Chavez Jr. é suspenso nove meses mais multa pesada

Mesmo sem estar presente na audiência – afinal feita por telefone – o mexicano Julio Cesar Chavez Jr., 27, foi punido severamente pela Comissão Atlética do Estado de Nevada (NSCA, por sua sigla em inglês). O filho da lenda acabou suspenso por nove meses e ainda tem de pagar multa de US$ 900 mil (R$ 1.773 milhão) por ter sido flagrado por uso de maconha no embate contra o argentino Sergio “Maravilla” Martinez, em 15 de setembro do ano passado. O valor é 30% da bolsa total recebida pelo confronto e estava retida na NCSA.

Chavez Jr. (46-1-1, 32 KOs) alegou problemas na obtenção de visto para entrar em solo americano e a NSCA decidiu ouvir suas explicações via teleconferência. Depois de apresentar seus argumentos, a comissão se reuniu a portas fechadas até decidir pela punição em votação dividida (3 a 2), pois alguns membros queriam estender o afastamento do atleta por um ano já que ele é reincidente por doping.

Em 2009, Chavez Jr. não passou nos testes para o diurético furosemida após superar no ringue o americano Troy Rowland. O resultado foi alterado para sem decisão, o pugilista ficou impedido de lutar por sete meses e teve aplicada multa de US$ 10 mil (R$ 19,7 mil). A penalização de agora é retroativa, o que pode recolocar o azteca em competição em 15 de junho.

Marquez pede US$ 20 mi para batalha com Pacquiao

Foto: JOHN GURZINSKI/AFP

Foto: JOHN GURZINSKI/AFP

Ninguém faz qualquer confirmação oficial, porém, fontes próximas ao mexicano Juan Manuel Marquez, 39, garantem que o atleta só aceitaria fechar a quinta batalha com o filipino Manny Pacquiao, 34, caso tenha a garantia de receber bolsa em torno de US$ 20 milhões (R$ 39,4 milhões). Representantes dos dois boxeadores planejam realizar o combate no mês de setembro, em cenários como a Cidade do México, Macau e mesmo os Estados Unidos.

Marquez (55-6-1, 40 KOs) não está com a visão voltada apenas para Pacquiao. Depois de receber autorização e apoio da mulher Erika para manter-se em atividade pela última vez nesta temporada, o ídolo azteca não afasta a possibilidade de buscar a quarta coroa mundial e, nessa situação, não deixa de mirar suas armas na direção do americano Timothy Bradley, atual detentor do cetro OMB meio-médio (66,6k).

Ramona Kuhne “esquenta frio” de Halana dos Santos

Reclamando do frio intenso e da falta de agasalho adequado para enfrentar a neve e a consequente baixa temperatura na Europa, durante coletiva de imprensa a desafiante brasileira Halana dos Santos, 23, logo recebeu provocação da alemã Ramona Kuhne, 33. “Se você precisa de casaco, eu lhe darei um. Mas no sábado, você pode esperar algo mais quente”, sentencia a dona dos cintos OMB, Wibf e WBF superpena (58,9k). O embate ocorre dentro de três dias no MBS Arena de Brandemburg (Alemanha).

“Depois de mais de 13 horas de viagem encontrei um frio maldito. Tinha visto as imagens pela internet de como era o inverno aqui na Alemanha, mas agora vi a neve pela primeira vez”, declara uma humilde dos Santos (14-4-0, 9 KOs, a confirmar). Afastada de competição desde janeiro do ano passado devido a lesão no joelho, Kuhne (19-1-0, 6 KOs) avalia que a inatividade não será nenhum obstáculo para conservar seus cinturões.

Sem Don King, Oliveira consegue sair da inatividade

Rompido com o promotor Don King por não cumprimento de contrato, o brasileiro Marcus Vinícius “Ratinho” de Oliveira, 27, espera retomar a trajetória vencedora depois de amargar quase um ano sem combate. O atleta #11 OMB da categoria meio-pesado (79,3k) está programado para enfrentar o dominicano Junior Ramos no próximo dia 9 de março no Coliseo Carlos Cruz (República Dominicana).

“Estou treinado duro, muito focado. Agora é vida nova”, empolga-se Oliveira (23-1-1, 21 KOs) que revela ter feito mais de 40 roundes de sparring sob a supervisão do treinador cubano Orlando Cuellar. O brasileiro explica que seus advogados conseguiram quebrar o vínculo com Don King, já que o veterano empresário não cumpriu cláusula de realização de ao menos dois combates por temporada.

Pelas mãos de King, “Ratinho” Oliveira só subiu ao ringue uma única vez quando pulverizou em apenas 49 segundos o americano Adam Collins, em abril do ano passado. Após o triunfo, o boxeador conviveu com muitas promessas e pouca ação prática do renomado promotor, porém, contou com o conhecimento judicial de seu manager Armando Fernandez, o mesmo do peso leve (61,2k) cubano Angelo Santana, para se dirigir a outros caminhos.

Contrato

Livre das preocupações, Oliveira firmou contrato de três temporadas com a M.O. Productions do empresário brasileiro Carlos Oliveira, pai do também classificado mundial Michael Oliveira – #13 CMB supermeio-médio (69,8k). “Estou satisfeito com o acordo e morando em Miami (Flórida) em casa alugada pela empresa”, explica Marcus Oliveira, sempre na companhia providencial da noiva Juliana Casellato.

N.E.:- Inconformado com a saída jurídica de Marcus “Ratinho” de Oliveira de suas fileiras, o empresário Don King tem feito gestões para evitar que o brasileiro atue no evento da República Dominicana. O promotor alega ser válido o contrato assinado com o atleta e que ainda teria mais três anos para expirar.

Stallone e De Niro surgem feridos em luta de boxe

Foto: Christopher Polk/AFP

Foto: Christopher Polk/AFP

Agora já não é mais segredo. As primeiras imagens do filme Grudge Match(ainda sem título em português) foram reveladas e apresentaram os atores Robert De Niro e Sylvester Stallone bastante feridos depois de luta de boxe, gravada em New Orleans (EUA). A película conta a história de dois antigos rivais que, 50 anos após se enfrentarem, decidem tirar suas diferenças mais uma vez em cima do ringue. A comédia esportiva é dirigida por Peter Segal e tem previsão de entrar em cartaz em novembro, inicialmente em solo americano.

A história se baseia na rivalidade de Billy “The Kid” McGuigan e Henry “Razor” Sharp que decidem sair da aposentadoria pela chance de se atacarem novamente com as luvas. Os dois atores têm forte ligação com o esporte já que De Niro recebeu o Oscar por sua espetacular performance em “Raging Bull” (Touro Indomável, EUA, 1980) no qual interpretou o ex-campeão Jake LaMotta, enquanto Stallone fez fama com a série Rocky, iniciada em 1976.

Diaz, algoz de Popó Freitas, treina e avalia retorno

Em junho de 2011, ele comunicou seu retiro do esporte para dedicar-se aos negócios, mesmo sendo muito jovem. Mantendo rotina de treinos e julgando-se em excelentes condições físicas, o americano Juan “Baby Bull” Diaz, 29, cogita retornar aos ringues e existem indícios de que ele possa atuar dentro dos dois próximos meses. O ianque foi detentor unificado dos cintos AMB, OMB e FIB leve (61,2k).

Diaz (35-4-0, 17 KOs) foi o principal responsável pela aposentadoria do brasileiro Acelino Popó Freitas, depois de impor nocaute em 2007 – o atleta nacional resolveu voltar para apenas um combate no ano passado, superando o compatriota Michael Oliveira. Por sua parte, o americano deixou de competir em 2010 com a derrota para o azteca Juan Manuel Marquez para, em seguida, concluir universidade em Ciências Políticas, abrir empresa de transporte e criar escola de futebol destinada a crianças.

Leonard visita rival Durán para filmar documentário

Foto: ANDREW YATES/AFP

Foto: ANDREW YATES/AFP

Foi uma das maiores rivalidades da história do esporte e que, finalmente, será retratada em documentário. O americano Sugar Ray Leonard, 56, esteve pela primeira vez na vida na Cidade do Panamá em visita ao arquirrival local Roberto “Manos de Piedra” Durán, 61, para retratarem a intensa disputa que protagonizaram nos anos 1980, em filmagens dirigidas por Eric Drath.

Leonard (36-3-1, 25 KOs) levou vantagem de dois a um nos embates contra Durán (103-16-0, 70 KOs), porém, ficou a marca da disputa entre dois dos melhores boxeadores de todos os tempos. O primeiro confronto ocorreu em junho de 1980 e Leonard, até então invicto, mudou sua forma de atuar, deixando de lado a movimentação para trocar golpes com Durán. A estratégia se mostrou errada e ele perdeu o cetro CMB meio-médio (66,6k).

Cinco meses depois, em novembro daquela mesma temporada, foi realizada a revanche com Leonard retomando seu estilo e atingindo o adversário com mais precisão. Cansado e de modo surpreendentende, Durán deu as costas para o ianque no oitavo round e se dirigiu ao seu córner desistindo do combate. Foi nesta ocasião que um jornalista sentado ao lado do ringue teria escutado Durán desferir a célebre frase: “No más”.

O último

O terceiro e derradeiro embate demorou muito tempo para ser realizado, apenas em dezembro de 1989, já com Leonard detentor do cetro CMB supermédio (76,2k). Diferente das apresentações anteriores, a luta não teve tantas emoções, chegando a ser monótona. No fim, o americano superou com facilidade o oponente nas papeletas. “Quero retratar exclusivamente a rivalidade de Leonard-Durán por sua importância histórica e política. Jamais houve algo parecido no esporte”, finaliza o diretor do documentário Eric Drath.

Ex-boxeador cego ajusta medidas de modelos famosas

AFP

AFP

Mesmo tendo perdido as duas oportunidades em brigas por cinturões mundiais, o britânico Michael Olajide, 49, detém título de grande importância fora dos ringues. Ele é considerado um dos melhores preparadores físicos para supermodelos, principalmente quando elas precisam perder peso e diminuir as formas para participarem de grandes desfiles, notadamente nos Estados Unidos.

Olajide (27-5-0, 19 KOs) deixou as competições quando sofreu séria lesão no olho direito, deixando-o praticamente cego. Antes, havia desperdiçado chances mundialistas contra os americanos Frank Tate e o lendário Thomas Hearns, respectivamente, pelas divisões médio (72,5k) e supermédio (76,2k). Para amenizar a deficiência, Olajide usa um tapa-olho estilizado por ele mesmo.

Elogiado pela seriedade no trabalho e pela humildade no tratamento com as estrelas das passarelas, Olajide mantém academia em Manhattan (New York), em sociedade com a ex-bailarina Leila Fazel. O boxeador trabalha com a indústria da moda desde os anos 1990 e nunca fez especificamente nenhuma publicidade para atrair modelos.

Top Adriana Lima

O fato de auxiliar antiga rainha como Linda Evagelista fez seu nome ser recomendado para fotógrafos do setor e, com o tempo, ganhou uma grande aliada, a top brasileira Adriana Lima. Confiando nas habilidades de Olajide há sete anos, a modelo de 31 anos consegue surgir belíssima e de corpo perfeito mesmo depois do nascimento do segundo filho.

“As modelos são como os boxeadores. Existe um peso durante suas apresentações e outro para o dia a dia”, explica Olajide, reconhecendo que, com o passar dos anos, fica cada vez mais difícil manter o ponteiro paralisado na balança. “Precisamos saber até que ponto elas estão dispostas ao sacrifício e passar fome”, estima o britânico que, no início da carreira nos ringues, esteve radicado no Canadá.

Nevada aceita explicação por telefone de Chavez Jr.

Já faz mais de cinco meses que o mexicano Julio Cesar Chavez Jr., 27, foi pego por consumo de maconha nos testes realizados após o embate com o argentino Sergio “Maravilla” Martinez, em Las Vegas. Desde então se espera uma postura definitiva da Comissão Atlética do Estado de Nevada (EUA) sobre as penalidades a serem impostas ao filho da lenda retroativas a setembro do ano passado.

Devido à dificuldade em conseguir visto para entrar em solo americano, Chavez Jr. (46-1-1, 32 KOs) não mais será obrigado a prestar depoimento pessoal na sede da comissão, e dará explicações via chamada telefônica, de acordo com o diretor Executivo de Nevada, Keith Kizer. “Esperamos o tempo suficiente para sua viagem aos EUA, mas não podemos postergar mais”, analisa o dirigente, confirmando as declarações do pugilista para esta quinta-feira.

Chavez Jr. é reincidente nos exames antidoping. Em 2009, ele foi flagrado pelo uso do diurético furosemida contra o americano Troy Rowland, e o combate vencido no ringue foi alterado para “sem decisão”, além de suspensão de sete meses.

Desta vez, até mesmo os advogados do mexicano aguardam pena de no mínimo seis meses, mais multa. Por precaução, a Comissão de Nevada mantém confiscada a bolsa de US$ 3 milhões (R$ 5,9 milhões) destinadas a Chavez Jr. pelo confronto com Martinez e não terá problemas para “descontar” qualquer valor a ser imputado ao boxeador.

Oliveira luta com Estrada na República Dominicana

Para continuar sua escalada em ranking mundial, o brasileiro Michael Oliveira, 22, já acertou sua primeira participação nesta temporada, e defende o cetro CMB Fecarbox supermeio-médio (69,8k) diante do colombiano Orlando Estrada, 29. A programação está definida para o próximo dia 9 de março no Coliseo Carlos Cruz, na República Dominicana.

Atual #13 CMB, Oliveira (19-1-0, 14 KOs) está totalmente recuperado do revés por nocaute para o ex-campeão mundial Acelino Popó Freitas, em junho passado, e soma dois triunfos consecutivos, curiosamente sempre em lutas em solo dominicano. Pela trajetória de reduzida qualidade técnica, Estrada (8-3-1, 7 KOs) não deve ser grande barreira para a vitória do brasileiro.