Troféu Mesa Redonda

Esse final de ano tem sido muito corrido mesmo. São muitas gravações, muito trabalho, pés doloridos, mas satisfação sempre.

Tivemos o grande Troféu Mesa Redonda. Uma linda premiação realizada pela equipe de esportes da TV Gazeta com apoio da Fundação Cásper Líbero. Parabéns, pessoal, foi demais!

10418408_551885144955197_5984108380540400369_n

 

10391367_551885188288526_847716263357987469_n

 

1654243_549401668536878_8142924686398313786_n

E dá-lhe Santos!

Fernando Dantas/Gazeta Press

Fernando Dantas/Gazeta Press

O Palmeiras poderia ter um feito um jogo melhor. Aliás, poderia ter feito isso o campeonato todo, mas felizmente o ano poderia ter sido pior com uma queda para a segunda divisão. O time respira, o Verdão está salvo, nem tanto por méritos próprios, mas graças ao Santos e ao gol redentor de Thiago Ribeiro que fez a torcida alviverde gritar gol, soltar a voz e comemorar muito no estádio. (Lembrando que se o Santos tivesse empatado em zero a zero com o Vitória, o Palmeiras não cairia).

Falando sobre a partida de hoje: destaque para o goleiro Fernando Prass, que salvou o time em diversas ocasiões, ao Valdívia que jogou muito bem e ao atacante Henrique que fez o gol. Em compensação, Lúcio precisa se aposentar. Não tem mais fôlego.

O Palmeiras saiu vaiado de campo, uma tristeza, mas pelo menos continua na primeira divisão. Feliz Natal aos palmeirenses e que 2015 seja um ano melhor.

Bastidores do esporte

redacao

 

O final do ano está chegando e enquanto a galera tira o pé do acelerador, aqui no esporte a gente trabalha demais!

Temos o Troféu Mesa Redonda, gravações especiais e ainda a São Silvestre.

Mas o bom disso tudo é que a turma se dá muito bem e trabalha com vontade.

redacao2

 

redacao3

 

A hora de parar

E ele disse que fica!

Sim, Rogério Ceni, o maior ídolo da história do São Paulo vai continuar no gol para a disputa da Libertadores do ano que vem. A maioria da torcida aprova, mas alguns poucos reclamam.

Ceni é profissional o suficiente para saber se tem ou não condições de jogar em alto nível. E mesmo se ele não estiver 100% é um goleiro acima da média. 

Ano que vem, em janeiro, Rogério completará 42 anos de idade. Uma vida de muito sucesso e grandes conquistas! Espero apenas que se ele falhar em um ou outro lance, a torcida não pegue no pé dele. Afinal de contas, uma história como a dele não pode terminar com qualquer mancha.

E coitado do Denis, afinal de contas, o reserva imediato de Rogério já contava que seria o titular em 2015, aos 28 anos. Vida nada fácil ser o reserva de Ceni.

Inauguração, pressão e segunda divisão

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Pois é, foi uma festa linda e rica. Linda porque a casa nova do Palmeiras é o estádio mais bonito do Brasil. E rica porque os 35.939 torcedores fizeram a arrecadação entrar para a história como a maior do futebol paulista com o valor de R$ 4.915.835,00 !!!

Mas nada disso ajudou, afinal, o fraco time do Palmeiras, eternamente dependente de Valdivia, tomou um gol de Ananias e volta a abraçar a segunda divisão.

O time tem três pedreiras pela frente com jogos contra Coritiba, Inter e Atlético Paranaense.  A pressão só aumenta, o time foge da torcida, a festa vira preocupação e o torcedor não consegue respirar aliviado. Segunda divisão rondando a Academia.

Vai Verdão, eu acredito! (Ops, esse é o lema do Galo, mas vou pegar emprestado, tá?!)

 

 

Liderança não se pede, se conquista!

AFP

AFP

Quando o Thiago Silva chorou naquele jogo da seleção que foi para os pênaltis contra o Chile, na Copa do Mundo, e se recusou a cobrar a penalidade máxima, eu entendi. Olhei o lado humano, achei que ele foi homem de dizer que não se sentia confiante, que achava que outros estavam mais confiantes do que ele e não achei feio ele chorar. Achei que ele foi simplesmente um mortal como outro qualquer …

Claro que a parte psicológica dele e de outros atletas precisava ter sido muito melhor trabalhada, afinal de contas, é muita pressão jogar uma Copa do Mundo no Brasil, mas aí o erro não foi dele.

Acontece que o zagueirão ficou todo ressentido porque Dunga colocou Neymar como capitão em seu lugar agora na seleção e porque está amargando a reserva no time canarinho. Aí, não! Muita calma, Thiago Silva!

Dunga tem meu total apoio quando diz que ninguém é dono de nada na seleção. Gosto da atitude do treinador e, dessa vez, acho que Thiago Silva deveria ter ficado quietinho na dele, sem mimimi, baixando a bola, simplesmente se dedicando ao que sabe fazer: jogar bola. O resto vem com o tempo, afinal, liderança não é algo que se pede ou que se ganha. Liderança de verdade se conquista com respeito e garra.

Thiago Silva com tal atitude foi menino e mostrou porque deixou de vestir a braçadeira de capitão.

Volta, Tite!

Fernando Dantas/Gazeta Press

Fernando Dantas/Gazeta Press

Muita gente me cobrando para eu escrever sobre a derrota vexatória do Corinthians. Falar o quê? Melhor enaltecer o Galo que teve fibra, garra, lutou e foi empurrado pelos mais de 32 mil torcedores. O que comentar de uma equipe que consegue perder um jogo tendo 3 gols de vantagem e além de tudo acaba desclassificada do campeonato e, consequentemente, deixa a Libertadores quase como um sonho distante?

Ontem fizemos uma enquete no site gazetaesportiva.net perguntando de quem era a culpa da derrota alvinegra. Para mim, Mano Menezes tem, sim, culpa. Além da má atuação do time, da falta de mudança de atitude depois do intervalo, inacreditável ele não escalar os “selecionáveis” Elias e Gil já que estavam no banco. Mas o elenco também não se salva. Tirando o Guerrero que fez o dele e teve atitude em campo, os demais pareciam desorientados, desmotivados, apáticos. Vexame. Aff!  

Hoje, Mano colocou o cargo à disposição. Gobbi deveria aceitar. Volta, Tite!

Brasil vence, mas Dunga perde a compostura

Foto: HEULER ANDREY/MOWA PRESS

Foto: HEULER ANDREY/MOWA PRESS

Tudo estava indo muito bem para o Brasil. O time venceu da Argentina e foi o vencedor do Superclássico das Américas, um cala boca de dois a zero em nostros hermanos para tentar reconquistar um pouco da honra perdida na Copa. Será?

A equipe brasileira precisava disso, afinal entrou desacreditada em campo e andava mais por baixo do que nunca com aquele insuperável e inesquecível 7 a 1 para a Alemanha. E uma vitória sempre faz bem para o ego.

Todo mundo apostava na Argentina, menos eu. Primeiro porque nosso time cresce contra eles e segundo porque Dunga caprichou nas marcações e insuflou os meninos na última semana a darem o sangue porque uma derrota iria manchar ainda mais a situação de todos.

E foi assim. O grande Jefferson deu o nome pegando um pênalti de Messi e Tardelli mostrou que tem brilho.

Mas Dunga arranjou briga dentro de campo perdendo a compostura, fazendo gestos mexendo no nariz, todo irritado, nervoso gritando para o banco dos adversários… Precisamos sim de garra e energia, mas equilíbrio e um pouco de classe não fazem mal a ninguém. Dunga não precisava se expor dessa forma. Pegou mal. E hoje discutiu com jornalistas, fechou o treino… pois é, durou pouco, bem pouco a paz. Vamos ver o que nos aguarda daqui pra frente.