Mesa Redonda do MMA – Empresários debatem problemas graves do MMA Nacional

Empresários debatem e buscam soluções para problemas graves do MMA Brasileiro - Arquivo Pessoal

Empresários debatem e buscam soluções para problemas graves do MMA Brasileiro – Arquivo Pessoal

 

O Brasil vive uma verdadeira série de problemas internos no MMA Nacional.

Visando criar um debate para trazer soluções e informar os fãs do esporte, pela primeira vez, o blog reuniu quatro nomes contundentes do MMA no Brasil.

Os empresários Marcelo Brigadeiro, Stefano Sartori, Matheus Aquino e Ivan Jatobá vão debater assuntos sérios sobre vários problemas do esporte no país.

Cartéis adulterados, falta de patrocínios, bolsas baixas, falta de organização e muito mais.

Veja a visão e como pensam os principais empresários e matchmakers do Brasil nesta primeira edição da Mesa Redonda do MMA.

Cada convidado é responsável por seus comentários, e a função do blog é promover o debate para tentar ajudar o esporte a evoluir.

Ouça a primeira edição do Mesa Redonda do MMA:

Com estréia de Alberto Mina, Cung Le e Michael Bisping se provocam em pesagem do UFC Macau

Bisping e Le se provocam - Reprodução Youtube

Bisping e Le se provocam – Reprodução Youtube

 

O UFC realizou a pesagem oficial da edição de Macau que acontece neste sábado na China.

Contando com a estréia do brasileiro invicto, Alberto Mina que encara o japonês campeão do Pancrase, Shinsho Anzai, o evento tem como luta principal, o duelo entre Cung Le e Michael Bisping.

Com muitas provocações, Bisping e Le precisaram ser contidos pelo Presidente do UFC, Dana White.

Bisping que vem de derrota para Tim Kennedy, quer mostrar que está na melhor forma física de sua carreira e prometeu ser campeão do UFC no ano que vem.

“Escutem, isto está acabado. Neste próximo ano vou pegar aquele cinturão. Vou vencer Cung Le, vencer qualquer um que for o próximo. No ano que vem este cinturão será meu.

Prometo a vocês que todos vão ver o melhor Michael Bisping de todos os tempos. Quando aquele sino tocar eu vou acabar com ele.” disparou o inglês.

 

Le adotou um discurso mais político e espera mostrar seu melhor e manter sua carreira ativa mesmo com 42 anos de idade.

“Sou um atleta marcial. Eu adoro competir e farei isso durante quanto tempo eu puder.” disse o lutador que nasceu no Vietnã e migrou para os Estados Unidos aonde se naturalizou.

 

 

O duelo é visto como um choque de interesses já que Bisping precisa vencer para se manter entre os 10 melhores do mundo no peso médio atualmente.

Porém Le quer mostrar que mesmo com uma idade avançada, ainda pode competir em alto nível.

 

Alberto Mina encara Shinsho Anzai - Reprodução Youtube

Alberto Mina encara Shinsho Anzai – Reprodução Youtube

 

Único brasileiro no evento, Alberto Mina enfrenta o japonês Shinsho Anzai que foi chamado de última hora após a lesão do primeiro oponente do brasileiro.

Os lutadores protagonizaram uma encarada tensa, e foram acompanhados de perto por Dana White.

Dois combates importantes, são o duelo entre o sul coreano Dong Hyun Kim contra o americano Tyron Woodley, pelo peso meio médio além de a final do TUF China entre os compatriotas chineses Ning Guangyou contra Jianping Yang.

 

Kim e Woodley se enfrentam em duelo importante no UFC - Reprodução Youtube

Kim e Woodley se enfrentam em duelo importante no UFC – Reprodução Youtube

 

Chineses, Yang se encaram em final de TUF China - Reprodução Youtube

Chineses, Yang e Guangyou se encaram em final de TUF China – Reprodução Youtube

Veja o card completo do evento (Peso em kg):

LUTA PRINCIPAL
Michael Bisping (84.3) x Cung Le (83.9)

CARD PRINCIPAL
Dong Hyun Kim (77.5) x Tyron Woodley (77.1)
Zhang Lipeng (70.3) x Brendan O’Reilly (70.3)

Final Peso Pena do The Ultimate Fighter China
Ning Guangyou (66.2) x Jianping Yang (65.7)

CARD PRELIMINAR
Danny Mitchell (77.5) x Wang Sai (77.1)
Shinsho Anzai (77.5) x Alberto Mina (77.1)
Roland Delorme (61.6) x Yuta Sasaki (61.2)
Wang Anying (77.1) x Colby Covington (77.5)
Royston Wee (61.6) x Yao Zhikui (61.2)
Milana Dudieva (61.2) x Elizabeth Phillips (61.6)

 

Veja a pesagem na íntegra:

ONE FC anuncia acordo com Esporte Interativo e Victor Cui participa de “desafio do gelo”

Evento tem dois brasileiros e assina com emissora brasileira - Divulgação ONE FC

Evento tem dois brasileiros e assina com emissora brasileira – Divulgação ONE FC

 

Um dos maiores eventos do mundo, o ONE FC anunciou um importante acordo com a emissora brasileira Esporte Interativo.

A partir da próxima edição, em Dubai no dia 29 de agosto, a emissora através de um comunicado oficial vai transmitir o evento asiático.

Nesta edição, dois brasileiros participam do histórico evento da organização: Cristiano Kaminishi que enfrenta o inglês James McSweeney e Herbert Burns que encara o japonês Hiroshige Tanaka.

 

 

Além disso, o CEO da organização, Victor Cui aderiu a moda do “desafio do gelo” que motiva as pessoas a fazerem doações para instituições.

Com a ajuda do lutador brasileiro Leandro Ataídes e do americano Jake Butler, o CEO promoveu o desafio de uma maneira diferente.

Simulando uma encarada dos lutadores, função que Cui faz nas pesagens do ONE FC, Victor acabou levando um banho de água dos atletas.

 

Você Indica – Assista na íntegra a segunda edição do evento Rebel FC com Maurício Facção

Assista na íntegra segunda edição de evento - Divulgação Rebel FC

Assista na íntegra segunda edição de evento – Divulgação Rebel FC

 

O evento asiático Rebel FC traz na íntegra, sua segunda edição.

Com a participação brasileira de Maurício Facção enfrentando o ex UFC, Will Chope, o evento teve bons combates e a participação de Miguel Torres, ex campeão do WEC e outro ex atleta do UFC.

A organização conheceu os quatro finalistas do GP até 66 kg e que devem se enfrentar em um futuro próximo.

 

Lutador do GLORY, Saulo Cavalari é astro em clipe musical de Banda Haullys

 

Saulo Cavalari é astro de clipe musical - Divulgação GLORY/James Law

Saulo Cavalari é astro de clipe musical – Divulgação GLORY/James Law

 

O lutador Saulo Cavalari está colhendo os frutos de suas grandes exibições no GLORY, maior evento de kickboxing do mundo.

O atleta de Curitiba da academia Thai Brasil, foi escolhido pela banda de pop rock, Haullys para ser o astro principal de seu novo clipe, da música “Pago Pra Ver”.

Após nocautear Mourad Bouzidi, vencer Filip Verlinden e fazer uma das lutas mais duras de Tyrone Spong no GLORY, Saulo atualmente é o número 3 do mundo no ranking da organização.

Considerado um dos lutadores mais promissores do kickboxing brasileiro, Saulo conquistou o cinturão do WGP Kickboxing antes de integrar o plantel do GLORY.

 

Veja o clipe da Banda Haullys com Saulo Cavalari:

Combate da Semana Especial – Conheça o adversário de Rafael dos Anjos, o americano Benson Henderson

 

 

Americano é ex campeão do UFC - Divulgação UFC/Josh Hedges

Americano é ex campeão do UFC – Divulgação UFC/Josh Hedges

 

Neste sábado, o brasileiro Rafael dos Anjos tem uma luta difícil pela frente.

O atleta enfrenta o ex campeão do UFC, o americano Benson Henderson.

Henderson que é conhecido por sua versatilidade e bom preparo físico, se tornou campeão do organização ao vencer o compatriota Frankie Edgar.

Após perder o título para outro compatriota, Anthony Pettis, o lutador venceu dois adversários, Josh Thomson e Rustam Khabilov, e enxerga a disputa com Rafael como um passo importante para se aproximar de mais uma chance.

O americano tem com base, a arte marcial sul coreana Taekwondo além de treinar Wrestling, Jiu Jitsu e Boxe.

O blog traz três lutas do americano, contra Frankie Edgar, Clay Guida e Rustam Khabilov.

 

Assista a 3 combates de Benson Henderson:

Fazendo estréia no UFC neste sábado, Valmir Bidu mostra confiança para combate: Posso começar a fazer meu nome!

Valmir Bidu faz estréia no UFC neste sábado contra americano - Divulgação

Valmir Bidu faz estréia no UFC neste sábado contra americano – Divulgação

 

A espera de Valmir Lazaro, o Bidu, acabou. Contratado no início deste ano pelo UFC, o lutador da equipe Nova União, enfim, fará a estreia na organização no sábado, dia 23 de agosto, contra o norte-americano James Vick, pela categoria peso-leve (até 70,7kg), no UFC Fight Night 49, em Oklahoma, nos Estados Unidos.

Bidu precisou controlar um pouco mais a ansiedade, já que estava escalado originalmente para lutar no dia 2 de agosto, quando aconteceria o UFC 176, com o duelo pelo cinturão dos pesos penas entre José Aldo e Chad Mendes. Contudo, Aldo, seu companheiro de treinos, acabou lesionando o ombro, o evento foi cancelado e os combates remanejados.

Assim, o atleta teve o confronto remarcado. E o adiamento, que poderia parecer ruim à primeira vista, acabou sendo bom para o baiano Bidu. Ele revela que aproveitou o tempo a mais para prolongar o camp e preparar-se ainda melhor para estrear no octógono com o preparo físico e técnico ideais.

“Lógico que tinha ansiedade de fazer logo minha primeira luta no UFC, mas como foi pouco tempo de adiamento acabou sendo bom. Estou mais forte fisicamente e no meu peso ideal para estrear com vitória”, comenta Bidu, destacando o que viu de positivo com a remarcação da luta: “Deu para treinar mais e estudar melhor o James Vick. O camp foi bem forte e prolongado. Dosamos bem os treinamentos, fortalecendo a parte técnica. Treinei com feras como o próprio José Aldo, o Renan Barão e o Léo Santos. A Nova União tem isso de muito positivo. Todos me deram instruções sobre o UFC. Chego pronto e cada vez mais confiante”.

Com um cartel expressivo de 12 vitórias e somente duas derrotas, sendo 11 triunfos consecutivos, Bidu não se preocupa com a pressão da estreia na franquia, mesmo tendo sido escalado já no card principal e diante de um adversário invicto com cinco lutas e cinco vitórias, sendo uma no UFC.

“Acho que a responsabilidade de estrear no card principal é maior, mas não sinto esta pressão. Sei que o Vick é um cara duro, invicto, mas estou sendo muito bem preparado e tenho certeza que posso começar a fazer meu nome no UFC já vencendo um rival deste porte”, opina.

Além de Valmir Bidu, a Nova União será representada no UFC Fight Night 49 por Thales Leites. Um dos mais experientes lutadores da academia, o niteroiense vai enfrentar Francis Carmont na terceira luta mais importante da noite, em busca de sua sétima vitória consecutiva, a quarta no UFC, e a 23ª na carreira em 27 confrontos no total.

Para duelo com americano no UFC, Charles do Bronx intensifica treinos com Jorge Patino Macaco: É um grande treinador!

 

Do Bronx conta com ajuda de famoso treinador e amigo, Jorge Patino Macaco - Divulgação UFC/Josh Hedges

Do Bronx conta com ajuda de famoso treinador e amigo, Jorge Patino Macaco – Divulgação UFC/Josh Hedges

 

Em busca da terceira vitória seguida no UFC, a 19ª na carreira, Charles do Bronx recebeu um importante reforço para a reta final de seu camp para a luta contra Nik Lentz. Jorge Patino Macaco, um dos principais nomes da história do MMA brasileiro e um de seus mentores, desembarcou no Guarujá, litoral de São Paulo, na última semana, e vai participar dos treinamentos do atleta para a luta do dia 5 de setembro, em Connecticut, nos Estados Unidos.

A programação inicial consistia em encerrar os treinos na academia de Macaco nos Estados Unidos. No entanto, para ganhar tempo e evitar o desgaste inicial da viagem, foi Jorge Patino quem veio para o país se juntar ao intenso ritmo de atividades na Do Bronx Gold Team.

“O treino está pesado, o foco está todo voltado para essa luta e por isso resolvemos que seria mais fácil, para evitar o cansaço, o Macaco viajar para São Paulo e me ajudar” conta Charles, mostrando sua admiração pelo mestre: “Sou pupilo do Macaco. É um grande treinador, profissional e amigo que fiz no mundo das lutas. Devo muito a ele por tudo o que me ensinou, e por isso a presença dele no meu camp só me dá mais motivação para buscar a vitória sobre o Lentz”.

O confronto é visto por Charles do Bronx como um dos principais em sua carreira. Em franca ascensão na categoria peso pena (até 66,2kg) do UFC – já aparece na 14ª colocação do ranking – o lutador acredita que mais uma vitória, a terceira consecutiva, o levaria para o meio dos principais nomes da divisão.

“A categoria é disputada, mas estou começando a evoluir. Sou jovem ainda e posso chegar entre os tops se continuar nessa batida. Vencer um lutador do porte do Nik Lentz, será mais um degrau escalado. Vim de vitórias duras (contra Andy Ogle e Hatsu Hioki) e consegui aparecer entre os Top 15. Ter a presença do Macaco no meu camp, junto a toda a equipe que treina comigo, é fundamental neste momento”, comenta.

Charles do Bronx e Nik Lentz possuem cartéis de destaque no MMA. O brasileiro ostenta 18 vitórias, sendo seis no UFC, e apenas quatro derrotas. Já o norte-americano venceu 25 lutas e foi derrotado seis vezes. Ambos possuem um ‘No Contest – luta sem resultado’, justamente no confronto entre os dois, em junho de 2011. Na ocasião, Charles teve o braço levantado ao final da luta, mas o resultado foi anulado em seguida, devido uma joelhada ilegal não-intencional que teria desferido no rosto do adversário.

Em edição de aniversário, Jungle Fight anuncia mudança em disputa de cinturão no mês de setembro

Bilarinho enfrenta novo oponente em setembro - Divulgação Jungle Fight

Bilharinho enfrenta novo oponente em setembro – Divulgação Jungle Fight

 

A luta principal do Jungle Fight 73, marcado para o dia 6 de setembro, no ginásio do Ibirapuera, em são Paulo, sofreu uma alteração. Escalado para desafiar o campeão Jonas Bilharinho pelo cinturão dos pesos-galos (61 kg), Fabiano “Jacarezinho” adoeceu e foi impedido pelo médico de dar sequência aos treinamentos, comprometendo a sua preparação. Com isso, David Tatá, que vem de uma incrível sequência de quatro vitórias no evento, herda o posto de desafiante número um.

Mineiro de Rio Pardo de Minas, David “Tatá” possui um cartel de sete vitórias e apenas um revés. Sua trajetória no Jungle Fight não começou muito bem. Em sua estreia na organização, na edição de numero 60, ele foi derrotado por Felipe Cruz via decisão unânime. Determinado, “Tatá” corrigiu os erros e, além de emplacar uma sequência de vitórias, ainda faturou o troféu Carlson Gracie, dado ao lutador mais empolgante de cada edição.

“Sou o tipo do atleta que o Wallid gosta, pois luto sempre para frente, para definir a luta, e não escolho data e nem adversário, ainda mais valendo cinturão. Estou em um momento bom, venho vencendo bem as minhas lutas, sempre contra adversários duros, o que é comum no Jungle Fight. Já comecei a minha preparação e podem ter certeza que vou dar tudo de mim lá em cima”, garantiu o desafiante.

Assim como seu oponente, Jonas Bilharinho também vem de quatro vitórias na organização. A mais recente, em março deste ano, lhe rendeu o título dos pesos-galos em uma das lutas mais equilibradas do cenário nacional. Só que posteriormente a organização lançou um novo tipo de cinturão, com detalhes coloridos, e esse é o novo objetivo do lutador, que também comentou a necessidade de mudar o camp devido à mudança do adversário.

“Cada atleta tem um jogo próprio, e é isso que diferencia ‘estar treinado’ de ‘estar em camp’. Sempre treino o mais específico possível para tentar antever tudo o que poderá acontecer no dia da luta. Minha última luta acabou nas mãos dos juízes, embora eu tenha feito de tudo para terminar antes. E esse é meu pensamento de sempre: definir a luta lá dentro. Só que às vezes não dá. Mas estou focado e minha intenção é me manter campeão do Jungle, ganhar um cinturão novo daquele e me aproximar cada vez mais de um contrato com o UFC”, avisou o campeão.

Além da disputa de cinturão entre os pesos-galos, a edição de aniversário de 11 anos do Jungle Fight também vai contar, em seu co-main event, com a primeira disputa de cinturão peso-palha (52 kg) da organização. Invictas e com cinco vitórias, Maiara Alves e Ericka Almeida decidem qual entrará para a história do evento como a primeira campeã da categoria.

Confira abaixo o card completo do evento (sujeito a alterações):

Jungle Fight 72 – edição especial 11 anos

Ginásio do Ibirapuera, São Paulo-SP

Sábado, 06 de setembro de 2014

Horário: 21h (horário de Brasília)

Jonas Bilharinho “Speed” (Team Nogueira) x David “Tatá” Silva (Colisão) – Cinturão Peso-Galo – até 61kg;

​Maiara Alves (Nocaute Team) x Ericka Almeida (Herman Gutierrez) – Cin​turão Feminino – Até 52kg;

Rene “Soldado” Pessoa (Power Lotus Team) x José Diaz “Suavecito” (Cleber Jiu Jitsu) – até 77kg;

​Fernando Di Pierro (Alliance/Equador) x Douglas Bertazini “El loco” (Miguel Repanas) – até 84kg;

Martin Ottaviano “La Maquina” (Sukata Academy/Argentina) X Charles Leite (Demian Maia Jiu Jitsu) – 93kg;

​Matheu Mattos “Adamas” (Team Nogueira) x Allan Miguel (Fight Club BFC) – até 61kg;

Valdines Silva (Pitbul Brothers) x Allan “Popey”(Ryan Gracie/Polemico) – até 66kg;​

Paulo Oliveira “Capoeira” (Orion Fight) x Diego Paiva (Miguel Repanas) – até 57kg;​​

Gregory ” Robocop ” Rodrigues ( XGym ) x Bruno Lopi (011 Team) 84 kg ;

Roberto Silva (Equipe Família Furacão) x Diogo “Pink” (Xgym) – até 61kg.

Brilhando em evento americano, Alexandre Vieira comemora resultado e visa aos poucos migrar para o MMA: Vou trabalhar pacientemente!

Lutador mira mudança para o MMA no futuro - Divulgação Koral

Lutador mira mudança para o MMA no futuro – Divulgação Koral

 

Responsável por difundir o nome do Brasil em todo o mundo, o jiu-jitsu segue revelando e exportando grandes talentos brasileiros para o cenário internacional. Desta vez, foi o carioca Alexandre Vieira quem fez bonito.

O jovem atleta da BTT sagrou-se campeão do tradicional NAGA, evento de luta agarrada, realizado no último sábado (16), em Austin, Texas (EUA), em duas modalidades diferentes. Sem quimono, Alex finalizou três adversários – com dois mata-leões e um triângulo de mão – para ficar com o cinturão da categoria até 70kg, disputado por faixas-marrons e pretas. Já de quimono, o título veio após estrangular o rival com um rodado, em menos de um minuto.

“Fiquei muito empolgado com a oportunidade de lutar o NAGA e foi muito maneiro. Ganhei o sem kimono e tive que lutar com kimono na categoria acima. Acabei finalizando em 40 segundos um atleta mais pesado. Ganhei dois ouros e em dez dias já consegui ótimos resultados. Não vinha bem, mas o fato de chegar aqui e focar só nos treinamentos tem sido excelente”, contou Alex.

Nos Estados Unidos desde o começo de agosto, o faixa marrom planeja seguir por lá até dezembro, para aumentar ainda mais o nível de treinamentos e disputar mais competições internacionais. Satisfeito com a conquista dos títulos, Alexandre quer trabalhar para seguir colhendo bons frutos de sua estada em solo norte-americano.

“Sempre quis vir para o Estados Unidos e ficar um tempo. Na época acabei não conseguindo o resultado que queria no Mundial, mas já tinha sido ótimo sentir essa energia e aprender como as coisas funcionam. Depois disso, eu tive uma boa oportunidade de retornar para cá (Estados Unidos) através de alguns amigos e professores”, explicou.

Aos 24 anos, o atleta, que é oriundo da Brazilian Top Team, também é faixa preta de kickboxing e possui experiência no MMA, com uma vitória e nenhuma derrota em seu cartel. Focado em refinar o seu jogo na luta agarrada, ele tem como objetivos principais para o restante de 2014 a disputa do Mundial NoGi, o Long Beach Open, na Califórnia, e o Dallas Open.

“Sobre a questão do MMA, eu venho trabalhando isso de maneira gradual. Primeiro pretendo me firmar e fazer o meu nome no jiu-jitsu para quando migrar de vez para o MMA eu não ser apenas mais um. Apesar de estar focando meus treinamentos no jiu-jitsu no momento, não parei de treinar o MMA. Pretendo fazer essa transição, mas ainda não tenho previsão e vou trabalhar pacientemente. Tenho competições importante pela frente e quero focar nelas”, concluiu.