Londres 2012

Fernando Dantas - Gazeta Press

Londres 2012. A olímpiada começa e o futebol vai perder um pouco do foco, principalmente no Brasileirão.

Aliás, o futebol olímpico parece realmente não atrair atenção como deveria ser. A presença de público nos primeiros jogos não foi satisfatória.

Falo isso, pois imaginava estádios completamente abarrotados para uma competição tão aguardada. Mas  em alguns jogos setores inteiros estavam vazios.

Apenas na partida da Grã-Bretanha contra o Senegal  deu para notar uma certa festa e muita comemoração.

De resto, parece mesmo que o futebol na Olímpiada não empolga como basquete, atletismo, judô, natação.. enfim

                                                                                                 *colaborou Fernando Camargo

Felipão ataca

Djalma Vassão - Gazeta Press

E o velho Felipão voltou a atacar após a derrota do Palmeiras para o Bahia por dois a zero na Arena Barueri.

Perguntado exaustivamente sobre as alterações feitas no time, o gaúcho preferiu desviar o foco e apontar o grande culpado pela derrota. O árbitro Antonio Frederico Schneider.

Claro, o lance em questão foi o penalti marcado sobre Lulinha que Souza converteu. Palavras de Felipão “No lance do pênalti, ele achou tão pênalti que escorreu e caiu no chão. Que tesão que teve para dar aquele pênalti: ‘pronto, estou satisfeito’. Deve ter gozado”. Que isso Felipão, que palavras são essas??

Para o técnico palmeirense, o árbitro “fugiu” de um eventual encontro após a partida nos vestiários, mas Felipão se esquece, que a rota de saída na Arena Barueri é diferente para times e arbitragem.

O que o gaúcho parece esquecer é que o Palmeiras não jogou nada. E ele mexeu mal na equipe sacando Daniel Carvalho no intervalo.

Verdão já namora a zona de rebaixamento mais uma vez. E precisa acordar no campeonato. Senão…

                                                                                               *colaborou Fernando Camargo

Azar de goleiro

Mowa press

Imagino como deve estar a cabeça do goleiro Rafael.

O jogador nutre um sonho durante anos e quando está prestes a realizar, o inesperado acontece.

Participar de uma Olímpiada ou Copa do Mundo é o olimpo e trombar com um boneco não deve ser nada agradável.

Cabeça fria garoto. Você tem muita bola ainda. Nesse momento, a força mental é importante para seguir o caminho de vitórias. Isso vale também para Elaine, da seleção feminina.

                                                                                                *colaborou Fernando Camargo

Galo vingador

Antonio Carneiro / Gazeta Press

E não é o que o Atlético Mineiro está com tudo e não dá mole no Brasileirão.

Campanha com apenas cinco pontos perdidos até agora e mostrando um futebol de encher os olhos do torceom dor.

Contra o Sport, uma virada digna de uma equipe concisa e bem treinada por Cuca. Jogadores não se abateram com o gol sofrido e foram pra cima do Leão da Ilha.

Bernard, Ronaldinho, Jô e Danilinho. Com esse quarteto, o galo vai muito bem e tem tudo para evoluir ainda mais.

O Vasco até poderia estar na ponta da tabela, já que fez sua parte contra o combalido Santos de Muricy, que parece depender mesmo de Neymar.

Alecsandro com faro de gol apurado e Juninho sempre preciso na bola parada, ajudaram os cruzmaltinos a continuar na perseguição desse Brasileirão emocionante.

Djalma Vassão - Gazeta Press

No Pacaembu, reencontro de Dida com o Corinthians.

Douglas de novo marcou para o timão.

Mas a Portuguesa, que jogou melhor, conseguiu segurar o empate

Corinthians espera agora pela estreia de seus “hermanos” Martinez e Guerrero.

O ataque está devendo e com eles, a situação pode melhorar.

                                                                                     *colaborou Fernando Camargo

Douglas Tufão

           POR  FERNANDO CAMARGO

Vitória sobre o Flamengo sempre é difícil. Ainda mais jogando no Rio de Janeiro. mas nessa quarta feira, a disparidade técnica entre Corinthians e o time carioca foi gigantesca.

Com domínio pleno do jogo, a defesa segura e o meio campo trabalhando como de costume, o timão não teve a menor dificuldade em superar o rubronegro no Engenhão. E quem diria, Douglas “Tufão” foi o personagem do jogo.

Comparado com o personagem da novela “Avenida Brasil”, o maestro corintiano mostrou que nem com a barriguinha saliente esqueceu de jogar bola. E como jogou.

Brigou no alto, controlou o jogo, marcou dois belos gols (em falhas da defesa carioca) e saiu em alta com o técnico Tite.

E olha, poderia ser muito mais. O goleiro Cássio pouco trabalhou. Emerson Sheik errou um pênalti, bem marcado pelo árbitro Sandro Meira Ricci e Romarinho ainda teve chance de deixar o seu. 

Timão está entrando nos eixos. De olho no mundial, que só acontece em Dezembro, Corinthians deve subir muitas posições na tabela, para só depois pensar no futuro.

Sobre o Flamengo, Zinho já sentiu o drama que é trabalhar com tamanha pressão. reforços devem chegar. Por que a zona de rebaixamento não é um caminho distante se a situação ficar dessa forma.

Nada mudou

Sergio Barzagui - Gazeta Press

O que acontece com o São Paulo?

O time muda o comando técnico. Leão realmente não agradava dirigentes, torcida e jogadores. Milton Cruz assume interinamente, o time vence dois jogos segguidos e chega Ney Franco.

Achava que o tricolor iria subir e subir. Ledo engano.

O time da fé continua sem padrão tático definido. Rafael Tolói chegou para comandar a zaga ao lado de Rodolfo. Ponto positivo. Mas e o meio campo?

Parece uma peneira e isso ficou evidenciado contra o Vasco. Os cariocas deitaram e rolaram por ali, com Juninho Pernambucano aparecendo como verdadeiro maestro.

E não é só isso. O time de Cristovão Borges sabia girar a bola por todos os lados do campo, mesmo com um jogador limitado como Willian Barbio, aquele da cabeleira, no ataque.

No São Paulo, Dênis ainda foi poupado pela torcida, já que fez inúmeras defesas no jogo.

 Mesmo assim, o goleirão tricolor falhou no gol marcado por Fágner. Bola totalmente defensável.

E o Luis Fabiano? Precisa jogar mais e reclamar menos. Fica em posição de impedimento a todo momento. Culpa dele ou do setor de criação que não ajuda?

Culpa de um São Paulo que segue sem padrão de jogo. Sem criação.

Que falta faz o Lucas. Mas ele não é salvador da pátria. Não é mesmo Juvenal Juvêncio ??

Bahia prejudicado

 

Operado. Assim defino o que aconteceu com o Bahia na última rodada. O que o incompetente, mas bem protegido, Francisco Carlos do Nascimento, também da FIFA, por Alagoas, fez foi absurdo.
Marcou um pênalti teatral em Ibson, ajudando diretamente o Flamengo voltar de Salvador com uma vitória de 2 a 1.
Muitos árbitros, iniciantes ou em ascensão, gostariam de ter um “QI”, como tem o árbitro alagoano. Com péssima atuações chegou ao quatro internacional no lugar do Sálvio Fagundes, que tinha mais dois anos de atividade. São Paulo perdeu uma vaga e ficou em silêncio.
Nascimento continua apitando mal, não evolui e,dificilmente perde um
sorteio.
Apitar é como aprender a andar de bicicleta. Quando o protetor retira as rodinhas de apoio, temos que pedalar e equilibrar sozinhos.
Quando será que a comissão de arbitragem da CBF vai retirar as “rodinhas” do apito do Nascimento?
Só quando “Quem Indicou” permitir?

Bassols. Não carimbo!!

Sergio Barzarghi - Gazeta Press

Já que o assunto é a perigosa maneira de disputar a bola com o famoso carrinho. O que escrever sobre o Henrique do Palmeiras?

Brincadeira fazer o que ele fez em Jadson, quase atingindo o assistente também.

Pelo menos foi expulso pelo carioca Pericles Bassols, muito fraco para integrar o quadro internacional da FIFA.

Como disse meu colega de trabalho Flávio Prado, uma entidade que tem ligação com João Havelange, Ricardo Teixeira, Blatter e outros, árbitro ruim, se honesto, é o de menos. Pensando bem?

Ainda no clássico paulista entre Palmeiras e São Paulo, Bassols acertou em marcar pênalti em Valdivia. Não precisava ter mostrado o amarelo para Rafael Toloi.

Agora, na cobrança do pênalti, tivemos invasão da área por jogadores das duas equipes, o goleiro Denis se adiantou e defendeu, para desespero do cobrador Valdivia e felicidade
do árbitro que tudo viu e não teve coragem de cumprir o que determina a regra: repetir a penalidade.

Dá para entender porque o Wilson Seneme foi escolhido pelo sorteio para apitar o clássico carioca entre Botafogo x Fluminense.

Se falta qualidade na arbitragem carioca, que aprendam apitando jogos dos clubes paulistas. Haha, vingança é vingança. Mera coincidência?

Clássico dos erros

Edu Andrade - Gazeta Press

No único jogo da rodada que terminou em zero a zero na última rodada do Brasileirão faltou técnica, habilidade, criatividade e emoção para Internacional e Santos.

O que teve de sobra  foi burrice. Principalmente do lateral Juan, advertido no primeiro tempo e expulso no comecinho do segundo.

O árbitro carioca Wagner do Nascimento Magalhães, confuso nos critéricos para mostrar o cartão amarelo, também demonstrou falta de personalidade para expulsar o santista.

Atendeu o assistente Fabricio Vilarinho (GO) em um lance que mesmo próximo do “bandeirinha”, tinha perfeita condição de ser assumido pelo árbitro.

Como era contra a equipe visitante, ficou fácil mostrar o segundo amarelo seguido do
vermelho.

Ao todo foram nove cartões amarelos e uma expulsão. Se tivesse punido Guiñazu com o vermelho pelo carrinho de que deu aos 31′ do primeiro tempo, não teriamos tantas advertências.

Gerson Magrão também fez o mesmo no segundo tempo e continuou jogando. Carrinho
temeroso tem que ser punido com vermelho

Acabou a ressaca

Até que enfim o Corinthians ganhou uma no Brasileiro. Foi do Naútico e também de virada.
A noite foi de Danilo, que marcou os dois gols da vitória corintiana e teve uma atuação de destaque.
Emerson voltou e, junto com Romarinho, infernizou a defesa pernambucana mas não ofuscaram Danilo.
O meia fez dois belos gols com a perna esquerda. Um em cada tempo e em lados diferentes no ataque.
O primeiro do lado esquerdo e o segundo do lado direito, depois que a bola tocou duas vezes nos postes da meta do Naútico.
Tomara que o domingo seja assim também. Bons jogos e muita emoção para o torcedor. Vamos esquentar o frio com belas jogados e lindos gols.