“Grandes” não irão sofrer no Paulistão 2015

Desde a edição de 2007 que os clubes considerados grandes do futebol paulista não começavam a competição tão bem. Todos eles venceram na rodada de abertura do Paulistão 2015, marcando a mesma quantidade de gols.

O Palmeiras fez 3 a 1 no Audax Osasco, o Corinthians, diante da sua torcida fez 3 a 0 no Marília, o Santos recebeu o Ituano, reeditando a final do ano passado e ganhou fácil por 3 a 0, o São Paulo foi até Penápolis e derrotou o Penapolense por 3 a 1 e a Portuguesa surpreendeu a Ponte Preta em Campinas, também marcando 3 gols e sofrendo 2.

Talvez, por tudo o que vem passando na atual  administração, a Lusa tenha feito o único resultado que pode ser considerado surpreendente.

Como os grandes ganharam, nem os erros de arbitragem tiveram consequências. A vitória do Corinthians poderia ter sido mais complicada se o jovem árbitro Douglas Flores tivesse expulsado Jadson por ter pisado intencionalmente na perna do adversário Bahia.

Justo ele, Jadson, que foi o melhor jogador em campo, tendo sido escalado dentro do ônibus a caminho do estádio, substituindo o titular Lodeiro que está sendo negociado com o Boca Juniors da Argentina. Seria uma no cravo e outra na ferradura. Ah, nem a ausência dos árbitros adicionais nas linhas de fundo foram notadas.

O que chamou mesmo a atenção foi a divulgação do vídeo que mostra a palestra motivacional do Zé Roberto para os companheiros do Palmeiras momentos antes de entrarem em campo contra o Audax Osasco.

Até o técnico Osvaldo de Oliveira disse que ficou arrepiado. Particularmente, mesmo sendo adepto, acho que aquele papo final não ganha jogo. Serve para acelerar o metabolismo que alguns entendem como elevar a adrenalina.

No caso do Palmeiras e, especificamente Zé Roberto, ele, até pela religião, gosta de pregar tanto é que por onde passou, sempre fez discursos nunca repetidos. Assim como Zé Roberto, muitos outros estão chegando no clube sem terem convivido anteriormente, inexistindo amizade, camaradagem, intimidade, confiança, além da concorrência natural pela mesma posição. Achei legal as relações feitas por Zé Roberto com a história esportiva palmeirense, ídolos e objetivos. Surtiu efeito?

Claro que sim. O Palmeiras venceu o adversário por uma série de fatores, inclusive, pelo o que aconteceu no vestiário sem nunca desmerecer o trabalho do técnico. Não tem como não pensar de como reagirá Valdívia.

Espero que ele também aceite com naturalidade a postura do Zé Roberto que é um líder natural por tudo o que fez, faz e representa. Um líder tem que ser admirado e respeitado, dando bons exemplos dentro e fora do campo e isso o velho Zé continua fazendo em abundância. Acho até que seu exemplo está contagiando jogadores idosos de outras equipes também.

O artilheiro Luis Fabiano marcou o seu 200º gol com a camisa do São Paulo e tem quem ainda questione sua competência. Mesmo estando à 43 gols para alcançar Serginho Chulapa o maior artilheiro da história do Tricolor, o Fabuloso sempre é questionado por não ter marcado gols decisivos e conquistado títulos importantes vestindo a camisa 9. Ele já se tocou e se preparou durante as férias para começar o ano bem. Será que ele foi no mesmo geriatra do Zé Roberto?

A verdade é que, em forma, não tem pra ninguém no São Paulo. O importante é que o Fabuloso tenha a cabeça no lugar, principalmente, nos jogos internacionais. Motivos para jogar muita bola no primeiro semestre ele tem já que não pretende encerrar a carreira tão já.

Seu contrato termina no meio do ano e a prioridade continua sendo renovar com o Tricolor e, quem sabe, não deixa de servir como estímulo, alcançar Chulapa. Será que dá?

Largada do Paulistão 2015

Bola rolando mais uma edição do campeonato paulista de futebol e um colega de trabalho me perguntou se eu considerava a competição um Paulistão ou Paulistinha?

Pelo meu passado em São José do Rio Preto, distante 440 km da Capital e tendo nascido em 1955, me despertei e me encantei pelo futebol vendo o América e o Rio Preto jogarem nos antigos estádios Mário Alves Mendonça e Victor Brito Bastos, respectivamente, levado pelas mãos pelo meu pai.

Foi no rubro, quando o mascote Brasinha não sofria discriminação nenhuma por ser um capetinha camarada que joguei e tentei ser profissional da categoria dente-de-leite até aspirante.

Isso mesmo, não tinha essa de juniores, ainda. Dispensado, insisti mais dois anos no Rio Preto e chegue a conclusão que deveria continuar estudando e trabalhando integralmente porque eu era ruim demais para aqueles tempos, embora me considerasse melhor do que o Ronaldão e do que o Lúcio, zagueiros campeões mundiais com nossa seleção.

Por ter convivido de perto com uns e marcado outros craques que não serviam, ainda, para os times grandes e passavam pelo América emprestados para ganharem experiência, mantinha acesso o desejo de um dia vestir a camisa de um grande clube paulista e encher o meu pai de alegria por ter um filho bom de bola e famoso. Felizmente me tornei popular e respeitado dentro do campo de jogo mas foi como árbitro, ganhando por alguns anos prêmios como o melhor do campeonato.

Portanto, independentemente da qualidade técnica de Palmeiras, Santos, São Paulo, Corinthians, Portuguesa, Guarani, Ponte Preta, Ituano e mais 12 competidores da Grande São Paulo e Interior, para mim o campeonato da série A-1 será sempre Paulistão. Foi por causa dele que pude ver de perto Pelé, Rivelino, Ademir da Guia, Gerson, Ivair, Flamarion, Dicá, Maritaca, Piter, Rosã, Milton Buzzeto, Claudio Garcia, Téia, Ambrósio, Bertolino, Tubá, Cardoso, Walter Rosseto, Dirceu, Milton, Luiz Fernando Gaúcho, Dobreu, Jairzão, Didi Macaco, Mazinho, Zuza, Marinho, Cuca, Reis e tantos outros, além de conhecer avião grandão de perto.

Isso mesmo. Quando os grandes de São Paulo iam jogar em Rio Preto de avião, matávamos aula e íamos para o aeroporto para ver os jogadores e dar uma voltinha por dentro da aeronave entrando por uma porta e saindo pela outra. Quanta curiosidade! Enorme alegria! É por essas e outras que torço sentimentalmente pelo América Futebol Clube.

Ao iniciar-se mais um Paulistão, cada torcedor ou torcida cria a expectativa de que seu clube de coração será campeão paulista. Claro que nem todos os 20 integrantes da série A-1 têm chances de darem a volta olímpica.

A maioria tentará permanecer escapando do rebaixamento e, se possível, conseguir uma classificação para as quartas-de-final e uma boquinha em alguma divisão secundária do Brasileiro. Para o torcedor do interior o que vale mais? Ver o time da sua cidade disputando o A-1 para não cair ou jogar uma divisão inferior com a possibilidade real de acesso e do título?

Infelizmente, hoje, poucas são as cidades com emissoras de rádio locais fortes, solidificadas. Em muitas a “rádia” mais forte, potente, é de São Paulo, deixando o futebol e o esporte local em plano secundário. Até nisso nosso interior está morrendo e é de lá que saíram os melhores “radiadores”, locutores, narradores brasileiros, ou não?

Mas, o campeonato só terá pleno sucesso se a arbitragem colaborar. Para isso, a Federação Paulista de Futebol treino um grupo de árbitros e assistentes em período integral, no campo de jogo, com orientações práticas para um melhor posicionamento próximo das áreas já que os árbitros adicionais, aqueles vasos ou espantadores de quero-queros, como diz meu colega Roberto Carmona,  que ficavam na linha de fundo foram excluídos. Cá entre nós, não farão falta alguma.

O importante é que o árbitros atuem com personalidade, se posicionem onde se sintam bem e seguros, tenham ambições profissionais e independência. Não utilizem o saco do Coronel Marinho, presidente da Comissão de Arbitragem, como corrimão para ascensão na carreira.

O campeonato hoje, por mais difícil que possa ser, será bem mais fácil do que foi no passado. Então, boa sorte. Mas, não se esqueçam, sorte só tem quem trabalha com competência.

Copa “Corinthians” de Futebol Jr

O palco esteve do jeito que o corintiano gosta. Pacaembu lotado (36 mil fieis), céu azul, timão em campo e festa nas arquibancadas. O Corinthians fez uma campanha melhor que o Botafogo. Só vitorias convincentes nas fases anteriores. En~tao barbada certo?? Nada disso.

O Corinthians sofreu, sofreu mesmo, acabou mas vencendo a pantera , para conquistar o título da Copa São Paulo de Futebol Junior pela nona vez em sua história.

No primeiro tempo, chances claras para os dois lados. A principal delas com Isaac perdendo gol inacreditável embaixo do gol. Do outro lado, o “baixinho” Yan quis repetir a história e quase levou os torcedores ao desespero.

Na segunda etapa , jogo equilibrado, até que surgiu o  gol salvador.

Maycon, que foi titular no lugar do jovem Matheus Cassini,   chutou forte e contou com a “ajuda ” do goleiro Talles para fazer o único gol da decisão.

Assim como em 1983, ano em que fez sua melhor participação , o Botinha fica com o vice-campeonato. Já o Corinthians aumenta sua coleção de Copinhas e dispara ainda mais como o maior vencedor da competição.

Agora são nove na “COPA CORINTHIANS DE FUTEBOL JUNIOR”

Timão e Botafogo-RP na final da Copinha

Um time da terra que já foi a capital do chopp botou água na festa dos grandes na Copa São Paulo de Futebol Junior. O Botafogo eliminou o Palmeiras e vai decidir a 46a edição contra o Corinthians que eliminou o São Paulo.

A decisão que faz parte dos festejos pelo aniversário de 461 anos de São Paulo está marcada para o Pacaembu mas, a diretoria corintiana está tentando levar para a Arena do Timão.

Jogando em Barueri, num gramado com as máximas dimensões, como queria, o Botafogo derrotou o Palmeiras por 2 a 1, fazendo 2 a 0 com Maike e Willian, aos 15 minutos do primeiro tempo e aos 7 do segundo, respectivamente.

Gabriel Jesus diminuiu para o Palmeiras aos 44. O jogo foi até aos 50 minutos mas o Palmeiras não conseguiu superar o excelente goleiro Thales, que pegou muito, mesmo jogando com um homem a mais dos 36, com a expulsão de Lineker, até aos 48 minutos quando Guilherme também foi expulso deixando as duas equipes com 10.

A equipe do interior volta a decidir a Copa depois de 31 anos. Em 1983 o Tricolor perdeu para o Atlético Mineiro e ficou com o vice-campeonato. Já o Palmeiras, continua na fila para chegar ao título pela primeira vez. É o único dos grandes que ainda não deu a volta olímpica.

O primeiro clássico paulista foi disputado em Limeira para um público de pouco mais de 10 torcedores e, por incrível que possa parecer, só aos 40 minutos dos segundo tempo que um grupo de torcedores que chegou atrasado ao estádio arrumou confusão para entrar e assistir os minutos finais.

A cena mais lamentável, mostrada pela televisão, foi uma cuspida do lateral tricolor Matheus Reis em Cassini, não observada pelos integrantes da arbitragem, ainda no primeiro tempo. Aliás, o jovem jogador do São Paulo conseguiu ser expulso após o encerramento do jogo por ter contestado a excelente arbitragem de Leonardo Lima.

O jogo começou equilibrado com as duas equipes criando oportunidades de gol. Dois lances de possíveis pênaltis foram reclamados pelo São Paulo, uma falta na lateral da área e outra de bola na mão. Entendo que o árbitro acertou.

Aos 22 minutos Matheus Vargas abriu o placar aproveitando excelente lançamento. Dez minutos depois, enquanto o indisciplinado Matheus Reis discutia com o árbitro a marcação de uma falta, o Corinthians cobrou rapidamente e Léo Príncipe ficou na cara do goleiro para fazer 2 a 0.

No segundo tempo o São Paulo perdeu uma excelente oportunidade com João Paulo chutando na trave com menos de um minuto de jogo. Aos 26 o artilheiro Gabriel Vasconcelos decretou a eliminação do Tricolor, 3 a 0.

Para o corintiano que acha que o título já está ganho, vale lembrar que o time de Ribeirão Preto eliminou Botafogo do Rio, Fluminense e Grêmio. Será que é mole?

Já tem arena construída e utilizada na Copa do Mundo no Brasil interditada para reforma.Brincadeira, né. Arena Pantanal vai passar por reformas estruturais, principalmente na cobertura, para poder receber jogos do campeonato local. Será que tivemos roubalheira por lá ou economia demais na qualidade dos materiais utilizados?

Pré temporada e a decisão da Copinha

Se no cenário nacional o futebol paulista profissional está em baixa, na Copa São Paulo de Juniores só tem paulistas nas semifinais. O quarteto dos grandes não está completo porque o Santos, bicampeão, não passou da primeira fase mas, está bem substituído pela garotada do Botafogo de Ribeirão Preto que eliminou o Grêmio por 2 a 1 e agora enfrentará o Palmeiras que despachou o Vitória da Bahia por 2 a 0 com um belo gol do jovem Gabriel Jesus.

A outra semifinal será entre os tradicionais rivais Corinthians x São Paulo. O Timão encontrou muita dificuldade para vencer o São Caetano por 4 a 2, depois de estar perdendo por 1 a 0 e 2 a 1.

O Tricolor se vingou da eliminação pelo Atlético Mineiro ano passado quando foi goleado por 5 a 1 e fez 4 a 0 nos mineiros em noite inspirada do atacante João Paulo, autor de 3 gols sendo um olímpico. Lindo, lindo. A goleada só não foi maior porque João Paulo não sabe o que é impedimento.

Agora, a Federação Paulista esquenta a cabeça para definir onde o clássico será jogado, podendo ser em Limeira, já que a competição tem sido um sucesso de público onde os grandes jogam.

Os jogos semifinais serão disputados na quinta-feira com os garotos tendo apenas um dia para descansar do desgaste proporcionado pela sequência cruel de jogos decisivos, alta temperatura, horários impróprios e gramados ruins. Mesmo sendo jovens, quem mais aparece em campo são as caímbras.

Enquanto a garotada compete, os marmanjos seguem a preparação para o Paulistão e Libertadores. No Corinthians, que tem jogo dia 4 contra o Once Caldas pela pré Libertadores, Jadson conversou com o técnico Tite e diz que pretende ficar por aqui, esquecendo momentaneamente a sondagem do Flamengo.

Nos bastidores do velho e querido Parque São Jorge os candidatos a presidência do clube, principalmente de oposição com Antonio Roque Citadini, querem explicações do funcionário Edu Gaspar sobre comissões pagas em negociações de jogadores. Será que vem uma Lava-Jato por aí?

Parece até que o Palmeiras está usando as contratações para desviar o foco de alguma coisa. Todo dia alguém é contratado mesmo que seja um jogador inexpressivo, desconhecido.

Depois de Kelvin, agora foi a vez de Rider Matos. Pode até ser que no futuro ganhe a bola de ouro mas, por enquanto, quem são? Pergunta os torcedores palmeirenses empolgados com o atual momento.

Já os santistas colocam a barba de molho. Parece que a diretoria não está se empenhando muito para evitar a debandada dos insatisfeitos com a falta de grana e a presença de Léo na administração da nova diretoria. A chegada de Elano, Ricardo Oliveira e Chiquinho ameniza um pouco a fúria das organizadas.

O São Paulo, que não mudou nada do ano passado pra cá, já que a saída de Osvaldo não pode ser considerada desfalque, não se esforçou para desmentir se estava ou não interessado em Eto’o.  Pelo menos a torcida esquece um pouco das roupas sujas que atuais e ex-diretores lavam nas salas do Morumbí.

E o Brasil que ocupa posição de destaque negativa em vários itens internacionais, está superando mais um. Quer liderar o ranking de doping na natação mundial. depois da bela performance no Mundial de piscina curta, estoura mais um escândalo com o doping de João Gomes Filho.

Ainda resta a contra-prova mas, já dá para ficar perguntando se o culpado será mais uma vez o farmacêutico, a farmácia, o químico, o balconista e nunca o atleta, técnicos e dirigentes eternizados nas cadeiras da CBDA. Coaracy Nunes está superando, é uma no cravo e outra na ferradura. Formol pra ele.

Copinha em momento decisivo

Entra ano sai ano, começa campeonato, termina campeonato e nossa instituições responsáveis pela organização e realização dos eventos não conseguem evoluir.

Estou me referindo à Federação Paulista de Futebol, Prefeitura Municipal de Barueri e sua Secretaria de Esportes e a nossa gloriosa Polícia Militar. Será que o confronto que tivemos entre torcedores e policiais na frente da Arena Barueri não poderia ter sido evitado?

Quanta incompetência, falta de respeito e educação.

A verdade é que torcedores organizados, seja do time que for, em bandos se sentem acima do bem e do mal, para eles o respeito às Leis e aos Direitos que se explodam.

Será que o pessoal responsável pelos jogos na sede de Barueri não sabia que domingo de manhã, sol, jogo do Corinthians, que o público seria como se o jogo fosse entre profissionais para ver Corinthians x Goiás?

Já passou da hora do policiamento preventivo ser mais competente, eficiente e respeitado, principalmente, já que a relação entre PM e bandidos organizados é muito boa. Estão sempre se reunindo para proteção e até escolta. Vê se você torcedor comum recebe as mesmas atenções?

A Copa São Paulo de Futebol Junior já está na reta final e árbitros da Federação Paulista de Futebol continuam não podendo ser escalados por falta de uniformes. Vergonha, né?

Pela distribuição das equipes, poderemos ter confronto entre grandes paulistas na fase semifinal. O São Paulo precisa eliminar o Atlético Mineiro e o Corinthians fazer o mesmo com o São Caetano. Teremos confusão novamente?

Outro grande paulista que pode chegar à decisão é o Palmeiras se conseguir passar pelo Vitória e na sequência eliminar o vencedor de Grêmio x Botafogo de Ribeirão Preto.

Independentemente de quem vai passar, deverá ser respeitado já que deixou para trás adversários que fazem excelentes trabalhos nas categorias de base, mesmo que não sejam “donos” dos craques.

Os embalos do Sabadão

Acabou a espera. Finalmente o Palmeiras venceu em casa. Tá certo, foi amistoso contra o Shandong Luneng, mas para acabar com a “zica” da  nova arena está valendo.

Foi o primeiro teste do novo verdão de Oswaldo de Oliveira. Um time ainda sem a formação ideal, com várias reforços jogando pouco, mas a torcida que foi ao campo gostou do que viu.

O verdão levou susto. Montillo fez o gol de abertura do jogo, mas a alegria “xing ling” foi rápida. O estreante Leandro “Banana” Pereira rapidamente empatou de cabeça e depois outro estreante, Lucas, decretou a virada.

No segundo tempo, o argentino Cristaldo fechou a conta. 3 a 1. Contra um time chinês. Mas suficiente para elevar o astral alviverde.

Lá na Flórida, mais precisamente em Jacksonville, Guerrero foi o cara da vitória do Corinthians sobre o Bayer Leverkusen. um gol de cabeça no 1tempo, e outro com talento para garantir a virado do Timão sobre os germâmicos.

Mesmo com a vitória do timão, o Brasil acabou perdendo a disputa com os alemães, já que o Fluminense foi desbancado pelo Colonia. Sem crise. O importante foi a vitória do Corinthians. A primeira em 2015.

 

Timão e Verdão em caminhos diferentes

 

O Corinthians está numa draga financeira danada, fim de mandato, grupos que disputam o direito de comandar o clube denunciando ou desconfiando de atitudes indevidas de quem manda de fato ou de direito e sem ter renovado o patrocínio master da camisa com a Caixa, aparece com alguns dos seus jogadores na Disney ocupando o noticiário internacional sem expor nenhuma marca ou produto no peito dos seus jogadores.

Alguns como eu entende que é uma burrice, outros pensar que acertaram em manter o uniforme limpo. Ora bolas, nada como aproveitar para fazer uma ação visando agradar um novo parceiro ou facilitar a renovação com a repercussão.

Sabemos que, em determinados momentos, por interesse sempre comercial algumas rivalidades são criadas, alimentadas e exploradas de uma maneira tão forte que por vezes tornam-se reais.

No Brasil já tivemos várias entre esportistas, cantores e atores. Presto muita atenção nos eventos em que aparecem no mesmo ambiente Cristiano Ronaldo e Messi, inclusive, antes, durante e após os jogos entre Real Madrid e Barcelona, bem como nas solenidades de premiações, seja ela qual for.

Sempre achei que entre os dois não havia nenhuma bronca e sim o desejo de superar marcas diretas e indiretas.

Foi muito legar curtir o vídeo que mostra os dois craques em um ambiente descontraído tendo como pivô das atenções o filho de CR7 cumprimentando LM10. Que as atitudes dos pequenos sirvam de exemplos para os adultos.

No Brasil, especificamente no sul, torcedores do Internacional odeiam os rivais do Grêmio, porém, aceitam perfeitamente que técnicos e jogadores ganhem jogos, gre-nais e títulos pelos dois clubes. O caso mais recente é a chegada de Revér no Colorado, depois de já ter defendido o Tricolor. Há certos comportamentos que são verdadeiras babaquices, ou não?

O Palmeiras continua contratando de baciada. Só para o meio-campo já são sete jogadores mais os que lá permaneceram. Será que Osvaldo de Oliveira pretende garimpar alguma qualidade na quantidade?  Está sendo noticiado que o clube já se acertou com o zagueiro Jackson que pertence ao Internacional e jogou o Brasileiro pelo Goiás. Se ele foi tão bem, porque o Inter foi buscar Revér?

Não precisa explicar, eu só queria entender. Me lembro do saudoso presidente Benedito Teixeira, o Birigui, que comandou por muitos anos o América de São José do Rio Preto. Toda vez que alguém lhe indicava um bom jogador da Portuguesa Santista ele, desconfiado respondia: “se fosse tão bom assim o Santos contratava”.

Ajudem todos. Não só a Laís Souza!!

Não sei se é imoral,  mas o Congresso tornou legal a pensão vitalícia que a atleta Laís Souza vai receber por ter ficado paraplégica após o acidente que sofreu treinando esqui na neve para a Olimpíada de Inverno.

Claro que por se tratar da atleta que foi na ginástica, a condição de invalidez comoveu e mobilizou a opinião pública fazendo com que nossos legisladores criassem mecanismos legais para a atleta tivesse um pouco mais de condições de continuar o tratamento que faz nos EUA.

O nosso Brasil é muito rico para amparar apenas poucos brasileiros que necessitam de uma condição mais especial.

Aliás, se fosse menos roubado e explorado como é desde seu descobrimento, nosso país teria condições de amparar todos com um serviço de saúde pública descente sem que, em alguns momentos, precisassem recorrer ao Judiciário para reivindicar e conseguir aquilo que deveria ter por direito do cidadão e dever do Estado.

Já pensou se roubassem menos os políticos, empreiteiros, diretores de estatais e presidentes de instituições esportivas? Acordei, pô.

 

Marrento? Marketing? Esse é Cristiano Ronaldo!!

Ok.. Vocês já devem estar cansados.. Messi, Cristiano Ronaldo.. Messi, Cristiano Ronaldo.. Cristiano Ronaldo ou Messi.. Desde 2007 é assim. Sempre um deles está na disputa. Mas o normal é que os dois estejam e faturem o prêmio.

Em 2014, não foi diferente. Para alguns, “Lio” é o mais completo. Para outros, CR7 é supremo. E quem pode acabar com isso. Sinceramente, pensando muito, atualmente.. NINGUÉM.

Os craques quebram recordes e mais recordes!!

Fazem de Barcelona e Real Madrid potências em campo e principalmente fora dele, com vendas absurdas de uniformes e produtos das equipes. De vez em quando, até pinta uma crise aqui, outra “acolá”. Mas quem disse que elas perduram, com gols dos craques no jogo seguinte.

Assim como Messi, Cristiano Ronaldo é uma máquina de gols e publicidade. Enquanto o argentino curtiu o tpitulo de melhor da Copa 2014 (altamente discutível) , Ronaldo declarou que quer “apanhar” a quarta bola de ouro para igualar Messi em 2015.

Mais que isso. Quer se tornar o maior de todos. Em número de taças , provável. Na bola, quem sabe. No marketing, indiscutível.

Esse é o gajo. Que sonha em ter mais “bolinhas” de ouro do mundo. Para alegrar seu pequeno filho Jr. Para alegrar os torcedores do planeta bola. Para fazer mais e mais turistas visitarem sua estátua na Ilha da Madeira. E quem dúvida que tudo isso aconteça??

GOL DE CRISTIANO RONALDO… SIIMMM!!