Caio Jr e a errada barcelonização nos clubes

Seven Heaven - Castle Journal - USA

Caio Jr foi demitido do Grêmio e – mais um vez – teve abortado o sonho de “barcelonizar” um clube que dirige. Fico impressionado em constatar como o povo brasileiro, muitas vezes, opta pelo imediatismo em detrimento ao trabalho de base, construção de equipe, formação de treinadores e modernização na política e administração dos clubes. Com um jogo perigoso de palavras, constróem castelos que caem sobre suas cabeças em pouquíssimo tempo.

Caio Jr é um sujeito bem intencionado e tem boas idéias. No entanto, precisa rever seus conceitos. O técnico costuma atuar com motivadores que não são formados em Psicologia e que acabam depondo contra a seriedade do seu próprio trabalho. Aliás, a Psicologia do Esporte perde ainda mais espaço cada vez que técnicos optam pelo trabalho destes “fazedores de milagres” que nada conhecem o trabalho científico desta fundamental área do treinamento esportivo.

Por falar em “fazedores de milagre”, o Grêmio conversa com Luxemburgo para levá-lo o comando do time. Luxa – que contrata os serviços do Pai Robério de Ogun (o mesmo que garantiu o Flamengo campeão em 2011) – deve ser a novidade no Grêmio para a temporada deste ano.

Se alguém, aqui, me apontar Pais de Santo, engenheiros motivadores, animadores culturais, baixíssima ou inexistente construção de atletas na base e esta esbórnia política/administrativa no Barcelona, prometo me retratar publicamente. Do contrário, senhores treinadores, evitem falar na “barcelonização” – pois isso pode pegar muito mal nos clubes que forem comandar. O torcedor brasileiro é, sim, o mais fanático do planeta – mas nem por isso é o mais alienado!

O castelo (montado por pecinhas da Lego) foi mal colado e  quebrou, mas a lição, pelo visto, ainda não foi bem compreendida!

Psicologia do Esporte e seu novo canal na mídia

Prezados,

Gostaria de convidar a todos os amigos e leitores da Gazeta Esportiva a conhecer o novo espaço da Psicologia do Esporte inaugurado no Youtube e por mim administrado. Espaço em que abordo- via audio e video -  temas importantes do esporte e sua relação com esta nova ciência do treinamento:

http://www.youtube.com/user/jrcozac1

Será um prazer contar com sua visita e comentários!

Abraços e obrigado, Joao Cozac.

São Paulo é – hoje – um time desequilibrado

A derrota no clássico diante do Corinthians foi emblemática diante dos problemas políticos, administrativos, técnicos e institucionais que a equipe do São Paulo vive atualmente. Ao longo da transmissão da partida em que perdeu a invencibilidade comentou-se diversas vezes  que o time sofre pelo desequilíbrio emocional. Aquele discurso já conhecido e que, infelizmente, nada é feito para atender estas demandas. Afinal, reconhecer que o time necessita de um trabalho psicológico parece demérito aos olhos dos dirigentes tricolores.

O Corinthians, por sua vez, mostrou maturidade e bom futebol – embora tenha atuado sem titulares importantes que foram poupados para a estréia do time na Libertadores. A equipe dirigida pelo treinador Tite combinou tranquilidade, boa marcação e objetividade. Já o time comandado por Émerson Leão demonstrou fragilidades psicológicas e emocionais. Não apenas por conta da expulsão de João Filipe nem da perda da penalidade por Jadson, mas sobretudo, por um flagrante comportamento ansioso e com baixíssima capacidade de concentração.

A ativação interna e emocional de um grupo passa, necessariamente, pela forma de condução de seu treinador. No caso do São Paulo, Leão não tem (e nunca teve) um formato comportamental adequado nos grupos que trabalhou. Visivelmente nervoso à beira do gramado e gritando com o quarto árbitro, o que menos Leão consegue fazer é tranquilizar o elenco. Tite, consegue passar uma tranquilidade ao elenco. Por mais críticas que possa receber na forma tática de atuar, o técnico do Corinthians tem muito mais carisma e bom senso no relacionamento com seus atletas. E isso pode ser observado dentro de campo!

O Corinthians vive a expectativa da estréia de um torneio que toda sua torcida almeja conquistar. O São Paulo ainda tenta encontrar o time ideal para 2012. A meu ver, iniciou errado pela opção do treinador. O campeonato paulista pode ser um termômetro interessante para o que virá pela frente. Tanto a Libertadores para o Corinthians, como a Copa do Brasil e Brasileirão para o São Paulo.

O tempo dirá? Ele já está dizendo…

Em tempo: meus parabéns ao árbitro Raphael Claus! Fantástico na parte técnica e impecável no campo disciplinar.

Qual é a sua versão preferida?

Versão 1
Santos e Palmeiras viajaram juntos para Presidente Prudente antes do clássico realizado no último domingo. No meio do vôo os jogadores se estranharam. Houve princípio de pânico no avião e os alertas de emergência foram acionados.
As comissões técnicas tentaram apaziguar o desentendimento entre os atletas e acabaram se envolvendo numa pancadaria que colocou em risco a segurança de todos os presentes.
Nem os pedidos frenéticos de calma do piloto foram capazes de tranqüilizar o ambiente. Após longos 40 minutos de discussão, finalmente os comissários de bordo conseguiram apartar focos da briga e terminar a viagem com a guerra aérea sob controle.
Na chegada dos times, quatro viaturas aguardavam o desembarque dos atletas. Cinco deles foram para a delegacia local e fizeram um boletim de ocorrência.
Versão 2
Santos e Palmeiras viajaram juntos para Presidente Prudente antes do clássico realizado no último domingo. Os jogadores estiveram juntos no avião em um clima ameno e de muita descontração.
Neymar foi conversar com Felipão e ali ficaram bons minutos trocando idéias. Marcos Assunção viajou ao lado dos colegas que trabalham no Santos. Em especial, do amigo Elano. Risadas e pagode foram escutados durante toda a viagem.
Os atletas aproveitaram o momento para colocar o papo em dia. Falaram de Seleção Brasileira, de Libertadores, dos novos momentos da aposentadoria do ex-goleiro Marcos – do Palmeiras – além do temor em relação ao calor que enfrentariam em Presidente Prudente.
Muricy deu um abraço em Felipão e os dois brincaram com Neymar – o aniversariante do final de semana. O avião pousou em Presidente Prudente e as equipes seguiram para o hotel no melhor clima de amizade e harmonia.
Reflexão necessária:
Se as equipes de dois times rivais conseguem interagir de maneira tão positiva dentro de um avião – por que torcedores do mundo inteiro brigam dentro e fora de estádios que tem muito mais espaço? Que estranha doença é esta que estimulou a avidez do ser humano pelas tragédias, se não, as próprias tragédias em si?

Papai Joel chegou!

Calma meninos do Flamengo! O Papai Joel chegou com sua prancheta para as aulas animadas e aquela resenha esperta que todo mundo adora, certo?

Kid Madureira perdeu o braço de ferro com a direção do clube, empresários e atletas. Ficou sozinho no meio do oceano e acabou demitido pela presidente Patricia Amorim.

Aliás, em um  mandato mais que catastrófico, é óbvio e evidente que Patrícia Amorim, não é de hoje, já perdeu as rédeas da Instituição. Machismos à parte, o pessoal do clube passa por cima dela sem a menor cerimônia. Patrícia apenas ocupa a cadeira burocrática do clube. As decisões efetivas e importantes passam longe de seu escritório.

Um bando de meninos rebeldes, sem trabalho psicológico (desde que Luxa pediu para desligar o brilhante psicólogo do esporte Paulo Ribeiro da Comissão Técnica da categoria profissional) – com atrasos no pagamento dos salários e bichos, Papai Joel chega como uma espécie de apaziguador de uma situação que, a olhos vistos, passou dos limites da gravidade.

Ronaldinho Gaúcho está com a moral alta no clube que preferiu acertar as pendências financeiras com o jogador antes que problemas maiores pudessem ser gerados. Joel vai ter um papo espertíssimo com Ronaldinho. Vai aconselhar o garoto a satisfazer seus desejos sexuais em ambientes mais apropriados que em frente a um computador ligado na internet com webcam – certamente pedirá seu apoio para conquistar o grupo e naquele bate-papo simpático de boleiro, deve, aos poucos, colocar ordem no ninho do urubu.

Enquanto isso, Caio Jr corre da sombra de Luxa! E olha que o Kid Madureira não é lá muito chegado a palestras de engenharias de motivação! Ele já caiu neste conto e viu que é tudo papo furado!

E o futebol brasileiro ainda vive a mesmice da frenética repetição destes comandantes que já nos fizeram rir com suas idéias e comportamentos singulares!

Good sorte Joel! You will precisar de a lot of sorte!