Medo gera abuso

Fernando Dantas/Gazeta Press

Fernando Dantas/Gazeta Press

Não gosto de futebol em Jogos Olímpicos.No máximo algo apenas amador, para molecada até 15 anos, ou feminino. O masculino e adulto tem a Copa do Mundo, que, para mim, significa muito mais que a Olimpíada toda. Mais ainda no Brasil, quando os clubes, medrosos, entregam seus jogadores, por mais de um terço do Campeonato Nacional, o melhor que temos, correndo riscos de rebaixamento no ano imediato e, certamente, prejuízos no ano seguinte. Vide o Santos, que paga uma fortuna a Neymar, o maior jogador do país e fica sem ele, desesperado, chegando a lutar para não cair e ficando, quase certamente, sem possibilidade de disputar a Libertadores no ano que vem. E quando se imaginava que, com o final da Olimpíada, ele fosse liberado, vem uma convocação para um amistoso contra a Suécia. Ou seja, ele ainda não volta. Não sei o que os clubes estão esperando para criar a Liga Profissional. No mundo todo, nos grandes centros esportivos, as Ligas sempre prevaleceram. Aqui, numa tacada só, nos livraria da Federações e da CBF. Claro, que a autonomia para as convocações da seleção, continuaria com a CBF, porém não com o abuso de hoje, quando usam à vontade, não pagam nada e ignoram os donos dos contratos, que ficam só com os prejuízos. Por que esse medo? A CBF não serve para nada. As Federações, menos ainda. São apenas intemediários, que ficaram ricos, às custas das equipes, e muitas vezes lhes emprestam dinheiro, comprando-lhes a honra. Tomara que algum dia apareça alguém com coragem para acabar com essa palhaçada. O tema é tabú entre os clubes, o que faz dos presidentes, cúmplices desse estado de coisas. Eles revelam, treinam, pagam, curam seguram as broncas e a CBF fica com o filé mignon. O medo gera abuso, já  que o medroso tem receio até da própria sombra e não sabe nem a força, e nem o tamanho que tem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>