as suas fichas na preparação para o Mundial de Clubes? <p>
Os primeiros dias de Campeonato Paulista já não motivaram muito. Tudo bem, pré-temporada nada bem feita, férias fora de prazo por causa justamente do calendário internacional e, com isso, o grupo entrou no regional com o bonde andando. Só que, na hora que julgou oportuno botar os titulares em campo, o comando deveria atentar para a importância de vencer os jogos, aplicar o melhor na busca de resultados que o fizessem tentar uma subida na tabela. <p>
Nada a reparar na derrota para o Palmeiras, pois, afinal, tudo foi tão surpreendente, um inesperado acidente. Perder um clássico faz parte da vida dos grandes do futebol. Só que, no  momento imediato, ainda no vestiário em Presidente Prudente, a palavra do técnico devia ter sido de motivação para o elenco e seus torcedores para tudo quanto der e viver. Acima de tudo, cabia ressaltar que a inesperada virada do Verdão não seria capaz de gerar um clima de desânimo. <p>
Manter-se ligado no campeonato de São Paulo não impede que, na primeira data da Libertadores, aí, sim, o futebol de Neymar e seus companheiros entre em campo para brigar pelo bicampeonato. Jogar por taças simultâneas significa se aplicar por igual em todas. Até porque cada jogo de um torneio serve para manter o time afinado também para o outro.<p>
Quanto maior o Santos, mais importante será sua presença em qualquer competição. Por isso que precisa fazer a felicidade de seus seguidores em todas as apresentações, jogando cada partida com o melhor a escalar e com o maior interesse em deixar sua marca de grande pela sua baita qualidade atual tanto quanto por sua história gloriosa.<p>
Gente, um timaço como o da Vila tem que ser sempre candidato a qualquer título.