Questão de percentagem

Bristol (EUA) – Confesso que não tenho condições de responder à pergunta do leitor Serge, em comentário no “post” abaixo. Ele quer saber se os títulos no ciclismo do célebre belga Eddy Merckx não teriam sido também conspurcados pelo uso de doping.

O que é certo, caro Serge, é que há muito tempo o ciclismo se  transformou numa espécie de pária entre os esportes, pois os casos de doping foram se tornando escandalosos, apesar de todas as tentativas de esconder os fatos.

É por isto que agora se torna muito importante a notícia de que Lance Armstrong estaria disposto a confessar publicamente que se dopou e a colaborar com a USADA, a Agência Anti-Doping dos Estados Unidos, e a WADA, a Agência Anti-Doping Mundial. As duas agências teriam muito a ganhar com as informações “de cocheira” que Lance Armstrong seria capaz de lhes fornecer.

O raciocínio é óbvio. Quem  poderia dar mais informações sobre a Máfia nos Estados Unidos do que Al Capone? Lance Armstrong conhece tudo o que se pode querer conhecer sobre administração de doping a ciclistas e poderia fornecer informações que condenariam não só médicos, managers, preparadores físicos e outros ciclistas ainda não desmacarados, mas implicariam até a Federação Internacional de Ciclismo, a Union Cycliste Internationale.

Há indicações, por enquanto no ar, de que a UCI agiu decisivamente para esconder o resultado de um exame de doping em que Lance Armstrong teria sido apanhado em 2001.

O preço que Lance Armstrong vai pedir para revelar tudo o que sabe? É uma questão de percentagem. Ele quer uma redução drástica de seu banimento perpétuo de todos  os esportes olímpicos, pois  quer competir em triathlons e corridas de rua.

Há um precedente, o do ciclista Joe Papp, foi banido perpetuamente e depois teve sua pena reduzida a oito anos, depois de colaborar com a WADA.

Como Armstrong sabe muito mais do que Papp, que redução ele obteria em troca de sua colaboração?

E seria ético dar-lhe uma drástica redução de pena?

Um comentário em “Questão de percentagem

  1. sinceramente isso tudo é um absurdo. como alguém poderia ainda acreditar nesse esporte? exemplos: Yan Ulrich, que na época era meu favorito no esporte foi pego no dopping, agora lance. depois um outro campeão americano do tour foi pego, depois alberto contador… tem gente na frança que acha que esse tour é humanamente impossível e que algumas substâncias deveriam ser permitidos (incrível). O tour de France perdeu o encanto…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>