Após final sul-americana inacabada, Conmebol poupa Tigre, mas apresenta mudanças e inaugura tribunal disciplinar

Fernando Dantas/Gazeta Press

Fernando Dantas/Gazeta Press

Após 97 anos de história, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) colocará em funcionamento um tribunal para julgar questões disciplinares relacionadas a suas competições.

Além de tirar o projeto do papel, a reunião do comitê executivo da entidade realizada no Paraguai em 20 de dezembro determinou que o acúmulo de três cartões amarelos implicará um jogo de suspensão. Segundo a entidade, a medida válida a partir da próxima Copa Libertadores tem o objetivo de “preservar o jogo limpo”.

Uma primeira vez no torneio continental: até 2012, admoestações não rendiam punição esportiva, mas multa de 100 dólares.

A novidade serve para amenizar as críticas direcionadas – inclusive por esta coluna – à habitual clemência da Conmebol quando o assunto é violência dentro e fora dos gramados: para coibir a rispidez no campo de jogo, suspensão pelo acúmulo de cartões; e, contra a impunidade por atos praticados fora das quatro linhas, a criação de uma comissão (supostamente) independente e preparada para julgar com base em regras disciplinares.

Uma reação que sucede aos incidentes ocorridos na finalíssima da última Copa Sul-Americana, cujo campeão foi conhecido antes do início do segundo tempo – após conflito com seguranças do São Paulo nos vestiários do Morumbi, os jogadores do Tigre (ARG) sequer voltaram a campo e o clube paulista, que vencia por 2 a 0, foi declarado campeão.

Ainda sobre o caso, o comitê executivo anunciou que a aplicação de eventuais sanções aos dois clubes será analisada apenas no próximo ano, justamente pelo novo tribunal.

O Tigre, que pode ser multado e excluído de até três torneios organizados pela Conmebol (art. 18 do regulamento), deve estar satisfeito com o adiamento: quando o novo tribunal examinar o caso, a Libertadores 2013 estará em andamento e o clube conhecido como Matador de Victoria já terá iniciado sua inédita participação na competição – se passarem pelo Deportivo Anzoategui (VEN) na fase preliminar, os argentinos integrarão o grupo do Palmeiras.

Em tempo: se depender do retrospecto do centenário Tigre em competições continentais (participações apenas nas Copas Sul-Americanas de 2009 e 2012), com sorte eventual punição seria purgada… pela próxima geração.

Decisão em castelhano para inglês ver.

2 comentários em “Após final sul-americana inacabada, Conmebol poupa Tigre, mas apresenta mudanças e inaugura tribunal disciplinar

  1. Será que agora a Taça Libertadores da América e Copa Sul-americana serão levadas a sério? Porque há gente que dizia que tais campeonatos eram como jogar na várzea… e episódios como a final da Libertadores de 2011 (Santos x Peñarol) e a mais recente final da Sul-americana davam certa razão a essas pessoas!

  2. Realmente a criação de um tribunal / comissão disciplinar pela Confederação realmente e louvável. Mas uma questão jurídica a ser avaliada e a possibilidade deste tribunal julgar fatos pretéritos a sua criação, como o incidente da final da Sulamericana. Um tribunal que julga fatos pretéritos tem um caráter de tribunal de exceção, o que contraria a democracia. A meu ver as decisões do novo órgão so poderão avaliar fatos ex nunc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>