Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Após ‘caso Terry’, Capello esquece aposentadoria e elogia a Rússia

Moscou (Rússia)

Apresentado nesta quinta-feira como novo técnico da Rússia, Fabio Capello ainda não esqueceu as divergências que teve com a Federação Inglesa, diante da acusação de racismo sobre o zagueiro John Terry. Após o incidente, que gerou sua saída do English Team, o italiano disse que decidira se aposentar, mas o projeto de conquistar uma vaga na Copa do Mundo de 2014 o seduziu para mudar de ideia e firmar um acordo de dois anos com sua nova equipe.

“Fiquei muito irritado com a interferência da Federação Inglesa em meu trabalho. Não aguentei aquilo, saí e queria me aposentar por completo. Mas a vontade de conseguir uma vaga na Copa me fez mudar de ideia e aceitei a proposta da Rússia. Este agora é meu principal objetivo (levar a equipe ao Mundial) e quero fazer isto acontecer”, avisou o comandante, em sua chegada.

AFP
Sorridente, Capello é apresentado na Rússia: após elogiar novo time, italiano sonha com vaga na Copa-2014
O problema entre Capello e os ingleses se deu pela acusação de que Terry havia dito palavras racistas a Anton Ferdinand, em jogo entre Chelsea e Queens Park-Rangers, no Campeonato Inglês, em outubro de 2011. Preparando a seleção para a disputa da Eurocopa, o treinador disse que manteria o atleta dos Blues no time, e como seu capitão, uma vez que o julgamento do caso ocorreria apenas depois da competição de seleções.

A Federação Inglesa, porém, preferiu anunciar que iria tirar a tarja de capitão do zagueiro mesmo antes da investigação. O fato incomodou o treinador, que pediu a saída do cargo nas vésperas da Euro e foi substituído por Roy Hodgson. Terry foi para a competição, mas o capitão do English Team foi Steven Gerrard. Após julgamento, o jogador do Chelsea foi considerado inocente.

Em seu novo time, Capello precisará remontar um time que foi eliminado na primeira fase da Euro. Apesar da decepcionante campanha no torneio de seleções, o novo treinador adotou um discurso otimista e considera que a Rússia possui grande potencial. “Os jogadores são excelentes, mas precisam mudar a mentalidade e desenvolver um forte desejo para começar a vencer. O grande problema está nas cabeças, não nos pés”, constatou.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade