A estreia de Ganso

Sergio Barzaghi - Gazeta Press

Só o São Paulo é capaz de colocar 62 mil torcedores no Morumbi para verem a estréia de Paulo Henrique Ganso com a camisa tricolor contra o Naútico.

Apenas 30 minutos em campo foi o suficiente para alegria de crianças e adultos que ainda puderam ver gols de Luiz Fabiano e Rogério Ceni cobrando pênalti inexistente em Fabigol, na virada de 2 a 1. Os palmeirenses gostariam que o árbitro no Rio fosse o Wagner
Reway.

FAIXA CARIMBADA

Dizem que ressaca de perdedor é dolorida mas, a ressaca de campeão é demorada demais. Vejam o que aconteceu com o jogo de festa do Fluminense contra o Cruzeiro.

Vitória dos mineiros por 2 a 0 em pleno Engenhão. O que interessa é a taça foi parar nas mãos do Fred e a volta olimpíca de campeão foi dada.

Como o critério dos nossos árbitros é a falta de critério, o sergipano Claudio Francisco Lima e Silva conseguiu não marcar o pênalti que Neymar sofreu e, para carimbar sua incompetência, mostrou amarelo para o santista, tirando-o do clássico contra o Corinthians. O jogo já não vale nada e ainda sem Douglas e Neymar em campo, só vale pela tradição histórica.

INTER FREGUÊS

E o Inter tá virando fregues de carteirinha do Corinthians. Chocolate e 2 a 0 em pleno Beira-Rio. Um treino a mais para o Mundial.

Quem deve estar louco para que o campeonato terminasse ontem é o Atlético Mineiro. Dando uma de pangaré na reta final, já deixou
escapar o título e o segundo lugar para a Libertadores. Perdia de 2 a 0 para o rebaixado e xará goiano e conseguiu empatar no Independência.

A campanha fica Ronaldinho já começou e ele agradeceu com o gol de empate.

O Santos já acertou com o atacante William José para o ano que vem.

Impossibilitado de ser o titular do São Paulo enquanto Luiz Fabiano estiver por lá, o jovem atacante desce a serra e vai se juntar a Neymar por um ano e oito meses.

Como diz o Paulinho Gogó, “quem não tem bola que arrume um empresário”. Não é o caso de William José.