Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Mesmo sem convencer, Palmeiras vence o Paraná em Curitiba

Do correspondente Luis Felipe Fagundes Curitiba (PR)

O Palmeiras aposta suas fichas na Copa do Brasil para aliviar um pouco a pressão após a eliminação precoce no Campeonato Paulista, mas ainda está longe de convencer o torcedor. Pelo menos venceu o jogo de ida das oitavas de final da competição diante do Paraná Clube, por 2 a 1, na Vila Capanema, em Curitiba.

Debaixo de um dilúvio, o Verdão abriu o placar aos 21 minutos, com Marcos Assunção, batendo falta com perfeição, aproveitando bem o gramado molhado. Luisinho deixou tudo igual, aos 39 minutos, no rebote do goleiro. Depois do intervalo, aos 33 minutos, Henrique, cobrando pênalti, decretou a vitória. Na partida, Bruno assumiu a vaga no gol, já que Deola foi barrado, e o atacante Mazinho estreou pelos visitantes.

As duas equipes voltam a se enfrentar no dia 9 de maio, na Arena Barueri. A vantagem do empate será dos paulistas. Quem passar pelo confronto encara nas quartas de final o vencedor do duelo entre Cruzeiro e Atlético Paranaense.

Hedeson Alves/Vipcomm
Bruno assumiu a posição de titular do Palmeiras, pois Deola foi barrado por Luiz Felipe Scolari
O jogo: A torcida tricolor atendeu aos pedidos da diretoria e compareceu em peso, pressionado o Verdão a cada toque na bola. Aos três minutos, Márcio Araújo tentou um chute de longe, sem perigo algum. O time da casa respondeu com Alex Alves, aos seis minutos, com um petardo que exigiu boa defesa de Bruno, que cedeu escanteio. Jogo aberto e o Palmeiras quase abriu o placar em uma incrível oportunidade desperdiçada por Barcos, que recebeu cruzamento açucarado de Valdívia, na pequena área, e bateu para fora.

A chuva não dava trégua na capital paranaense, deixando o campo pesado, mas ainda em condições de jogo. Aos poucos os paulistas tentavam dominar as ações. Aos 17 minutos, Valdívia recebeu uma bola quadrada na área, se esticou todo e desviou nas mãos de Thiago Rodrigues. Com uma fisgada na coxa, Alex Bruno teve que deixar a partida para a entrada de Henrique Bruno. Em seu primeiro lance, o defensor paranista falhou, Mazinho partiu em disparada, aos 10 minutos, e bateu para defesa do goleiro.

O maior temor do time da casa virou realidade aos 21 minutos, quando Marcos Assunção cobrou falta e, aproveitando o gramado molhado, balançou as redes para abrir o placar. Aos 23, Marcos Assunção arrematou de longe e Thiago Rodrigues quase entrou com bola e tudo. Aos 31, chegada em velocidade do Paraná, Lusinho invadiu a área e, sem ângulo, chutou na trave. O Verdão perdeu Marcos Assunção, lesionado, aos 36 minutos. O empate veio aos 39, com Luisinho, que pegou rebote de Bruno e tocou para as redes.

No segundo tempo, as equipes retornaram sem novas alterações. Aos três minutos, Valdívia cobrou falta na entrada da área e carimbou a barreira. Mazinho chegou ao fundo e cruzou, aos sete minutos, para interceptação de Thiago Rodrigues. O Palmeiras pressionava, mas não era feliz no último passe. Mazinho abriu espaço na defesa e tentou resolver sozinho, aos 13. O chute, na sequência, saiu fraco demais.

A torcida paranista queria mais do time da casa e pedia a entrada de Douglas Tanque, herói da classificação diante do Ceará. Aos 16, Wendell entrou pela diagonal e arrematou para longe do gol alviverde. Aos 18 minutos, Douglas Packer cobrou falta com perfeição e a bola caprichosamente explodiu no travessão. Na resposta, aos 22 minutos, Barcos desviou a queima-roupa e o goleiro paranista operou um milagre.

Felipão apostou, então, na entrada de Fernandão no lugar de Barcos. Fora de sintonia, Henrique Alemão estava perdido na partida e, aos 32 minutos, fez pênalti em Patrik. Na cobrança. Henrique balançou as redes. Aos 39, Patrik desviou de cabeça, Thiago Rodrigues defendeu, a bola bateu na trave e voltou para o camisa 1. Luisinho teve a chance de empatar, aos 42 minutos, e isolou. Mesmo sem um grande futebol, o Palmeiras encaminhou bem sua vaga.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade