Com reinauguração de sala de artes marciais, favela da Providência celebra quatro anos de pacificação

Sala de artes marciais é inaugurada no Morro da Providência - Divulgação

Sala de artes marciais é inaugurada no Morro da Providência – Divulgação

 

Nunca é demais exaltar o esporte como uma das principais ferramentas de inclusão social existentes. Localizada no centro do Rio de Janeiro, a comunidade da Providência estará em festa no dia 23 de abril , quando completa 4 anos de pacificada. Junto com a pacificação, o local também recebeu uma sala de artes marciais, que será reinaugurada  em dia especial.

Idealizado pela LBV (Legião da Boa Vontade), Super Rádio Brasil, Prime Esportes, Boomboxe e Governo do Estado, o programa que leva ensinamentos de lutas para as crianças através de policiais, está cada dia mais sólido e vitorioso, já que, além de ensinar um caminho alternativo para o bem, ainda educa e tem um bom resultado nos tatames, refletido no número de medalhas conquistadas em competições que a equipe UPP participa: mais de 1000 em menos de 4 anos.

Atualmente, cerca de 400 crianças da comunidade são beneficiadas com o programa, que além do jiu-jitsu como carro-chefe ainda conta com aulas de judô, karatê, kickboxing, passeios em eventos culturais e esportivos em geral. Coordenador de esportes da UPP Providência, o soldado Christian Ribeiro comemora os bons resultados e, principalmente, o alcance do grande objetivo: a interação entre policiais e moradores.

“O projeto foi muito importante para mudar a imagem da polícia na comunidade. No início existia um estranhamento das crianças e dos pais, que tinham em mente uma polícia que só subia o morro para reprimir. Agora, com o contato, eles sabem que os policiais não servem apenas para combater o crime, mas também para auxiliar em questões sociais”, explica Ribeiro, que exaltou a confiança dos moradores. “O reconhecimento é muito gratificante. Se antes existia receio, agora existe amizade. Na última terça-feira foi meu aniversário, e eu fui surpreendido com uma festa surpresa proporcionada pelos alunos. É algo que marca a gente e nos dá ainda mais certeza que estamos no caminho certo”.

Um dos principais incentivadores do programa,  Fabiano Marinho Gerente comercial  da Prime Esportes, responsável  pela parceria com os tatames. Feliz pelo sucesso da proposta, o paulista amante das artes marciais,  comemora o resultado relembrando momentos que o marcaram.

“Ajudar esses jovens é gratificante pelo retorno que a gente recebe. Nada paga a gente voltar na comunidade e ver um garoto que, quando o projeto começou tinha 8 anos e, agora 12, continua bastante animado com as aulas. Lembro uma vez em que eu estava tomando sorvete na praia de São Conrado e veio um rapaz me reconheceu como ‘o cara do tatame’ e me agradeceu. Ele perdeu quase 40 quilos com as aulas de jiu-jitsu na comunidade do Vidigal e ainda conseguiu largar o vício das drogas. São coisas como essas que fazem a  gente seguir em frente e devolver um pouco para essas crianças o que Deus nos deu”.

Embora seja uma peça fundamental na estrutura da iniciativa, Fabiano Marinho exalta a boa vontade e dedicação dos policiais do projeto.

“Sem eles (policiais), nada disso seria possível. Muitas vezes eles usam o dia de folga para dar aulas, conversar com as crianças, dar dicas e auxiliar no que for necessário. Eles de dedicam de verdade. E, mesmo com o trabalho duro durante a semana, eles ainda conseguem se doar para as crianças passando os ensinamentos do jiu-jitsu, judô, etc. Essa é a parte mais nobre para mim”.

Representante da LBV / Super Rádio Brasil e um dos líderes da ação, Pedro Paulo Torres relembrou com carinho o início do projeto e agradeceu aos parceiros pelo sucesso.

“Como o tempo passou rápido. São quatro anos já. O projeto foi iniciado de forma despretensiosa.  Apoiamos, investimos e, graças a Deus, o resultado superou as expectativas. Fazemos tudo de uma forma bem otimista e passamos essa esperança para as crianças também. Atualmente temos mais de  20 projetos em comunidades pacificadas, mas tudo começou na Providência há quatro anos. E nada disso seria possível se não fossem nossos parceiros, como o Governo do Estado, Prime Esportes e  Bomboxe. Temos que destacar também o apoio de atletas como Paulo Thiago, Ramon Lemos e Charles do Bronx’s, apoiadores de primeira hora!  Esporte é o caminho da educação, saúde e cidadania. Faremos  uma bonita cerimônia no dia 15 de maio para empolgar ainda mais as crianças. Vale lembrar que todos os projetos que apoiamos são nossos convidados.”

Tim Kennedy domina Michael Bisping em edição do TUF Nations Finale no Canadá

Tim Kennedy vence Michael Bisping - Divulgação UFC/Josh Hedges

Tim Kennedy vence Michael Bisping – Divulgação UFC/Josh Hedges

 

O UFC realizou nesta quarta feira a final do TUF Nations Finale – Canadá vs Austrália, final do reality show em Quebec no Canadá.

Com o confronto principal entre o americano Tim Kennedy contra Michael Bisping, o duelo não trouxe grandes emoções.

Usando de muita estratégia, Kennedy controlou o combate usando se bom jogo de solo, já que o mesmo é tem como base o Wrestling (Luta Olímpica Greco Romana).

Dominando Bisping completamente no solo, Kennedy não correu muitos riscos em pé, quando sofreu ataques de Michael.

Na decisão, o americano conquista mais uma vitória, após nocautear o brasileiro Rafael Natal.

O evento teve dois vencedores desta edição do reality.

Elias Thoedorou teve uma grande atuação contra Sheldon Westcott e com fortes cotoveladas no segundo round, acabou com o combate vencendo por nocaute técnico.

Em um confronto muito disputado, Chad Laprise e Olivier Aubin-Mercier acabaram protagonizando um luta com bons momentos para ambos os lados.

Acertando mais golpes, Laprise acabou convencendo os juízes e venceu por decisão dividida.

 

KJ Noons rouba a cena com grande nocaute - Divulgação UFC/Josh Hedges

KJ Noons rouba a cena com grande nocaute – Divulgação UFC/Josh Hedges

 

Outros destaques do evento são K.J. Noons que conseguiu um nocaute impressionante sobre Sam Stout além de Dustin Poirier que venceu Akira Corassani e Ryan Jimmo que nocauteou Sean O’Connell.

O UFC retorna neste sábado com a edição do UFC on FOX 11 com o combate principal entre o brasileiro Fabricio Werdum contra o americano Travis Browne.

Veja os resultados do TUF Nations Finale

TUF Nations: Canadá x Austrália Finale
Quebec, Canadá
Quarta-feira, 16 de abril de 2014

 Card principal:

Tim Kennedy derrotou Michael Bisping na decisão unânime 
Patrick Côté derrotou Kyle Noke na decisão unânime 
Elias Thoedorou derrotou Sheldon Westcott por TKO no R2
Chad Laprise derrotou Olivier Aubin-Mercier na decisão dividida 
Dustin Poirier derrotou Akira Corassani por TKO no R2

Card Preliminar:

KJ Noons nocauteou Sam Stout no R1
Sarah Kaufman derrotou Leslie Smith na decisão unânime 
Ryan Jimmo nocauteou Sean O’Connell no R1
George Roop derrotou Dustin Kimura na decisão unânime 
Mark Bocek derrotou Mike de la Torre na decisão dividida 
Nordine Taleb derrotou Vik Grujic na decisão unânime 
Richard Walsh derrotou Chris Indich na decisão unânime 
Mitch Gagnon derrotou Tim Gorman na decisão unânime 

Wanderlei Silva se pronuncia após briga com Sonnen e defende André Dida: Agiu no calor da emoção!

Wanderlei posta foto com treinador e defende atitude de Dida - Reprodução Facebook

Wanderlei posta foto com treinador e defende atitude de Dida – Reprodução Facebook

 

Após receber uma tonelada de críticas, o lutador Wanderlei Silva se pronunciou.

O lutador que protagonizou uma briga com o americano Chael Sonnen nas gravações do reality show de lutas do UFC, The Ultimate Fighter Brasil, defendeu a atitude de seu treinador, o ex lutador André Dida.

Wanderlei pediu desculpas ao público pela má impressão que a briga causou e aproveitou para justificar a atitude de Dida, que acertou socos nas costas de Sonnen durante a confusão.

“Quem tem amigo está com ele até o fim, a ação foi errada mais com a motivação certa de defender um irmão. Eu te agradeço @andredida por sua lealdade pois seria muito mais fácil não ter feito nada.

Sabemos que você agiu no calor da emoção, sem pensar, foi instinto de defesa. Nos conhecemos desde que tinha 12 anos de idade, eu era como o irmão mais velho e já passamos por muitas situações juntos.

Ficamos realmente unidos depois que você passou a ser um dos meus treinadores e lutamos juntos desde então!

As pessoas não sabem o que foi aguentar aquele cara no TUF diariamente provocando, só quem estava lá viu.

Ali foi realmente a hora que o copo transbordou, não somos a favor de nenhum tipo de violência.

Esta semana lanço um vídeo para que o pessoal entenda o contexto não apenas o fato isolado que afinal foi o cara que começou a briga.

Eu já tinha deixado pra lá… mas ele continuou provocando.  Eu jamais te deixaria sozinho neste momento, estou contigo sempre @andredida.

Desculpa pessoal pela má impressão que causou.” disse Wanderlei em mensagem para os fãs nas redes sociais.

 

Dida se defende de acusações e alega agir por instinto

 

O treinador André Dida também se pronunciou. Em entrevista ao site americano MMA Fighting, Dida disse que agiu por instinto e só queria tirar Chael de cima de Wanderlei.

“Sou um treinador e tenho minha própria academia. Digo para as pessoas nunca fazerem algo assim. Minha intenção era separá-los, mas tive que fazer algo.

Agi por puro instinto. Sonnen tem uma reputação ruim no Brasil, ele fala mal de todo mundo, então, é complicado me arrepender.

Eu não podia deixar o Wanderlei naquela situação. Minha intenção era separá-los, mas vi o Sonnen tentando socar o Wanderlei e, na minha cabeça, percebi que tinha que tirar o Sonnen de lá o mais rápido possível para fazê-lo parar. Soquei o Sonnen para fazê-lo parar, mas ele não parou.

Tentaram me tirar de lá, mas eu voltei e soquei de novo. Só queria arrancar o Sonnen de cima dele.

Muitas pessoas me chamaram de covarde, mas isso não é verdade. Eu seria um covarde se não tivesse feito nada.

Eu estava vendo alguém que eu admiro desde que eu tinha 13 anos em uma situação ruim. Tinha que fazer alguma coisa.

Queria que o Sonnen se levantasse e lutasse comigo. Imagine que você está no mercado e, quando se dá conta, tem alguém em cima da sua mãe ou do seu irmão.

O seu instinto diz para você parar aquilo o mais rápido possível. E foi exatamente o que eu fiz quando vi o Sonnen tentando machucar o Wanderlei.” disse Dida.

 

Cigano e Belfort criticam briga de Sonnen e Wand

 

Os lutadores Vitor Belfort e Júnior Cigano se manifestaram acerca da briga entre Wanderlei e Sonnen.

Fazendo críticas a postura dos lutadores, os ídolos nacionais reprovaram a atitude dos atletas.

“Essa briga é totalmente negativa, não precisava ter acontecido. Eu sei que a rivalidade existe, mas isso não pode ser aceito. Ficou feio e só apareceram comentários negativos. Isso denigre a imagem do esporte.

O próprio Sonnen e o Wanderlei costumam defender o esporte e tirar a imagem de que o MMA é um esporte violento. Esse tipo de briga não pode fazer parte do esporte.

Eu gosto muito do Wanderlei. O Sonnen eu conheço pouco, mas ele é inteligente, marqueteiro. Os dois são gente boa, mas não tenho a liberdade para eu chegar a chamar a atenção deles. Com certeza, acabaria rolando uma discussão.” Disse Cigano em entrevista ao site Combate.com

 

Cigano condena briga de Sonnen e Wand - Wander Roberto/Inovafoto

Cigano condena briga de Sonnen e Wand – Wander Roberto/Inovafoto

 

As artes marciais entraram na minha vida para significar disciplina e respeito, e isso aconteceu quando eu tinha apenas 8 anos, quando comecei a praticar judô.

Vejo a responsabilidade dos meus heróis esportivos que influenciaram minha carreira e, por isso, sempre me senti na obrigação de retribuir sendo um atleta que representasse o esporte com a mesma disciplina e respeito que me ensinaram quando comecei, há quase 30 anos.

A briga de Wanderlei Silva e Chael Sonnen no programa TUF Brasil me envergonha. Primeiro, porque o MMA não é briga, é luta de pessoas preparadas dentro de um octógono. Isso é o que eu faço. Eu não brigo, eu luto. Segundo, não há mais espaço para um esporte como o MMA aceitar este comportamento quando a própria modalidade tem regras claras para atitudes antidesportivas fora dos ringues.

Terceiro e o mais importante, o MMA não pode, jamais, influenciar comportamentos onde a discussão termine em agressão como se aquilo fosse o modelo adequado de comportamento.

Milhões de jovens sofrem a violência dentro e fora da escola, a televisão não pode ser propulsora deste comportamento e menos ainda, os atletas devem representar qualquer atitude violenta por descontrole, seja lá a provocação que for.

Os lutadores de MMA devem, urgentemente, estar cientes que seu comportamento dentro e fora dos octógonos pode influenciar milhões de pessoas para o bem e para o mal. Eu escolhi influenciar para o bem porque o MMA escolheu também este caminho. Qualquer coisa fora disso já deixou de ser MMA, é briga, e isso, definitivamente, não me representa.” declarou Vitor Belfort através das redes sociais.

 

Vitor Belfort (esquerda) condena atitude e faz críticas a lutadores - Divulgação UFC

Vitor Belfort (esquerda) condena atitude e faz críticas a lutadores – Divulgação UFC

 

Ginásio do Clube Hebraica receberá quarta edição do MMA Super Heroes no dia 30 de maio

Clube Hebraica recebe pela primeira vez, edição do MMA Super Heroes - Divulgação

Clube Hebraica recebe pela primeira vez, edição do MMA Super Heroes – Divulgação

 

A quarta edição do MMA Super Heroes já tem local e data para acontecer. Após realizar um evento de sucesso que lotou as dependências da casa de shows Via Marquês, a organização reservou para o próximo dia 30 de maio o Ginásio do Clube Hebraica, em São Paulo. Um dos clubes mais modernos de São Paulo receberá pela primeira vez um evento de MMA.

“Fazer o evento no Clube Hebraica é um sonho antigo. Levar o MMA pra um cenário desse patamar é motivo de bastante orgulho. Espero que os atletas e toda equipe envolvida nessa realização possam entender o patamar que estamos alcançando e, assim, possamos fazer um show pra entrar na história do esporte paulistano.” Vibra André “Bicudo” Barbosa, presidente do MMA Super Heroes.

Após comemorar a realização do evento no Clube Hebraica, André “Bicudo” comemora ainda a ascensão do evento e a boa audiência na terceira edição do show, superando a marca de 750 mil streamings em nível Brasil, sendo quase 50 mil fora do Brasil.

“Foi uma surpresa, mas por outro lado mostra o resultado do nosso trabalho, com transmissão ao vivo e em Full HD.

Tivemos mais de 300 mil streamings na 1ª edição, mais de 500 mil na 2ª e agora passamos de 700 mil com a 3ª edição. É um crescimento incrível e que mostra a evolução do evento. Nossa equipe fez uma busca de dados do evento e tivemos os principais fóruns de fãs do mundo com a galera acompanhando e discutindo o evento ao vivo, foi uma emoção inenarrável! Espero que possamos retribuir esse carinho melhorando a estrutura e a qualidade do evento a cada edição.” finaliza o presidente André “Bicudo”

Faltando pouco mais de 40 dias para o evento, a organização pretende divulgar o card completo na próxima semana e iniciar a venda de ingressos.

 

 

Dana White revela lesão de Wanderlei Silva e pede para Minotauro se aposentar: Não quero ver ele lutando mais!

Presidente do UFC revela lesão de Wand e pede para Minotauro aposentar após derrota - Divulgação UFC/Josh Hedges

Presidente do UFC revela lesão de Wand e pede para Minotauro aposentar após derrota – Divulgação UFC/Josh Hedges

 

O Presidente do UFC, Dana White revelou o motivo da mudança do combate de Wanderlei Silva e Chael Sonnen que estava marcado para o TUF Brasil Finale em maio.

O combate que foi adiado para o UFC 175, em julho, teve um motivo importante.

Segundo Dana, Wanderlei acabou se lesionando e não estaria pronto para lutar em maio.

“Sempre tem alguns idiotas da imprensa dizendo que “tudo isto é artificial”.

O que acontece é que o Wanderlei se machucou na briga. Ele levou uma queda e caiu no chão e machucou as costas. Ele ainda machucou a mão quando estava batendo na cabeça do Chael.

Ele se machucou e não poderia lutar a tempo porque ele se lesionou enquanto estava no programa. Isso é muito repugnante.” disparou Dana na coletiva de imprensa após o TUF Nations Finale.

 

Lutadores brigaram em gravações e Wanderlei se machucou - Divulgação UFC

Lutadores brigaram em gravações e Wanderlei se machucou – Divulgação UFC

 

O Presidente também fez críticas para Rodrigo Minotauro e pediu para o lutador brasileiro que é considerado uma lenda do MMA.

“Ele é um verdadeiro cavalo de guerra. O cara fez grandes batalhas no Pride. Ele é um dos lutadores mais respeitados no mundo pelos outros atletas e pelos fãs.

Eu gosto muito dele, então eu quis dar a ele a oportunidade de dizer antes. E ele disse que queria enfrentar o Frank Mir. Agora eu vou dizer.

Minotauro, eu te adoro, mas eu adoraria que você nunca mais lutasse.” disparou o Presidente em entrevista ao site FOX Sports.

 

Presidente pede para Rodrigo Minotauro se aposentar  - Divulgação Team Nogueira

Presidente pede para Rodrigo Minotauro se aposentar – Divulgação Team Nogueira

Com vaga no UFC 172, Bethe Correia quer ser a primeira mulher a “nocautear de verdade” no UFC

Bethe Correia (direita) quer mostrar sua força no UFC 172 - Divulgação jungle Fight/Fernando Azevedo

Bethe Correia (direita) quer mostrar sua força no UFC 172 – Divulgação jungle Fight/Fernando Azevedo

 

Após estrear com o pé direito no UFC, a paraibana Bethe Correia se prepara para o próximo desafio na maior organização de MMA do planeta. No próximo dia 26, ela enfrentará a norte-americana Jessamyn Duke, pelo card preliminar do UFC 172, que terá na luta principal o duelo entre Jon Jones e Glover Teixeira.

 

Invicta na carreira com sete vitórias, Bethe quer fazer história no Ultimate. Além de sonhar com o cinturão da categoria, atualmente com Ronda Rousey, a paraibana quer ser a primeira mulher a conseguir um nocaute na organização.

 

“Sempre busco o combate, e minha agressividade cresce a cada luta, junto com a minha confiança. Um nocaute feminino é mais difícil de se ver do que nas lutas masculinas, pode ver pelo UFC, que até hoje não houve um nocaute de verdade, só os técnicos. Eu quero ser a primeira a nocautear mesmo, vou em busca disso e não vou deixar essa luta nas mãos dos árbitros”, afirmou Bethe.

 

Um dos motivos para tamanha confiança da lutadora são os treinos na Pitbull Brothers, academia dos irmãos Patrício e Patrick Freire, localizada em Natal (RN). Além de possuir alguns dos melhores lutadores leves do mundo, a equipe é reconhecida pela agressividade e o poder de nocaute.

 

“Infelizmente, o déficit de lutadoras aqui é muito grande, por isso fiz poucos treinos com meninas. Mas estou acostumada a fazer meus camps com os rapazes. Tem muita gente boa e leve, treino muito com o Patrício (Pitbull), Patrick (Pitbull), Rony Jason, e eles trocam comigo de igual para igual. Por isso pode ter certeza que minha preparação foi muito boa”, explica.

 

Apesar da disso, a brasileira não deverá encontrar vida fácil no octógono. A rival Jessamyn Duke é companheira de treinos da campeã dos pesos-galos, Ronda Rousey, na Cesar Gracie Team, nos Estados Unidos. Porém, nem mesmo este fator é capaz de intimidar a “Pitbull” Bethe Correia.

 

“Ela é uma adversária muito agressiva, que vem com muito gás. Sei que ela treina com a Ronda (Rousey), e, assim como eu, vem crescendo no MMA. Mas isso não me incomoda, eu gosto disso, vai ser um grande desafio para mim e tenho certeza que estou preparada”.

 

Aos 30 anos, Bethe Correia fez a sua última luta em eventos nacionais no Jungle Fight 54, em junho do ano passado, quando derrotou Erica Paes, na decisão unânime dos juízes. Em seguida, a paraibana acertou com Ultimate e fez a sua estreia em dezembro, com vitória sobre a norte-americana Julie Kedzie.

 

Assim como a brasileira, Jessamyn Duke jamais foi derrotada. Seu cartel é de três vitórias e um no contest (luta sem resultado). Antes de acertar com o UFC, a norte-americana lutava no Invicta FC, um dos mais tradicionais eventos de MMA feminino do mundo.

Júnior Cigano posa para fotos na Avenida Paulista, fala sobre Miocic e tem esperança de fazer um novo combate com Velasquez

Lutador faz luta principal do TUF em São Paulo - Divulgação UFC

Lutador brasileiro faz luta principal do TUF em São Paulo – Divulgação UFC

 

O lutador brasileiro Júnior Cigano participou de uma seção de fotos para promover a edição do TUF Brasil Finale, que vai acontecer no Ginásio do Ibirapuera em São Paulo.

Enfrentando no dia 31 de maio, o americano Stipe Miocic, o brasileiro participou de um Hangout (chat com fãs) falando sobre suas expectativas do combate e vários assuntos.

Cigano ainda tem esperanças de enfrentar novamente o americano Cain Velasquez, e também falou sobre uma possível migração para o boxe após encerrar a carreira no MMA além de seus treinos na Nova União, academia de José Aldo e Renan Barão.

O lutador foi fotografado em plena Avenida Paulista, uma dos locais mais conhecidos da capital paulista.

 

Assista o hangout de Cigano com fãs:

Veja algumas fotos de Cigano na Avenida Paulista:

Cigano com sua guarda de boxe - Wander Roberto/Inovafoto

Cigano com sua guarda de boxe – Wander Roberto/Inovafoto

 

Lutador nos bastidores antes de seção de fotos - Wander Roberto/Inovafoto

Lutador nos bastidores antes de seção de fotos – Wander Roberto/Inovafoto

 

Lutador enfrenta o americano Stipe Miocic no Ginásio do Ibirapuera - Wander Roberto/Inovafoto

Lutador enfrenta o americano Stipe Miocic no Ginásio do Ibirapuera – Wander Roberto/Inovafoto

 

Lutador é patrocinado pelo Corinthians - Wander Roberto/Inovafoto

Lutador é patrocinado pelo Corinthians – Wander Roberto/Inovafoto

 

 

Cigano com seu sinal característico apontando para o chão - Wander Roberto/Inovafoto

Cigano com seu sinal característico apontando para o chão – Wander Roberto/Inovafoto

 

Cigano e seu perigoso jab - Wander Roberto/Inovafoto

Cigano e seu perigoso jab – Wander Roberto/Inovafoto

 

 

Com trailer cheio de sensualidade, KSW promove estréia de octógono em edição com brasileiro Maiquel Falcão em maio

KSW terá duelo entre Maiquel Falcão e Mamed Khalidov - Divulgação KSW

KSW terá duelo entre Maiquel Falcão e Mamed Khalidov – Divulgação KSW

 

A próxima edição do evento polonês KSW, um dos maiores eventos de MMA da Europa, terá uma grande novidade.

A organização anunciou que nesta edição que acontece no Ergo Arena, será a primeira edição do evento em um octógono.

Para divulgar a novidade, o evento utilizou de suas belas ring girls para promover a edição.

Em um vídeo cheio de sensualidade, os musas do evento divulgaram a grande novidade para os fãs.

O evento que tem o brasileiro Maiquel Falcão, ex lutador do UFC e Bellator enfrentando o ídolo local, o polonês Mamed Khalidov na luta principal da edição no dia 17 de maio.

 

Veja o trailer sensual do KSW:

Combate da Semana – Assista o duelo entre Julie Werner e Holly Holm no Legacy Fights

Brasileira enfrentou americana no última edição do evento americano Legacy - Divulgação Legacy

Brasileira enfrentou americana no última edição do evento americano Legacy – Divulgação Legacy

 

Neste mês, um grande combate feminino agitou os Estados Unidos no evento Legacy.

Uma das maiores lutadoras do Brasil na luta em pé, Juliana Werner enfrentou um duro desafio: a ex campeã de boxe e invicta no MMA, a americana Holly Holm.

Em uma verdadeira batalha, as lutadoras protagonizaram um grande combate ao público em uma guerra de 5 rounds.

 

Assista o combate entre Julie Werner e Holly Holm:

Lutando no UFC neste sábado, Caio “Monstro” Magalhães quer manter sequência de vitórias: Estou muito animado!

Caio Monstro está animado com nova oportunidade no UFC - Ana Carolina/Gazeta Press

Caio Monstro está animado com nova oportunidade no UFC – Ana Carolina/Gazeta Press

 

Natural de Fortaleza, Caio “Monstro” Magalhães precisou suar muito para conquistar o seu lugar no atual cenário do MMA mundial. De origem humilde e acostumado a batalhar desde pequeno para auxiliar no sustento da família, o atleta da Nova União estreou no octógono em junho de 2012, e soma duas vitórias seguidas em três lutas. Seu próximo compromisso será neste sábado, dia 19 de abril, em Orlando, Estados Unidos, no UFC on FOX 11. O oponente será Luke Zachrich, estreante que substitui Josh Samman, fora do combate por lesão.

Caio sempre teve o jiu-jitsu nas veias. Por isso, não pensou duas vezes em aliar a ajuda em casa com o prazer. E assim, após trabalhar nos Correios, deu aulas particulares da arte suave para complementar a renda familiar. Anos depois, faixa-preta e com conquistas no tatame, vai testar seu jogo de solo contra o americano, dono de sete finalizações no cartel.

“Trabalhei desde muito novo para ajudar em casa, mas meu foco sempre foi no esporte. Minha mãe não entendia muito bem, mesmo assim sempre esteve ao meu lado e me deu o maior apoio. Pratico jiu-jitsu desde pequeno e nunca parei de treinar. Não tive nada fácil em minha vida, e no UFC não tem sido diferente. Enfrento caras duros em todas as lutas e confio em minha parte de chão para vencer no sábado”, conta.

Apesar de ter seu adversário alterado com apenas duas semanas antes do combate, o cearense não perdeu tempo e já analisou o novo desafio que terá pela frente. Zachrich faz seu debute na organização, e possui um cartel com 13 vitórias e duas derrotas.

“Espero uma luta dura, já que é um cara bem forte e gosta de colocar para baixo. Já o analisei por vídeos, mas essa mudança de última hora não me afeta muito, já estou acostumado. Eu entrei no UFC dessa maneira também, pegando uma luta faltando pouco tempo. Todo mundo espera essa oportunidade e, quando ela vem, ninguém quer desperdiçar”, conta Caio, que chegou ao evento em janeiro de 2012, substituindo o, na época, lesionado Thiago Bodão.

Assim como a labuta da infância, desde cedo também Caio carrega consigo um curioso apelido. Comum no MMA, a alcunha do cearense é motivo de orgulho e de risadas para ele. “Foi na época que lutava jiu-jitsu. Eu tinha 14 anos, mas era muito grande para os meninos que competiam comigo. Então comecei a lutar com os adultos e todo mundo me chamava de monstro. O apelido pegou e levei para o MMA. Eu gosto”, revela, aos risos.

Com sete vitórias e apenas uma derrota no cartel, o peso-médio (até 84kg) agora tem a tarefa de manter a evolução no UFC. Com a confiança em alta, Caio Monstro fará sua segunda aparição pelo evento nos Estados Unidos, após triunfos no Brasil e na Austrália sobre Karlos Vemola e Nick Ring, respectivamente.

“Engatar vitórias consecutivas no UFC, que só tem lutador duro, me dá uma confiança maior, mas a responsabilidade aumenta também. Consegui duas boas atuações e estou muito animado de atuar nos Estados Unidos novamente. Será bom ser reconhecido por lá também. Com três lutas na organização, os adversários já têm o que ver no meu jogo, mas vou sempre surpreender”, decreta.

 

Lutador vem de vitórias na organização - Divulgação UFC/Josh Hedges

Lutador vem de vitórias na organização – Divulgação UFC/Josh Hedges