Gamboa opta por silêncio sobre suspeita de doping

Os advogados estão estudando alguma forma de processo judicial contra os denunciadores e, por enquanto, sugerem ao cubano Yuriorkis Gamboa, 31, evitar qualquer declaração à imprensa sobre o suposto esquema de utilização de substâncias proibidas para melhoria de desempenho. Nas últimas horas, o caribenho teve seu nome encontrado em anotações na clínica Biogenesis de Miami (Flórida, EUA), revelando indicações de consumo de produtos ilícitos. O local comandado por Anthony Bosch, e que se autoproclamava clínica especializada em antienvelhecimento, já está fechado.

“Estou próximo de Gamboa desde o momento em que ele chegou a este país (EUA) e iniciou sua carreira profissional e posso dizer que nunca conheci esse homem (Anthony Bosch)”, aponta Tony Gonzalez, advogado do boxeador. O profissional prefere não indicar os caminhos jurídicos a serem adotados no caso, mas amigos já confirmaram que Gamboa (22-0-0, 16 KOs) esteve mesmo na clínica em busca de suporte nutricional e não para consumir esteroides e outras drogas para construir seu corpo.

Gamboa é suspeito de consumir substâncias ilícitas

Em investigação que deve gerar muitos desdobramentos, o cubano bicampeão mundial Yuriorkis Gamboa, 31, surge como um dos maiores suspeitos em consumir drogas ilícitas para melhoria de desempenho, fornecidas pela clínica Biogenesis da cidade de Miami (Flórida, EUA), estranhamente fechada há poucas semanas. O nome do atleta – e de vários outros esportistas – aparece regularmente em anotações encontradas em notebook entregue à polícia e a jornalistas por um ex-funcionáro.

Segundo os relatos, Gamboa (22-0-0, 16 KOs) teve criado um programa específico para evoluçao de sua performance, incluindo a ingestão de hormônio de crescimento humano e esteroides anabolizantes. Em anotações já do ano de 2009, o lutador caribenho teve ministrados proteínas em pó, cálcio, zinco composto, magnésio e, ainda, uma dieta de seis dias com a ingestão de HGH (hormônio de crescimento), IGF-1 (estimula a produção de insulina e crescimento muscular) e creme de testosterona em 20 por cento.

O que também vem chamando muito a atenção nos documentos é a indicação para Gamboa da “necessidade de limpeza” do organismo em dezembro de 2011, período que antecedia o confronto agendado para janeiro do ano seguinte com o americano Brandon Rios, afinal, cancelado. A clínica ligada ao nome de Gamboa era comandada por Anthony Bosch, 49, cujo pai Pedro Publio é cubano.

Quase esquecido, Smith briga por cetro de Bundrage

Foram longos anos de altos e baixos e de quase esquecimento de suas qualidades e potencial. Finalmente, o americano Ishe Smith, 34, alcança o maior degrau da vida ao desafiar o compatriota Cornelius “K9” Bundrage, 39, detentor do cetro FIB supermeio-médio (69,8k). O confronto está acertado para 23 de fevereiro no Joe Louis Arena da cidade de Detroit, estado de Michigan (EUA), local onde reside o campeão.

Smith (24-5-0, 11 KOs) é reconhecido desde os tempos da primeira edição da série The Contender, perdeu apenas para rivais de bom nome sem, contudo, ser derrubado por nenhum deles. A reviravolta ocorreu quando fechou acordo com a empresa de Floyd Mayweather no ano passado. “Confiei em sua (Mayweather) palavra e aqui estou para lutar pelo mundial”, festeja o ianque.

Livre do contrato que o prendia a Don King, Bundrage (32-4-0, 19 KOs) sente fome de luta, algo muito irregular na época do octagenário promotor – ele se apresentou apenas quatro vezes nas últimas quatro temporadas. “Eu me sinto como um pequeno Mike Tyson. Em 23 de fevereiro, Smith não levará nada de mim. Estou partindo para esmagá-lo”.

AMB dá concessão a Wlad Klitschko antes de Povetkin

Os fãs do esporte devem esperar mais algum tempo para ver a unificação entre o supercampeão AMB dos pesos pesados Wladimir Klitschko (Ucrânia) e o dono do cinto “regular” Alexander Povetkin (Rússia). Tudo porque o organismo com sede na Cidade do Panamá atendeu aos apelos do ucraniano e o autorizou a efetuar uma defesa voluntária, provavelmente para 6 de abril, antes de encarar o rival russo.

Para a concessão especial, contudo, a AMB faz uma exigência: a de que Wlad Klitschko e Povetkin apresentem contrato assinado até 28 de fevereiro para que possam confrontar-se até 31 de julho. Na hipótese de que não alcancem acordo, a AMB leva a luta a leilão em 18 de março. O ucraniano tem uma lista de adversários para abril, incluindo o cubano Odlanier Solis.

Silva se recupera de tiros; polícia prende suspeito

Foi preciso poucas horas para a polícia prender Robson Freitas, acusado de disparar cinco tiros contra o brasileiro Assuério Silva, 39, ex-lutador de MMA e boxe, em episódio ocorrido na noite de ontem na cidade de Curitiba, capital do estado do Paraná (Brasil). As autoridades encaminharam o suspeito à delegacia e agora ele está sendo interrogado para obtenção dos motivos para a tentativa de homicídio.

Diferente do quadro inicial, gerador de informações distorcidas sobre sua gravidade, Assuério Silva não corre risco de morte e pode ser liberado do Hospital Cajuru ainda nesta semana. Os médicos avaliam que o ex-lutador contou com muita sorte, pois os tiros provocaram danos menores como fraturas em três dedos das mãos, no pulso e no joelho.

Além disso, o único disparo efetuado na parte lateral do corpo, milagrosamente não provocou qualquer ferimento em órgãos internos. Segundo a mulher de Assuério Silva, na realidade Robson Freitas é ex-aluno da Academia Total Punch e há muito tempo alimentava desavenças com seu marido.

Assuério Silva é atingido por disparos; estado é grave

Os médicos qualificam como grave o estado de saúde do brasileiro ex-lutador de artes marciais mistas (MMA) e boxe, Assuério Silva, 39, internado no Hospital Cajuru, na cidade de Curitiba, região Sul do país. Pouco depois das 22h de ontem, o atleta fechava as portas de sua academia e foi atingido por cinco tiros. Ele estava aposentado das competições desde 2009 e atuava como treinador. O principal suspeito é seu ex-sócio Robson Freitas.

Logo depois da saída do último aluno em sua academia Total Punch, no bairro da Felicidade, na capital paranaense, Assuério Silva já estava com as chaves na mão e do lado de fora do estabelecimento para encerrar as atividades, quando foi pego de surpresa, sendo alvo fácil para o criminoso. Forte, resistente e com quase 110 quilos, o lutador ainda conseguiu correr e pedir ajuda a vizinhos que acionaram a polícia e a equipe de resgate.

Durante todo o trajeto para o hospital, Assuério Silva se manteve consciente e informou que o autor dos disparos foi seu ex-sócio Robson Freitas, com quem revelou ter tido “brigas antigas” e consequente rompimento de parceria nos negócios. A polícia está tratando o caso como tentativa de homicídio e, ao se dirigir à casa já abandonada do acusado, encontrou projéteis, caracterizando de imediato porte ilegal de munição.

Uma luta de boxe – Assuério Silva teve a absoluta maior parte da carreira dedicada às artes marciais, sendo campeão no Pancrase e com combates no Pride e no UFC. No boxe, ele fez apenas uma apresentação profissional em 21 de junho de 2008, na qual pulverizou o compatriota Adriano Vicente em apenas 38 segundos, em que estivemos presente.

Triste coincidência

A tragédia que atingiu neste momento Assuério Silva relembra a morte do ex-atleta e treinador Osmar Dias, o Osmarzinho, que também ganhou luta naquela mesma noite de junho de 2008. Quatro meses depois, Dias morreu vítima de circunstâncias semelhantes às de Silva, pois foi atingido por dois disparos quando também trancava as portas de sua academia na mesma cidade de Curitiba. À época, Osmar Dias tinha apenas 38 anos.

Advogados pedem pena e multa reduzidas a Chavez Jr.

Mesmo sem data confirmada para depoimento, o mexicano Julio Cesar Chavez Jr., 26, deve comparecer à Comissão Atlética do Estado de Nevada (Las Vegas, EUA) ainda neste mês para oferecer suas explicações para a detecção de maconha em seu organismo após o embate com o argentino Sergio Martinez, em 15 de setembro do ano passado. Para ganhar tempo antes da decisão do órgão, os advogados do atleta fizeram ontem sua defesa e pediram uma pena máxima de seis meses e multa de US$ 10 mil (R$ 20 mil).

Pessoas próximas a Chavez Jr. (46-1-1, 32 KOs) não acreditam que a comissão aceite os argumentos dos advogados e imaginam que a suspensão possa alcançar ao menos nove meses, bem como a multa em dinheiro seja bem superior à sugerida. O filho da lenda é reincidente no mesmo estado americano, pois, em 2009, foi flagrado por uso de diurético no confronto com Troy Rowland. Na oportunidade, o azteca teve o resultado da luta ganha por pontos modificado para “sem decisão”, foi suspenso por sete meses e multado em US$ 10 mil.

Promessas e problemas fazem Barrios se aposentar

“Penso em deixar o boxe pelas negativas que recebo cada vez que me programam um combate”. Com certa amargura, o argentino ex-campeão mundial Jorge “La Hiena” Barrios, 36, fez desabafo por meio de redes sociais, ao mesmo tempo em que comunica seu afastamento do esporte. “Não espero mais nada. Cansei-me”.

Barrios (50-4-1, 35 KOs) passou a ter problemas em encontrar promotores dispostos a investir em seu nome, depois que ele protagonizou acidente automobilístico em janeiro de 2010, no qual matou uma jovem de apenas 20 anos, grávida de seis meses. No ano passado, o atleta foi condenado a quatro anos de prisão, mas recursos judiciais de seus advogados, juntamente com pagamento de fiança, permitem que ele fique em liberdade.

Fora dos ginásios e dos ringues, Barrios planeja se dedicar aos estudos de marketing e procurar outra direção para sua vida pessoal. Como lutador teve seu ponto máximo na conquista do cetro OMB superpena (58,9k) ao superar Mike Anchondo e efetuar defesas exitosas diante de Victor Santiago e Janos Nagy até perder para Joan Guzmán. Um dos momentos mais emocionantes de sua história foi o embate sangrento e violento com o brasileiro Acelino Popó Freitas, em agosto de 2003.

Tragédia: Boxeador indonésio cai desfalecido no ringue

Os médicos não conseguiram salvar a vida do adolescente indonésio Tubagus Shakti que, em tragédia, morreu no início da tarde deste domingo na cidade de Jacarta, capital de seu país. Na noite anterior, o atleta perdeu por nocaute técnico no oitavo round para o compatriota Ical Tobida, em embate válido por título regional minimosca (48,9k). Logo após a intervenção do árbitro, Shakti conseguiu retirar o protetor e começou a perder os sentidos.

Na parte final do combate, Shakti (2-3-2, 1 KO) chegou a levantar os braços em duas ocasiões como que sinalizando o desejo de abandonar o confronto. Contudo, ele ainda recebeu mais alguns poucos golpes de Tobida. Quando alcançou o córner com a ajuda do terceiro homem do ringue, o jovem indonésio perdeu a consciência e passou a receber atendimento.

Depois de alguns minutos, Tubagus Shakti foi imobilizado e encaminhado a hospital e ainda sofreu convulsões. Com estado de saúde grave, os especialistas nada mais puderam fazer e o atleta morreu devido à hemorragia cerebral. O pugilista, estreante em abril de 2011, deixou de existir com somente 17 anos.

(*) Nota do blogueiro: As cenas dos últimos momentos de vida do boxeador Tubagus Shakti são perturbadoras. Se você se sente incomodado com esse drama esportivo, por favor, recomendamos não assistir às imagens desse vídeo.

http://www.youtube.com/watch?v=2SBt307waKg

Holyfield dá palestra para ajudar a combater o bullying

Divulgação

Divulgação

Vítima de bullying na infância, pela dificuldade em aprender a ler nos tempos da escola, o lendário peso pesado Evander Holyfield, 50, quer fazer sua parte para acabar com o comportamento preconceituoso e violento que se espalha cada vez pelo mundo. Amanhã, o antigo quatro vezes campeão mundial da divisão máxima do esporte estará concedendo palestra em Vancouver (Canadá), sensibilizado ainda mais pelo suicídio cometido por uma adolescente depois de passar anos sendo “atacada”.

“Isso (bullying) tem de parar”, desabafa Holyfield, apelando também para maior atenção das famílias para detectar o problema em suas próprias casas. “É muito importante que os pais sejam capazes de fazer com que seus filhos vivam suas vidas, sem pressões, preconceitos e violência”, destaca.

Quando criança, Holyfield enfrentou provocações pela dificuldade com a leitura, contudo, sua mãe teve papel primordial para que ele superasse o obstáculo. “Eu chorava, mas minha mãe insistia para eu voltar à escola, perserverar e manter a calma. Ela dizia que levaria tempo, mas eu aprenderia a ler”, relembra emocionado.

Detentor de cinco cinturões mundiais – um pelos cruzadores (à época 86,1k) e quatro pelos pesados -, Holyfield acredita que os ensinamentos e as palavras da mãe contribuíram para ele alcançasse sucesso no esporte. “Quando em idade jovem se aprende a enfrentar seus medos, pode ser o ponto de diferença entre as pessoas que são campeãs na vida e as que jamais serão”.