Jogos Pan-Americanos 2011
Jogos Pan-americanos 2011/Bastidores - ( - Atualizado )

COB valoriza vagas olímpicas e diz: "não viemos para brigar com Cuba"

Bruno Ceccon Guadalajara (México)

Os dirigentes do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) se disseram satisfeitos com a performance do País nos Jogos Pan-americanos de Guadalajara. Marcus Vinícius Freire, superintendente executivo de esportes da entidade, valorizou as vagas conquistadas nas Olimpíadas de Londres-2012 e minimizou a disputa com Cuba neste domingo.

"Nosso principal objetivo foi alcançado. Tínhamos 93 vagas olímpicas em disputa e o Brasil conquistou 24. No total, já temos 104 atletas já garantidos em Londres", afirmou o dirigente, que projetou a conquista de 15 medalhas na Inglaterra. A vaga de César Castro, dos saltos ornamentais, ainda depende de confirmação.

Com um custo operacional de aproximadamente R$ 8,5 milhões nos Jogos Pan-americanos de Guadalajara, o Brasil terminou na terceira colocação do quadro de medalhas com um total de 141 prêmios - 48 ouros, 35 pratas e 58 bronzes. Já Cuba, com 58 títulos, 35 vices e 43 terceiros lugares, perdeu apenas para os Estados Unidos.

"Cuba está com uma tendência de queda", apontou Freire ao exibir um gráfico com o desempenho do país centro-americano nas últimas três edições dos Jogos Pan-americanos. O dirigente ainda destacou que, dos 515 atletas brasileiros, 276 ganharam medalhas no melhor desempenho do País em um Pan fora de casa.

Luiz Pires/VIPCOMM
Marcus Vinicius Freire vê evolução do Brasil em relação ao Pan do Rio de Janeiro
Se superou Cuba no número absoluto de medalhas conquistadas, o Brasil ficou com 10 ouros a menos que o pais centro-americano, muito menos populoso e com notórias dificuldades econômicas. Questionado sobre o assunto, o superintendente do COB minimizou.

BOAS VINDAS AO NOVO MINISTRO

Envolvido em denúncias de desvio de verbas do Ministério do Esporte, Orlando Silva foi substituído por Aldo Rebelo no cargo. De Guadalajara, os diretores do COB deram as boas vindas.

De acordo com Marcus Vinícius Freire, superintendente de esportes do COB, a presidente Dilma Roussef deve receber alguns atletas do Pan na próxima semana. Os diretores da entidade aproveitariam a ocasião para propor uma reunião com o novo ministro.

"O Aldo Rebelo sempre se mostrou parceiro e nos ajudou pessoalmente na aprovação das leis de interesse do esporte. Estamos muito otimistas com o trabalho dele", afirmou Bernard Rajzman, chefe de missão do COB.

"Não viemos para brigar com Cuba. Estamos trabalhando para elevar o nível de todas as modalidades. Consolidamos o nosso patamar de top 3. Ficamos em segundo lugar no total de medalhas, atrás apenas dos Estados Unidos, e no terceiro em número de ouros. Está completamente dentro da nossa expectativa", afirmou.

Ao comparar o desempenho entre os dois países nos Jogos de Guadalajara, Freire destacou que o Brasil conquistou medalhas em 35 modalidades diferentes, enquanto os cubanos medalharam em apenas 23 esportes, de acordo com o superintendente do COB.

"No Rio de Janeiro-2007, tivemos um desempenho fora de série por estarmos em casa. Mesmo assim, agora conseguimos manter o patamar de segundo lugar no total de medalhas com uma boa distancia em relação a Cuba e com muito mais abrangência de modalidades, algo importante para ser potência olímpica", encerrou.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade