Salvemos o C.R. Tietê

X – São Paulo F.C., primeira incorporação territorial

 Esta é a continuação da série de artigos sobre a sobrevivência do CR Tietê. Recentemente, a Prefeitura renovou o comodato de concessão do terreno de oito clubes esportivos, deixando de fora o clube vermelhinho.

Fazer os órgãos municipais e a opinião pública tomarem conhecimento da história tieteana é a melhor forma de superar a ameaça que ronda o clube.

Em nosso blog, informamos um fato muito importante, ocorrido em 1930, que deu início à expansão territorial do Regatas Tietê: a fundação do São Paulo FC da Floresta, assim chamado por localizar-se na Chácara da Floresta, na região da Ponte Grande, ente os rios Tietê e Tamanduateí.

O futebol de nosso Estado teve, desde o seu primeiro campeonato, como um dos principais participantes, o CA Paulistano. Seu presidente, nos anos 20 do último século, Antônio Prado Jr. (que chegou a ser membro do Comitê Olímpico Internacional), era adepto de um amadorismo radical.

Quando começou a aparecer o amadorismo marrom, com os jogadores recebendo de alguns clubes por baixo do pano, Antônio Prado decidiu que o clube que presidia deixasse de participar do Campeonato de Futebol em 1930. O seu clube estava no auge, retornando de uma vitoriosa excursão à Europa em 1929, onde seus jogadores haviam recebido a alcunha de “Os Reis do Futebol”.

Nem todos os associados do Paulistano, porém, estavam de acordo com a atitude de Antônio Prado Jr e decidiram assim fundar um novo clube, fundindo-se com a Associação Atlética das Palmeiras, agremiação que desde o começo do século tinha um campo de futebol em uma área situada na Ponte Grande, contígua ao CR. Tietê.

A A.A. Palmeiras, ostentando as cores alvinegras, participou desde os primeiros tempos do Campeonato da Liga Paulista de Futebol e sempre mantivera estreita relação com o Paulistano. Nasceu então desta fusão o São Paulo FC da Floresta. Ele era tricolor pelo alvi-rubro do CA Paulistano e pelo alvinegro da AA das Palmeiras.

Este clube teve grandes glórias, mas uma vida efêmera. Logo no seu segundo ano de existência conquistou o título de campeão do certame paulista. Na sua história ficou com a glória de ter sido o primeiro clube do Estado a iluminar seu campo para jogos noturnos. Pudera… o vice-presidente do São Paulo FC, Edgard de Souza, era dirigente da Light, a concessionária de energia elétrica de nossa cidade.

O São Paulo da Floresta teve vida efêmera porque o clube contraiu dívidas muito grandes em um curto espaço de tempo, com arrecadação insuficiente para cobri-las. Havia ainda um agravante: pelos estatutos os diretores eram responsáveis pessoalmente por elas. Este débito fora decorrente de uma tentativa de aquisição da sede da Sociedade Sul Riograndense, situada na confluência da rua Conselheiro Crispiniano com a 24 de Maio.

A única solução encontrada para a sobrevivência do clube foi fazer uma fusão com o Regatas Tietê, formando o Clube de Regatas Tietê São Paulo, no ano de 1935.

O Tietê teve condições de assumir todo o débito do São Paulo FC da Floresta, que fora economicamente muito mal administrado. O “vermelhinho”, ao contrário, vinha de uma diretoria com predominância de associados competentes e provenientes da colônia portuguesa, bons financistas e que assim puderam encarar o grande débito tricolor.

Dois ou três anos depois, o Tietê aumentava seu espaço físico, eliminando da sua razão social o nome São Paulo FC. Toda a área que havia pertencido à AA das Palmeiras era agora do Tietê, que realizou grandes melhoramentos, transformando a década de 30 nos anos de ouro do clube.

Nesse decênio aconteceu também outra incorporação territorial, rica de história e de glórias. Excelente tema para os próximos capítulos desta série.

NO PÉ

Faleceu Mário Cardoso Xavier

Faleceu no último dia 12, aos 91 anos, o esportista Mário Cardoso Xavier, ao qual o esporte deve muito. Vinculado ao Corinthians (a bandeira do clube envolvia o seu caixão), ele prestou grandes serviços à natação, tendo sido diretor de esportes aquáticos do clube do Parque São Jorge, diretor da Federação Paulista de Natação e membro da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos e da FINA. Era também membro da “Orden de Los Caballeros de La Natacion Sudamericana”.

O titular deste blog esteve presente aos funerais de Mário, realizados no Cemitério do Morumbi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>