Falta pouco Corinthians

O Corinthians fez a sua parte, ganhou do Figueirense em Florianópolis, mas graças ao Vasco não pôde soltar o grito de campeão.

A última rodada será como uma história de filme. O Timão buscará o pentacampeonato contra o seu  maior rival. O Palmeiras vai para o jogo com o intuito de estregar a festa do Alvinegro. Ganhou do São Paulo por 1 a zero e dificultou ainda mais o caminho tricolor para a Libertadores.

Acho que o Palmeiras entrará em campo de igual para igual contra o Corinthians. Mesmo sem ter objetivo no campeonato, a vitória será como um título para os palmeirenses. Se o Verdão ganhar do líder do campeonato, todos os problemas ocorridos no ano serão esquecidos em 90 minutos. Isso sem contar com o bicho que o Presidente Arnaldo Tirone prometeu aos jogadores. Incentivo já funcionou contra a equipe do Morumbi, mas por um outro lado o Corinthians tem sido mais time e merece o título.

Com certeza essa semana será de muitos falatórios, discussões e rivalidade entre as equipes. Acho tudo isso válido, é legal, mas os jogadores e principalmente os torcedores devem saber que o mais importante é a bola no pé, sem violência.

O bicho do Palmeiras

Na última quarta-feira no quadro “Fala Turma” do Super Esporte levantei uma questão sobre o Palmeiras. Depois de 10 rodadas a vitória reapareceu. 2 a zero em cima do Bahia fora de casa. A equipe de Felipão voltou para São Paulo mais tranquila e leve, porque agora não corre mais risco de cair para série B.

A questão é que nestes últimos dias o discurso é ganhar da equipe tricolor e do Corinthians. Não acho errado, pois esse é o objetivo de qualquer time, mas o que me chama a atenção é que aparentemente a motivação é maior nesta etapa do campeonato. Faltam duas rodadas para o final e são os maiores rivais, mas porque não existiu essa mesma vontade de ganhar há 8, 10 ou 15 rodadas atrás? Porque esse tal bicho que o Presidente Arnaldo Tirone  comentou que irá dobrar só “apareceu” agora?

O Verdão vacilou muito neste segundo turno do Brasileirão. Um ano horrível para qualquer palmeirense esquecer. A sorte é que todo mundo diz que  o “Verde” é esperança.

Noite dos desesperados

O primeiro tempo Corintiano foi de pura tensão. Os jogadores  estavam nitidamente desesperados, erraram muitos passes, corriam em campo sem direção, não administraram o toque de bola e deixaram a pressão do Ceará dominar o jogo. Como sempre, percebemos que o fator psicológico pesou novamente, e não seria surpresa se o Vovô tivesse feito um gol na primeira etapa.

A sorte prevaleceu no lado do time paulista. O Vasco empatou com o Palmeiras e o Corinthians, conseguiu um golzinho com um lance isolado de Ramirez. Resultados que, por enquanto, deixou o Corinthians isolado na liderança.

Claro que foi um jogo feio, uma partida para ser esquecida, no qual muitos Corintianos “viraram” Palmeirenses por alguns minutos, mas literalmente na altura do campeonato o resultado é o mais importante. Disse no último post e volto a registrar neste. Time que quer ser campeão não pode bobear desse jeito. É importante lembrar que nem sempre a sorte estará do lado, ou seja, faltam três rodadas e dificilmente ela irá aparecer de novo.

O Timão merece, mas está mais do que na hora de abrir os olhos.

O Corinthians peca, mas segura

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

O título do Campeonato Brasileiro está muito próximo do Corinthians. Nas próximas rodadas o Timão enfrentará Ceará, Atlético-MG, Figueirense e Palmeiras. Para alcançar o objetivo, o time precisará jogar da mesma forma que jogou no primeiro tempo contra o Atlético-PR. Quem quer ser campeão, não pode abrir vantagem e depois desistir de buscar mais gols e muito menos deixar de marcar o adversário.

No segundo tempo o time do Parque São Jorge foi pressionado, levou duas bolas na trave e só não recebeu o empate porque o Furacão não foi capaz de finalizar com precisão e de ter paciência para organizar o jogo.

Definitivamente o técnico Tite não pode mais esperar pelo grande retorno de Adriano. Depois de quatro partidas sem ser relacionado, o Imperador jogou os 15 minutos liberados pelo departamento físico e não conseguiu ser presente nas jogadas. O atacante só jogará seu futebol em 2012, e por enquanto irá aproveitar as últimas rodadas para pegar ritmo de jogo.

Pré-temporada do Santos

Djalma Vassão/Gazeta Press

O Santos começou a pré-temporada para o Mundial de Clubes da Fifa. Neste fim de semana o Peixe foi com força total (sem Léo e Elano ainda lesionados) para encarar o campeão da Copa do Brasil, o quase semifinalista da Sul-americana e vice-lider do Brasileirão.
Coincidentemente o Vasco foi um ótimo time para fazer o primeiro teste que a equipe de Muricy Ramalho precisava. O Trem da Colina tem objetivo, um time entrosado e grandes chances de levantar a taça do Brasileirão.

Mesmo com a polêmica de entregar ou não o jogo, o Santos é um dos únicos times que não está preocupado com a competição nacional, mas a partir de agora usará as últimas rodadas para testes. Afinal, daqui a pouco teremos o melhor time da Europa jogando com o melhor da América.

A equipe da Vila Belmiro fez a lição de casa. Neymar comeu a bola, jogou muito, fez lindos dribles, marcou um gol e fez a assistência para o segundo. Aliás, com o golaço do Borges, o jogador chegou a 23 gols e se tornou o maior artilheiro da história do Santos. Nenhum outro tinha chegado a esse número numa única competição.

Ganso depois de 63 dias parado, jogou os 90 minutos e fez aquilo que a comissão técnica esperava. Com tranquilidade e muita qualidade, ajudou o time a vencer. Claro que está muito longe daquele Paulo Henrique Ganso que já vimos, mas é um recomeço e um “esquenta” para o Mundial.

O Vasco só não saiu de campo com a cabeça mais baixa, porque o Corinthians perdeu fora de casa por 2 a 1 para o América-MG. O melhor em campo foi o zagueiro Dedé que conseguiu segurar por diversas vezes o craque Neymar. Juninho Pernambucano não vem fazendo boas partidas e teve apenas uma chance de gol com bola parada.

Muita gente dá risada quando eu falo que acredito na vitória do Santos contra o Barcelona. É difícil? Claro que sim, mas tudo pode acontecer nos 90 minutos. Além disso, aposto que nesta provável final do Mundial o Neymar fará dois gols. Um golaço e outro “normal”.