Mesa Redonda 16 de dezembro de 2012

Fotos do último Mesa Redonda ao vivo de 2012, com as presenças de Basílio e Zé Elias.

Foi um ano muito especial e cheio de desafios e trabalho.

Que 2013 venha com mais alegrias para todos nós.

Aí vai uma fotinho que tiraram de mim nos bastidores do Troféu Mesa Redonda, um minuto antes de entrar ao palco para apresentar o evento ao lado do Flávio Prado. Vai ficar marcado na memória.

2° tempo: Muito prazer, esse é o Corinthians!

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Cadê o Chelsea?
Cadê o futebol europeu?
Cadê, Flávio Prado?

Pois é, hoje o Corinthians jogou sem medo e sem ansiedade. Foi raça do começo ao fim da partida. Guerrero entrou para a história do clube de Parque São Jorge. “A gente tem muita qualidade nesse grupo”, desabafou o jogador ao final do show. E tem mesmo, o Corinthians tem uma equipe que cresce e se adapta conforme o adversário.

Foi uma partida maravilhosa, disputada e tensa do início ao fim. O Corinthians teve uma defesa impecável. Sem palavras para descrever Cássio. O cara estava predestinado, é realmente um iluminado, tanto que levou a bola de ouro!

Cada jogador atuou com a raça que a torcida tanto merece. Aliás, que torcida, que espetáculo, que show!

Detalhe: a imagem do Fernando Torres, do Ashley Cole e do Lampard olhando a festa dos brasileiros é impagável. Os caras estavam desolados e, na boa, o time inglês estava crente de que levaria a vitória pra casa. Pois é, salto alto no futebol nunca pára em pé.

Pois é, hoje o futebol mundial foi apresentado à força, à raça e à paixão desse bando de loucos: Banzai, Corinthians! Hoje o mundo é preto e branco.

1° tempo: Vai que é a tua, Cássio!

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Pra quem pensava que o Chelsea teria vida fácil, muito se enganou. O Corinthians jogou bonito, foi eficiente e, apesar de não ter conseguido marcar os gols, mostrou que o time inglês, mesmo ocupando muito bem os espaços dentro de campo, não é imbatível. O Chelsea fez lances de muito perigo, chegou na cara do gol, mas a fiel torcida pode respirar sossegada porque ali atrás tem um goleiro gigante de nome Cássio, que fez defesas simplesmente espetaculares.

O mais importante ressaltar nesse primeiro tempo é que o time corintiano não se desesperou em campo e conseguiu dominar boa parte do jogo.

Agora é torcer pela vitória preta e branca no segundo tempo. Haja coração!

Corinthians: só falta um jogo!

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Que sufoco! Deu a impressão que o Corinthians fez o mínimo necessário dentro de campo para conseguir chegar à final do Mundial de Clubes. Em compensação, do lado de fora, o show da torcida corintiana foi lindo.

Até parece que jogaram dois Corinthians hoje: um no primeiro tempo, ansioso, mas não nervoso, que esteve determinado a marcar e a conquistar o resultado; e outro no segundo tempo, apático, lento e sem luz que deixou o adversário jogar e acabou tomando um grande sufoco do Al Ahly.

O próprio Paulinho deu entrevista dizendo que o time esteve melhor no primeiro tempo.

De qualquer forma, o time paulista deu um grande passo rumo à final com a santa cabeçada de Paolo Guerrero. Se encarar a final do jeito que jogou no segundo tempo, não vai vencer. O time precisa de raça, de presença em campo e não pode deixar o adversário dominar o jogo. Pra mim, Paulinho foi um dos melhores em campo.

Domingo é a grande final. Aguenta coração, corintiano!

Gênio indomável

Inadmissível a atitude de Luís Fabiano ontem contra o Tigre. Prejudicou e muito o time.
Conversando com o Godoi nos bastidores, ele me disse que a atitude do árbitro foi correta porque houve uma tentativa de agressão do jogador tricolor. Eu argumentei se não poderia ter sido dado um cartão amarelo, ele disse que sim, mas que o árbitro não errou em dar o vermelho. Aliás, o próprio jogador são paulino admitiu o erro e disse: “Agora tenho que assumir a responsabilidade, o meu erro, acho que nunca mais vou ter a oportunidade de jogar uma final dessa na minha vida”.

Pois é, acho que não vai mesmo. E digo mais, apesar de gostar muito do Luís Fabiano, não confio nele para atuar na seleção brasileira. Já pensou se ele perde a cabeça numa partida decisiva de Copa do Mundo? Para um atleta do nível e com a experiência dele, essa atitude recorrente é inadmissível. Já era ora dele ter aprendido.