Onde estão os árbitros?

 

Sempre pensei, enquanto árbitro, que as equipes mais fortes deveriam, por
obrigação, superar os adversários e até os erros dos árbitros.

Quando a diferença não aparentava ser tão grande tecnicamente, a disparidade
na folha salarial e no repasse da verba que vem da TV era enorme.

Os anos se passaram e os conceitos foram alterados. Dificilmente
comentamos um erro de arbitragem contra os chamados “grandes”,
quando enfrentam os “pequenos”. Não é só no Paulistão não.

 Mas no estadual paulista, sabemos que os árbitros recebem excelentes condições na formação e preparação para exercerem corretamente as funções. Então não dá para
aceitar tantos erros, fáceis de serem evitados, sempre a favor dos
mais fortes.

Como a formação de árbitros em São Paulo virou uma indústria
profissional, percebe-se que, na prática, falta malícia, percepção,
referência, personalidade e coragem para interpretar e decidir. Alguma
coisa está errada. Não é possível que com tamanha quantidade de aspirantes não consigam um bom número de árbitros com qualidade.
A própria Comissão de Árbitros carimba a baixa qualidade dos novos ao
escalar árbitros mais experientes na Copa São Paulo de Futebol Junior,
que deveria servir de laboratório prático para a revelação de
árbitros.

Não é possível transformar um grupo heterogêneo em homogêneo, para o
exercício de uma atividade individual que necessita muito de
personalidade e caráter?

 Definitivamente, não carimbo, o que acontece, principalmente em São Paulo!!

Confusão em Pernambuco

Na última quarta feira, o Náutico venceu o América-PE por 2 a 0 em jogo válido pelo campeonato pernambucano. Mas o que chamou mesmo a atenção no jogo foi à arbitragem de Claudio Mercante.

Isso porque, o árbitro está sendo responsabilizado pela diretoria do Timbu, por ter permitido a violência que resultou na grave contusão do atacante Rogério.  O jogador teve rompimento dos ligamentos cruzados do joelho direito e ficará seis meses fora dos gramados.

 O juiz não coibiu a maldade como deveria, só deu um amarelo e revoltou os jogadores em campo.

Quem também ficou revoltado com a situação foi o técnico Waldemar Lemos, expulso no primeiro tempo e que fez duras criticas ao arbitro. Para Lemos, Maneco, o árbitro, bandeirinha deveriam ser até presos pela situação. Considero isso um exagero.

A Federação Pernambucana de Futebol decidiu que o árbitro Cláudio Mercante não apitará mais no Campeonato Estadual local. Depois do lance, o atacante realizou exames que apontaram o problema. A FPF decidiu, ainda, que Maneco fique suspenso pelo mesmo período de tempo em que Rogério estiver longe dos gramados em recuperação.

O que será que leva um jogador a fazer uma falta daquela maneira? Será má índole? Falta de equilíbrio? Educação? Não. Foi um lance que acontece muito no futebol, mas os árbitros não punem da forma necessária.

Dessa vez foi diferente. E os envolvidos dançaram nessa.

Xiiiiiiiiii. Já começou.!!!

Foto Sérgio Barzaghi/Gazeta Press

O árbitro Luis Flávio de Oliveira durante final da Copa São Paulo de Juniores

Depois que a Comissão de arbitragem da Federação Paulista de Futebol carimbou que não tem árbitro jovem, principiante, inexperiente para apitar a decisão da Copa São Paulo de Futebol Junior (com idade juvenil), recorrendo ao tarimbado Luiz Flávio de Oliveira, que apitou muito bem a vitória do Corinthians, de virada, por 2 a 1 sobre o Fluminense,, é a vez dos dirigente adultos iniciarem as reclamações contra a incompetência dos e das bandeiras. Melhor, Árbitro assistente, Fiscal de linha, auxiliar ou bandeirinhas.

No jogo Oeste x São Paulo, realizado em Presidente Prudente,  a auxiliar Tatiane errou ao marcar impedimento de Tadeu em uma jogada que resultou no gol do Oeste . Como o resultado final foi 3 a 2 para o São Paulo, o erro da assistente pesou. Em Guaratinguetá foi o assistente Marco Antonio de Andrade  que não teve reflexo suficiente para indicar a posição incorreta de Liedson, após o cabeceio de Leandro Castan. Mesmo pegando a bola de um rebote do goleiro adversário, Liedson se beneficiou da posição adiantada para servir o companheiro Chicão, que fez 1 a 0.

Coincidentemente, erros que beneficiaram os considerados grandes. Será que os grandes jogarão o Paulista reforçados pela incompetência da arbitragem?

Parabéns Sampa, Parabéns Corinthians

Sérgio Barzaghi/Gazeta PressTradicionalmente, na data do aniversário da cidade de São Paulo,
acontece a decisão da Copa São Paulo de Futebol Junior, mesmo que a idade seja juvenil.

Merecidamente Corinthians e Fluminense disputaram o título e o timão
foi premiado com a oitava taça de sua história. Sem dúvida, foram os melhores entre os 96 que iniciaram a competição. As duas equipes possuem jogadores com futuro promissor como Mateus e Marcos Junior, para não errarmos muito nas previsões.

O Pacaembu esteve lotado , muitos foram pela primeira vez a um estádio de futebol, mas alguns adultos deram mal exemplo de violência, fora do campo de jogo.  A arbitagem de Flávio Oliveira foi tranquila.

Voltando a falar sobre o aniversário de São Paulo. O que você daria de presente de aniversário para a cidade? Opções não faltam, nem criatividade. Eu substituíria os equipamentos fiscalizadores do trânsito que multam, por policiais militares, civis ou guardas metropolitanos. A população de bem ficaria mais segura e os bandidos inibidos.

Aqui não nasci mas, vivo, trabalho, me divirto e quase morri. Mesmo assim, as alegrias são maiores que as tristezas. Obrigado e Parabéns São Paulo.

Por enquanto, tudo na paz!

  Como todo campeonato que se inicia, o Paulista teve semelhança com outros pelo Brasil.

Quem perdeu, ganhou ou empatou, não reclamou da arbitragem. Muito bom para quem comanda os homens do apito ou das bandeiras.

Pena que não será assim por muito tempo. No segundo ou terceiro resultado negativo, o culpado nós já sabemos, será a arbitragem. Nunca os dirigentes, técnicos e jogadores assumirão suas parcelas de incompetências.

Não carimbo essas atitudes. Aguardem!!

Questões do futebol

Foto Fernando Dantas/Gazeta Press

Luiz Felipe Scolari e Roberto Frizzo (Foto Fernando Dantas/Gazeta Press)

Perguntas, caros internautas!!

Primeiro aos palmeirenses: Frizzo ou Felipão? Barcos e Daniel Carvalho são suficientes para reforçar o elenco?

Santistas – Quem seria melhor agora: Ganso ou Montillo?

Sãopaulinos – Felizes com os reforços? Luis fabiano vai marcar mais de 30 gols?

Corintianos – Adriano deve ter mais chances – Sim ou Não?

Rubronegros – Ronaldinho x Luxemburgo. Quem deve ficar?

O “rico” Fluminense

Foto Photocamera/Divulgação

Thiago Neves está de volta ao Fluminense e especula-se que vai receber mais de 500 mil reais em salários. Além da chegada do meia,  o tricolor das laranjeiras, já havia contratado  Wagner, que voltou da Rússia, além de manter Fred, Deco, Rafael Sobis, Lanzini e Martinuccio.

Elenco considerado caro, com folha de pagamento altíssima. Sabemos que a Unimed é quem banca boa parte disso.

Uma pergunta que faço. Como a patrocinadora do Fluminense pensa em ter retorno?

Será que os torcedores de Flamengo, Botafogo e Vasco compram planos de saúde que, diretamente, ajudariam a reforçar o adversário?Interessante não!!!

Portuguesa começa bem

Fernando Dantas/Gazeta Press

Fernando Dantas/Gazeta Press

Nessa quarta feira, dia 18, estive no Pacaembu para participar da festa das faixas e do novo uniforme da Portuguesa, usado pela primeira vez contra o Corinthians. Como um dos parceiros da Lusa é a Lupo Sport, a rubro verde começa o ano com o pé quente. Venceu o campeão da Série A e ficou com o belo troféu Sócrates.

Pena que a chuva não deu trégua. Molhou antes, durante e continuou pela madrugada. Como tudo era treino ou teste no Pacaembu, o gramado foi aprovado, principalmente a drenagem. Os cambistas treinaram, os flanelinhas também. É mole!

Ah, um detalhe interessante que carimbei com louvor. A bela musa da Portuguesa no Campeonato Paulista e a organização e recepção no camarote. Pude rever craques do passado como Tico, Roque e ídolos como Capitão e o eterno príncipe Ivair. Roberto Leal não poderia faltar (quem da minha idade que não cantou ou dançou uma musica dele) e foi muito amável comigo. Não sabia que ele é um telespectador assíduo da programação esportiva da Gazeta e admira muito o meu trabalho e o de nossa equipe tão competente.

A lamentar, só o presidente Manuel da Lupa. Nervoso com a cota que a Federação Paulista de Futebol destinou a Lusa. O mesmo valor dos demais clubes considerados pequenos do futebol paulista. Um quinto do que está pagando para os quatro “grandes”. É um verdadeiro desrespeito com a instituição, glórias e história da Associação Portuguesa de Desportos.

Indignação

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Assistindo alguns poucos jogos da Copa São Paulo de Futebol Junior, percebe-se nitidamente que o efeito Barcelona vai demorar a contagiar nossos formadores de craques.

O nível técnico é baixo, inclusive, em equipes de clubes que gastam muita verba nas categorias de base. Não é possível entender que os clubes bem estruturados, não consigam formar se não uma equipe, pelo menos alguns bons jogadores.

Também não dá para entender que a Federação Paulista de Futebol não possua entre os árbitros novatos, alguém com qualidade para apitar. Falo isso, pois no jogo Palmeiras e Paulista, Rodrigo Braguetto, um “veterano” teve a honra de arbitrar. É uma vergonha!!!
Por falar em vergonha, será que o Coronel Marinho, presidente da Comissão de Árbitros, e Arthur Alves Junior, diretor de arbitragem, vão mudar o comportamento depois das denuncias dos árbitros Davi Balsas e Jeimes Willie Catini, carimbadas por Rafael Porcari.

Seria muito bom se aqueles que encerram a carreira profissional também falassem. Mas é difícil deles se manifestarem. Alguns ainda querem continuar se beneficiando dos favores que receberam enquanto atuantes.
O silêncio dos presidentes Ricardo Teixeira (denuncias do Gutemberg de Paula) e Marco Polo, me faz lembrar a presidente Dilma, que só toma uma atitude quando a imprensa divulga o escândalo.

Espero que a exemplo da ”desratização”  do Congresso, não tenhamos que chamar os “ratos” em questão de vossa excelência. Se quem comanda não dá bom exemplo, “pau neles”.

Quem são os culpados?

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Assim como em alguns estados do Brasil, o Paulistão começa no próximo final de semana  e a FPF, como sempre faz, exigiu muito dos clubes, principalmente os do interior, para que deixassem seus estádios em condições de preencher as exigências do Estatuto do Torcedor. Isso para proporcionar excelentes condições de segurança para o cidadão que for ao campo de jogo.

Alguns estádios foram interditados, outros liberados parcialmente e  quase todos estão de acordo com as necessidades já conhecidas e aceitas pelos torcedores consumidores. Seria muito bom se o mesmo grau de exigência também fosse direcionado para os gramados. Será que foi? Para que os jogadores tenham condições de praticarem o futebol com segurança. Tecnicamente, sabemos que alguns jogadores, não sentirão tanta dificuldades.
Porém, a maioria já decorou as respostas para justificar a incompetência técnica e a falta de habilidade com a bola. A culpa será sempre do gramado ou da falta de adaptação com a nova bola. E não se esqueçam que estamos no período das chuvas de verão.