Apenas um par de mãos para aplaudir

Foto: AFP

Abebe Bikila da Etiópia correu descalço e venceu a Maratona dos Jogos Olímpicos de Roma em 1960

Por mais que alguns veículos de comunicação tentem denegrir a Corrida Internacional de São Silvestre, ela possui conquistas históricas responsáveis pelo seu grande prestigio.

Nascida, criada e agigantada pela A Gazeta e a A Gazeta Esportiva, a São Silvestre semeou outras provas na noite de 31 de dezembro, as quais hoje concorrem com a própria disputa do Brasil.

Uma delas é a de Nova York, no Central Park, que este ano reuniu 10.000 atletas. Ela continua sendo disputada à meia noite e conta, para criar clima festivo, com fogos de artifício, ao som da música New York New York. Esta prova tem 34 anos e foi iniciada na época de maior esplendor da São Silvestre brasileira. Antes do lançamento, os organizadores estiveram no Brasil e optaram por implementar o nosso modelo (não confundi-la com a Maratona de Nova York, realizada em ocasião diversa).

Outra São Silvestre bem antiga e prestigiosa é a de Madrid. Dado o grande interesse dos fundistas espanhóis pela nossa corrida, e somando-se ao fato da Fundação Casper Libero convidar somente um representante de cada país, os dirigentes resolveram lançar a São Silvestre espanhola. Este evento conta no ranking de seus vencedores atletas que, em outros anos, também venceram a prova do Brasil.

A ascensão do pedestrianismo africano, após o triunfo de Abebe Bikila, da Etiópia (que correndo descalço venceu a Maratona dos Jogos Olímpicos de Roma em 1960), os países da África começaram aparecer entre os vencedores das principais provas pedestres realizadas pelo mundo, não só na São Silvestre, mas também na Maratona de Nova York, em algumas nações européias e nos Jogos Olímpicos.

É natural que a São Silvestre, com o passar dos tempos e sob maior influência do fator econômico, viesse a sofrer a concorrência de seus filhotes, outros eventos realizados na mesma data. Este fato, porém, não justifica as noticias desanimadoras de alguns veículos nacionais divulgadas sobre a tradicional corrida. Se a prova perdeu a presença de alguns grandes nomes do atletismo, pelo seu prestigio ela está congregando atualmente mais de 25 mil concorrentes voluntários, procedentes de muitas nações do exterior e de 25 dos 26 estados que integram o nosso país.

Continuamos como um grande evento nacional e internacional. A vitória de africanos é normal no noticiário de qualquer prova efetivada neste planeta.

Aos críticos, endereçamos uma frase que Carlos Joel Nelli citava frequentemente: “Existem mil olhos para procurar defeitos e apenas um par de mãos para aplaudir”.

NO PÉ

A Gazeta Esportiva e o interior.

O boletim do Panathlon Club Mococa publicou neste começo de ano um texto que demonstra como o espírito promocional de A Gazeta Esportiva alastrou-se por todo o estado e até pelo país.

Ele nos conta como Lauro D’Angelo, um fotógrafo dos primeiros tempos da Fundação Casper Libero, indo morar naquela cidade levou o exemplo de Carlos Joel Nelli e semeou diversas modalidades esportivas em Mococa. Vejamos o que escreveu o esportista Antonino Silva:

“Na década de 1950, com a vinda de Lauro D’Angelo para Mococa, iniciou-se uma série de atividades nunca vista antes em nossa cidade.

Com o beneplácito de A Gazeta Esportiva, Lauro – juntamente com Malim Zamarian e o Dim Bernardes – incentivou a realização de inúmeros campeonatos populares e outras realizações que motivavam a cidade por todo o ano.

Sob a batuta desses valorosos esportistas, tornaram-se tradicionais os campeonatos de “truco”, “bocha”, “damas” e “braço de ferro”. As célebres corridas de bicicleta, no “9 de julho” e pedestre, na São Silvestre, na época realizada no ultimo dia do ano e no período noturno como mandava a tradição.

Alem destas promoções populares que visavam à participação de toda a população, havia também os campeonatos de futebol, principalmente “Campeonato Juvenil”, onde os clubes amadores participavam com os seus valores emergentes.

Havia também os campeonatos de “bola ao cesto” que envolviam clubes amadores e unidades escolares.

Com o retorno de Zezinho Pereira para Mococa, iniciou-se uma nova fase com a criação da “Olimpíada Estudantil” (Escolas: Oscar Villares, Comércio, Industrial e o Tiro de Guerra), culminando em 1968 com a “Olimpíada Infantil” (Escolas: Primário, Hilda Silva, Godoy, Barão, Maestro e dos distritos de Igaraí e São Benedito).

Convém salientar que, por ocasião da Olimpíada Infantil, eram também realizados o Concurso de Robustez e o Concurso de Fanfarras.

São bons tempos que podem retornar, já que se aliando “educação – esporte – cultura”, podemos massificar no desporto toda uma geração que, no futuro, poderá ser a base do nosso desporto competitivo. Isto sem contar que pode ser realizado um amplo Concurso de Fanfarras, com a participação de todas as unidades escolares do município pois, sem que ninguém perceba, possuímos uma cultura de “tocar bumbo”.

Um comentário em “Apenas um par de mãos para aplaudir

  1. Estimado señores de la Gazeta Esportiva

    Tengo el agrado de dirigirme a ustedes con el fin de solicitarle tengan a bien de enviarme a mi correo comentarios de la Corrida Internacional de São Silvestre entre los años 1959-1960-1961-962, mi papa el Sr. Grasso Antonio participo junto a la delegación Argentina en esos años, el cual le fueron entregadas medallas, trofeos, pero sus tristeza es muy grande porque el conservaba con gran afecto, y hace pocos días nos entraron a roban y o sorpresa esos recuerdos tan queridos le fueron sustraídos por los malhechores, el guardaba también los periódicos de esa época que en el Hotel que se alojaba la delegación les habían entregado.
    Desde ya muy agradecida por su amable atención y lo que me puedan enviar gustosamente sera muy bien recibido, porque para el va a ser una alegría muy grande.
    A la espera de una respuesta favorable lo saludo muy atentamente.
    Luisa Grasso
    DNI 12.310.858
    TE. 0223-4775929
    MAR DEL PLATA
    7600
    Provincia de Buenos Aires
    República Argentina

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>