Futebol/Centenário do Santos - ( )

Com Pelé e Neymar, Santos comemora centenário em grande estilo

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

Um dia de gala, comemorado em grande estilo. Desta forma pode ser resumido o sábado que marcou o aniversário de 100 anos do Santos. Com direito às presenças especiais de Pelé, Rei do Futebol, e do atacante Neymar, o Peixe deu um grande presente a sua torcida, com eventos que ficarão na memória dos santistas.

Primeiro, o Alvinegro Praiano promoveu um jogo envolvendo ex-atletas  do clube. Clodoaldo, Manoel Maria, Abel, Oberdan, Lala, Alberto, Robert, Jamelli, Marcelo Passos, entre outros, fizeram a alegria do torcedor, que para chegar cedo à Vila teve de enfrentar a chuva. No final, a equipe listrada, comandada por Nenê Belarmino, venceu o time branco, do eterno curinga Lima, pelo placar de 3 a 2.

Logo após a partida, o sol apareceu, e a grande surpresa da festa também: Pelé. O Rei chegou de helicóptero, vestindo a camisa do Santos e trazendo consigo a taça da Copa Libertadores da América, vencida três vezes pelo Peixe em sua centenária história. Depois, o Atleta do Século XX fez um discurso para a torcida santista, agradecendo pelo carinho com o qual sempre foi tratado e enalteceu a rica história do clube.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Com a taça da Libertadores, conquistada três vezes pelo Santos, Pelé desceu na Vila Belmiro de helicóptero
Na sequência, foi a vez de a equipe principal alvinegra ir a campo. Com Neymar sendo a principal atração, o Santos apresentou o seu novo uniforme, fabricado pela Nike, na cor azul-turquesa, em amistoso contra 100 crianças escolhidas pelo clube.

O jogo, intitulado “Nós contra a Rapa”, terminou empatado por 2 a 2, com o zagueiro Edu Dracena e o meia Paulo Henrique Ganso balançando as redes para os profissionais. Neymar não fez gol, mas durante a brincadeira foi “expulso”, retornando logo em seguida ao gramado. A Joia ainda trocou de equipe, atuando ao lado da garotada, e desperdiçou um pênalti batido contra os três goleiros do Peixe: Rafael, Aranha e Vladimir.

“Foi muito legal. Esse tipo de festa deixa a gente contente. Nesta semana, nós vimos o que é o Santos, a força que o clube tem. Tivemos manifestações em todo o país, e a cobertura na imprensa também foi excepcional. Tudo muito grande. O Santos merece”, disse o técnico Muricy Ramalho, que praticamente só assistiu à partida, deixando os jogadores livres para brincarem.

Após o “Nós contra a Rapa”, chegou a hora do bolo e de cantar parabéns para o aniversariante centenário. Mas, até neste instante, Neymar roubou a cena. O camisa 11 iniciou uma guerra de bolo com a criançada, que disputou o jogo, no gramado.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
A praia do Gonzaga foi tomada pela torcida santista durante a festa, que teve show de Chitãozinho e Xororó
Contagem regressiva e shows
Com o fim da festa na Vila Belmiro, as comemorações do centenário continuaram na praia do Gonzaga. Em contagem regressiva que terminou às 14 horas, em um relógio instalado no começo do ano na Praça das Bandeiras, em frente à praia, torcedores se aglomeraram para celebrar o “réveillon” santista. Uma queima de fogos marcou a comemoração.

Em frente à Praça das Bandeiras, uma arena foi montada na areia, para receber diversas atrações musicais. A bateria da Torcida Sangue Jovem iniciou o evento, cujo show principal teve a presença da dupla de torcedores alvinegros, Chitãozinho e Xororó. Depois da apresentação dos sertanejos, a comemoração prosseguiu até o começo da noite deste sábado, fechada com mais uma queima de fogos, que iluminou a orla da praia da cidade.

“Gostaria de abraçar todas as pessoas que vieram aqui na praia e nos proporcionaram ver esse mar de santistas. Estes 100 anos, sem dúvida, só foram um aquecimento de um grande futuro para o clube”, discursou Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, presidente do Santos.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade