São Paulo x Tigre

Gazeta Press

O que o São Paulo desejava aconteceu.
O Tigre eliminou o Millionarios da Colombia e será o adversário do tricolor na decisão da Copa Sul-americana. O primeiro jogo na Argentina e o jogo final no Morumbi.
Além da velha rivalidade entre brasileiros e argentinos, no futebol, o tricolor precisa ficar esperto com a falta de gols em casa.
Nos dois jogos como mandante contra os chilenos, o São Paulo não marcou diante dos seus torcedores, mesmo, com a presença de Luiz Fabiano em campo.
É a chance que Lucas desejava para se despedir do São Paulo com um título de campeão. Se o ataque jogar coletivamente e deixar de lado o
vontade pessoal de ser o herói do jogo, como aconteceu contra o Universidade Católica, Lucas poderá dar a volta olimpíca no Morumbí,
da maneira que tem sonhado e merece.

Dinastia gaúcha

E a dinastia gaúcha no comando da seleção brasileira de futebol continua.

Saiu Dunga, entrou Mano Menezes que foi substituído por Felipão.

Nada contra as pessoas nem contra a competencia profissional dos referidos treinadores.

Mas, será que não temos no país alguém em condições de comandar a seleção com outra mentalidade, outro perfil?

Esse papo de que numa Copa do Mundo vale muito a experiência é de uma hipocrisia sem fim.

Parreira já havia participado de oito copas, tendo sido campeão em 94 e perdeu em 2006, na sua nona competição.

Felipão não tinha experiência alguma e foi campeão invicto em 2002. Mesmo com esse feito não conseguiu repetir com Portugal.

De que adianta experiência sem capacidade ou qualidade?

Mano roeu o osso e na hora de saborear o filé ficou chupando o dedo.

Não foi o primeiro nem será o último treinador da seleção a ser sacaneado pelo comando. Ele abaixou demais as calças quando Marim
assumiu.

Talvez, tenha deixado rastro e por isso cedeu para se manter no cargo. Ficou vulnerável. Principalmente depois das denuncias e
afirmações do craque Romário, seu desafeto.

Com Felipão e Parreira a postura de Marin e Del’Nero será diferente.

A dupla técnica tem experiência de sobra e conta com o respaldo popular.

Até Andrés Sanches não poderá se intrometer. Também dançou.

Acredito que pior do que está não ficará. Bom mesmo será para alguns jogadores considerados Dinossauros e descartados pelo comando
anterior.

Nomes como os de Ceni, Maicon, Robinho, Felipe Mello e Ronaldinho Gaucho, poderão ser lembrados rápidamente para a Copa das Confederações.

O resultado imediato será mais importante do que o trabalho, principalmente para os profissionais que contribuíram para o rebaixamento do Palmeiras e agora integram a comissão técnica da nossa seleção.

Que assim seja!

Felipão é o nome!

Responda aí. Até onde dá para confiar nos homens que comandam o futebol brasileiro? Agora que nossa seleção começaca a ter um padrão tático e técnico definido e apresentando um futebol elogiável, o técnico Mano Menezes foi dispensado.

Em momentos piores em que até faltava respaldo popular, Mano foi mantido. Dá para entender?

Dizem que o motivo é pura vaidade.Mano ocupava o cargo a convite de Ricardo Teixeira. Sentindo que a seleção pode fazer bonito na Copa das Confederações e no Mundial, José
Maria Marim e Marco Polo Del Nero não querem que o possível sucesso esteja associado a herança de Teixeira.

Assim sendo, o próximo a dançar, também por capricho, será o diretor de seleções Andrés Sanches, que foi içado ao cargo por Ricardo Teixeira.

Quem me disse que as mudanças estão acontecendo por pura vaidade me contou também que o técnico será Luiz Felipe Scolari. O acerto teria acontecido há três meses, numa reunião entre o treinador e Marin.

Quem mora no mesmo edifício do presidente da CBF sabe o que por lá aconteceu.

Você escolheria quem?

Mais um técnico gaúcho?

A penúltima rodada do Brasileirão

Ricardo Ayres - photocamera

Depois que a CBF reconheceu que algumas equipes se empenhavam pouco nas rodadas finais do Brasileirão, facilitando as coisas para adversários visando prejudicar os rivais estaduais, o Fluminense está mostrando como se deve encerrar uma competição, já ganha, com muita dignidade.

Campeão com três rodadas de antecedência, busca o máximo de pontos que puder alcançar para superar o São Paulo na era de pontos corridos com 0 equipes. Assim sendo, não está facilitando para ninguém. Esteja o adversário na rabeira ou no topo da tabela.

Contra o Sport, na Ilha do Retiro lotada, tomou o maior sufoco do campeonato, saiu na frente com mais um gol do artilheiro Fred e mesmo assim não perdeu.

Além do gol de Felipe Gabriel,  mais cinco “milagres” feitos pelo goleiro Cavalieri, para desespero da torcida.

O Sport continua respirando para se salvar do rebaixamento mas dependerá muito da combinação de resultados na última rodada. Precisa vencer o Nautico nos Aflitos e torcer por derrotas do Bahia ou da Portuguesa. Será que dá?

Veja como as coisas acontecem no futebol.

Naútico e Sport são rivais e se enfrentam na última rodada, podendo o Nautico decretar o rebaixamento do Sport. Mas, na rodada em que enfrentou o Bahia, em Salvador, o timbu empatou em 1 a 1, se salvou e ajudou a vela do Sport ficar acesa. Será que o sopro final será dado pelo rival?

Alexandre Lops - Internacional

LUSA VENENO

A Portuguesa conseguiu o que só ela consegue. Depois de oito jogos sem vitória, derrotou o Internacional em pleno Beira Rio por 2 a 0, ficando a um ponto de se salvar do rebaixamento sem depender de ninguém.

Precisa do empate ou da vitória contra a Ponte Preta no Canindé. Só falta derrubar o balde cheio de leite.

Ao empatar com o mistão do São Paulo, em casa, a Ponte ficou livre definitivamente do rebaixamento. O jogo foi horrível. Valeu apenas pelo regulamento. Até Ganso foi contaminado
pela ruindade dos demais companheiros e adversários.

O confronto envolvendo duas equipes alvi-negras foi recheado de emoções. No Engenhão o Atlético Mineiro saiu ganhando com gol de Bernard, sofreu a virada e ficou com um jogador a menos.

Parece que, com um jogador a menos, o técnico Cuca encontrou o sistema ideal. Empatou e virou para 3 a 2 com gols de Richarlisom e Rever, repetindo o mesmo placar do primeiro turno.

A torcida do Botafogo aproveitou para desabafar em cima do técnico Osvaldo de Oliveira. A culpa é sempre do técnico.

Com essa vitória os mineiros mantém a briga pelo vice-campeonato com o Grêmio acesa. Os gaúchos não tomaram conhecimento da situação do Figueirense e derrotaram os catarinenses por 4 a 2 com golaço de Zé Roberto e um show de Elano fazendo gol e dando assistencias.

Só Aloisio (que vai para o São Paulo) se salvou no rebaixado Figueirense. Ele fez os dois. Como será o último Gre-Nal no Olimpíco?

Fernando Dantas/Gazeta Press

PALMEIRAS PERDE ATÉ DO DRAGÃO

A molecada do Palmeiras conseguiu perder no Pacaembu, para o Atlético Goianiense por 2 a 1, com o goleiro Rafael Alemão falhando no primeiro gol e Wellington sendo expulso no segundo tempo. As duas equipes se enfrentarão mais duas vezes ano que vem na segundona.

O comportamento irracional de alguns torcedores do Palmeiras continua dando prejuizo para a equipe. Pelos acontecimentos registrados em Araraquara, o clube foi punido pelo STJD da CBF com a perda de quatro mandos que deverão ser cumpridos em 2013.

Torcedores inteligentes hein?

Se preparando para o clássico contra o Atlético, o Cruzeiro derrotou o Coritiba por 2 a 1. Ainda bem que os paranaenses venceram o Palmeiras em Araraquara. Senão, estariam no rebolo do rebaixamento também.

Parece que Wellington Paulista nasceu para jogar com a camisa azul do Cruzeiro e Everton Ribeiro com a do Coxa.

Abrindo a rodada sábado, Vasco e Flamengo fizeram um jogo sem expressão que a história registra, o mesmo aconteceu com Corinthians e Santos. Até o placar foi igual: 1 a 1 lá e cá. Os projetos de craques continuam protótipos, principalmente no Santos. Palavra de Muricy Ramalho, destinada a Victor Andrade

A luta para não cair

Gazeta Press

Estava bom demais para ser verdade.

A Portuguesa ser ajudada por erros de arbitragem. Isso mesmo. O Grêmio teve um gol legitimo indevidamente anulado pelo assistente paranaense Bruno Boschilia.

Como alegria dos fracos dura pouco, o Gremio diminuiu a vantagem de 2 a 0 da Lusa com um gol irregular de André Lima, confirmado pelo assistente carioca Ediney Mascarenhas.

Coube a Zé Roberto, ex-revelação da Portuguesa, há muito tempo, fazer um belo gol de empate e comemorar, deixando a equipe paulista numa posiçào perigosa na tabela. Será que vamos ter dois paulistas rebaixados?

Parece que a única coisa que interessava ao Coritiba no segundo turno era ganhar o Palmeiras em Araraquara. Conseguiu reabiliar o Vasco, que não ganhava a 7 jogos, perdendo em Curitiba por 2 a 1, depois de sair ganhando com um lindo gol de Lincoln.

O Sport continua na zona de rebaixamento, tentando alcançar a Portuguesa e o Bahia, mas venceu o Botafogo na Ilha do Retiro por 2 a 0, com Seedorf e tudo. Gilberto e Henrique arrebentaram.

O técnico Jorginho continua tentando salvar o Bahia da degola e, quem sabe, jogar o Ba-Vi ano que vem na elite e não na segundona. O lateral rio-pretense Neto fez o gol da vitória contra a Ponte, levou os baianos a 43 pontos. Restando duas rodadas a Portuguesa tem 41 e o Sport 37.

Um deles vai se juntar a Palmeiras, Figueirense e Atlético Goianiense.

A estreia de Ganso

Sergio Barzaghi - Gazeta Press

Só o São Paulo é capaz de colocar 62 mil torcedores no Morumbi para verem a estréia de Paulo Henrique Ganso com a camisa tricolor contra o Naútico.

Apenas 30 minutos em campo foi o suficiente para alegria de crianças e adultos que ainda puderam ver gols de Luiz Fabiano e Rogério Ceni cobrando pênalti inexistente em Fabigol, na virada de 2 a 1. Os palmeirenses gostariam que o árbitro no Rio fosse o Wagner
Reway.

FAIXA CARIMBADA

Dizem que ressaca de perdedor é dolorida mas, a ressaca de campeão é demorada demais. Vejam o que aconteceu com o jogo de festa do Fluminense contra o Cruzeiro.

Vitória dos mineiros por 2 a 0 em pleno Engenhão. O que interessa é a taça foi parar nas mãos do Fred e a volta olimpíca de campeão foi dada.

Como o critério dos nossos árbitros é a falta de critério, o sergipano Claudio Francisco Lima e Silva conseguiu não marcar o pênalti que Neymar sofreu e, para carimbar sua incompetência, mostrou amarelo para o santista, tirando-o do clássico contra o Corinthians. O jogo já não vale nada e ainda sem Douglas e Neymar em campo, só vale pela tradição histórica.

INTER FREGUÊS

E o Inter tá virando fregues de carteirinha do Corinthians. Chocolate e 2 a 0 em pleno Beira-Rio. Um treino a mais para o Mundial.

Quem deve estar louco para que o campeonato terminasse ontem é o Atlético Mineiro. Dando uma de pangaré na reta final, já deixou
escapar o título e o segundo lugar para a Libertadores. Perdia de 2 a 0 para o rebaixado e xará goiano e conseguiu empatar no Independência.

A campanha fica Ronaldinho já começou e ele agradeceu com o gol de empate.

O Santos já acertou com o atacante William José para o ano que vem.

Impossibilitado de ser o titular do São Paulo enquanto Luiz Fabiano estiver por lá, o jovem atacante desce a serra e vai se juntar a Neymar por um ano e oito meses.

Como diz o Paulinho Gogó, “quem não tem bola que arrume um empresário”. Não é o caso de William José.

Hora de subir, Verdão!

Além da falta de competência, tudo conspirou contra o Palmeiras na rodada que decretou o rebaixamento para a segundona do futebol brasileiro ano que vem.
Tivemos um pênalti, dado de presente por Ramom em Barcos, que o árbitro goiano André Luiz de Freitas Castro, péssimamente fez questão de ignorar, para desespero dos palmeirenses.
Mesmo ganhando de 1 a 0 e com um jogador a mais, a mediocridade alvi-verde permitiu que Vagner Love, que não tinha acertado uma jogada até então e nem se empenhou para isso, fosse lançado livre de marcação e, num chute despretencioso que iria para as mãos do goleiro Bruno, apareceu a perna de Roman e, adivinha, faltando 3 minutos para acabar o jogo o que que deu?
Gol, para desespero e desabafo de quem compareceu em Volta Redonda acreditando num milagre.
O Palmeiras, que já não dependia de si, passou a depender mais ainda das derrotas de Sport e Portuguesa. O que é que deu? Vitória dos pernambucanos e empate da Lusa. Ai só restou abotoar o caixão mais uma vez em 10 anos e, coincidentemente, contra um time rubro-negro.
Em 2002 o coveiro foi o Vitória baiano. Se essa campanha palmeirense fosse o resultado de um exercício de uma empresa privada, todos estariam demitidos. Do mais alto escalão ao office-boy. Mas, como no futebol a vaidade e a safadeza estão sempre muito próximos, principalmente dos incompetentes.
O passado registra que muito pouco se muda.
Para o torcedor as vezes o rebaixamento permite que sua equipe dispute um título e não apenas a participação sem brilho e sem ambição, contentando-se com uma classificação para a sulamericana.
E agora? O Palmeiras vai ter um time para série B ou padrão Libertadores? O Maikon Leite se enquadra onde?
Palmeirenses. cabeça erguida. Hora de levantar a cabeça e dar a volta por cima. FORZA PALESTRA!!!

Série B na reta final

Quem está acompanhando o São Caetano na série B do Brasileiro fica em dúvida se o clube quer ou não retornar a elite do futebol brasileiro em 2013.
Dispensou dois técnicos, Sergio Guedes e Leão, quando a equipe estava bem classificada, sem que alguém pudesse entender as explicações dos dirigentes.
Com Ailton Silva no comando, a equipe vence fora de casa e perde pontos importantes no Anacleto Campanela. Sábado não foi diferente.
Saiu na frente do já promovido Goiás, sofreu o empate, teve um jogador  injustamente expulso e ainda desperdiçou um pênalti que lhe daria a vitória e o deixaria na condição de depender apenas de si na última rodada para ficar entre os quatro que vão para a séria A.
Na reta final, a CBF confirma que não tem árbitros novos em condições de apitar os jogos mais importantes da segundona brasileira. Escalou o consagrado Leandro Vuadem, que encheu o vaso de lambanças.
Para um árbitro FIFA com as qualidades que possui, não poderia ter marcado pênalti em Vandinho por estar mal posicionado e ter que voltar atrás pela correta interferencia do assistente Dilbert Pedrosa.
Para completar, mostrou o segundo amarelo para o atacante do São Caetano e, consequentemente, injustamente o vermelho. Vandinho provocou o choque e caiu, ele não simulou. Será que Vuadem ainda não aprendeu o que é simulação?
O rigor que sobrou para expulsar, faltou para aplicar a regra corretamente na execução do segundo penalti a favor da equipe do ABC.
O goleiro Harley adiantou-se, e muito, fez a defesa e nem Vuadem nem Dilbert, cumpriram a regra e repetiram a cobrança mal feita por Airton.
Tem árbitro consagrado que para uns aplica a regra e para outros interpreta as mesmas regras. Como diz o macaco: “o critério é a falta de critério”. Não deixa de ser um critério, né?
Goiás e Criciúma já se garantiram na elite no ano que vem. As duas vagas restantes serão preenchidas por Vitória e Atlético Paranaense, que dependem só de si ou São Caetano que precisa vencer o Guarani e torcer para que um dos dois concorrentes perca.
A vitória do São Caetano pode não classifica-lo e ainda rebaixar o Guarani. É mole?
A exemplo do que tivemos em Criciúma, tem jogo que vai atrasar pra caramba. É o jeito malandro de se fazer futebol no Brasil. O respeito que se exploda!

São Paulo derrapa no Sul

Sergio Uebel - Grêmio

O árbitro goiano Wilton Sampaio acertou na marcação do pênalti para o São Paulo contra o Grêmio.

Já o assistente cearense Thiago Brigido foi um vexame ao marcar impedimento do Lucas no lançamento de Casemiro.

Quem estava impedido era Luiz Fabiano, que não foi lançado e nem interferiu na jogada.
Erro primário.
Como foi primária a vacilada dos sãopaulinos ao permitirem que o experiente Zé Roberto conduzisse a bola por meio campo e deixasse André Lima em condições de empatar o jogo.
Que sono!

Qual será o futuro do técnico Luxemburgo? Ano que vem ele continuará no Gremio, no Inter ou…..? Ele ainda não se acertou com o novo presidente gremista, Fábio Koff, que é apaixonado por Felipão.

Como Abel Braga disse que fica no Flu, o substituto de Fernandão no Inter
pode vir do rival vizinho. Vamos aguardar.
INTER EM QUEDA LIVRE
O Internacional vai se despedindo melancólicamente do Brasileirão-12.
Com suas estrelas em campo conseguiu perder para a Ponte Preta, em Campinas, por 1 a 0, gol de Roger, que foi comemorar com a galera que tanto pega no seu pé.
A macaca quer uma vaga na Sulamericana e o técnico Guto Ferreira almeja renovar o contrato bem mais valorizado.
Vai que dá?

Briga de foice para não cair

O que será que o técnico Sergio Guedes, ex-goleiro dos bons e que tenta salvar o Sport da degola para a série B, estaria pensando do seu goleiro Saulo?

O titular Magrão está contundido e o jovem substituto está entregando o ouro.

Contra o já rebaixado Figueirense, os pernambucanos venciam por 1 a 0 até o momento que, na cobrança de um escanteio, Saulo saiu caçando borboletas e os catarinenses empataram.

Goleiro precisa de sorte mas tem que ter qualidade também. Dizem que os competentes nunca dependem da sorte.

E o Bahia continua alimentando as emoções do rebaixamento desse ano.

Saiu ganhando do Cruzeiro em Minas mas permitiu a virada e foi derrotado por 3 a 1. A equipe do técnico Jorginho continua sendo uma das quatro, junto com Portuguesa, Sport e Palmeiras, que, ao final da competição, que se juntarão a Figueirense, Atlético Goianiense e mais um para chorarem o rebaixamento. Axé Bahia.

Se a Portuguesa continuar jogando o que jogou contra o Botafogo e pela sequência de adversários que tem estará credenciada a fazer companhia para o Palmeiras na série B em 2013.

Será que o futebol paulista vai dar vexame?