À espera de Guardiola

AFP

AFP

Bristol (EUA) – Não é segredo que o técnico que Roman Abramovich realmente deseja no Chelsea é o catalão Pep Guardiola, no momento morando em Nova York numa licença de um ano que ele mesmo se concedeu. Abramovich, um proprietário que demite técnicos com espantosa facilidade e já teve nove em seus menos de 12 anos no Chelsea (inclusive o nosso Felipão), quer Guardiola para realizar no clube o que ele chama um “trabalho de longo prazo”.

O problema é que Abramovich e “trabalho de longo prazo” parecem ser elementos antagônicos. O técnico que durou  mais tempo no Chelsea foi o primeiro, Cláudio Ranieri, seguido por José Mourinho.  Mas mesmo apesar de dar ao Chelsea o bicampeonato na Premier League e o título da FA Cup,  Mourinho caiu em desgraça, por não conseguir o troféu da Champions League.

Ora, Roberto Di Matteo realizou o sonho de Abramovich, mas todos sabiam que o russo queria mesmo outro técnico. E este técnico era Guardiola. Como Guardiola anunciou que ia passar um ano fora de futebol, Abramovich prorrogou o contrato de Di Matteo, na esperança de levar as coisas até meados de 2013 e então contratar o catalão.

Os maus resultados acabaram precipitando a saída de Di Matteo. Mas vamos lembrar: qualquer coisa com Abramovich é motivo para demitir um treinador. Roberto Di Matteo teve azar, por exemplo, ao ver o Chelsea derrotado pelo Manchester United na Premier League, com um gol em impedimento, mas aquele parece ter sido um momento decisivo, pois fez a equipe perder a confiança e outros resultados, ainda piores, se seguiram. Que me lembre, citando de cabeça, o Chelsea não ganha há quatro jogos na Premier League a agora é humilhado pelo Juventus por 3 a 0, na Champions League.

Abramovich deve estar mandando recados a Guardiola. Rafael Benitez foi contratado apenas até o fim da atual temporada, aparentemente com a missão de levar Fernando Torres, que ele conhece bem, a reencontrar seu futebol. Ao mesmo tempo, Abramovich procura atrair de novo Didier Drogba, que se encontra na China. Assim não há técnico que consiga fazer Fernando Torres recuperar sua confiança.

O sonho de Abramovich é contratar Guardiola, em junho de 2013. O catalão (vá lá, espanhol)  tem mais de seis meses pela frente para pensar. Mas toda a vez que ele abre um jornal e vê Abramovich demitindo treinadores, deve refletir que treinar o Chelsea é tarefa mais dura do que a de Sísifo, aquele condenado a empurrar uma imensa rocha morro acima, rocha que deslizava de novo até o pé da montanha assim que o topo era atingido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>