Roach identifica declínio na mobilidade de Mayweather

Com os olhos bem atentos a um possível futuro rival, naquela que pode se transformar na luta mais rentável da história, o treinador Freddie Roach identifica sinais de falta de mobilidade no americano Floyd Mayweather, eterno inimigo de seu pupilo filipino Manny Pacquiao. O renomado técnico diz que as suspeitas de declínio foram mais uma vez confirmadas no embate em que Mayweather superou o compatriota Victor Ortiz há duas semanas, em Las Vegas (Nevada, EUA).

“Ele não se move tanto pelo ringue como costumava fazer e qualquer um pode ver isso”, analisa Freddie Roach que apontou a diferença na atitude  de Mayweather em seus últimos combates. O treinador aproveitou para chamar a atenção para o estilo de Pacquiao que, para ele, é uma pessoa de comportamento tão esportivo quanto Ortiz.

Decepcionado com o fato de Floyd Mayweather ter se aproveitado de descuido de Victor Ortiz – que baixou as mãos para pedir desculpas por uma cabeçada intencional e acabou atingido por dois duros golpes até perder por nocaute -, Freddie Roach só pede a Pacquiao ter muita atenção e não ser bonzinho com o americano. “Esse filho da puta mostrou que pode aproveitar e te atingir com socos baratos”, critica o premiado técnico.

Adamek descarta baixar de divisão após Vit Klitschko

“Não existe essa possibilidade. As pessoas ainda não viram o melhor de mim na categoria”. O polonês Tomasz Adamek, 34, descarta completamente a ideia de baixar de divisão após a terrível derrota há três semanas para o ucraniano Vitali Klitschko. “Terminarei minha carreira nos pesos pesados”, sentencia o polonês, sem se preocupar o quão fortes e altos podem ser seus rivais no futuro.

Logo após o revés, Adamek (44-2-0, 28 KOs) ouviu muitas sugestões de retornar à divisão cruzador (90,7k) pela qual foi campeão mundial e nunca foi superado por qualquer adversário. “Não há motivo para pânico e abrir discussões sem valor. Perdi para Vitali Klitschko, o melhor pesado do mundo”, declara o polonês, avaliando que sempre aprende com os erros cometidos em seus combates.

Ainda em período de descanso, ele revela que não assistiu por inteiro sua luta com o ucraniano tampouco se reuniu com o treinador Roger Bloodworth para analisar o que deu errado em um confronto que ele mesmo opina como de “atuação média” diante do campeão. “Mesmo que (Vitali) Klitschko tivesse só cinco centímetros a mais, ele venceria”.

Muito cedo?  – O único ponto em que Tomasz Adamek poderia ter revisto é o fato de ter desafiado o dono do cinto CMB muito cedo. “Talvez não fosse o momento ideal, pois ainda tenho de aprender muito na divisão. Mas quando se é o número 1 no ranking não se pode desperdiçar, pois eu poderia ter feito história”, comenta Adamek – que tinha chance de ser o primeiro atleta a conquistar cinturões nas três maiores divisões do boxe.

Simone Duarte faz revanche com Yesica Marcos

Os promotores já fizeram a confirmação oficial. A brasileira Simone Duarte, 28, concretiza o sonho de fazer a revanche com a argentina Yesica Marcos, 25, na disputa do título interino da Organização Mundial de Boxe (OMB) da divisão galo (55,3k). O encontro está agendado para o próximo dia 8 de outubro no Polideportivo Gustavo Toro Rodriguez da cidade de San Martín, província de Mendoza (Argentina).

Foi exatamente diante da portenha que Simone Duarte (10-1-0, 3 KOs) teve sua primeira chance em abril do ano passado, sendo superada por pontos em espetáculo memorável que contou com público de 25 mil pessoas! “Admito que naquela oportunidade perdi, porém, estava afastada havia 16 meses, além de ter dado à luz à minha filha”, relembra a brasileira.

Diferente do embate anterior em que estava com 16 quilos acima da categoria devido à gestação, Duarte já está com peso muito próximo da categoria. “Tenho treinado forte, estou em ótimas condições e farei de tudo para não desperdiçar essa segunda chance”, enfatiza a atleta nacional, mãe da pequena Desirée, 2, e de Anthony, 8.

Ainda invicta, Yesica Marcos (17-0-1, 5 KOs) está sem lutar desde março quando superou nas papeletas a colombiana Maria Miranda. Durante o combate, a portenha sofreu lesão no ombro direito sendo obrigada a se submeter à cirurgia e a intenso programa de reabilitação. Existe a possibilidade de o confronto Duarte-Marcos também ser válido pelo cetro interino AMB, pelo qual a argentina faria a terceira defesa.

Mayweather dispara em direção a Ortiz e de La Hoya

Praticamente em silêncio desde a vitória polêmica de quase duas semanas, o americano Floyd Mayweather voltou ao ataque. Acusado de atitude antidesportiva pelo promotor Oscar de La Hoya e pelo pupilo Victor Ortiz por derrubá-lo no quarto round quando o rival estava com os braços baixos, a estrela dos Estados Unidos disse que pode conceder a revanche ao oponente, porém, ele deve fazer antes novo combate com Andre Berto, a quem venceu em abril.

Em tom irônico, Mayweather (42-0-0, 26 KOs) apelidou os dois críticos com nomes nada agradáveis e femininos. “Será que Victoria Ortiz quer uma revanche porque pensa que pode ganhar ou apenas porque quer mais um dia de pagamento?”, questiona o invicto americano que conquistou o sétimo título mundial.

Como Ortiz sempre alegou que um de seus ídolos é o presidente da Golden Boy Promotions, Mayweather passou a tratá-lo como “golden girl”, em alusão às fotos com roupas de mulher que Oscar de La Hoya se deixou fazer em 2007, ao lado de uma stripper. Para Mayweather só existe uma pessoa que pode derrotá-lo: o mesmo que ele olha quando está em frente ao espelho.

Garrido é apontado como adversário na lista de Garay

Faltando poucos detalhes para a confirmação do combate, o brasileiro Fábio Garrido, 32, está sendo apontado como o próximo rival do argentino Hugo Garay, 30, no evento marcado para o dia 14 de outubro no mítico Luna Park de Buenos Aires, capital portenha. Os promotores só esperam o envio de exames médicos atuais para aprovar o nome do atleta nacional para o combate pela divisão cruzador (90,7k) em dez roundes.

Os representantes de Garrido (24-2-0, 20 KOs, a confirmar) devem enviar comprovação de seu atual estado de saúde devido aos problemas enfrentados em 2004 quando o lutador ficou internado em UTI de hospital e em estado de coma por vários dias, devido a sangramento cerebral, no confronto em que perdeu para o compatriota Mário Soares.

Será a primeira aparição de Garay (34-6-0, 18 KOs) após ser suplantado por Marco Huck pelo cinto OMB da categoria, no último mês de julho. O portenho havia sido campeão mundial entre os meio-pesados (79,3k) e decidiu subir uma divisão somente no ano passado. Logo na estreia aniquilou o brasileiro Marcelo Leandro da Silva com apenas um golpe em 15 segundos de luta.

Arce massacra Nongqayi e obtém sonhada vingança

Foram quase duas temporadas de espera até a promessa ser cumprida. O mexicano Jorge “El Travieso” Arce, 32, atacou em ritmo alucinante o sul-africano Simphiwe Nongqayi, para reter pela primeira vez o cinturão OMB supergalo (55,3k) no encontro de ontem no Foro Promo Casa, da cidade de Mexicali, estado de Baja Califórnia (México). O azteca se disse vingado de sua própria derrota e do irmão para o mesmo rival africano, além de manter o cinturão diante de seus compatriotas.

Arce (58-6-2, 45 KOs) deu sinais de que desejava encerrar o combate o mais breve possível. Ainda no primeiro giro derrubou Nongqayi (16-2-1, 6 KOs) com forte cruzado de direita. O domínio do mexicano prosseguiu no segundo e terceiro capítulos com rápida movimentação e golpes poderosos.

Na rodada decisiva, Jorge Arce partiu mais uma vez ao ataque, porém, foi recebido com cabeçada intencional de Simphiwe Hongqayi, com o árbitro acertadamente descontando-lhe um ponto. O azteca necessitou de prévio atendimento médico antes de retornar ainda mais furioso e liquidar o oponente com uma série de golpes sem resposta para a intervenção do terceiro homem Rafael Ramos a 2min01seg.

Lesão nas costas tira Maldonado de guerra com Rosa

A formação de um nódulo nas costas que o impede de treinar normalmente obrigou o brasileiro  Fábio Maldonado, 31, a desistir de lutar no UFC x 6, no combate marcado contra Aaron Rosa, para 1º de outubro, em Washington (EUA). “Tentei todos os recursos médicos e mesmo alternativos possíveis, mas a lesão é insistente”, declara inconfomado o atleta nacional que alterna competições de MMA e boxe.

“Queria me recuperar da derrota anterior e desejava subir ao octógono de qualquer maneira”, revela Maldonado (com registro nas artes mistas de 18-4-0, 12 KOs), superado pelo americano Kyle Kingsbury por pontos, em junho. O brasileiro estava sem perder havia quatro temporadas, na qual acumulara 11 triunfos consecutivos e já se imaginava na arena principal do UFC ao lado do amigo e antigo parceiro de treinos Anderson “Spider” Silva.

Por contrato assinado com o UFC, Fábio Maldonado está impedido de lutar boxe ao menos até o fim desta temporada pelo qual permanece invicto na divisão dos pesados (22-0-0, 1 KOs). “Agora só penso em me recuperar integralmente, pois há boas chances de eu lutar dentro dos próximos dois meses”, aponta o brasileiro.

Viúva revela briga antes da morte de Arturo Gatti

Durante a batalha judicial para a determinação de quem ficará com a herança do falecido Arturo Gatti, sua viúva revelou que teve séria briga na madrugada em que o ex-campeão mundial foi encontrado morto dentro de um flat na cidade de Porto de Galinhas, estado de Pernambuco (Brasil). Amanda Rodrigues, 25, e a família de Gatti prestam depoimentos no Tribunal Superior de Justiça de Quebec, no Canadá.

Rodrigues confirma que os dois estiveram jantando em uma pizzaria, acompanhado de vinho, no dia 10 de julho de 2009, enquanto o filho do casal dormia em seu carrinho. Por volta das 00h30, ela disse que gostaria de ir embora, pois estava cansada. Por sua versão, Gatti não gostou e a empurrou violentamente, inclusive, sem permitir que a brasileira levasse o primogênito.

Instantes depois, o boxeador a teria encontrado e perguntado porque ela estava com os braços com sangue, ao qual Amanda Rodrigues teria dito que fora por “sua causa”. Segundo informação no tribunal, a viúva disse que Gatti se envolveu em briga com cerca de 20 pessoas, pois tudo teria começado depois que um cliente da pizzaria o teria interpelado sobre a agressão à mulher.

O que ocorreu?

Gatti agrediu uma pessoa e, por isso, foi atacado por quase duas dezenas de testemunhas com o arremesso de pedras e mesmo bicicletas – o que teria provocado o ferimento atrás da cabeça, detectado pelas perícias criminais. O advogado da família do pugilista quer saber o que de fato ocorreu entre esse incidente e o momento em que o corpo de Gatti foi encontrado no dia 11 de julho de 2009.

Inicialmente, a polícia brasileira suspeitou de homicídio e prendeu Amanda Rodrigues por cerca de três semanas. Após desse período, a libertaram por identificarem que Arturo Gatti se matou. Uma investigação particular, porém, aponta para homicídio o que aumenta a tensão sobre a batalha pela fortura de US$ 3,8 milhões (R$ 7.220 milhões) deixada pelo ítalo-canadense.

(*) Amanhã à noite, a CBS americana apresenta documentário dentro da série “Mistério” falando sobre o que pode ocorrido há mais de dois anos no Brasil, incluindo depoimentos de Amanda Rodrigues, familiares e amigos de Arturo Gatti.

Agora, Ortiz fala em “socos injustos” de Mayweather

Já de volta à sua casa, o americano Victor Ortiz, 24, alterou um pouco o discurso sobre a derrota para o compatriota Floyd Mayweather, 34, de quem perdeu por nocaute no quarto round. “Os golpes foram injustos”, desabafa o boxeador que, de quebra, ficou sem o título CMB meio-médio (66,6k), no embate realizado no último sábado no MGM de Las Vegas, estado de Nevada (EUA).

Ortiz (29-3-2, 22 KOs) disse que foi surpreendido pelos socos do adversário, pois esperava uma indicação verbal do árbitro Joe Cortez. Segundos antes, o atleta aplicou cabeçada intencional em Mayweather (42-0-0, 26 KOs), obrigando a paralisação do confronto para que lhe fosse descontado um ponto.

Imediatamente, Victor Ortiz pediu desculpas a Floyd Mayweather com aperto de luvas e beijo na bochecha e insistiu em repetir os gestos de admissão de seu erro até que a estrela americana disparou uma esquerda, seguida de direto de direita que o levou ao solo até a contagem final do árbitro. Ortiz sonha com a concessão de revanche para a próxima temporada.

Clique aqui para ver vídeo

Popó Freitas completa 36 anos e nada pede a Deus

Popó

Divulgação

Um dos maiores ídolos do esporte  brasileiro das últimas décadas, Acelino Popó Freitas completa hoje 36 anos. Cumprindo seu primeiro mandato como deputado federal por seu estado natal da Bahia, Freitas divide as atividades políticas com os treinos para sua despedida oficial, reagendada para 10 de dezembro no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília, com adversário ainda não definido. A RedeTV! promete transmitir o espetáculo.

Com quatro títulos mundiais em duas divisões, Freitas (38-2-0, 32 KOs) só volta aos tablados por um pedido do filho menor “Popozinho” que sempre insistiu em querer ver o pai em ação. “Sinto-me muito bem com a volta aos treinamentos e ainda quero baixar mais alguns quilos para estar na forma ideal para minha apresentação”, declara o brasileiro, desejando enfrentar um rival argentino.

Nascido na pobreza, mas em ótima condição financeira graças ao esporte, o religioso Popó Freitas avalia que, se tivesse a oportunidade, não teria nenhum pedido a mais a fazer a Deus. “Hoje, minha única dificuldade é permanecer mais tempo ao lado da família, devido aos muitos compromissos como parlamentar. Chego a ficar três dias seguidos sem ver minha mulher e meu filho”.