Vitória perfeita!

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

O Corinthians precisava de um tropeço do Vasco e da vitória contra o Avaí. Entrou em campo desejando força ao ex-presidente Lula e tomou um gol de Robinho, da equipe adversária. 

Debaixo de chuva e com o time assustado, o Corinthians foi se segurando para não tomar mais gols e, quando Castán foi expulso, a equipe que poderia ter desistido, se reergueu, e com muita raça foi atrás dos três pontos.

Sheik marcou e empatou para o Timão e Liédson, depois de 40 dias, desencantou e decretou a vitória.

Foi uma rodada perfeita. O São Paulo empatou com o Vasco, o Corinthians venceu e segue líder. Será que esse campeonato já é do Corinthians?

A solução se chama Émerson Leão

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Desempregado desde o ano passado quando dirigiu o Goiás, Émerson Leão foi a solução encontrada pela diretoria do São Paulo para ocupar o lugar de Adílson Batista. O contrato do treinador é pelos próximos três meses.

Leão, que já dirigiu o time em 2004, tem a difícil missão de tirar o São Paulo da sexta colocação na tabela. Ele deve dar um choque na equipe e uma nova cara ao time. É muito exigente, vai cobrar o elenco e é justamente isso que a diretoria quer, alguém com comando e atitude. Aí está Leão. Acho que o elenco vai sofrer um pouquinho nas mãos do novo treinador, afinal o grupo gostava de Adílson Batista, um cara “gente boa” e que tinha o carinho do elenco. Leão faz mais o estilo mandão, tem a fala grossa e com ele “manda quem pode e obedece quem tem juízo”.

Será que ele consegue colocar ordem na casa?

Mande sua opinião!

Queda de braço!

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

A briga no Palmeiras continua. Hoje já é quinta-feira e ainda nada foi decidido pela diretoria do Verdão no episódio envolvendo o jogador Kléber e o treinador Felipão.

O capitão bateu de frente com o técnico, pois reivindicava da diretoria uma atitude frente às demonstrações de violência por parte da torcida envolvendo o volante João Vítor. A própria casa do gladiador foi alvo de ataques há alguns meses. O grupo ficou dividido e na queda de braço, sobrou para o jogador, que está afastado do elenco.

Notícias veiculadas na semana passada afirmam que Felipão teria dito que enquanto ele for treinador, Kléber não joga mais. Não ouvi nada da boca do técnico.  

Minha opinião: Kléber e Felipão são funcionários do clube. Claro que a hierarquia do treinador deve ser respeitada, mas num momento de ânimos exaltados, e tendo em vista os atos de violência ocorridos, o Scolari deveria pegar mais leve. De outro lado, Kléber também precisa voltar a jogar com a garra e a atitude de antes, afinal, desde que foi sondado pelo Flamengo, em 14 jogos marcou apenas um gol.

Nesse briga quem sai perdendo é o Palmeiras. Falta postura e atitude da diretoria que precisa colocar os pingos nos is e mostrar quem manda, sem ficar refém de um ou de outro.

E você, o que acha?

São Paulo atropelado e Adílson, fora!

14 meses e 4 treinadores demitidos. Adílson Batista acaba de entrar para o rol dos treinadores demitidos pelo Tricolor Paulista. O treinador não resistiu a ficar seis jogos sem vencer.

Depois da vexatória derrota por 3 a 0 para o Atlético Goianiense e dos gritos da torcida, a diretoria mandou Adílson embora. Lucas, Luís Fabiano e Denílson saíram de campo defendendo o treinador e disseram que ele não é o culpado pela derrota, que é um homem trabalhador e dedicado. O craque do time, Luís Fabiano, inclusive disse : “não era ele que estava em campo, ele não pode ser culpado sozinho”.

Pois é, a diretoria são paulina não pensa assim.

O São Paulo está na sexta posição, a seis pontos do líder Corinthians e eu sou contra a demissão do Adílson neste momento, ele tem o comando do time, os atletas gostam dele e até Rogério Ceni defendeu o treinador.

Mas e você, realmente acha que a culpa é do Adílson ou o elenco é fraco? Mande seu recado pra mim .

Corinthians e Botafogo

Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Foi uma decepção para os quase 35 mil torcedores corintianos. Caio Júnior, técnico do Botafogo, reclamou da arbitragem que anulou um gol legítimo, e disse que há 16 anos a equipe não consegue realizar o sonho de ser campeã.

O Corinthians foi fraco no primeiro tempo, enquanto o time carioca mostrou competência e venceu com folga. Marcou firme, jogou rápido e com precisão. Leandro Castán e Alessandro falharam em campo,  ficaram olhando a bola e tomaram o gol.

No segundo tempo o time de Tite foi melhor, mas não deu.

Agora é a sua vez de falar :)

Sobre Brasil e México

Foto: AFP

Foto: AFP

PRIMEIRO TEMPO

Ok, peguei o lap top para comentar o jogo… Eita seleçãozinha estranha a brasileira, um time que depende o tempo todo da genialidade de Neymar ou da habilidade de Lucas e Hulk.

Realmente a seleção não tem tempo para treinar, mas o time não tem qualquer esquema tático. Pra armar a jogada muitas vezes o jogador que já passou do meio de campo volta a bola para a área de defesa.

Mas uma coisa é fato: Ronaldinho Gaúcho não tem mais a mesma elasticidade de antes, não consegue mais dar aqueles dribles bonitos. Mas cobrar mal o escanteio é inadmissível. Pelo menos isso, né Gaúcho?!

Jefferson não teve culpa no primeiro gol e mandou bem na defesa do pênalti.

Gostei muito do Hulk em campo.

Daniel Alves foi imprudente.

Neymar dispensa comentários, pena que só existe um.

A seleção está sem eira e nem beira, sem rumo, sem direção e sem identidade, ou seja, falta um treinador.

SEGUNDO TEMPO

Virada do Brasil!

Não parecia que a seleção tinha um a menos em campo. O time atuou com garra, Jefferson fez uma bela defesa e Ronaldinho Gaúcho, finalmente depois de 4 anos, fez um GOLAÇO de falta!

Outro golaço foi o de: Marcelo! Acho que ele estava tão irritado com o jogo que saiu atropelando pra tentar fazer alguma coisa que prestasse. Foi uma linda jogada! Não é à toa que o cara é titular do Real Madrid.

E o Hernanes, hein? Entrou em campo só para cumprimentar o juiz.

Como disse anteriormente, a seleção dependeu totalmente dos talentos individuais. Falta grupo e integração. Tchau, Mano.