Dana White diz que Barão não luta pelo cinturão em retorno e Raphael Assunção pode ser próximo desafiante

A repercussão do UFC 177 pode trazer más notícias para o brasileiro Renan Barão.

Após passar mal e ir para o hospital, o Presidente do UFC reclamou da postura do brasileiro por não cuidar de sua saúde.

Segundo Dana, a atitude de Barão pode custar sua chance de fazer a revanche com TJ que venceu neste sábado, o substituto do brasileiro, Joe Soto por nocaute.

“Esta era a chance dele. Ele estava recebendo sua revanche. Agora, Dillashaw vai lutar. Se ele vencer, ele segue para o próximo desafio, Barão vai enfrentar outra pessoa quando estiver pronto para voltar a lutar.” disse Dana em entrevista para o site MMA Junkie.

O presidente criticou a postura de Barão, e apontou um próximo desafiante para TJ: o brasileiro Raphael Assunção.

“Ele tem dinheiro para contratar um nutricionista de verdade. Você tem que ter um cara bom te observando quando está cortando peso desta maneira, apenas te entregando comida.
É uma coisa a menos para se preocupar. Uma pessoa que te dá sua comida e te monitora, garantindo que você está onde deve estar.

O cara dele não era bom o bastante. Ele precisa ter um nutricionista de verdade.” disse Dana que confirmou para o site Combate.com que Raphael deve ser o próximo desafiante.

 

Barão responde e treinador de brasileiro defende lutador de críticas

Neste sábado, em uma entrevista para o canal americano FOX, Barão se pronunciou.

Após ser confrontado pelo comentarista do UFC, o americano Joe Rogan, o lutador disse que estava bem após o susto.

“Eu bati a cabeça e só acordei no hospital. Mas eu estou muito bem.” disse Barão que mesmo perguntado por Rogan afirmou estar bem e criticou a postura de Dillashaw, que criticou o brasileiro, dizendo que estava fugindo da luta.

“Eu treinei muito para essa luta. Mas o TJ está falando muito. Vou fazer ele engolir essas palavras dele na revanche.” disparou Barão.

Entrevistado pelo site Combate.com, André Pederneiras, treinador de Barão veio a público falar sobre o assunto e defendeu o método usado para a equipe no corte de peso na lutas.

“ As pessoas ficam falando que Barão deveria lutar na categoria de cima. Ele é realmente um garoto grande para a divisão de 61,2 kg, mas eu acho que se a gente tiver o respaldo dos médicos com os quais a gente trabalha e dos nutricionistas, não vejo por que ele trocar de categoria.

O que vejo é que o Barão precisa de um tempo maior entre uma luta e outra para não fazer esses sucessivos treinos para uma luta de cinco rounds, que são muito mais pesados do que para uma luta de três rounds, a cada três meses. É a primeira vez que isso acontece comigo em 18 anos.

Venho acompanhando atletas há muito tempo e nunca tive um lutador que apagou e teve que ser retirado de um duelo por não ter condições de lutar.

Na verdade, o Barão já perdeu peso só aqui no UFC pelo menos 10 ou 12 vezes e nunca teve problema nenhum.

O processo sempre foi feito da mesma forma não só com ele, mas com todas as pessoas lá da academia. Na última luta do Barão, ele resolveu perder o peso com uma antecedência maior. E aí, quando você faz isso, você acaba não recuperando tão bem quanto quando você perde o peso mais próximo da luta, que era o que ele tinha feito na maioria das vezes.

Na verdade, o Barão não deixou uma quantidade de peso muito grande para esta semana, ele chegou aqui com 68kg*, a categoria é 61,2kg. No primeiro dia que ele chegou em Sacramento, já tirou 3kg e se colocou bem próximo da meta, e foi batendo essa meta dia após dia. Na quinta-feira, a gente terminou o corte de peso umas 23h30. Ele tomou banho, comeu, foi dormir e acordou de manhã para fazer a perda de peso, porque faltavam 2,25kg para ele chegar à meta antes da pesagem.

Feliz por calar críticos, Bethe Correia pede oportunidade para disputar cinturão contra Ronda Rousey

 

Após uma grande performance contra a parceira de treinos da campeã do UFC, a americana Ronda Rousey, Bethe Correia pediu uma oportunidade para lutar pelo cinturão.

Segundo a brasileira, sua performance silenciou os críticos que diziam que a mesma só lutava para vencer na decisão.

“Eu consegui mostrar hoje que posso vencer antes do fim. E consegui fazer isso hoje. Venci uma lutadora que é uma das maiores do MMA feminino e que lutou contra as melhores do mundo.” disse Bethe que sonha com a chance de enfrentar Ronda.

“Adoraria enfrentar ela. Eu sonho com essa luta pelo título e se o UFC me der esta oportunidade, acredito que tenho habilidades para vencer ela (Ronda).

 

Dana revela ligação de Ronda e pedido por brasileira

 

Segundo Dana na coletiva de imprensa após o UFC, o combate entre as lutadoras pode acontecer em breve.

O Presidente revelou uma ligação de Ronda, pedindo para lutar com Bethe.

“Eu quero lutar com Bethe agora. Eu quero lutar com ela antes que alguém venha vencer a mesma.

Eu pedi para ela ter calma, porque tem outras pessoas por aí.” revelou Dana.

Apesar do desejo das lutadoras, o combate pode acabar tendo que esperar.

No UFC 178 que acontece no fim de setembro, a número 1 do ranking, a americana Cat Zingano enfrenta a brasileira Amanda Nunes e uma vitória poderia mudar os planos do UFC.

Bethe Correia, Diego Ferreira e TJ Dillashaw nocauteiam adversários no UFC 177

O UFC realizou sua conturbada edição 177 neste último sábado, nos Estados Unidos.

Após vários problemas de lesão e a surpreendente notícia de que Renão Barão não participaria do evento um dia antes, o UFC teve como luta principal, o duelo entre o campeão peso galo, TJ Dillashaw contra o estreante e desafiante Joe Soto.

Para quem pensava que o combate seria fácil, TJ acabou tendo muito trabalho para conseguir vencer e manter o cinturão.

Trabalhando muitos golpes em pé,  jabs com socos e alguns chutes baixos, Dillashaw dominou todo o combate, porém Soto mostrou muita resistência e era perigoso nos contragolpes.

No quinto round, veio a vitória para TJ que acertou um lindo chute alto que praticamente nocauteou Soto. Com mais um soco, o campeão manteve o cinturão.

 

A brasileira Bethe Correia deu show no octógono neste sábado.

Enfrentando a americana Shayna Baszler, o primeiro round foi muito movimentado.

Com Bethe evitando as tentativas de quedas da americana usando a grade, Shayna só teve sucesso no final do round, chegando a tentar finalizar mas sem sucesso devido ao fim do round.

No segundo round, mudando a estratégia, Bethe usou seu boxe junto com cotoveladas para aplicar um verdadeiro monólogo e nocautear Shayna com muitos socos na cintura e na cabeça da adversária.

Após a vitória,  Bethe aproveitou a oportunidade para mandar um contundente recado para a campeã do UFC, a americana Ronda Rousey, amiga de Baszler.

“Eu é que vou me aposentar invicta no UFC. Eu desafio a Ronda a tentar acabar com minha invencibilidade.” disparou Bethe.

 

 

Enfrentando o descendente de palestinos Ramsey Nijem, o brasileiro Carlos Diego Ferreira deu espetáculo.

Começando o combate sentindo a força do americano, Diego aos poucos foi mostrando sua força.

Após balançar Nijem com um soco e quase finalizar no segundo round, a vitória veio no terceiro.

Com um belo soco no queixo de Ramsey com knockdown, Diego partiu para a vitória e com mais alguns socos obrigou o árbitro a parar o combate.

Clima tenso de Bethe Correia e Shanya Baszler esquenta pesagem do UFC 177 após saída de Barão

 

Lutadoras fazem encarada tensa - Divulgação UFC

Lutadoras fazem encarada tensa – Divulgação UFC

 

O UFC realizou nesta sexta feira, a pesagem oficial do evento que aconteceu na cidade de Sacramento.

Após a notícia da saída de Renan Barão do card, após o atleta passar mal nas vésperas da pesagem, o que chamou a atenção foi o clima de tensão entre a brasileira Bethe Correia e a americana Shanya Baszler.

Com uma encarada tensa, as atletas levantaram o público e prometem um grande combate neste sábado.

O campeão peso galo do evento TJ Dillashaw, mesmo sabendo da notícia, disparou contra Barão mas vai defender o cinturão contra o estreante Joe Soto.

“Eu acho que ele está com medo. Nunca vimos o Renan não vir bater o peso antes.” atacou o americano.

 

Dillashaw defende cinturão neste sábado - Divulgação UFC

Dillashaw defende cinturão neste sábado – Divulgação UFC

 

Além de Bethe Correia, outro brasileiro Carlos Diego Ferreira enfrenta Ramsey Nijem na edição.

 

Carlos Diego Ferreira (direita) representa o Brasil no UFC - Divulgação UFC/Josh Hedges

Carlos Diego Ferreira (direita) representa o Brasil no UFC – Divulgação UFC/Josh Hedges

Veja o card do evento:

CARD PRINCIPAL
Peso-galo: TJ Dillashaw x Joe Soto
Peso-leve: Danny Castillo x Tony Ferguson
Peso-galo: Bethe Correia x Shayna Baszler
Peso-leve: Ramsey Nijem x Carlos Diego Ferreira
Peso-leve: Yancy Medeiros x Damon Jackson

CARD PRELIMINAR
Peso-médio: Lorenz Larkin x Derek Brunson
Peso-pesado: Ruan Potts x Anthony Hamilton
Peso-leve: Cain Carrizosa x Chris Wade

 

Askren, Aoki e Burns vencem e Kaminishi é nocauteado em evento histórico do ONE FC em Dubai

Com presença de Renzo Gracie, Askren conquista título do ONE FC - Divulgação

Com presença de Renzo Gracie, Askren conquista título do ONE FC – Divulgação

 

O maior evento asiático de MMA, o ONE FC desembarcou na cidade de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos para sua primeira edição no país.

Com três lutas de cinturão, o evento colocou suas maiores estrelas para participar do evento.

Enfrentando o ex lutador do UFC, Kamal Shalorus, o japonês Shinya Aoki mais uma vez mostrou a força de seu Jiu Jitsu.

Sem tomar conhecimento do adversário, Aoki conseguiu em poucos minutos uma vitória por finalização.

Enfrentando o japonês Nobutatsu Suzuki, o ex campeão do Bellator, o americano Ben Askren mostrou novamente sua força e em um verdadeiro monólogo aplicou um atropelo sobre o japonês.

Sem dar nenhuma chance de defesa a Suzuki, Askren colocou a luta no solo e em menos de um minuto acabou com o combate após aplicar um verdadeiro castigo com socos.

Na disputa de cinturão peso pena, o lutador da Mongólia, Jadamba Naratungalag surpreendeu o atual campeão, o japonês Koji Oishi.

Dominando a luta do início ao fim, Jadamba conquistou o cinturão na decisão após 5 rounds de muita ação.

Enfrentando o japonês Hiroshige Tanaka, o brasileiro Herbert Burns mostrou muita evolução em pé.

Surpreendendo Tanaka em pé, Herbert também colocou a luta no solo em algumas oportunidades.

Sofrendo uma pressão de Tanaka no final, Herbert foi inteligente e colocou mais uma vez o combate no solo para garantir a vitória.

Enfrentando o inglês James McSweeney, o brasileiro Cristiano Kaminishi fez sua estréia na organização.

Sem lutar a quase 4 anos, Kaminishi sentiu o poder de nocaute do adversário e acabou sendo nocauteado após um soco e um chute no solo.

Renan Barão passa mal, é enviado para hospital e está fora do UFC 177, Dillashaw enfrenta estreante Joe Soto

 

Barão está fora do UFC 177 - Alexandre Loureiro/Inovafoto

Barão está fora do UFC 177 – Alexandre Loureiro/Inovafoto

 

Uma bomba explodiu minutos antes da pesagem oficial do UFC 177 nesta sexta feira.

O brasileiro Renan Barão, desafiante ao cinturão do peso galo enfrentaria o campeão, o americano TJ Dillashaw neste sábado.

Nas vésperas da pesagem oficial do evento, segundo o site Combate.com, o brasileiro passou mal no corte de peso.

Segundo a publicação, o lutador foi levado para um hospital na cidade para ser avaliado.

Após ser atendido pelos médicos, Barão  retornou ao hotel onde está hospedado, mas segundo a publicação não tem condições de lutar amanhã.

Sabendo da situação, o UFC agiu imediatamente e colocou um novo atleta para substituir o brasileiro, o ex campeão dos penas do Bellator, o americano Joe Soto que estava no card preliminar e que faria sua estréia no Ultimate.

O evento agora somente tem oito lutas, já que o duelo de Soto que estava programado para o card preliminar foi cancelado.

Em nota a imprensa, a assessoria explicou o ocorrido com o atleta.

 

Na tarde desta sexta-feira, dia 29 de agosto, Renan Barão sofreu um forte mal estar enquanto finalizava o processo de perda de peso e não poderá participar do aguardado combate contra TJ Dillashaw, agendado para sábado, dia 30, na cidade de Sacramento, nos Estados Unidos, pelo UFC 177. 

Barão seguia normalmente descendo de peso quando, ao sair da banheira do seu quarto de hotel, sentiu-se tonto e acabou chocando a cabeça contra a parede do banheiro. Desacordado, o atleta foi prontamente socorrido por André Pederneiras, líder da Nova União, e pelo staff que o acompanha na viagem. O ex-campeão peso-galo do UFC foi atendido no hospital local e passa bem.

Renan Barão retorna ao Brasil no domingo, dia 31, e continuará em acompanhamento médico até estar 100% recuperado do susto.

Segundo o repórteres, Ivan Raupp e Marcelo Russio, do site Combate.com, o lutador não teria batido a cabeça.

Barão estava a 700 gramas do limite de 61,2kg da categoria, perdeu momentaneamente os sentidos e caiu, sendo amparado pela equipe, que chamou Burt Watson, responsável pelos lutadores do UFC, que chamou uma ambulância.

O lutador seguiu inconsciente acompanhado pelo seu treinador de muay thai, Alex Chadud e recebeu soro na veia (procedimento normal em casos como esse) e a partir deste momento não teria condições de atingir o peso para lutar pelo cinturão. Barão só recobrou a consciência quando já era atendido pelos médicos e foi imediatamente retirado da luta.

 

Ouça o Red Corner com Maurício Facção, Maurício Dehó e João Roberto Trindade, representante da CBMMA

 

O Programa Red Corner está de volta, desta vez com três convidados.

Começamos com o lutador carismático, Maurício Facção que contou sobre sua história no mundo da luta.

Além de falar sobre sua luta no Rebel FC em Cingapura, o atleta contou sobre o MMA Mineiro e sua paixão pelo futebol.

 

 

O jornalista Maurício Dehó, um dos criadores do projeto “Em 12 Rounds” explica como é esta iniciativa que visa, uma ajuda em colaboração para produzir 1000 cópias de um livro que conta várias histórias do mundo do boxe.

 

Para ajudar, acesse: Clique Aqui

 

E para fechar com chave de ouro, João Roberto Trindade, representante da CBMMA (Confederação Brasileira de MMA) fala sobre seu trabalho no MMA.

O dirigente também conversa sobre polêmicas que aconteceram em algumas lutas e explica as atitudes tomadas pela Comissão.

João também fala sobre a vinda do ex campeão do UFC, Frank Mir que vai estar realizando seminário em Mogi das Cruzes.

 

Em busca do que é “seu, Renan Barão encara revanche com Dillashaw no UFC: Tenho que vencer como sempre fiz!

 

 

Barão tem ajuda de José Aldo em preparação - Alexandre Loureiro/Inovafoto

Barão tem ajuda de José Aldo em preparação – Alexandre Loureiro/Inovafoto

 

A dolorosa derrota para TJ Dillashaw, em maio deste ano, já faz parte do passado, e Renan Barão está unicamente focado em recuperar o cinturão do peso galo (até 61,2kg). Neste sábado, dia 30 de agosto, no UFC 177, em Sacramento, nos Estados Unidos, o atleta da Nova União sobe ao octógono para fazer a revanche diante do norte-americano depois de um camp muito intenso, que contou com força e união máximas na academia, que tem, com José Aldo, o único título brasileiro do Ultimate, e quer voltar a ter o segundo.

Antes do primeiro combate contra TJ Dillashaw, no UFC 173, o lutador da Nova União vinha absoluto como o melhor do mundo entre os galos, invicto há nove anos, e considerado um dos três melhores lutadores peso-por-peso do evento (hoje aparece entre os oito, três posições acima do próprio Dillashaw). Por isso, Barão acredita que será o detentor do cinturão novamente e garante estar preparado para tê-lo outra vez.

“Tenho que subir lá no octógono e trazer de volta para o Brasil o que é meu. Aquele cinturão tem que ser meu, lutei muito por isso. Defendi-o interinamente, ganhei depois e fiquei em definitivo. Estou pronto para esta batalha e sei que vou retornar absoluto mais uma vez”, confia o brasileiro, que já está em Sacramento para a reta final de corte de peso.

Dono de um dos cartéis mais expressivos do MMA entre os atletas do UFC – são 32 vitórias e apenas duas derrotas – Renan Barão evita lamentar a derrota no primeiro confronto e garante que não se assusta em lutar na casa do adversário, em Sacramento. A cidade abriga a Team Alpha Male, equipe de Dillashaw, liderada por Urijah Faber, ex-desafiante do potiguar, que tem o provocado nas redes sociais.

“Não sei o que aconteceu naquela luta. Dillashaw estava bem, me deu uma pancada no primeiro round, que atordoei, e não lembro direito do restante da luta. Agora a revanche é na casa deles. Mas não muda nada. Vou para impor meu jogo”, comenta, evitando rebater algumas provocações feitas pelos integrantes da Alpha Male, após a derrota, em especial Faber: “Não tenho nada para responder. Ganhei do Faber duas vezes, não preciso falar nada. Tenho que subir no octógono e vencer, como sempre fiz”.

Treinos mais fortes desta vez

Mesmo acostumado com treinamentos pesados, desta vez Renan Barão realizou um camp ainda mais focado. Sob comando de André Pederneiras, líder da Nova União, o potiguar realizou atividades na academia três vezes ao dia, alternando entre treinos de boxe, jiu-jitsu, sparring, grappling e wrestling, com uma cobrança dia a dia por evolução.

“O Dedé ficou em cima. Não aliviou (risos). A preparação foi muito forte, como nunca fiz antes. Estou mais focado do que nunca. Vou continuar treinando até o dia da viagem. A perda de peso vai ser tranquila. Técnica e psicologicamente estou pronto. Evolui ainda mais daquele confronto para este”, conta.

 

 

Procurando por oponentes, Rico Verhoeven recebe indicação de Alexander Gustafsson: Meu amigo Adebuyi!

O campeão peso pesado do GLORY, Rico Verhoeven estaria procurando por adversários.

Após vencer Daniel Ghita duas vezes em suas ultimas lutas, Rico recebeu um recado do lutador sueco, Alexander Gustafsson.

Segundo Gustafsson, seu amigo, o romeno Benjamin Adebuyi, nigeriano naturalizado romeno, poderia ser uma das opções.

“Ouvi dizer que Rico Verhoeven tem procurado por adversários. Meu amigo e parceiro de treino, o romeno Benjamin Adebuyi é um dos caras mais duros que já treinei.
Se Rico está procurando por adversários, tenho certeza que Benjamin estará mais do que preparado e eu estarei lá para apoiar ele.” disse Gustafsson nas redes sociais.

Depois de ter sido substituído por Daniel Cormier na disputa de cinturão peso meio pesado do UFC, o sueco ainda não tem futuro definido, mesmo tendo sido desafiado publicamente por Anthony Johnson.

Verhoeven também ainda não tem luta marcada e nada foi anunciado pela organização do GLORY.

Prontos para o Coliseu, Arapiraca tem representantes locais em edição no dia 6 de setembro

 

 

Atleta Janio Rodrigues é uma das esperanças de cidade alagoana no Coliseu - Divulgação

Atleta Janio Rodrigues é uma das esperanças de cidade alagoana no Coliseu – Divulgação

 

Arapiraca entrou para a história do MMA Nacional após duas edições épicas do Coliseu Extreme Fight em que o público lotou a casa e fez o Staff ter dificuldade de ouvir a própria voz. A mesma emoção está por vir no dia 6 de setembro, quando os guerreiros se enfrentam no Coliseu XI, que terá card recheado de feras, sendo 4 atletas da capital do agreste.

Os lutadores arapiraquenses prometem fazer bonito no ginásio João Paulo II e estão treinando pesado. Segundo o treinador Ricardo Feitosa, responsável por três atletas de Arapiraca, a expectativa é a melhor possível. Entre os favoritos está Walison Pereira, invicto no Coliseu, com cinco lutas e cinco vitórias no evento. O arapiraquense da equipe Ricardo Feitosa enfrenta o baiano estreante no Coliseu, mas invicto em sua carreira, José Aparecido, no ‘co main event’ da noite de 6 de setembro.

Outro lutador de Arapiraca conhecido do público é Toni Belo, que tem duas lutas no Coliseu, com uma vitória e uma derrota. Ele enfrenta o pernambucano Marcos Junior, na categoria Peso Galo, na segunda luta do card principal. Já na luta do card preliminar, o estreante Ítalo Ribeiro está treinando pesado para surpreender o público.

Na sexta luta do card principal, o arapiraquense Jânio Rodrigues, da equipe Ryan Gracie Team Butantã, enfrenta o baiano Alexandre Santos, no Peso Pena. Jânio “Vitamina” é profissional desde 2012, com 3 vitórias por finalização, estreante no Coliseu.

A contagem regressiva começou para mais um grande evento de MMA para o público de Arapiraca. Um card que fará a noite do dia 6 de setembro de 2014 inesquecível, tanto para o público presente à capital do agreste, quanto para os espectadores do canal Esporte Interativo espalhados pelo Brasil.

Coliseu Extreme Fight 11

Quinta-feira, 06 de setembro de 2014, às 20h

Ginásio João Paulo II, Arapiraca – AL

Card Oficial (Sujeito a alterações)

Disputa de cinturão Peso Mosca

Giovanni da Silva “Soldado” (Hikari) vs. Gilberto Dias “Cangaceiro” ( Constrictor Team)

Categoria Peso Médio

Walison Pereira (Ricardo Feitosa) vs. José Aparecido Santos “ Zeca Predador” (Nordeste Jiu-jítsu)

Categoria Peso Leve

Luciano Palhano (M Guerra Team) vs. Roniele Gomes “Blindado” (Mario Sukata Team)

Categoria Peso Pena

Janio Rodrigues “Vitamina” (Ryan Gracie Team Butantã) vs. Alexsandro Santos “Miudinho” ( Champion Team | Nordeste Jiujitsu)

Categoria Peso Galo

Jeferson Vieira “Pitbull” (Adois Fight) vs. Odilon Gouveia “Pequeno” (Instigação Xtreme)

Categoria Peso Pena

Otávio dos Santos “Besouro” (Shock Fight | MMA Trainer) vs. Pedro Gomes (Nordeste Jiujitsu)

Categoria Peso Leve

Anderson Diniz “Falamansa” (Hikari | Eclipse) vs. Diogo Cavalcanti “Fofão” (Constrictor Team)

Categoria Peso Galo

José Antônio da Silva “Toni Belo” (Ricardo Feitosa | Titãs Muay Thai) vs. Marcos Junior (Mario Sukata Team)

Categoria Peso Palha

Marcone Muniz (M Guerra Team) vs. João Paulo “Morfeu” da Costa (Hikari)

Card Preliminar

Categoria Peso Galo

Anderson Barreto “Samurai” (Adois Fight) vs. Sergio Almeida “Wolverine”( Instigação Xtreme)

Categoria Peso Galo

Ítalo Ribeiro (Ricardo Feitosa) vs. Ricardo Rodriguez (Hikari)