Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Muricy dispara novas críticas contra a direção e reclama de amistoso

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

A vitória sobre o Cruzeiro, por 4 a 2, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, serviu para o Santos amenizar a pressão por bons resultados no Campeonato Brasileiro. Mas o técnico Muricy Ramalho não perdeu a oportunidade de, mais uma vez, mostrar a sua insatisfação com a direção do clube.

Irritado, o treinador agora criticou a postura passiva dos dirigentes, por conta da convocação do meia Paulo Henrique Ganso e do atacante Neymar para o amistoso da Seleção Brasileira, contra a Suécia, na próxima quarta-feira, em Estocolmo.

“Não é protesto, porque ninguém ouve. Só que os caras ficam nas Olimpíadas durante um mês, daí a CBF arruma um amistoso, a gente chia e os caras ficam bravos depois. Mas é um absurdo. O que eu não entendo é os clubes aceitarem isso, não dá para engolir. Tudo bem que ganham um bom dinheiro com esse tipo de amistoso, porém, e os clubes? Como ficam? E o Santos? Não pagam salário e ainda ficam com o jogador para mais um jogo”, disparou Muricy, que também viu o goleiro Rafael ser cortado, pois se lesionou no cotovelo direito durante a preparação canarinho.

Sem poupar a diretoria santista, o comandante alfinetou o presidente Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, pela postura complacente com os desejos da CBF. “Tenho que falar, pois eu não devo nada para os caras. Até porque, ninguém aqui no Santos fala sobre isso. Não dá, o Santos está sendo prejudicado. Então, eu tenho que vir e abrir a boca. Às vezes, eles (dirigentes alvinegros) ficam bravos quando eu falo deles. Só que isso que está acontecendo não está certo, vai me desculpar”, detonou.

Além de questionar o amistoso da Seleção que irá desfalcar o Santos por mais uma rodada (o duelo contra o Figueirense, em Florianópolis), Muricy Ramalho também foi duro em sua análise ao falar sobre o planejamento do clube após a participação na Copa Libertadores da América.

O técnico confirmou que participou dos planos da equipe para a sequência do Brasileirão, mas que a cúpula santista falhou na busca por reforços de qualidade. “Se eles tivessem acertado tudo, os atletas estariam aqui. Eu pergunto: os jogadores estão aqui? O presidente é meu amigo, mas eu não agrado ele. Se tiver que falar, vou falar. O planejamento foi bem feito, não participei de todas as reuniões, mas olhamos várias possibilidades. Aconteceu alguma coisa? Não”, encerrou.

Muricy pediu a chegada de meias e atacantes, porém, a maior parte das tentativas do Peixe foi frustrada. Recentemente, o meia-atacante argentino Patrítcio “Patito” Rodríguez, que ainda não teve a sua documentação regularizada, além do atacante argentino Miralles e do centroavante Bill, chegaram ao clube. As contratações não foram suficientes para atender aos pedidos do treinador, que vem lançando mão de jogadores das categorias de base.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade