Popó Freitas viaja confiante para superar Oliveira

Sem demonstrar preocupação com os mais de cinco anos de inatividade, o quatro vezes campeão mundial Acelino Popó Freitas, 35, chega ainda hoje a Punta del Este (Uruguai), onde no sábado enfrenta o jovem compatriota Michael Oliveira, 22, no Conrad Resort & Casino. O embate está pactado para dez roundes pela categoria supermeio-médio (69,8k).

Durante muitos meses, Freitas (38-2-0, 32 KOs) foi desafiado e insultado por Oliveira (17-0-0, 12 KOs) até fechar acordo para recebimento de bolsa de R$ 800 mil (ao redor dos US$ 400 mil). Indepedente do resultado, Popó Freitas garante que essa é mesmo sua última luta, pois é uma forma de atender aos apelos do filho Popozinho que nunca o viu em ação.

Médicos revelam: Paul Williams jamais voltará a andar

Não existem mais esperanças. Depois de baterias de exames de ressonância magnética e raio-X, os médicos identificaram sério rompimento da medula espinhal e decretaram que o americano Paul Williams, 30, jamais voltará a andar, deixando para trás uma trajetória com cinturões mundiais em duas categorias e excelente recorde. O boxeador sofreu acidente de motocicleta na manhã do último domingo perto da cidade de Atlanta, estado da Georgia (EUA).

Sem nunca ter perdido a consciência durante e após o acidente, Williams (41-2-0, 27 KOs) descreve que pilotava sua moto em direção a Atlanta, onde pretendia assistir ao casamento de um de seus irmãos. O pugilista reside em Grovetown há cerca de 45 minutos do local da celebração e decidiu ir de motocicleta depois de participar da despedida de solteiro.

Williams relembra que a desatenção de motorista de outro carro o obrigou a trafegar para a faixa de sentido contrário e, para não ser atingido frontalmente por outro veículo, desviou e acabou caindo em um barranco. Na queda, o boxeador deslizou vários metros com as costas no chão o que motivou a extensão da lesão com rompimento de 90% da medula espinhal. O percentual restante será responsável pela manutenção dos movimentos de pescoço, tronco e braços. Williams usava capacete.

Os médicos estão ministrando medicamentos para reduzir o inchaço nas costas para, em seguida, submeter o atleta à cirurgia de proteção à parte inferior da coluna. Mesmo com a informação da gravidade de seu quadro, Paul Williams tem procurado manter o espírito e a mente fortes e chegou a pedir para as pessoas não acreditarem em seu fim e que ainda voltará a competir.

Williams sofre acidente de moto com risco de paralisia

A notícia está abalando o mundo do boxe. O americano Paul Williams, 30, sofreu grave acidente de moto na manhã deste domingo perto da cidade de Atlanta (estado da Georgia, EUA) e corre risco de ficar paraplégico, pois não consegue mover as pernas. Os médicos preveem intervenção cirúrgica na próxima quarta-feira para estabilizar a parte superior da coluna do atleta para evitar maiores danos e sequelas.

Existem poucos detalhes sobre como se deu o acidente. Campeão mundial em duas categorias, Williams (41-2-0, 27 KOs) tinha previsto a oportunidade de desafiar o mexicano Saul “Canelo” Alvarez, dono do cinto CMB supermeio-médio (69,8k), em 15 de setembro no MGM de Las Vegas (Nevada). As últimas horasforam terríveis para o esporte ao ser atingido por duas tragédias: o desastre de Williams e a morte de Johnny Tapia.

Polícia confirma morte de Johnny “mi vida loca” Tapia

Dentro das próximas horas haverá mais detalhes, mas a polícia da cidade de Albuquerque (estado de New Mexico, EUA), confirmou a morte do americano Johhny “mi vida loca” Tapia, campeão mundial em três divisões. O corpo foi encontrado ontem por volta das 19h45, quando as autoridades receberam chamada de um membro da família do lutador. Tapia tinha 45 anos.

Segundo o porta-voz do Departamento de Polícia de Albuquerque, Robert Gibbs, a impressão é a de que a morte foi natural, já que não havia indícios de nenhum sinal suspeito dentro da casa. Tapia (59-5-2, 30 KOs) passou anos brigando contra o vício das drogas e do álcool, foi preso inúmeras vezes, violou condicional e tinha comportamento que justificava o apelido de “mi vida loca”.

Wlad Klitschko afasta luta com vencedor de Haye-Chisora

Dono de três dos quatro principais cinturões dos pesos pesados, o uraniano Wladimir Klitschko, 36, afasta por completo a possibilidade de enfrentar o ganhador do embate polêmico entre os britânicos David Haye e Derek Chisora, agendado para 14 de julho no Upton Park de Londres (Reino Unido). “Não tenho nenhum entusiasmo em lutar com Chisora e o mesmo vale para Haye”, sintetiza o ucraniano.

Wlad Klitschko (57-3-0, 50 KOs) é crítico feroz do combate Haye-Chisora até porque a supervisão será da Federeção de Luxemburgo e não do Conselho de Controle do Boxe Britânico. “Não falo nada sobre Haye, pois ele é um atleta aposentado. Já Chisora não merece estar lutando sem a licença do conselho de seu país”.

Froch pulveriza Bute e conquista terceiro cinturão

Muito antes do combate ele dizia que ninguém iria até sua casa e sair impune. O britânico Carl Froch, 34, cumpriu a palavra e destruiu o canadense até então campeão mundial e invicto Lucian Bute, 32. O triunfo foi obtido por nocaute técnico no quinto round e o atleta do Reino Unido abocanhou pela terceira vez o cetro CMB da divisão supermédio (76,2k) há poucos instantes no Capital FM Arena de Notthingham (Inglaterra).

O confronto começou com os dois lutadores aplicando duros golpes, porém, em pouco tempo Froch (29-2-0, 21 KOs) passou a comandar as ações. Tudo poderia ter sido decidido já no terceiro episódio quando o britânico castigou Bute (31-1-0, 24 KOs) que, cambaleante e desesperado, procurou os agarrões para finalmente ser salvo pelo gongo.

A quarta rodada continuou com o domínio avassalador de Froch que manteve a pressão sobre Bute que não suportava os duros socos – mais uma vez ficou livre pela campainha nos últimos dez segundos. Ao iniciar o quinto e decisivo giro, o lutador do Reino Unido partiu para cima do romeno-canadense e o massacrou até a intervenção correta do árbitro Earl Brown para a paralisação a 1min05seg. Quando aceitou o confronto fora de seus domínios, o time de Bute já havia garantido a revanche em Montreal (Canadá) independente do resultado.

Ganho de Pacquiao é abaixo do esperado com Bradley

Apesar da qualificação de melhor boxeador do mundo, o filipino Manny Pacquiao, 33, não deve receber valor muito elevado para expor o título OMB meio-médio (66,6k) contra o americano Timothy Bradley, 28. Os primeiros indicadores apontam para bolsa ao redor de US$ 6 milhões (R$ 12 milhões) para o astro asiático, enquanto Bradley fica com US$ 5 milhões (R$ 10 milhões) no confronto agendado para o MGM de Las Vegas (Nevada, EUA), em 9 de junho.

Surpreendido com a revelação dos baixos ganhos de seu pupilo por sua importância, o promotor Bob Arum garante que, no fim das contas, Pacquiao receberá algo em torno dos US$ 26 milhões (R$ 52 milhões), somando-se as receitas advindas da comercialização de TV em todo mundo e vendas em pay-per-view. Qualquer que seja o número exato do faturamento do filipino, o rendimento está bem inferior ao que é produzido com as lutas de Floyd Mayweather.

Bute põe cinto e enfrenta clima hostil em solo de Froch

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Pela primeira desde que se consagrou campeão, o romeno-canadense Lucian Bute, 32, estará diante de clima hostil quando expuser o título FIB supermédio (76,2k) contra o britânico Carl Froch, 34. O confronto está marcado para amanhã no FM Capital Arena da cidade de Nothingham (Reino Unido), com Bute defendendo o cetro pela décima oportunidade, com a absoluta maioria dos torcedores contrários.

“Eu sou melhor, mais forte e mais rápido que Froch”, dispara o canhoto e invicto Bute (30-0-0, 24 KOs) que recentemente obteve a cidadania canadense. Ele aceitou as condições financeiras para o combate e saiu da zona de conforto de atuar fora de seus domínios. Para Froch (28-2-0, 20 KOs) é a chance de recuperar o título que já lhe pertenceu em duas vezes. “Ninguém vem à minha casa sem sair ileso”, ameaça o britânico.

Acusado revela que foi ele o atacado por Nick Casal

Em versão que está sendo apurada com mais cuidado pela polícia, Michael P. Vicki, 30, revelou que foi ele inicialmente agredido pelo boxeador americano Nick Casal, 26, e que seu ataque foi apenas uma forma de defesa. O episódio ocorreu na madrugada do último dia 12 em Niagara Falls (estado de New York, EUA) e, em depoimento escrito entregue ao tribunal, Vicki disse que se envolveu em briga com Casal depois que o lutador fez uma visita à sua casa.

Vicki sustenta que era Casal o agressor e ele não tinha outra escolha a não ser defender-se. Ainda no depoimento, ele declara ter chamado a polícia voluntariamente e buscou atendimento em hospital para cuidar de seus ferimentos. Detido sem direito a fiança, Michael P. Vicki está enfrentando acusação de crime em primeiro grau.

As alegações de Nick Casal (22-4-1, 17 KOs) são bem diferentes. O pugilista afirma ter ido à casa de uma ex-namorada exatamente na residência da mulher do ex-namorado – em história que mais se assemelha a enredo de novela ou filme. Quando saía junto com a garota, Casal afirma ter sido atacado pelas costas possivelmente por um taco de golfe. Os intensos ferimentos na cabeça exigiram a implantação de mais de uma centena de grampos e pontos.

Popó espera calar boca de técnico de Michael Oliveira

Montagem sobre fotos de Reinaldo Carrera

Popó, Orlando Cuellar e Michael Oliveira

Campeão mundial em duas categorias, aposentado voluntariamente e sem atuar há mais cinco temporadas, o brasileiro Acelino Popó Freitas, 35, não gostou da previsão feita pelo treinador Orlando Cuellar de que “não termina em pé o combate” com o pupilo e compatriota Michael Oliveira, 22. O confronto está marcado para o próximo dia 2 de junho no Conrad Hotel & Resort de Punta del Este (Uruguai) em dez roundes pela divisão supermeio-médio (69,8k).

“Esse garoto (Oliveira) nunca lutou com ninguém. Vamos ver agora como ele ficará ao me enfrentar”, dispara Freitas (38-2-0, 32 KOs), em entrevista exclusiva ao Gazetaesportiva.Net. O ex-campeão foi descrito por Cuellar como um “atleta envelhecido e inativo há muito tempo” o que poderia facilitar o trabalho de Oliveira (17-0-0, 12 KOs).

Popó Freitas avalia que o longo tempo sem atuar foi compensado pela retomada de preparação na antiga parceria com o técnico Ulisses Pereira e com sessões de sparring que ultrapassaram as sete dezenas. “Tenho fôlego para completar todas as rodadas e consegui rapidamente entrar em forma, pois nunca deixei de jogar futebol e não tenho vícios como beber ou fumar”, explica.

Pronto para tudo

Ainda com cerca de quatro quilos acima do estabelecido para o combate, Acelino Freitas vê algumas vantagens ao atuar pela primeira vez entre os supermeio-médios. “Quando fui campeão dos leves (61,2k) meu peso no dia da luta já estava entre 66 e 67 quilos, portanto, acho que não terei nenhuma dificuldade em adaptar-me”.

Desconfiado das palavras do treinador Orlando Cuellar para quem Michael Oliveira evolui muito em seus últimos combates, Popó Freitas diz que aceita qualquer estratégia a ser implantada pelo adversário 13 anos mais jovem. “Ele recebe muitos golpes e sai sempre machucado de seus combates. E, se ele quiser partir para a trocação, estou pronto para tudo”, finaliza.
(*) Leia abaixo “Técnico de Oliveira aposta em nocaute contra Popó”