Feliz 2015!!

Já que a presidente Dilma pediu um pacto nacional contra a corrupção, que tal um pacto nacional contra os volantes?

Claro que não estou me referindo àquela peça tão importante nos veículos.

Perceberam que os grande paulistas estão se “reforçando” com jogadores limitadíssimos para jogarem no meio do campo?

É mais fácil acreditar que não teremos corrupção envolvendo o alto escalão dos governos do que achar que Palmeiras, São Paulo, Santos e Corinthians recuperarão a hegemonia do futebol nacional.

Dá para entender porque nossos “professores” não conseguem empregos “tops” no futebol do exterior? De repente, jogadores que fizeram uma campanha vexatória com o Botafogo  serão as estrelas do Paulistão.

Será que ninguém tem na base alguém que mereça ser promovido? Pelo jeito, muito mais por falta de grana, só o Santos vai promover alguns jovens.

Aí reclamam do “mercado inflacionado”. Como dizem alguns que hoje são ex em vários segmentos do futebol: “tem muita gente ganhando dinheiro quando deveria economizar ou investir melhor” mas, quem paga o rombo da conta é sempre a instituição, quem tem o CNPJ e não o dono do CPF.

É que o negócio futebol no interior paulista está feio. Mais do que na capital.

Bem mesmo só a FPF. Então prefiro acreditar  mesmo com a relação promiscua entre governos e partidos, executivo e legislativo, contratantes, intermediários e contratados, ministro do esporte, que o nosso ministro do esporte George Hilton vai superar Aldo Rebelo, não teremos corrupção nos poderes, não daremos risada da honra, nem sentiremos vergonha da honestidade.

Não, não estou escrevendo em primeiro de abril, não.

Sucesso , Saúde e prosperidade. ÓTIMO 2015

 

Para fechar o ano!!

Vimos durante todo o ano, tudo quanto é tipo de desrespeito com os árbitros por parte de torcedores, dirigentes, jogadores e integrantes das comissões técnicas e, porque não, até da imprensa.

Só que o ano ainda não acabou, e por incrível que possa parecer, até em jogo treino, ou seja, não é jogo nem treino, tem técnico usando o árbitro como válvula de escape para justificar a incompetência da sua equipe ou do trabalho, ainda em fase inicial.

O que Fernando Diniz, técnico do Audax Osasco fez no “treino” contra o Guarani de Campinas foi de uma irracionalidade enorme.

Por mais que ele tenha conhecimento de arbitragem, das regras, não podia ter invadido o campo para protestar, reclamar e, por que não, até, se deixassem, agredir que estava apitando o “treino”, por não ter marcado pênalti a favor da sua equipe. Ridículo! É preciso preparar a equipe para superar, inclusive, os erros da arbitragem.

Menos mal fez o novo técnico do Mirassol, Evaristo Piza que, após a derrota no “treino” contra a Penapolense por 1 a 0, entre as manjadas justificativas disse que a marcação de um impedimento inexistente impediu que o Mirassol empatasse o “treino” em 1 a 1 e que, se fosse um árbitro profissional, muitos jogadores adversários seriam advertidos ou expulsos. É mole!

Vejam só quanta pobreza técnica, quanta limitação tática. O que antes eram verdadeiros jogos amistosos com cobrança de ingresso para apresentar as novidades para a torcida, hoje se tornou jogo-treino com direito de transferirem para a arbitragem amadora ou feita até por integrantes das comissões, a falta de competência dos técnicos e jogadores.

Era o que faltava para encerrarmos o ano vendo e ouvindo todo tipo de desculpas para a mediocridade do nosso futebol profissional.

Se os técnicos tivessem interesse verdadeiro que seus jogadores treinasse sob as regras corretas não deixariam qualquer um, sem conhecimento algum, apitar os treinos coletivos e rachões, não é?

Lembram-se do Mário Sérgio comandando o São Caetano e que não marcava faltas nos coletivos, condicionando seus atletas para, no jogo, agirem da mesma forma? Pára o mundo que eu quero descer!

Na verdade, a função de árbitro continua insignificante nas conquistas, na representatividade e no respeito.

Fim de ano, período de festas, confraternizações e solidariedade, temos jogos diversos reunindo profissionais famosos, ex-craques, artistas e, as vezes, árbitros atuantes ou ex.

Não existe a mínima preocupação em reservar um local digno (com raras exceções)  para os que vão comandar a festa. Isso, quando não esquecem de “convidar” um árbitro, como aconteceu em Rio Preto. Equipes em campo e, derrepente a pergunta: “quem vai apitar”? É mole?

Infelizmente, a arbitragem continua sendo o cocô do cavalo do bandido entre os segmentos envolvidos no futebol. Não sei se é possível, mas a tendência é piorar.

 

Nosso herói das ondas

AFP

Em 2003, um menino de 9 anos resolveu surfar. Primeiro para curtição. Depois a coisa começa ficar séria. O menino vence várias competições no Brasil. Começa a voar pelo mundo das ondas. Hawaii, Austrália, Europa.. sem limites.

O menino tem um ídolo. Kelly Slayer.. Californiano., boa pinta, fera dos tubos, e rei das mulheres.

E vê o ídolo conquistar 11 títulos mundiais. Sonha em somente compeir com o ídolo. Jamais vence-lo.

Em 2014, aos 20 anos, o menino Medina vence o ídolo no Hawaii e se torna campeão mundial de surfe.

Não é ficção. é realidade. Esse menino é brasileiro. Se chama Gabriel medina. Mais um herói nacional que já ganhou o mundo. E vai brilhar ainda mais. Sempre na crista das ondas

 

Festa das meninas do Futsal

Divulgação

E a bola continua rolando pelo planeta e com boas notícias para o Brasil.

A seleção feinina de Futsal conquistou o pentacampeonato mundial. Com uma virada sensacional nos minutos finais de jogo, nossas meninas derrotaram Portugal por 4 a 3  no mundial que foi disputado na Costa Rica.

As destaques do jogo foram a ala Vanessa com dois gols e Amandinha, que marcou o gol do título no último minuto.

 O resultado celebrou a campanha impecável, com cinco vitórias nos cinco jogos que o Brasil disputou na competição.Vale lembrar que nossas meninas quase não disputaram o campeonato por falta de apoio financeiro da Confederação Brasileira de Futsal (CBFS).

A Champions 14-15 vai esquentar

Sorteados os confrontos das Oitavas de final da Champions League 14-15 e teremos fortes emoções , logo de “prima”. O sorteio, realizado em Nyon, Suíça, colocou grandes jogos, entre eles “três” finais antecipadas.

PSG-Chelsea, Manchester City-Barcelona e Juventus-Borussia Dortmund são os principais embates entre “gigantes”

José Mourinho volta a encontrar o Paris Saint-Germain. Barcelona – Manchester City. Estas duas equipes encontraram-se na temporada passada nas oitavas-de-final da Champions, com os “catalães”  levando a melhor.  Juventus-Borussia Dortmund é a reedição da final de 1996/97, ganha pelos alemães.

Em busca da 11.ª Champions da história, o Real Madrid não deverá sentir dificuldades para eliminar o Schalke04 em mais um duelo que se repete do ano passado, assim como o Bayern de Guardiola, que não deverá sentir dificuldades para eliminar o Shakhtar Donetsk.

Fechando os confrontos teremos Mônaco x Arsenal , Atlético de Madrid x Leverkusen e Porto x Basel.

Emoção para 2015!!!

 

Paris Saint-Germain-FRA x Chelsea-ING
Barcelona-ESP x Manchester City-ING
Bayer Leverkusen-ALE x Atlético de Madri-ESP
Juventus-ITA x Borussia Dortmund-ALE
Schalke 04-ALE x Real Madrid-ESP
Shakthar Donetsk-UCR x Bayern de Munique-ALE
Arsenal-ING x Monaco-FRA
Basel-SUI x Porto-POR

 

 

Quem será o novo técnico do Palmeiras?

O festival de trapalhadas continua lá pelos lados do Palmeiras. O presidente Paulo Nobre que já mostrou na prática que não é do ramo e, só no futebol, alguém consegue aprender ocupando o cargo mais importante, como presidente.

Depois de trocar o técnico Gilson Kleina pelo argentino Ricardo Gareca e garantir publicamente que o gringo cumpriria o contrato no cargo, Nobre não cumpriu, mandou o argentino passear e trouxe Dorival Junior com contrato até junho de 2015 com a missão de salvar a equipe do rebaixamento e iniciar a temporada seguinte.

Como dirigente esportivo não confirma em pé o que disse e assinou sentado, Dorival Junior tomou o pé nos fundilhos, sendo mais um a disposição no mercado.

Todos no Palmeiras sabiam que o técnico vinha de trabalhos não bem sucedidos no ano anterior, tendo participado do rebaixamento de duas equipes no Brasileirão , sendo salvo pela manobra nos bastidores envolvendo a Portuguesa.

Agora, mais uma vez, Dorival Junior só não foi rebaixado pela ajuda que recebeu – com mala branca ou sem – de outras equipes em jogos envolvendo os concorrentes ao rebaixamento.

No futebol, quando o incompetente é o presidente, quem perde o emprego são os funcionários, diferentemente da iniciativa privada. Assim sendo, a faxina no Palmeiras começou pelo técnico Dorival Junior, o diretor ou gerente de futebol Omar Feitosa e Brunoro. Junto com o pai Dorival deve ir também o filho auxiliar e outros integrantes da comissão técnica.

Mesmo que desejasse manter o técnico para honrar o compromisso, o resultado da produtividade não recomendava.

O Palmeiras encerrou a competição com uma sequência de cinco derrotas e um empate contra o time sub 23 do Atlético Paranaense em pleno Aliianz Parque, necessitando da ajuda do árbitro Leandro Pedro Vuadem que marcou um pênalti de bola queimada a favor do Palmeiras e não deu outro semelhante para os paranaenses.

Assim, não tem quem consegue segurar alguém. Lamentável mas, para quem gastou muito por nada, quando a situação financeira não era boa, imaginem o que não vai fazer com a perspectiva de um orçamento melhor?

Interessante é a briga pelo primeiro reforço, Alexandre Mattos, um funcionário administrativo do Cruzeiro. Será que nem funcionário essa diretoria do Palmeiras conseguiu formar? Brincadeira!

 

Palmeiras respira aliviado!!!

Mesmo sendo incompetente até o último jogo , o Palmeiras conseguiu a combinação de resultados que precisava e se manteve na elite do futebol brasileiro. O esforço para cair foi tão grande que completou seis jogos sem vitórias, menos mal que conseguiu empatar com a molecada do Atlético Paranaense em 1 a 1, com uma tremenda ajuda da arbitragem.

Atendendo orientação do adicional Diego Real, o árbitro gaúcho Leandro Pedro Vuadem marcou pênalti esdrúxulo de bola no braço de Drauzio, aos 18 minutos, e Henrique, daquele jeito desconcertante, cobrou e empatou o jogo.

Isso mesmo, o Atlético deu um sufoco no Palmeiras e abriu o placar logo aos 9 minutos com Ricardo Silva, de cabeça em cobrança de escanteio. O goleiro Fernando Prass precisou pegar todas as bolas possíveis, evitando uma derrota vexatória no Allianz Parque, onde o alvi-verde ainda não venceu.

O mesmo critério que Vuadem urizou a favor do Palmeiras ele ignorou quando Nathan chutou a bola no braço do companheiro Lúcio, dentro da área, e, tanto Vuadem quanto o adicional Diego Real disseram “segue o jogo”, aos 5 minutos do segundo tempo.

 

Foi um tal de roer unhas por parte dos mais de 33 mil torcedores que pagaram ingresso para ver Valdívia, mancando em campo, ser o destaque da equipe junto com o goleiro Fernando Prass.

Por um momento, durante o jogo, a combinação de resultados colocava o Palmeiras novamente na série B. O Vitória estava empatando com o Santos e o Bahia vencia o Coritiba por 2 a 0 e o alvi-verde perdia.

O alívio só veio depois do jogo no Allianz Parque já encerrado. O Coritiba virou pra cima do Bahia e venceu por 3 a 2 enquanto o Santos, com gol de Thiago Ribeiro, derrotou o Vitória por 1 a 0.

Quando o serviço de som informou o gol santista a torcida palmeirense pode vibrar enquanto que alguns jogadores, ainda em campo, o jogo em São Paulo terminou dois minutos antes do que em Salvador, começaram a dar entrevistas.

Confirmada a permanência a torcida que incentivou o jogo todo começou a protestar chamando o time de sem vergonha. Mas, não é só o time que é “sem vergonha”, diretoria e técnico também, afinal, só escapou graças a maior incompetência dos demais, facilidade proporcionada pelo Atlético Paranaense escalando garotos e ajuda da arbitragem. Tá tudo sem vergonha!

Feras da natação

No futebol profissional,  Corinthians não ganhou nada em 2014, mas um de seus representantes nos outros esportes brilhou neste final de temporada. Felipe França , que nada no estilo peito foi o cara da equeipe brasileira no Mundial de piscina curte, em Doha , no Catar.

 Após conquistar três medalhas de ouro na quinta-feira, o atleta voltou a subir no lugar mais alto do pódio nesse Domingo, nos 50m peito e nos 4×100 medley.

Esta é a oitava medalha de Felipe França na história do Mundial. Em 2010, na competição realizada em Dubai, o atleta foi campeão da prova dos 50m peito, além de ter sido bronze nos 100m peito e no revezamento 4x100m medley.

Felipe ajudou muito o Brasil a ficar com o primeiro lugar no quadro geral de medalhas. E contando ainda com as medalhas douradas de Cielo e Etiene Medeiros, alias, parabéns a menina que pela primeira vez conquistou um titulo tão importante. VALEU BRASIL

Felipão já sabia!!!

O Felipão já sabia! Parece que tudo o que o técnico do Grêmio, Luiz Felipe Scolari, falou depois da derrota para o Corinthians está se confirmando. O Timão precisou marcar um gol impedido para vencer o rebaixado e desfigurado Criciúma por 2 a 1. E para satisfação do técnico gremista, os catarinenses tiveram uma jogada de gol interrompida por impedimento inexistente. É mole?

A vitória corintiana com gols de Elias (impedido) e Fábio Santos, com Roger Guedes empatando para o Criciúma em falha de Cássio, único goleiro gigante que não sabe sair do gol, não foi suficiente para deixar o Timão em terceiro lugar no Brasileirão e classificado para a fase de grupos da Libertadores.

Com a vitória do Internacional, de virada, também por 2 a 1 contra o Figueirense, empurrou o Corinthians para o quarto lugar e para a fase de pré-Libertadores. Se servir de consolo, o técnico Mano Menezes disse que não renovará seu contrato.

O jogo em Florianópolis também foi muito confuso por incompetência do árbitro baiano Marielson Silva. Pablo marcou para o Figueirense aos 4 minutos de jogo, sendo a única coisa boa que as equipes produziram no primeiro tempo.

A equipe comandada pelo técnico Argel Fucks comandou o jogo até aos 32 minutos quando o árbitro inventou a expulsão de França em jogada que, no máximo, no máximo, com muito esforço seria para cartão amarelo. O árbitro mostrou vermelho direto, deixando o Figueirense com um jogador a menos. Logo em seguida, aos 35 minutos, o jogo foi interrompido porque alguns imbecis torcedores do Inter acenderam sinalizadores, com o time perdendo.

Aos 41 minutos, numa bobeada da zaga catarinense Rafael Moura empatou, cabeceando sozinho. No minuto seguinte o árbitro, compensando, expulsou Alan Russel pelo segundo cartão amarelo, também equivocadamente, deixando as duas equipes com 10 em campo.

Já nos acréscimos, aos 47, foi a vez de Nirlei e Welington Paulista verem o cartão vermelho. Pela confusão o árbitro aumentou de 4 para 5 minutos de acréscimos. Taí, se o juizão quiser se ferrar é só dar 5 minutos. Nunca vi alguém se consagrar e, por experiência própria, deixar o estádio no camburão ou escoltado por ele é quase certeza.

E não deu outra, aos 49m56s, Wellington Silva fez o gol da vitória do Inter e consequente classificação direta para a Libertadores. Só foi o árbitro apitar o final do jogo para receber um empurrão de Thiago Heleno e ter que correr para a proteção policial perseguido por França, que voltou ao gramado para ameaçar e tentar agredir o fraco árbitro Marielson Silva.

A comissão de arbitragem da CBF ainda não aprendeu que em jogo decisivo não dá para fazer experiência com árbitro incompetente.

Então, será que o Felipão estava certo? Temos dois paulistas, dois mineiros e um gaúcho.

 

Fortes emoções na rodada derradeira do Brasileirão

Bem que o nobre promotor Paulo Castilho tentou mas não conseguiu mudar o local do jogo decisivo entre Palmeiras e Atlético Paranaense. Se nossos representantes do Ministério Público se empenhassem para resolver os problemas da sociedade que não dão exposição na mídia tanto quanto se esforçam quando o assunto envolve futebol, muitas sentenças não estariam aguardando sua vez por tantos anos.

Por incompetência do Estado no cumprimento do Dever, o Direito do cidadão brasileiro está ficando cada vez mais restrito. Se você sai do banco com dinheiro e é assaltado a culpa é sua.

Você não ter um carro de luxo ou uma moto de alta cilindrada para não despertar a cobiça do ladrão. Não pode morar em bairro nobre que será alvo dos bandidos, se for em condomínio corre o risco de um arrastão. Não ande com jóias, não converse ao celular. Então não viva, pô.

Cadê as polícias? Onde está nosso Judiciário? Devolvam o Direito para o cidadão de bem. Por que não tirar os bandidos dos estádios ao invés de escoltá-los?

Se o Palmeiras perder e for rebaixado, o que pode acontecer de violência no Allianz Parque e cercanias, preocupação do nobre promotor, também pode acontecer seja onde quer que fosse o jogo. Ou seja, os moradores vizinhos do Pacaembu que se explodam ou os moradores de outras localidades onde o referido jogo acontecesse?

Então, não vamos resolver o problema e sim, mudar de endereço. Será que o nobre promotor está preocupado mesmo com a violência?

Fez o presidente palmeirense Paulo Nobre bater o pé e fazer valer os seus direitos. Se todos no clube acreditam e afirmam que o Palmeiras não vai cair, então manter o jogo no Allianz Parque é carimbar que confiam nos jogadores e comissão técnica, independentemente do adversário vir com a equipe principal ou não e se estará dopado financeiramente.

Os jogadores das equipes envolvidas nos jogos que envolvem os candidatos ao rebaixamento já sabem se a “mala branca” estará presente ou não. Eles se comunicam e contam quanto estão oferecendo e quem está pagando, tanto quanto divulgam suas aventuras amorosas. Entenderam?

Eles sabem se o Santos e o Atlético Paranaense vão ter incentivo ou não. O zagueiro santista Deivid Braz deixou bem explicito que aceita de bom grado para vencer o Vitória e, não vamos ser hipócritas, não é só ele não.

O Brasileirão da elite ainda reserva para a última rodada alguns jogos decisivos para premiar aqueles que não tiveram competência para desbancar o Cruzeiro. O Fluminense faz o jogo das faixas no Mineirão contra o bi-campeão tentando somar pontos para entrar na fase oitavas-de-final da Copa do Brasil como sexto colocado. O mesmo desejo que motiva o Grêmio, em casa,  contra o desmantelado Flamengo.

O Goiás tenta se segurar na Sulamericana contra o Chapecoense e o seu concorrente é o Figueirense que joga com portões fechados em Florianópolis contra o Internacional que disputa com o Corinthians a condição de ficar em terceiro na classificação, escapando da fase pré-Libertadores.

A missão do Corinthians é mais fácil já que o adversário é o rebaixados e desmanchado Criciúma. Será que os catarinenses receberão a visita da mala?

O Bahia vai até Curitiba precisando vencer o Coxa e torcer contra Vitória e Palmeiras, é mole? Apenas dois jogos não valem rigorosamente nada: Sport x São Paulo e Botafogo x Atlético Mineiro. Para quem gosta o campeonato de pontos corridos no Brasil até que não é tão monótono.

Um prêmio cobiçado por muitos e ganho por poucos é o de “melhor árbitro”. O escolhido por votos de jogadores e técnicos foi o mineiro Ricardo Marques Ribeiro. Apitando, ele não cometeu erros graves e soube ser regular.

Seu maior equívoco foi como adicional no jogo Santos x Goiás quando não viu um gol legitimo dos goianos com a bola batendo dentro do gol e saindo. É um árbitro calmo e muito educado. Talvez, ai esteja seu diferencial. Não teria o meu voto porém, aceito diante da escassez de árbitros mais qualificados. Ele conduziu muito bem o primeiro jogo que decide a Sulamericana entre Nacional de Medellin 1 x 1 River Plate