Falta conhecimento da regra

Reprodução - TV

Assistindo o programa Bem Amigos com a participação de dois dos melhores goleiros do futebol brasileiro, Rogério Ceni e Diego Cavalieri, um se aproximando da despedida e o outro conquistando uma condição de importância que é novidade, foi possível ver o quanto o
jogador profissional desconhece detalhes importantes para a sua atividade.

No quadro Pegadinha do Arnaldo, o mestre que abriu as portas para que muitos árbitros que encerraram a carreira continuem trabalhando em veículos de comunicação,  perguntou o que deve ser marcado se um atacante rouba a bola do goleiro que está quicando no gramado e faz o gol?

As alternativas eram: válida o gol? Marca tiro-livre-indireto do atacante? Marca tiro livre do atacante? Como os internautas também participam, a resposta mais escolhida foi a primeira, inclusive pelos dois ilustres convidados, que tinham obrigação de saber esse ítem da regra que os beneficia e protege.

Que pena! Apenas dois dos presentes no estudio acertaram a alternativa correta. Como o goleiro tem 6 segundos para repor a bola para os demais jogarem, ninguem pode atrapalhar, interferir, impedir ou roubar a bola do goleiro .

Infelizmente, ainda tem árbitros que pensam como a maioria. No Brasileiro da Série B desse ano o atacante do Crisciuma Zé Carlos, roubou a bola do goleiro, marcou o gol e o árbitro validou com a conivência de todos os demais integrantes da arbitragem.

Se quem é responsável pelo cumprimento das regras não sabe, como exigir tanto conhecimento de quem joga?

Coincidentemente, os dois exemplos citados pelo mestre Arnaldo, não com tanta riqueza de detalhes, aconteceram comigo no apito.

Naquele jogo da Libertadores que o Palmeiras eliminou o Corinthians nos pênaltis em que os peladões Dinei e Vampeta erraram, Edilson tentou roubar a bola quando o goleiro Marcos se preparou para dar o balão e até o meu assistente Hilton Moutinho ergueu a bandeira, confirmando a irregularidade apitada por mim.

A outra citação foi do jogo Cruzeiro x Bahia em que o goleiro Rodolfo Rodriguez faz uma difícil defesa e deixa a bola no chão, ainda de joelhos e abre os braços para dar bronca na defesa baiana.

Esperto, o ainda franzino Ronaldinho, que se transformaria no Ronaldo Fenômeno,
toca na bola e faz o gol.

Depois de desprezar a condiçào de continuar jogando a bola com as mãos, o goleiro só pode manter a posse da bola com os pés.

O mal da regra é quando cada um quer interpretá-la da maneira que entende que deveria ser.

7 comentários em “Falta conhecimento da regra

  1. Ola boa tarde.
    Concordo em parte, existe uma regra e ela deveria ser cumprida. Mas a arbitragem mundial, inclusive o senhor quando apitava tem “interpretações” diferentes e isso sim é o maior mal do futebol.
    -Acredito que o jogador ou os envolvidos com o futebol, devem ter noção: de regras, de tática, fisiologia, psicologia, metodologia de treinamento, mas cada um especialista em sua área.
    -Me lembro de ver, ao vivo, o Arnaldo C. Coelho pegar um livrinho para consultar regras… um árbitro, esse sim tem que ter os conhecimentos de regra devidamente esclarecidos na sua cabeça… todos, aliás deveriam ter um padrão de arbitragem, ao menos no seu país de origem!

  2. foi bom o sr lembra desse jogo da libertadores, e os 2 penaltes claros no edilson q o sr não apito??? não me lembro si foi os 2 no mesmo jogo, ou se foi um em cada jogo!!

  3. Isso é o de menos face ao que anda acontecendo com as arbitragens no Brasil. Esse gol do Ronaldinho pelo Cruzeiro foi uma pintura, privilégio ter visto dentro do campo esse lance. Por último, mas não menos importante, Godói só uma correção, é Criciúma, com acento e sem o “S”.
    Abraço!

  4. Solicito informar em qual parágrafo, em qual regra está informando que não pode tocar/pegar/tomar/roubar a bola do goleiro, quando o mesmo está quicando, rolando,etc., a bola está no gramado, ou seja,
    informar onde vou verificar, na regra de futebeol. tal assunto

  5. COMENTAR É A COISA MAIS FACIL DO MUNDO , MAS ARBITRAR UM JOGO É DIFERENTE , QUANDO VC ERA ARBITRO , DEU UM TITULO PARA O GREMIO DA COPA DO BRASIL EM 1994 , PREJUDICANDO O CEARA , E EM 2000 BAIXOU A BOLA PARA O EURICO MIRANDA , DEIXANDO ELE TOMAR CONTA DA SITUAÇAO , COISA QUE ERA PARA SER DO ARBITRO , OU DE UM ARBITRO QUE NAO TIVESSE MEDO. VCS EX ARBITROS E “COMENTARISTAS DE ARBITRAGEM ” ESQUECEM OS SEUS PASSADOS DE LAMBANÇAS , OUTRO EXEMPLO É O MARCIO RESENDE DE FREITAS QUE DEU O TITULO DE 2005 PARA REI DO APITO , CORINTHIANS , E AGORA SE ACHA DIGNO DE COMENTAR SEUS COLEGAS DE PROFISSÃO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>