Natação/Olimpíadas de 2012 - ( - Atualizado )

Maior de todos os tempos, Phelps agradece companheiros pelo recorde

Londres (Inglaterra)

Bem que o alto-falante do Parque Aquático de Londres anunciou depois da prova do revezamento 4x100 metros livre: “Agora você é uma lenda completa”. Sim, o norte-americano Michael Phelps está marcado para sempre na história dos Jogos Olímpicos. Após a vitória dos Estados Unidos, nesta terça-feira, o nadador bateu o recorde de medalhas olímpicas da carreira, com 19.

Veja as melhores fotos desta terça

A marca anterior pertencia à ginasta soviética Larisa Latynina, que conquistou 18 medalhas, sendo nove de ouro, quatro de prata e mais quatro de bronze entre 1956 e 1964. Mas agora, Phelps chega ao 15º ouro na carreira, seis a mais do que qualquer outro atleta, e mais duas pratas e dois bronzes.

E a alegria de Michael veio logo depois de uma grande frustração. Antes do revezamento, o norte-americano havia deixado escapar a chance de subir no lugar mais alto do pódio nos 200 metros borboleta, prova que é sua especialidade, e teve que se contentar com a prata, algo que não o deixou nem um pouco feliz. Mas a quebra do recorde se encarregou de levar embora qualquer desapontamento.

Para ganhar o ouro, Phelps contou com os fortes companheiros do time dos EUA: Ryan Lochte, Conor Dwyer e Ricky Berens. Quando este último saiu da água, a vantagem já era de quase quatro segundos, o que facilitou, e muito, a vida de Michael Phelps.

“Eu agradeço a esses caras por me ajudarem a chegar a esse momento”, disse o agora recordista. “Eu falei para eles que queria uma boa vantagem. Eu frisei, ‘quero que vocês dêem uma boa liderança para a última volta’, e eles conseguiram. Eu só queria administrar. Agradeci por eles serem capazes de me deixar viver esse momento”, contou.

No final, os Estados Unidos fecharam a prova com o tempo de 6min59s70. Na sequência vieram França que, com 7min02s77, terminou com a prata, e a China, que conquistou o bronze, com 7min06s30.

Só faltam três provas para Michael Phelps dizer o adeus já prometido. Nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, ele quer vir só para se divertir, e não para competir.

“Foi uma carreira completamente maravilhosa. Mas ainda tem algumas provas para competir”, finalizou o nadador.

AFP
Phelps não esconde felicidade na posse da sua 19ª medalha olímpica da carreira, recorde absoluto

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade