Tyson culpa falsos promotores e desmente ida a Dubai

Alegando que seu nome está sendo usado indevidamente, o americano Mike Tyson, 45, desmente que tenha programada viagem a Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, como convidado de honra para prestigiar de evento de boxe entre os dias 21 e 22 de janeiro. “Gostaria de pedir desculpas aos meus fãs, mas as notícias não são verdadeiras”, destaca o antigo campeão mundial dos pesos pesados.

Até mesmo o valor para sua aparição no espetáculo havia sido revelado em torno de US$ 160 mil (R$ 296 mil). No festival também havia sido anunciada a presença do britânico Danny Williams, penúltimo homem a derrotar o “Iron Man”, em julho de 2004. “Tudo não passa de uma grande farsa”, desabafa um agente do lutador do Reino Unido.

Oliveira sobe e Júnior aparece em ranking CMB

Único brasileiro classificado entre os melhores do Conselho Mundial de Boxe (CMB), Michael Oliveira, 21, subiu um degrau em relação à lista anterior e agora é o #14 do organismo na divisão médio (72,5k). A novidade é que a partir de agora o meio-pesado (79,3k) Jackson Júnior, 26, começa a figurar no ranking, ocupando a 30ª posição. Somente os dois atletas fazem parte dos nomes oficiais do CMB.

Diferente do que foi anunciado em sua última luta no Brasil, Oliveira (16-0-0, 12 KOs) é apontado pelo organismo como campeão sul-americano e não como dono do cinto latino como foi anunciado no triunfo obtido diante do dominicano José Soto, em julho. O time do boxeador prevê colocá-lo em atividade novamente em fevereiro contra o colombiano Milton Muñoz.

Para o invicto Jackson Júnior (10-0-0, 9 KOs) a temporada foi de confirmação de seu estágio como o melhor da categoria no país. Apesar de ter feito apenas dois combates, o pugilista superou os compatriotas Pedro Otas e Ruy da Glória, acumulando nove nocautes consecutivos. Agora, ele e seu manager Servilio de Oliveira esperam que o promotor Arthur Pellulo possa encontrar combates no exterior para manter sua trajetória de ascensão.

Marquez aceita Pacquiao, mas não em Las Vegas

Pronto para fazer qualquer ajuste e permitir a conclusão do quarto confronto com o seu maior inimigo, o mexicano Juan Manuel Marquez, 38, só impõe uma condição para enfrentar mais uma vez o filipino Manny Pacquiao, 33: a de que o combate não ocorra em Las Vegas. “Não sinto que haja julgamento imparcial por lá”, comenta o azteca, disposto a encarar a revanche em 5 de maio, data reservada para transmissão ao vivo pela HBO.

O quarto embate entre Marquez e Pacquiao passou a ser mais viável após a determinação de 90 dias de prisão ao americano Floyd Mayweather, em pena a ser cumprida a partir de 6 de janeiro. A luta poderia render mais de US$ 7 milhões (R$ 12.950 milhões) ao azteca e seria a oportunidade de apagar o resultado controverso do último mês de novembro, em que o astro asiático foi declarado vencedor em decisão majoritária e muito questionada.

Khan espera Mayweather enfraquecido após prisão

Sem fugir de qualquer tema, o britânico Amir Khan estima que a prisão decretada de três meses deve prejudicar o futuro rendimento do americano Floyd Mayweather, 34. “A detenção o afetará, do mesmo modo como afetaria qualquer um”, comenta o atleta do Reino Unido, que teve seu nome apontado como principal candidato da estrela americana para a data previamente reservada de 5 de maio, no MGM de Las Vegas (Nevada, EUA), agora incerta.

O sonho de Khan (26-2-0, 18 KOs) em encarar Mayweather já havia desmoronado ao ficar sem os títulos AMB/FIB superleve (63,5k) por ser superado pelo também ianque Lamont Peterson, no último dia 10. Menos de duas semanas depois, foi a vez de Mayweather ser comunicado de sua condenação, a ser cumprida a partir de 6 de janeiro.

“Penso que ele (Mayweather) precisará de alguns meses para recuperar a antiga forma depois da prisão e acredito que esse seja o momento ideal de lutar com ele”, analisa Amir Khan, insinuando que possui o estilo de vencer o americano invicto. Os representantes do boxeador britânico acreditam na possibilidade de revanche com Peterson ainda no primeiro trimestre de 2012.

Morales é impedido por médicos e adia luta com Garcia

A decisão era mais que previsível. Os médicos sugeriram e o mexicano Erik “El Terrible” Morales acatou a ordem de adiar o combate com o americano Danny Garcia agendado previamente para 28 de janeiro em Houton (Texas, EUA). O azteca defenderia pela primeira vez o cinto CMB superleve (63,5k) e, agora, a promotora Golden Boy está estudando alternativas de colocar os atletas no ringue para o fim de fevereiro ou março.

Submetido à cirurgia na vesícula biliar na semana passada, Morales (52-7-0, 36 KOs) até pensou em ir contra a decisão médica, mas seu pai José “Olivaritos” Morales e a Golden Boy desestimularam essa ideia. “Só pedi para adiarem não para cancelarem a luta”, enfatiza o mexicano quatro vezes campeão mundial.

Mesmo com quadro nada grave, Erik Morales teve retiradas cerca de 160 pedrinhas da vesícula biliar, sua recuperação tem sido dentro da normalidade, porém, os especialistas pediram a ele não ter pressa e manter período de repouso de cerca de quatro semanas. Mesmo sem data e local o adversário, por enquanto, continuará sendo o invicto Garcia (22-0-0, 14 KOs).

Polícia libera imagem de cela à espera de Mayweather

Ele é um dos mais bem-sucedidos esportistas das últimas décadas, milionário, dono de carros e mansões de valores fantásticos. Contudo, nada dessas posses amenizará a vida do americano Floyd Mayweather que, condenado, está sujeito a passar até três meses em minúscula cela (veja foto acima) no Centro de Detenção do Condado de Clark, em Las Vegas (Nevada, EUA).

Mayweather (42-0-0, 26 KOs) recebeu a sentença na última quarta-feira, proferida pela juíza Melissa Saragosa e está obrigado a se apresentar no tribunal no próximo dia 6 de janeiro às 10h45. Nesse horário, o boxeador será encaminhado pela polícia à detenção, mas pode ser liberado sob condicional em caso de trabalho e bom comportamento em pouco mais de 30 dias. Floyd Mayweather foi punido no processo de agressão a Josie Harris, mãe de três de seus filhos, em incidente ocorrido em setembro de 2010.

(*) Relembre também “Mayweather pode ficar longe de outros sentenciados” publicado abaixo.

Huck assina contrato e desafia Povetkin nos pesados

Em termos práticos resta apenas a aprovação da Associação Mundial de Boxe (AMB). No mais, o russo campeão Alexander Povetkin, 32, aceitou o contrato assinado pelo desafiante alemão Marco Huck, 27, para defender o cinturão dos pesados no próximo dia 25 de fevereiro no Porsche Arena da cidade de Stuttgart, na Alemanha. “São dois gladiadores dentro do ringue e o mundo precisava de um combate dessa natureza na categoria”, festeja Kalle Sauerland, não por coincidência promotor de ambos os atletas.

“Quero ser o primeiro alemão a se consagrar campeão dos pesados desde Max Schmeling e estou totalmente motivado para consegui-lo”, declara Huck (34-1-0, 25 KOs), nascido na Sérvia, mas com naturalização germânica desde 2009. O pugilista é dono do cetro OMB cruzador (90,7k) e quer esperar o resultado do combate com Povetkin (23-0-0, 16 KOs) para decidir se permanece na divisão ou retorna ao seu atual trono.

História – Max Schmeling (56-10-4, 40 KOs) é o único alemão na história a deter o cinto dos pesos pesados entre 1030-32. O atleta morreu em 2005 quando faltavam somente sete meses para completar 100 anos. Agora, Marco Huck quer repetir o feito do compatriota e, nos últimos dias, chegou a assustar amigos e torcedores ao surgir totalmente careca. Para surpresa, ele explica que, depois de chegar muito atrasado para um jantar de família, recebeu a imposição do pai Rasim para raspar a cabeça.

Mayweather pode ficar longe de outros sentenciados

AFPA preocupação em preservar e evitar maiores problemas a uma pessoa famosa pode fazer com o americano Floyd Mayweather, 34, fique ao menos uma semana em cela isolada dos outros 3,4 mil condenados, no momento em que iniciar o regime de prisão de 90 dias no Centro de Detenção do Condado de Clark (CCDC, em inglês) de Las Vegas, estado de Nevada (EUA). O boxeador ouviu a sentença da juíza Melissa Saragosa, na última quarta-feira, e é obrigado a apresentar-se às 10h45 de 6 de janeiro no tribunal para ser encaminhado à unidade prisional.

Mayweather receberá o mesmo tratamento dos outros sentenciados e utilizará o mesmo uniforme de cor azul com as iniciais do centro (CCDC) e chinelos laranja e, após a possível adaptação de sete dias, dividirá cela de seis a dez metros composta de beliche, banheiro, lavatório em aço inoxidável, um balcão de concreto com banquinho cimentado e duas pequenas janelas verticais.

O lutador também terá direito a depositar qualquer quantia em dinheiro em uma conta na cadeia para comprar lanches, doces, sabonete e produtos de higiene exclusivamente fornecidos na prisão. O item mais caro a que se tem direito a adquirir é o óculos de leitura que custa US$ 7 (R$ 12,95).

Condicional

Durante sua primeira semana de estada no centro de detenção, Floyd Mayweather terá direito a ficar um hora fora da cela, com acesso livre ao pátio de exercícios. Dependendo de seu comportamento, o campeão mundial CMB meio-médio (66,6k) pode ter direito a várias horas para se exercitar com outros presos mantidos sob custódia protetora.

O trabalho dentro da prisão, aliado a bom comportamento, pode reduzir o período de detenção de Mayweather em torno de 30 dias, permitindo-lhe ser liberado sob condicional nas primeiras semanas de março. O pugilista foi considerado culpado por violência doméstica contra Josie Harris, mãe de três de seus filhos, em episódio ocorrido em setembro do ano passado.

Popó Freitas confirma luta com Michael Oliveira

Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Só falta a assinatura do contrato. O brasileiro quatro vezes campeão mundial Acelino Popó Freitas, 36, confirmou que estará enfrentando o compatriota Michael Oliveira, 21, em luta previamente agendada para 19 de maio, em arena a ser montada na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro (Brasil). “Não é pelo dinheiro. Meu problema com esse garoto (Oliveira) passou a ser pessoal”, desabafa o antigo detentor dos cetros superpena (58,9k) e leve (61,2k).

Freitas (38-2-0, 32 KOs) não consegue esconder a raiva que nutre por Oliveira (16-0-0, 12 KOs) pela forma como foi desafiado ao longo desta temporada. “Ele não respeitou a minha história no esporte e não vejo a hora de encontrá-lo no ringue”, declara o ex-campeão em conversa com o jornalista e blogueiro da Gazetaesportiva.net, Reinaldo Carrera.

Afastado voluntariamente do esporte desde abril de 2007 quando desistiu no oitavo round no combate com o americano Juan “Baby Bull” Diaz, Acelino Freitas não teme criar uma mancha em sua trajetória caso perca para Michael Oliveira. “Só corro algum risco se não treinar”, avalia Popó que prevê a assinatura do contrato no dia 5 de janeiro. O atleta deve receber bolsa ao redor dos US$ 500 mil (R$ 925 mil).

Treinos fortes

Já pensando no confronto, Freitas diz que retomará os trabalhos duros sob a supervisão dos antigos treinadores Ulisses Pereira e Luiz Dórea, pois acredita que sua preparação será em torno de cinco meses. “Necessitarei de treinos aeróbicos intensos e de sparrings fortes”, analisa o boxeador hoje com peso em torno dos 74/75k, para a luta pactada para a divisão supermeio-médio (69,8k).

Popó Freitas jamais deixou de manter alguma atividade física, tanto que na noite de ontem esteve na cidade de Laranjal Paulista (interior de São Paulo), em jogo de futebol beneficente, ao lado de amigos famosos como Cafu e Roberto Carlos, campeões mundiais com a Seleção brasileira em 2002. “Toda vez que alguém me encontra na rua acaba perguntando quando eu vou bater naquele moleque”, finaliza Freitas, que deixa escapar a vontade agredir sem parar Oliveira até mandá-lo para o hospital.

Floyd Mayweather é condenado a 90 dias de prisão!

A justiça desta vez não foi tão benevolente. O americano Floyd Mayweather, 34, acaba de ser condenado a 90 dias de prisão, em decisão proferida pela juíza Melissa Saragoza, da Corte do Condado de Clark, em Las Vegas (Nevada, EUA). A condenação se refere, exclusivamente, às acusações de violência doméstica cometidas pelo boxeador contra Josie Harris, mãe de três de seus filhos, no ano passado.

A pena a Mayweather não ficou restrita à prisão. O atleta ainda deverá pagar multa de US$ 2,5 mil (R$ 4.625 mil) e prestar 100 horas de serviços comunitários, com o cumprimento de todas essas ordens judiciais a partir das 10h45 do dia 6 de janeiro. O advogado de Mayweather ainda perguntou à juíza sobre a possibilidade da prisão ser transformada em domiciliar, porém, Melissa Saragoza negou qualquer reconsideração ao dizer que “a pena é apropriada” para o crime cometido pelo pugilista.