As ligações da Copa

BEN STANSALL / AFP

BEN STANSALL / AFP

Bristol (EUA) – Quer dizer que os fulanos da Nigéria (vejam “post” abaixo) estarão na Copa das Confederações no Brasil. Teremos Nigéria, Uruguai, Espanha, Taiti, Japão, México e Itália para disputar a Copa, junto com o Brasil.

Todos esses países, com exceção do Taiti, tem profundas ligações com o Brasil e o futebol brasileiro.

Do Uruguai, nem preciso falar. Basta lembrar a final da Copa de 1950, que não teria acontecido e não teria resultado em nossa derrota se não tivéssemos antes perdido a Província Cisplatina.

A Itália é o país que, depois de Portugal, mais contribuiu para a formação da população brasileira. Há 25 milhões de descendentes italianos no Brasil e, num período que vai de 1880 a 1930, a Itália foi o país que mandou mais emigrantes para o Brasil, mais até do que Portugal.

As ligações do Brasil com a Azurra acontecem desde a Copa de 1934, com Filó, cujo verdadeiro nome era Anfilogino Guarisi. Foi o primeiro “oriundo” da Azurra (e o primeiro brasileiro campeão do mundo), antecipando-se a José “Mazzola” Altafini, Angelo Sormani, Dino da Costa, Rodrigo Possebon e Thiago Motta. Estarei esquecendo alguém? Quanto a grandes jogadores brasileiros descendentes de italianos, que continuaram no Brasil, basta falar, num primeiro momento, de Rivelino e Del Velcchio, de quem Pelé foi reserva. A lista é imensa.

A Espanha foi, depois de Portugal e Itália, o país que mais contribuiu – e contribui – com imigrantes para o Brasil. Há 15 milhões de brasileiros descendentes de espanhóis. (Pelo lado materno, sou descendente de espanhóis e portugueses.) O Flamengo e o Corinthians tiveram um ponta-direita apelidado Espanhol cujo sobrenome era Ufarte. Nasceu na Espanha, foi para o Brasil em criança, tornou-se brasileiro, voltou depois para a Espanha e por ela disputou a Copa de 1966. Mas podemos falar de Marcos Senna, Donato, Catanha, Heraldo Bezerra (que morreu num acidente de carro) e, agora, Thiago Alcântara, filho de Mazinho e irmão de Rafinha.

Quanto ao Japão, que tal Marcus Tulio Tanaka, que disputou a Copa de 2010? Este é um sansei autêntico, sem falar em outros, como Alex Santos, brasileiros que jogaram pela seleção japonesa depois que, ali por volta dos anos 80, começou a contratação de nossos jogadores por clubes japoneses.

A maior população japonesa fora do Japão está no Brasil. A imigração japonesa para o Brasil data dos primeiros anos do século XX, mas no início encontrou muita resistência. Falavam no “perigo amarelo” e um embaixador brasileiro no Japão chegou mesmo a recomendar que não aceitássemos imigrantes japoneses, por ele definidos como “raça inferior”. Vejam só: um dos países mais adiantados do mundo era habitado, segundo um diplomata nosso, por uma “raça inferior”. A inferioridade no caso não era do Japão, mas de nossa diplomacia.

Passando ao México, lembro de Zaguinho, que disputou a Copa de 1994 e que é filho de Zague, um ponta-esquerda nascido na Bahia que se destacou no futebol paulista. Mas até técnico brasileiro o México já teve, com Ricardo Ferretti (outro brasileiro descendente de italiano), que foi jogador do Botafogo e do Vasco.

Em relação à Nigéria, já me referi no “post” abaixo aos fulanos de Burkina Faso. Tal etnia também é representada na Nigéria, país que contribuiu com uma grande quantidade de escravos para o Brasil, sobretudo para a Bahia. Lagos, a maior cidade nigeriana, foi assim batizada pelos portugueses, os primeiros europeus que lá aportaram. Há até hoje em Lagos o “bairro brasileiro”, formado por nigerianos que, depois da Abolição da Escravidão no Brasil, preferirem voltar para sua terra natal.

Resta o Taiti. Mas creio que suas ligações com o Brasil se restringem mesmo ao intercâmbio de surfistas. Jogador de futebol, não conheço nenhum.

Um comentário em “As ligações da Copa

  1. parece que vai ser uma das melhores copas da confederações, sobretudo porque haverá dois europeus (espanha e itália) , todos os país têm tradição de futebol. gostei da nigéria que voltou a jogar um belo futebol com seus excelentes jogadores do chelsea: moses que barrou oscar (heheehehe) e Mikel Obbi jogando com a elegância de Bastia Swanstteigger (?) …
    enfim, grandes espectativas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>