Vexame: Mike Miranda “dura” 51 segundos em título mundial

Os promotores, a mídia e o público ficaram revoltados com o final do combate em que o russo Zaurbek Baysangurov, 26, precisou de irrisórios 51 segundos para aniquilar o veterano brasileiro Mike Miranda, 38, para conquistar o título interino OMB supermeio-médio (69,8k). A “hipotética” luta terminou a poucos instantes no Sportpalace da cidade de Odessa, na Ucrânia.

A diferença técnica entre os dois combatentes já era apontada com antecedência por todos os especialistas. Miranda (34-4-0, 31 KOs, a confirmar) tentou a troca de golpes logo ao tocar do gongo, mas sua estratégia foi controlada por Baysangurov (26-1-0, 20 KOs), obrigando o atleta nacional a recuar para o cenro do ringue.

Percebendo a fragilidade do adversário, o lutador russo não necessitou mais que aplicar um gancho de direita curto que penetrou na guarda do brasileiro que foi ao solo, permanecendo sentado até a contagem total do árbitro Robert Byrd provocando a decepção dos organizadores, acompanhada de irritação e xingamentos dos expectadores.

“Foi uma das lutas mais horríveis em todos os tempos por título mundial”, desabafa o jornalista Alexey Sukachev, presente em Odessa. Em seu entender, a luta não deveria ter sido sancionada por nenhuma entidade, mas foi aprovada pela OMB envolvendo um legítimo boxeador como Zaurbek Baysangurov diante de um Mike Miranda classificado “quase que criminosamente” na sexta posição do ranking do organismo.

“Panchito” Bojado é perseguido e detido sob suspeitas

De carreira promissora, mas afastado dos ringues há quase quatro temporadas, o mexicano Francisco “Panchito” Bojado, 28, foi detido pela polícia no fim da noite da última quinta-feira, depois de perseguição cinematográfica. Radicado nos EUA desde os três anos de idade, Bojado não atendeu ao pedido dos policiais para parar seu veículo após cometer uma leve infração de trânsito, originando vários incidentes.

Pouco depois das 23h, Francisco Bojado (18-3-0, 12 KOs) recebeu sinal para estacionar seu carro para verificação (cuja placa estava encoberta), porém, saiu em velocidade, ultrapassou ao menos um semáforo vermelho, falava constantemente ao celular, dirigindo-se à fronteira com o México. Em determinado ponto, Bojado passou por cima de tiras com pregos, teve os pneus do carro furados e ainda assim continuou a condução do automóvel.

Com o aviso, agentes da alfândega e da proteção de fronteira paralisaram o tráfego em cruzamento, contudo, Francisco Bojado subiu no calçamento, bateu em outro veículo e não parou. Um policial disparou dois tiros sem atingir o Chevrolet do pugilista. Com o automóvel avariado, “Panchito” tentou fugir a pé, mas foi rapidamente detido e preso.

Francisco Bojado se encontra isolado na cadeia e já foi acusado de diversos crimes como suspeita de dirigir sob efeito de drogas e álcool, dirigir com carteira de habilitação suspensa, fugir de ordem de prisão, posse de material para manipulação de drogas e provocar acidente de trânsito. O mexicano-americano tem fiança estipulada em US$ 50 mil (R$ 79 mil). Uma mulher que estava em companhia de “Panchito” no carro também foi detida e liberada após depoimento.

Crítica aponta Baysangurov favorito frente a Miranda

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Até mesmo os promotores e os críticos locais não imaginam outro resultado que não o triunfo com relativa tranquilidade do russo Zaurbek Baysangurov, 26, diante do veterano brasileiro Mike Miranda, 38. O embate ocorre amanhã no Sportpalace da cidade de Odessa, na Ucrânia, e é válido pelo cinturão interino OMB da categoria supermeio-médio (69,8k). O campeão “regular” é o ucraniano Sergiy Dzinziruk.

Baysangurov (25-1-0, 19 KOs) já poderia ter a oportunidade de brigar por título mundial depois de início fulminante de carreira, tendo acumulado vitórias sobre rivais qualificados como Juan Manuel Alaggio, Hussein Bayram e Marco Antonio Rubio. Contudo, a derrota para Cornelius Bundrage (2008) atrasou seus sonhos, porém, agora soma seis triunfos consecutivos, sendo cinco por nocaute.

De combates com adversários bem mais modestos, Miranda (34-3-0, 31 KOs, a confirmar) foi derrubado em sua única apresentação fora de solo brasileiro diante do libanês Reda Zam Zam, em 2006. Na pesagem oficial de hoje, Baysangurov atingiu 69,2k, enquanto Miranda alcançou somente 67,7k.

Aspirante a rabino, Foreman mantém futuro incerto

Ainda jovem e ex-campeão mundial, o israelense Yuri Foreman, 30, prefere não autorizar nenhum de seus agentes e promotores a procurar um novo combate para seu retorno desde que perdeu para o polonês Pawel Wolak, em março passado. Aspirante a rabino depois de pendurar as luvas, o boxeador revelou boa forma física em treinos no ginásio, mas não deu sinais de quais devam ser seus próximos passos.

Foreman (28-2-0, 8 KOs) foi efêmero dono do cinto AMB supermeio-médio (69,8k) ao superar o porto-riquenho Daniel Santos, em novembro de 2009. Sete meses depois, porém, foi superado pelo também atleta de Porto Rico Miguel Cotto, em batalha épica em que procurou manter-se em pé, mesmo com lesão comprovada no joelho.

Em sua última aparição o israelense demonstrou certo distanciamento do combate com Wolak. Foi castigado com relativa facilidade durante seis roundes e permaneceu sentado ao toque do capítulo seguinte. Bruce Silverglade, assessor de Yuri Foreman, só espera que o pupilo não demore para tomar uma decisão, pois não gostaria de vê-lo como “outros combatentes que retornam após muito tempo”, com risco de perder o melhor de seu desempenho.

Brasileiro é enganado e Chaves luta com Flores

Diferente do que havia sido proposto por um agente de seu próprio país, o brasileiro Daniel Souza Santos foi descartado para enfrentar o argentino Diego “La Joya” Chaves, em combate válido pelo cinturão latino OMB meio-médio (66,6k). Agora, o adversário do portenho será o equatoriano Eduardo Flores para o encontro marcado para este sábado no Club Atlético Vélez Sarsfield, de Buenos Aires, capital argentina.

“Fui pego de surpresa pela substituição, pois já estava com as malas prontas para viajar”, decepciona-se Souza Santos (13-5-0, 10 KOs) à espera de novo combate internacional para as próximas semanas. Para Chaves (18-0-0, 14 KOs) é a quarta defesa do título, desta vez diante de Flores (10-3-1, 7 KOs) que deixou boa imagem em solo portenho pela derrota apenas por pontos para o ex-campeão mundial Carlos Baldomir, no mês passado.

Na preliminar, o também brasileiro Jonata “Maloqueiro” de Oliveira (10-0-0,9 KOs, a confirmar) se depara com o portenho e ex-desafiante mundial Javier “La Bestia” Maciel (18-2-0, 12 KOs) pelo título vago latino OMB supermeio-médio (69,8k).

Juiz reduz fiança e Gabriel Rosado sai da prisão

Graças à redução de fiança ordenada por um juiz da Corte de Atlantic City (New Jersey, EUA), o supermeio-médio (69,8k) americano Gabriel Rosado, 25, deixou a prisão onde estava desde a madrugada do último dia 16. Naquela noite o boxeador, junto a um grupo de amigos, comemorava a vitória sobre o ganense Ayi Bruce no próprio cassino do local do combate e envolveu-se em briga generalizada.

O tumulto começou quando um segurança pediu ao grupo para se retirar devido a comportamentos inadequados, mas Rosado (17-5-0, 10 KOs) e seus amigos não gostaram de ser advertidos e provocaram a confusão, incluindo a agressão ao policial Franco Sydnor que teve o lábio ferido com necessidade de pontos.

Testemunhas também relataram que Daniel Rosado, primo do pugilista, tirou o cacetete do oficial – que, entretanto, conseguiu recuperá-lo. Para ser libertado, Gabriel Rosado teve de desembolsar US$ 25 mil (R$ 38.750 mil) ao contrário da valor da fiança anterior de US$ 200 mil (R$ 310 mil). O atleta está sendo acusado de roubo a policial e incitação à violência, pórem, o cassino já disponibilizou o vídeo com as imagens para melhor avaliação da justiça.

(*) Relembre também “Gabriel Rosado ganha combate, ataca policial e é preso”, publicado no último dia 16.

Mayweather aceita Khan… com testes extras de sangue

Sem se mostrar impressionado com a última perfomance de Amir Khan, o americano Floyd Mayweather, 34, diz que aceita enfrentar o britânico, sempre com a condição de os dois atletas serem submetidos a exames aleatórios de sangue e urina. “Qualquer um que quiser me encarar sabe que não abro mão dos testes mais rigosoros”, sentencia o boxeador, adicionando mais detalhes aos intensos comentários de um possível acordo para o embate com Khan até o fim da próxima temporada.

Sobre as recentes acusações de seu tio e treinador Roger Mayweather de que Amir Khan faz uso de susbtâncias proibidas, Mayweather (41-0-0, 25 KOs) diz que esses comentários não fazem parte de seu comportamento, pois “não falo mal de ninguém”. Contudo, a estrela americana insiste no chamado teste de modelo olímpico e não vê problemas em lutar com Amir Khah em solo britânico. “Tenho muitos fãs no Reino Unido e seria um prazer me apresentar por lá”.

Amir Khan aponta desejo de ser o melhor do mundo

O triunfo que o colocou como dono unificado dos cintos AMB e FIB superleve (63,5k) esimulou ainda mais o desejo do britânico Amir Khan, 24, em se consagrar como o melhor boxeador do mundo em todas as divisões. “Luto com qualquer um e sinto que estou a poucos combates de realizar meu sonho”, declara um confiante Khan que ontem dominou o americano Zab Judah, impondo-lhe nocaute no quinto round.

Amir Khan avalia que deva fazer apenas mais um combate entre os superleves e, logo em seguida, subir uma divisão e ficar diante de rivais como o compatriota Kell Brook e o americano Floyd Mayweather. “Ainda quero colecionar novos títulos e sei que preciso efetuar melhorias em minha preparação”, concede o atleta do Reino Unido.

Sem medo dos adversários que podem ficar à sua frente, Khan descreve como suas principais virtudes a velocidade e as habilidades técnicas. “Com o que já tenho, aliado ao trabalho com o treinador Freddie Roach que pode me lapidar ainda mais, penso que posso vencer o combate com (Floyd) Mayweather”, destaca o britânico.

Fury é atordoado, recupera-se e suplanta Chisora

Em confronto que pôs à prova a inimizade entre os dois lutadores, o britânico Tyson Fury, 23, foi atingido duramente no começo, mas se recuperou e ganhou por decisão unânime do compatriota Derek Chisora, 27, roubando os cintos britânicos e do Império Britânico dos pesos pesados. O embate terminou há poucos instantes no Wembley Arena de Londres e pode colocar o vencedor em linha para desafiar o ucraniano Wladimir Klitschko, campeão unificado AMB, OMB e FIB.

Fury (15-0-0, 10 KOs) iniciou o embate com mais vigor e aproveitando-se de sua maior estatura. Porém, foi atingido por forte gancho no segundo capítulo por Chisora (14-1-0, 9 KOs) que o deixou atordoado. O atleta nascido no Zimbábue ainda comandou melhor as ações no terceiro episódio, contudo, com o maior peso já apresentado em sua carreira, revelou sinais de cansaço muito precocemente.

Recuperado e com boas combinações de golpes, Tyson Fury atingiu o rival em várias ocasiões ao logo do confronto só permitindo maior efetividade de Derek Chisora no décimo giro. No fim, Fury foi apontado vencedor em todas as papeletas em 117-112; 117-112 e 118-111. Em preliminar o irmão mais novo do agora campeão, Phil Fury (9-1-0, 2 KOs) perdeu a invencibilidade ao ser superado por pontos pelo compatriota Peter Vaughan (3-0-1, 1 KO).

Promotor dos Spinks, “Butch” Lewis morre aos 65

Um dos mais amáveis e lendários promotores de boxe, o americano Ronald “Butch” Lewis morreu aos 65 anos, vítima de parada cardíaca fulminante em sua mansão, em Delaware. Amigo de grandes lutadores, Lewis ficou mais conhecido por desenvolver a carreira dos irmãos Spinks, incluindo a proeza de colocar Leon – até então com somente sete combates – para enfrentar e derrotar Muhammad Ali, em fevereiro de 1978, em Las Vegas (Nevada, EUA).

“Buth” Lewis também foi o responsável pela revanche Leon Spinks-Ali sete meses depois no Superdome da cidade de New Orleans, estado de Louisiana, que contou com a presença extraoficial de 78 mil pessoas. O promotor tambén esteve envolvido com o embate em que Michael Spinks foi superado pelo mito Mike Tyson (1988) que, mesmo superado em apenas 90 segundos – recebeu a incrível bolsa de US$ 13, 5 milhões (R$ 21.330 milhões). Afastado do boxe, Ronaldo Lewis estava se dedicando a outras paixões como a indústria da música e espetéculos para a TV.