Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

À espera de lesionados, Felipão lembra: é o único campeão do Brasil

Goiânia (GO)

Se perder do Santos no sábado, o Palmeiras terminará o primeiro turno do Brasileiro na zona de rebaixamento, já que Bahia e Atlético-GO se enfrentam e um deles vai ultrapassá-lo. Mas Luiz Felipe Scolari lembra que há oito atletas machucados, e Valdivia e Thiago Heleno sentiram dores nesse domingo. Com mais atletas à disposição, o técnico conquistou o único título nacional do ano até agora: a Copa do Brasil.

“Estamos na linha d’água, então temos que pensar em escapar do rebaixamento neste momento. Mas a grande conquista do Palmeiras foi a Copa do Brasil. E hoje, não sei se sabem, só tem um campeão no Brasil: o Palmeiras”, recordou o treinador. “Neste momento, passamos por dificuldades em outra competição, mas, até dezembro, o grande campeão do Brasil é o Palmeiras”, indicou.

A festa pela Copa do Brasil, porém, ocorreu há mais de um mês. E a realidade atual é de que a equipe não conseguiu nem cumprir a meta mínima de 22 pontos nesta primeira metade da liga nacional – 50% do que a comissão técnica julga necessário para escapar do rebaixamento. “Mas temos um turno todo pela frente”, lembrou Bruno, citando o período no qual Felipão sonha ter mais opções para ampliar o “limite” do time.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
O técnico crê que o limite do time aumentará à medida que os titulares na Copa do Brasil estiverem à disposição
“Os jogadores fizeram na Copa do Brasil um esforço muito grande de superação, com uma série de jogos com problema de lesão, e até hoje estão machucados porque foram ao limite. Depois daquilo, foi o embalo nas duas, três primeiras partidas e a coisa caiu fisicamente de tal forma que hoje tantos estão fora”, disse Scolari.

Diante de tantos problemas, a comissão técnica tem evitado ao máximo acelerar o tratamento dos lesionados. “As coisas acontecem com mais assiduidade do que esperávamos, e começamos a tomar medidas diferentes para reposição de jogadores para que eles tenham um pouco mais de tempo de recuperação. Senão, vamos ter até 11 desfalques”, explicou, simples ao citar as contusões como problema.

“O que nos falta são jogadores. Só. Não adianta ficar discutindo. Faltam todos os jogadores que na Copa do Brasil estavam em um auge físico principalmente. Quando estiverem nas condições ideais, além do time em campo, serão seis, sete de alta qualidade no banco”, projetou.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade