Palmeiras na segundona!

10 anos e 31 horas depois do rebaixamento, o Palmeiras caiu novamente para a segunda divisão e 2013 promete ser um ano complicadíssimo para o alviverde paulista.

Primeiro por conta da Libertadores – que é sempre um torneio difícil e que exige bastante dos clubes. Depois, claro, pela briga para retornar à elite do futebol nacional. Este desastre protagonizado pelo time é apenas o mais puro reflexo de uma administração ultrapassada, irresponsável e pouco capacitada dos cartolas.

A falta de planejamento ao longo dos últimos anos foi impressionante. O time chegou a viajar com apenas 4 jogadores para compor o banco de reservas. Com isso, até o assessor de imprensa do clube precisou compor o elenco nos treinamentos.

Felipão e vários outros treinadores tiveram parcela de culpa neste desastre. A Psicologia, no clube, sempre banalizada. O próprio Felipão permitia o acesso de uma psicóloga apenas para aplicar testes de perfil e nada mais. Tudo foi feito com muito amadorismo e irresponsabilidade.

O marketing do clube sempre muito fraco. A ação publicitária da chegada do Wesley foi um verdadeiro tiro no pé. O jogador pouco participou dos campeonatos após se lesionar gravemente no primeiro semestre.

Recordo quando o Corinthians estava para cair – eu sempre dizia (mesmo que os amigos corintianos não aceitassem): “ gente, é prudente e melhor que o time caia. Vai subir com mais força e estruturado”. Dito e feito – o Corinthians – após o retorno para a divisão principal ganhou praticamente tudo o que disputou. Inclusive a tão sonhada Libertadores.

No caso do Palmeiras, não me arrisco a dar o mesmo palpite. Até porque, não vejo uma luz no fim do túnel escuro da equipe paulista. Não há estádio, time, presidente nem diretoria. Muito difícil a vida do Palmeiras daqui para frente. A segunda divisão – a cada ano – está cada vez mais forte. Se nada for feito para mudar a visão e administração do departamento de futebol, o Palmeiras tende a ficar mais de um ano longe da elite dos clubes brasileiros.

Um trabalho psicológico esportivo – sério e científico (nada de palestras isoladas ou mapeamentos de perfis psicológicos) , me parece absolutamente necessário para o próximo ano. Enquanto os aspectos mentais e psicológicos estiverem num plano secundário – tudo ficará ainda mais sinuoso nesta estrada cercada por obstáculos que são ampliados, sem dúvida, pela pouca capacidade dos mandatários alviverdes.

De nada adianta agora a torcida ameaçar dirigentes, diretores e atletas – pichar muros e reagir com violência. Do mesmo modo, os cartolas do clube não resolverão nada brigando e dando cadeiradas uns nos outros.

A casa caiu. E a reconstrução exige liderança e critério dentro e fora de campo.

Alguém se habilita?

Ps. e o jogo de despedida do Marcão? que triste!

12 comentários em “Palmeiras na segundona!

    • Mike – favor reler o trecho do blog em que digo: ” Dito e feito – o Corinthians – após o retorno para a divisão principal ganhou PRATICAMENTE tudo o que conquistou. Inclusive a tão sonhada Libertadores. “

  1. Cozac, bom dia. Não sou palmeirense, mas minha esposa é (embora não esteja realmente nem aí para futebol…é apenas uma diversão a mais, comportamento que acho supersaudável), de maneira que não me sinto incomodado -ou incomodando- por comentar a respeito da queda do Verdão.

    Infelizmente, embora conte com a 4a maior torcida do país -à frente de Santos, Inter, Cruzeiro, Grêmio etc.-, o Palmeiras ainda é administrado como time de colônia (italiana). E já sabemos onde estão os times de “colônia”, pelo menos os que aspiravam a ser grandes. Então, me parece que o primeiro problema do Palmeiras é cultural, antes de ser estrutural. Pessoas que vêm o time como um feudo o administram, sem prestar atenção no potencial do clube, face a sua gigantesca torcida. Por isso, só buscam o passado: trouxeram de volta Felipão. Kleber, Valdivia, Obina, Correa etc., na esperança de que o passado de glórias pudesse voltar por meio dessas pessoas. Só que isso só funciona quando a bússola está direcionada para o futuro, o que não é o caso.

    A única chance do Palmeiras seria -usando uma palavrinha da moda- se reinventar, talvez um pouco à maneira do que o Corinthians fez quando caiu: contratando um diretor técnico competente (como foi o ótimo Antonio Carlos, que contratou jogadores bons e a bom preço), estabelecendo parcerias e colocando na diretoria gente que tenha pulso e visão, como Andrés Sanchez. Belluzzo, a meu ver, é o primeiro grande responsável por ser um dirigente medíocre e vaidoso, que quebrou o Palmeiras; depois veio Tirone, pusilânime e sem visão. Ao mesmo tempo, a nova diretoria deve defenestrar a tal “turma do amendoim” e saber lidar com a torcida. Vândalos e marginais devem ter o lugar que merecem: cadeia. Com foco, planejamento e metas, o Palmeiras conseguirá voltar à Série A e até mesmo fazer um bom papel na Libertadores. Mas com essa medíocre diretoria e essa rede de intrigas interna, permanecerá na Série B por muito tempo.

    O que escrevi é o óbvio. Mas você, como psicológo, sabe muito bem que na maior parte das vezes pessoas em crise não enxergam a situação em que estão e nem as saídas (óbvias) para a mesma.

    Grande abraço!

  2. Concordo com o que descreveu: o primeiro {e mais arraigado} problema do Palmeiras é cultural, antes de ser estrutural. Esses dez anos evidenciaram como nunca – mais até que a época da fila de 16 anos – a necessidade do Palmeiras se profissionalizar e se reinventar. Isso, claro, de maneira consistente e sustentável. Desanimador constatar que será muito difícil – por um tempo, ainda – esse choque de gestão. Sempre gosto de mencionar que para se ver como o Palmeiras um dia foi grande, mesmo após anos e anos de estiagem, a instituição perdura como uma das mais vencedoras do futebol brasileiro. Imagine se nesses anos todos, tivesse mantido uma regularidade vencedora… Ao que parece, diante de tanta gordura saudável acumulada no passado, os dirigentes concluíram que ser campeão (muito) de vez em quando manteria o clube no panteão dos grandes vencedores, canalizando tudo o mais para bens patrimoniais. Aí residiu mais um dos grandes erros…

  3. para mim o principal culpado pelo rebaixamento do palmeiras chama-se luiz felipe o tenico tinha que pedir para sair bem antes a e sem comtar com a diretoria vergonhosa que mostrou que não intende nada de futibol sou botafoguense mais não queria que o palmeiras caise não estou defendendo o framengo mais todo mundo viu que o framengo não queria ganhar o jogo pois o palmeiras mostrou a incompetencia de seus jogadores peço para o batafogo nunca nem pesar em felipe pois esse nome dar asar.

  4. João Cozac, meu caro…a despedida do Marcão, TRISTE, POR QUE?????
    Não foi bonita a festa no Pacaembu??? O Marcão não foi merecedor dessa festa???? Explique…

    • Foi sim , amigo, apenas achei triste porque o jogo dele de despedida foi no ano da queda do time pra segundona. So isso.
      A festa, em si, foi antológica e bela!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>