O QUE HÁ COM ADILSON?

Foto: Sérgio Barzaghi/Gazeta Press

Foto: Sérgio Barzaghi/Gazeta Press


Adilson Batista só suportou 11 jogos à frente do Santos. Perdeu apenas um jogo, mas mesmo assim, vinha sendo pressionado por um futebol mais vistoso, ou um Santos parecido com o do primeiro semestre do ano passado. Comparação dura. O mesmo se aplica à substituição de Mano Menezes, ganhador no Corinthians, convidado pela seleção. Adilson veio porque tem um currículo respeitável. Tanto que o chamaram para lugares, que bem ocupados pelos seus antecessores. E ele durou pouco. O Santos não estava convencendo mesmo. Como o Corinthians dele, da mesma forma não empolgava. Será que ele precisa de mais tempo para ganhar os elencos, ou estará com algum outro problema que desconhecemos? Eu continuo respeitando Adilson e espero vê-lo logo de volta aos campos. Quanto ao Santos, vamos ver se consegue se recompor rápido. O investimento foi pesado e, se bobear, pode gerar frustração de eliminação logo na primeira fase da Libertadores. Quanto a pouca paciencia com treinadores, isso não é privilégio da equipe santista.

POR QUE RONALDO MENTIU?

Não houve um brasileiro que não se emocionasse com a entrevista de despedida de Ronaldo. Todos viram e ouviram em silêncio as histórias, explicações e o choro do grande ídolo. E muitos ficaram penalizados com a explicação da eterna gordura: hipotireoidismo. E o pior, a impossibilidade de combater o problema, porque os remédios a serem usados seriam dopantes. Horas depois, ainda sob o impacto da perda, médicos consultados sobre a doença estranharam a revelação. Não há doping em nenhum remédio para combate desse problema, e é impossível Ronaldo não ter tomado nada se havia constatado o problema há quatro anos. Ele não conseguiria nem sair da cama se não fosse medicado. Ronaldo falou que a “torcida exagerou um pouco” após a eliminação contra o Tolima, mas que não parava por esse motivo. Na realidade ele foi prensado por cartolas do Corinthians, ainda no avião que voltava da Colômbia, e ficou muito contrariado. As pedradas dos marginais uniformizados decretaram, em conjunto, as saídas dele e de Roberto Carlos, velhos amigos. Falar mal desse pessoal seria bobagem, já que ele vai continuar a ganhar dinheiro no Corinthians, mas dizer que “não se imaginava ter vivido sem o Corinthians” e que essa é a melhor torcida que ele já viu, mesmo tendo jogado no Barcelona, clube bancado pelos torcedores há mais de cem anos e onde, com exceção doPelé, foram contratados os maiores craques da história, com a grana dos torcedores, é claro exagero, para não dizer média barata. Até porque ele disse que comparou sua passagem pelo Corinthians com a emoção do título mundial de 2002. Será mesmo? Ronaldo foi genial em campo. Não precisa mais da bola faz tempo. Mas a vida vai seguir e ele será, tomara, um maravilhoso homem de negócios. Começou mal. A credibilidade nessa área significa gols de bicicleta. E ele fez um golaço contra. Não necessitava nada disso. A fantástica passagem dele pelo mundo da bola basta para colocá-lo no patamar dos maiores de todos os tempos. Não há motivos para querer competir com o Pinóquio.

MELHOR ASSIM

O Ronaldo acertou na decisão de parar. Ele sempre foi visto como um fenomeno, no seu trabalho de jogar futebol e ultimamente virou um fantasma dele mesmo. Ao invés da agilidade via-se um jogador com dificuldades de movimentação, perdido em campo e com problemas até para dominar a bola. Muito acima do peso, passou a não significar nada em campo e assim transformar-se em estorvo para os companheiros, ao invés de solução. Ele tem uma história espetacular e, parando, os julgamentos sairão do hoje e voltarão para os tempos áureos de melhor do mundo. Enquanto ele estivesse em campo teria que ser submetido a análise do hoje, onde estava num nível deprimente. Parando, suas glórias voltarão e ele sempre estará num patamar muito alto. Infelizmente tudo acaba, para o Ronaldo ou para qualquer outro ser humano. No caso dele, rico, resolvido, consagrado, ser submetido ao julgamento do agora, era algo necessário, porém cruel, a que ele mesmo se submetia. Quando passou a ser ameaçado por marginais entendeu que tudo passara dos limites. Ronaldo não foi nem sobra de fenomeno no Corinthians, mas ganhou o coração do torcedor pelo bom começo e pelo dinheiro que trouxe para o clube. E estava jogando fora essas últimas conquistas se arrastando em campo. Perder para o ridículo Tolima, foi a gota d’água.

ECONOMICO NÃO, INTELIGENTE

Kléber

Foto Marcelo Ferrelli/Gazeta Press

Acabei de trabalhar em Palmeiras e Americana.O melhor time do interior é fraquinho e o Palmeiras ganhou mais uma. Ganhou no limite, um a zero, voltando a liderar o Paulistão. Está certíssimo. A confiança só chega com vitórias e o risco de tomar um empate no final, não compensava. Então o Palmeiras jogou para o gasto, especialmente depois de marcar o gol com o Kleber. O elenco do Felipão é apenas razoável, as decisões tem judiado dos torcedores nos últimos tempos. Não arriscar significa inteligencia.Feio seria perder de pequenos. Mas, isso só o São Paulo “conseguiu” até agora.

MAIS UM QUE SE VAI

Cada vez está mais difícil para um jogador, de nível, atuar no Brasil. Não há tempo para pré-temporadas, voce tem que jogar contra timinhos, especialmente no primeiro semestre e, quando perde sofre ameaças graves. Pior é que sem qualquer tipo de punição. Vagner Love, Luxemburgo,Edmilson, só para falarmos dos casos mais recentes,foram vítimas de párias, que frequentam clubes e são recebidos por autoridades, que deveriam puní-los,como se fossem estadistas. Para que servem as torcidas uniformizadas ? Para nada além de explorar os nomes do clubes, sem pagar royates, espalhar terror e ultimamente, afastar craques. Por que Roberto Carlos deveria permanecer no Corinthians depois do que sofreu na semana passada? Consagrado, rico,reconhecido em todo mundo, passou a sofrer pressões, tentativas de emboscadas e telefonemas ameaçadores. Ele é um trabalhador, um homem sério e era incomodado por uma gangue com poderes ilimitados, num país sem punições a marginais dessa espécie. Saiu e fez muito bem. A vida dele não mudará em nada sem o Corinthians. E claro que, o Corinthians não acabará sem ele. O que incomoda é que, de novo, os bandidos venceram. Que agora aproveitem para curtir bastante o novo lateral esquerdo do time, o Fábio Santos.

MORTE NA BOLA

Acordo com a notícia da morte do garoto William Morais, que jogou algumas vezes no time principal do Corinthians. 19 anos, um tiro no torax e fim de uma família, pois, afinal, que família poderá seguir vivendo normalmente depois disso. O rapaz estava emprestado ao América Mineiro e foi para uma balada, já que seu time não irá jogar nesse final de semana. Saiu para conversar com uma garota e, parece, teria reagido a um assalto, sendo morto.A polícia mineira já pegou os assaltantes e apresentou suas fichas polícias com várias passagens anteriores, envolvendo assaltos, tráfico de drogas e outros que tais.E estavam soltos, é claro, pois estamos no Brasil.Fico muito penalizado com tudo isso.Coloco-me no lugar da mãe, do pai e imagino o desespero que eles estão vivendo.Só a fé em Deus pode ajudá-los.Por aqui, quando baixar a poeira, os marginais serão soltos e tudo voltará à rotina.E tem gente que ainda defende o uso, consumo e liberalização das drogas. além de leis brandas para crimes desse nível.A conciencia deles tem mais um peso acumulado.

LINDA ESTRÉIA

Foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press

Foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press

Rivaldo não poderia começar melhor. Fez um golaço, depois de aplicar um chapéu de coxa no beque. Deu outro chapéu tirando a bola, que estava colada no chão e segurou a correria inútil dos atacantes do São Paulo. E ainda viu um gol do Rogério Ceni, que está a três dos cem, apesar da Fifa contar menos dois de forma ridícula. Ele deixou uma ótima impressão. Simplório, tranquilo, sempre um profissional sério, começou muito bem. Não devemos imaginar que ele já tenha dado certo. É cedo. Porém, a primeira impressão foi linda. Ele atacou, defendeu, marcou e chapelou e suportou 90 minutos. Tomara que siga assim. Eu torço muito por ele. Sempre fui seu fã. Desde os tempos do carrossel caipira do Vadão.

VERGONHOSO

Foto: AFP

Foto: AFP

Foi a maior vergonha da história do Corinthians.A torcida não merecia isso.Os jogadores não respeitaram o clube.Dois jogos sem vibração,sem vontade e uma eliminação absurda para um time infinitamente inferior.Não ganhar a Libertadores e do jogo, mas sair assim é digno de repúdio.Para fazer uma porcaria dessas não precisava levar nenhum profissional.O sub 20 faria melhor, até porque os meninos teriam vontade.Ronaldo não joga nada faz um ano.É um peso(pesado) morto em campo e se escondeu nas duas partidas.Tite não conseguiu ter o domínio da situação e agora não se sabe o tamanho do buraco em que o clube entrará.Tem muita coisa errada no Corinthians e está na hora de sabermos o que é.Ridícula participação de um grupo de “profissionais”, que abriga tantos sonhos de tanta gente.Perder faz parte, mas não do Tolima e não passivamente.