Brasileirão estranho para gente esquisita

Com traços de dramaticidade até o último minuto, o Brasileirão 2011 deixou a desejar. Mais disciplinado tático e tecnicamente – o Corinthians está próximo do pentacampeonato. Por outro lado, o clássico contra o Palmeiras é sempre um jogo sem favoritos. Tudo pode acontecer. O mesmo ocorre com o Vasco diante do Flamengo. O momento atual da tabela inspira algumas reflexões:

1. Galo afundará a Raposa? O futuro do Cruzeiro na 1a divisão do futebol brasileiro está nas mãos do Atlético Mineiro. O Galo – quando foi rebaixado – sofreu com as gozações dos cruzeirenses. Justo no momento em que a família Perrella (Alvimar ou Zezé) não está no comando, o time da Toca pode cair para as profundezas da segundona. Alguém acha que o Atlético não jogará sua vida neste jogo?

2. Leão afundou o tricolor! Como diria o Galvão Bueno: “eu já sabia”. Muita gente atacou este colunista quando Emerson Leão foi anunciado como novo treinador do São Paulo. Longe da Libertadores e já fora do título – Leão teve pífios 11,5% de aproveitamento à frente do time. O treinador não deve ter o contrato renovado para 2012. Juvenal Juvencio dá mostras de perder poder no comando do clube. O São Paulo necessita – evidentemente – de renovação. A dupla Leão e JJ depõe contra tudo e todos que desejam a modernidade de gestão e administração esportiva.

3. E o que dizer do Botafogo carioca? Em vez de valorizar o trabalho da psicóloga do esporte Maíra Ruas que atua no clube há muitos anos – o clube trouxe Caio Junior que, por sua vez, apostou no trabalho do treinador de alta performance (ou animador cultural, ou motivador) : o engenheiro Evandro Motta. O que terá acontecido com o clube que sofreu derrotas sucessivas e praticamente se despediu da Libertadores? De novo a psicologia esportiva foi banalizada. Se os Conselhos de Psicologia fizeram algo? Nada. Rigorosamente nada.

4. O Atlético Paranaense colocou um pé e meio na segundona. Vai precisar vencer o embaladíssimo Coritiba na próxima rodada. Coxa que luta por uma vaga na Libertadores. Imaginem como será o clássico no Paraná? Parabéns a Flavia Justus – psicóloga esportiva do Coritiba e que realiza um trabalho fantástico há muitos anos! E pensar que Renato Gaúcho afastou o psicólogo do Furacão dizendo que “ele mesmo seria o psicólogo do grupo”. Exercício ilegal da profissão. Ahn? os Conselhos de Psicologia? Sim, foram avisados disso, mas não fizeram absolutamente nada. Terra de ninguém tem muita gente perto da administração política-administrativa da profissão.

5. O vídeo de Ronaldinho Gaucho se masturbando foi o hit de maior sucesso na internet. Na semana do anuncio que R10 não receberia seus milhões até o final do ano – o astro flamenguista resolveu relaxar na internet e deve cair no Top5 do CQC. A não ser que a imprensa censure. Impagável!

6. E o Gremio? Aposta em Kléber que já chegou atacando a imprensa no Rio Grande do Sul. Depois de entrar em litígio com o Cruzeiro, São Paulo (que o trouxe para o futebol e lhe ofereceu uma vida mais digna) e duas vezes no Palmeiras – Kléber chegou a peso de ouro no Grêmio. Sem um trabalho psicológico na equipe profissional e com status de astro de hollywood, o time gaúcho corre um risco imenso de ser palco de uma nova encrenca do atacante. Já tem gente até apostando em quanto tempo vai durar o casório.

7. Gostaria de abertamente parabenizar o treinador Hélio dos Anjos por ter mantido o Atlético goianiense na 1a divisão e realizado um campeonato com dignidade e excelentes resultados.

A arbitragem do nosso futebol precisa – urgentemente – se valorizar. Incrível como os erros tem aumentado. Bandeirinhas gordos (como aqueles da várzea), juízes descontrolados emocionalmente e cometendo um erro atrás do outro. Todos eles tem outra profissão e a arbitragem é – quase sempre – a segunda opção! A responsabilidade de muitos resultados está nas mãos destes senhores. Não me parece assim tão difícil que a profissionalização da arbitragem seja realizada no Brasil. Será que tem gente contra?

O fato é que nesta semana leremos notícias sobre vários “psicólogos-treinadores” que terão de controlar o emocional de seus atletas. Certamente nenhuma notícia vinculando a escalação tática e técnica dos times realizada por psicólogos. Ufa, ainda bem!

A Psicologia de tudo e de todos!

Reta final do Brasileirão e algumas considerações necessárias:

1. Caio Jr. chegou no Botafogo a peso de ouro. Levou consigo o consultor de performance Evandro Mota ( o mesmo que estava com a Seleção em 98 quando o Ronaldo Fenômeno teve a convulsão antes da final contra a França e nenhum psicólogo acompanhou a equipe). Quando começou a despencar na tabela, Caio Jr apareceu em público com a psicóloga do esporte Maíra Ruas. Não é estranho – apesar de comum – a psicóloga do clube aparecer no final do torneio, num momento de extrema dificuldade em que o emprego do treinador estava em risco absoluto – uma vez que ela trabalha no clube há tantos anos? E por onde anda o engenheiro que desapareceu quando o calo apertou no alvinegro carioca? É aquela coisa de sempre: começo de leão – saída de cão!

2. Luxemburgo chegou no Flamengo com pose de campeão. Mandou demitir vários funcionários do clube. Entre eles, o brilhante psicólogo do esporte Paulo Ribeiro que há 22 anos prestava trabalhos importantíssimos ao time. Preferiu optar pelo trabalho do Pai Robério de Ogun que – ao ser indagado 8 semanas atrás sobre qual time seria o campeão- o Pai de Santo respondeu com total e completa convicção: “Flamengo”! . Muito bem, o Flamengo – além de não ter mais chances matemáticas de título – agora briga por uma vaga na Libertadores – embora com poucas chances. A entidade demitiu um psicólogo do esporte e o treinador atua com um Pai de Santo. E agora? o Pai de Santo vai ser demitido? Já até vejo as manchetes dos jornais:  “Diário de Ogun”: Pai Robério é demitido por Justa Causa. Diário de Iemanjá “Punido, pai Robério será julgado pelo STJA (Superior tribunal da justiça do ALEM).

3. Já perdi a conta de quantos treinadores viraram “psicólogos” durante o torneio. Renato Gaúcho pediu o afastamento do psicólogo do esporte Gilberto Gaertner do Atlético Paranaense. Renato afirmou que “ele seria o psicólogo do time”. Amigo, isso é exercício ilegal da profissão.  Renato saiu de fininho e deixou a bomba pro Antonio Lopes segurar. Hoje ouvi de um comentarista na televisão dizendo que o trabalho do treinador Jorginho, do Figueirense, durante a semana que se inicia será muito mais psicológico que técnico ou tático.

A palavra “Psicologia” virou senso comum – arroz de festa – presunto de mixto quente. Está na boca do povo e dos sapos por aí. Viva as patas dos macacos enterrados pelos campos de treinamento. Viva o reforçamento da melancolia e atração pela derrota de tantos grandes clubes deste país. A ignorância tem sido a principal estrela no escudo mental destes dirigentes!

Muito triste!

Sálvio Spinola abandona a arbitragem!

E assim começa o final de semana! Soube hoje pelo blog do amigo e ex-árbitro Rafael Porcari que o Salvio Spinola abandonou a arbitragem. Vale uma reflexão e, acima de tudo, APURAÇÃO sobre os fatores que levaram Salvio a tomar esta decisão! Tive a oportunidade de conhecer e trabalhar com o Salvio na Comissão Paulista de Arbitragem entre 2004 e 2005 quando realizei o trabalho psicológico a convite do chefe da Comissão na época. Salvio é um sujeito íntegro, esforçado, estudioso e extremamente correto. Não esperava outra decisão dele que não fosse a de se afastar de tanta sujeira! Acompanhem…

Fiquei surpreso, assim como a maciça maioria dos árbitros de futebol.

Com exclusividade, o jornalista Wanderley Nogueira noticiou: “Sálvio Spinola renuncia” (link do blog do Wanderley Nogueira, com a informação completa, abaixo).

Mas o que isso representa?

Muita coisa. Muita mesmo!

Primeiro: Sálvio, segundo o jornalista, estava preocupado em perder o seu escudo FIFA, pois a CBF queria repassá-lo a algum árbitro apadrinhado politicamente.

Tal fato impressiona. Sálvio é hoje o árbitro brasileiro mais atuante e respeitado internacionalmente, tendo apitado a final da Copa América. Certamente, se o Santos estivesse fora da Libertadores, também seria o árbitro da final da competição sulmericana. E quem herdaria o escudo? Ora, vide as escalas do Campeonato Brasileiro: há aspirantes da FIFA com péssimas atuações que não saem das escalas. Francisco Carlos Nascimento é um deles. E aqui não é informação, mas levantamento de hipóteses: seria “Chicão” o destinatário desse distintivo? Ou tem algo a ver com uma ‘suposta troca de escudos’ ou luta pela manutenção, alardeada por sites de arbitragem, jornais e demais noticiários entre a vaga de Gutemberg de Paula e Péricles Bassols?

(segue matérias dos sites Voz do Apito – http://is.gd/uCjigA e do Apitonacional – http://is.gd/yFCluV, sobre Gutemberg, FERJ, CBF e FIFA )

Sem reprovação de árbitros em teste físico, dificilmente uma das 10 vagas da FIFA ao Brasil seria disponibilizada a outro oficial fora do quadro atual.

A CBF tiraria uma vaga paulista e a remeteria para Alagoas?

Sálvio teria ainda 2 anos de arbitragem, e como ex-FIFA, ganharia a condição de “especial”. A desculpa da Comissão de Árbitros seria a de que, como ele não poderia ir à Copa do Mundo, daria o escudo dele a alguém mais jovem, para treinar o novo árbitro com mais tempo?

Segundo: Na matéria, Sálvio não aceitou “pedidos e sugestões” da Comissão de Arbitragem.

Uau. Combina com o caráter do Sálvio demonstrar e praticar a honestidade. Mas há algo gravíssimo: quais os pedidos e sugestões? O que seria isso? A outros árbitros isso também ocorreu e/ou ocorre? Será que ninguém aceitou?

Fora as informações com a credibilidade de Wanderley Nogueira, o resto é especulação. Penso que Sálvio deveria vir urgentemente a público se manifestar, pois, afinal, a bola ficou pingando:

-Há pedidos de fabricação de resultados?

-O campeonato perdeu a lisura?

-O que realmente está acontecendo?

Se acontecer algum erro crasso que possa influenciar ou beneficiar equipes, a primeira coisa que se lembrará é: Sálvio deixou no ar que algo estava acontecendo... – Por isso a importância da manifestação, que, particularmente, creio que ocorrerá no momento adequado!

Em tempo: parabenizo a decisão do Sálvio. Nada mais do que a corajosa ação se podia esperar de alguém como ele. E, como disse em sms ao próprio, espero que possa se adaptar rapidamente à nova rotina, coisa que, segundo ele me respondeu, já estava preparado.

Boa sorte ao íntegro homem e cidadão Sálvio Spínola.

Abaixo, extraído de: http://wanderleynogueira.blog.terra.com.br/2011/11/18/

ÁRBITRO SÁLVIO SPÍNOLA RENUNCIA

Depois de 917 jogos, 20 anos de carreira e os 8 últimos anos com o distintivo da Fifa, o árbitro Sálvio Spínola Fagundes Filho renunciou à arbitragem. Uma decisão surpreendente e preocupante.

Logo após o último jogo entre Colômbia e Argentina, vencido pelos argentinos, Sálvio pediu que os árbitros assistentes fizessem um brinde com ele. Os auxiliares pensaram que o árbitro estava comemorando a boa atuação.  Não era. Com o rosto entristecido informou naquele momento quase solitário que estava encerrando a carreira.

Sálvio informou à Conmebol da sua irrevogável decisão.  A CBF e os chefes da arbitragem brasileira já sabiam que o experiente árbitro “faria alguma coisa”. Ele já estava fora das últimas escalas.

Dentro de alguns dias, Sálvio Spínola promete esclarecer os reais motivos da sua decisão. Mas, já é possível garantir que são vários os componentes. Um deles: a intenção da CBF em tirar o “seu” escudo Fifa para atender o pedido de um influente político a favor de um apadrinhado.  Sálvio ainda poderia apitar os dois próximos anos.

Outro fator que serviu de gatilho para a renuncia foi não aceitar, digamos, pedidos e sugestões da comissão de arbitragem. Algo que ele repudia.

Agora, só resta ficar de olho nesse “jogo.”

Não deu certo… mesmo!

Pois é amigos! Quando falei aqui algumas semanas atrás que o Leão seria um engodo no São Paulo Futebol Clube, muita gente rugiu e ficou brava comigo. Outros juravam que o técnico seria a salvação da lavoura no tricolor!

Eu também errei – pois imaginei que algum resultado a curto prazo ele teria à frente do time. Ledo engano!  Meu e de toda a diretoria do clube! O treinador caiu na Sulamericana e teve pouco mais de 9% de aproveitamento no comando neste Brasileirão.

Leão está desatualizado – seu estilo de comando caducou há muito tempo. Só mesmo o Juvenal Juvêncio para apostar num treinador que tantos estragos fez nos últimos anos. Por onde passou, deixou inimizades, brigas internas e cofres vazios.

Agora falo de posse dos resultados e não por especulação – como muitos afirmaram!

O rugido virou miado. E não é de hoje! Está na hora do Leão se dedicar às suas fazendas e deixar o futebol em paz. Livre de suas manias e de seu comportamento antiquado e indesejável. O resto, todo mundo já sabe.

Em tempo: triste despedida de carreira para Rogério Ceni que tanto desejou o São Paulo na Libertadores em 2012 e para São Marcos – que abandonará o futebol deixando o Palmeiras na pior crise de sua história. Assim é o futebol. Assim pode ser a vida…

Leiloa-se uma taça!

Domingo, 20:55 horas recebo um torpedo com a seguinte mensagem de um amigo: “Cara, que tesão de campeonato ruim!”. E não tenho como discordar – este é o Brasileirão mais surreal de todos os tempos!

Vou tentar enumerar alguns absurdos que estão ocorrendo.

1. Sábio, Mancini assim se defendeu da derrota de 5 a 1 para o Flamengo no Engenhão:  “Aquela força interior do jogador tem que sobressair. Um jogo como esse do Flamengo, que você podia estar ganhando por 2, 3 a 0, acaba tomando de cinco. Temos que ter a doação, e nós vamos lutar até o fim. Temos que resgatar a auto-estima do atleta para que domingo, contra o Inter, a gente possa vencer”, comentou. Seguinte Mancini, se você dá seus pitacos psicológicos, vou começar a treinar equipes de futebol também. Qual catástrofe será a maior? Páreo duro!

2. Muita gente ficou brava com meu post sobre o Leão aqui na Gazeta Esportiva. Peço desculpas a todos! até porque, errei feio e tenho de amitir. Comentei, naquela publicação, que o São Paulo fez a maior burrada dos últimos tempos ao contratar o treinador. No entanto, garanti que os resultados, ao menos no início, viriam de forma positiva (naquele jeito autoritário do Leão). Vieram, sim, só que tudo negativo: derrotas vergonhosas, desclassificação da sulamericana – empurrões e discussões com jogadores. Quando critiquei a chegada do Leão – muitos pensaram que foi por uma “dívida pessoal” por conta do técnico ter desligado o meu trabalho no Palmeiras em 2005. Espero que minhas explicações, agora, sejam mais bem compreendidas!

3. Líder perder para o lanterna – e isso não é filme de terror. O caso do Corinthians me parece muito mais um péssimo planejamento do treinamento físico, somado a algumas infelicidades táticas do treinador Tite. Até porque, não tem nenhum time neste Brasileirão arrancando suspiros das torcidas. Com o Corinthians não é diferente! E o Adriano continua com dificuldades em perder peso. Por que será?

4. Falar o que do Palmeiras? O time que contrata uma psicóloga que só aplica testes e não vive o dia a dia do clube – um clube que vive numa crise política, financeira, burocrática e administrativa há quase dez anos não poderia almejar nada diferente do que derrotas sucessivas e apresentações abaixo das críticas. Volto a dizer: sinto pelo Marcão que merecia fechar sua carreira num astral e momento melhor do clube que ele tanto ama e defende. No mais, é implodir e começar tudo de novo. Do início – se me entendem…

5. O Santos quando está inspirado e completo joga um futebol muito bonito. Abriu mão do Brasileirão – mas de vez em quando apronta das suas. O Vasco pagou o pato na Vila. Com o Barcelona, o buraco será mais embaixo. Vai ser a partida do ano (talvez da década) caso nenhum time africano ou asiático resolva estragar a festa do futebol.

Por fim, gostaria de dizer que – se nenhum time quiser a taça -  aceito com todo prazer. Este final de semana vai ter um campeonato de playstation na minha casa e a taça do Brasileirão será muito bem vinda na disputa do Winning Eleven! Façam as suas apostas!

Abração!