Futebol/Copa do Brasil - ( )

Vitória no Paraná já foi divisor de águas para o ano do Palmeiras

Maria Clara Ciasca, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Em 11 de julho, o Palmeiras viverá no Paraná uma de suas melhores noites nos últimos 12 anos, caso conquiste o título da Copa do Brasil diante do Coritiba. Mas é outra vitória naquele Estado que á apontada como divisor de águas para o clube.

Três dias depois de ser eliminado pelo Guarani ainda nas quartas de final do Campeonato Paulista, o Verdão entrou em campo para enfrentar o Paraná fora de casa e, mesmo desacreditado, voltou para São Paulo com uma vitória de 3 a 1 na bagagem.

"Tivemos um bom começo no Paulista, mas aí veio aquela eliminação desastrosa para o Guarani. Poderíamos cair ou resurgir, e regurgimos. Jogamos contra o Paraná logo depois, um jogo muito difícil, e conseguimos a vitória. Esse foi o ponto marcante do nosso ano", analisou o goleiro Bruno.

"Estava chovendo muito, o campo estava molhado. O Paraná vinha de pré-temporada e a gente estava com aquele desânimo normal por conta da eliminação, mas nos superamos e vencemos por 2 a 1. Aí tivemos um retorno tranquilo e pudemos trabalhar bem para chegar onde chegamos", continuou recordando.

Para o camisa 1, 25 de abril de 2012 foi ainda mais especial. Foi na vitória sobre o Paraná que o ele conquistou a titularidade na meta alviverde. Bruno, que em 2008 era reserva imediato de Marcos, perdeu posição para Deola até a eliminação do Paulistão, quando o concorrente foi apontado como culpado por dois dos três gols que o time sofreu do Guarani.

"Eu aprendi muito com o Carlão [Carlos Pracidelli, preparador de goleiros] e com o Marcos. É bom sentir ansiedade, ajuda a nos manter concentrados os 90 minutos", disse Bruno, que passará por sua primeira final como profissional nesta quinta-feira, no jogo de ida com o Coritiba, em Barueri.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade