O futuro do triathlon

Bristol (EUA) – Neste último domingo, dia 2 de dezembro, Bruno do Val conquistou o título de campeão brasileiro de Sprint Triathlon, na faixa de 30 a 34 anos. No ano passado, ele havia sido campeão na faixa de 25 a 29.

(Mais uma vez, acaba de sumir  todo um parágrafo do que eu havia escrito e não há o recurso do “undo” para recuperar. Será que algum leitor de meu “blog” conheceria uma solução para o problema?).

Vamos em frente. Ao saudar a vitória do Bruno, quero também registrar minha alegria ao constatar que agora há diversas Federações e empresas no Brasil organizando competições Sprint, com 750 metros de natação, 20 quilômetros de ciclismo e cinco quilômetros de corrida. Acho também  que as Federações deveriam adotar oficialmento o nome de “sprint” e não de “short”,  como algumas ainda fazem no Brasil.

O nome “short” (curto) é pejorativo, dando a impressão de que se trata de uma prova fácil, o que não é o caso. Na verdade, é uma prova que pune os erros com mais severidade do que ocorre nas distâncias longas, onde você tem tempo para se recuperar de algum erro cometido em uma das etapas ou durante a transição entre elas. É melhor todo mundo no Brasil adotar o termo “sprint”, que dá a ideia, mais apropriada, de uma competição veloz – e dif’icil.

As competições “sprint” são uma excelente fase inicial, um degrau para provas mais longas, como as de Ironman. Por isto, fazem parte agora do circuito mundial da ITU (International Triathlon Union), a Federação Internacional de Triathlon.

Como a ITU é também responsável pela organização do triathlon durante os Jogos Olímpicos,  é bem possível que no futuro venhamos a ter dois eventos de  triathlon na Olimpíada: o Sprint e o Olímpico, que tem exatamente o dobro das distâncias do Sprint.

Será  um progresso  natural, da mesma forma que há diversas distâncias em atletismo. O triathlon tem tido um fenomenal desenvolvimento no mundo, embora no Brasil o ritmo não tenha sido tão acelerado.

2 comentários em “O futuro do triathlon

  1. Excelente observacao Werneck. Nao sei se o pessoal da Federacao de Triathlon do RJ ja teve conhecimento de sua analise. Na duvida, vou encaminha-la a eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>