Vôlei/Superliga Feminina - ( - Atualizado )

Sollys apresenta time com base da Seleção “para fazer história”

André Sender São Paulo (SP)

Atual campeão da Superliga feminina de vôlei, o Sollys/Nestlé apresentou nesta quarta-feira seu novo time. Com o reforço da oposto Sheilla e da ponta Fernanda Garay, a equipe conta com cinco atletas campeãs olímpicas em Londres-2012 e já pensa em fazer história, como definiu o técnico Luizomar de Moura, em uma temporada em que disputa o Campeonato Paulista, a competição nacional, o Sul-americano e possivelmente o Mundial de Clubes.

Do time medalha de ouro nos Jogos de Londres, a equipe de Osasco ainda conta em seu elenco com a ponta Jaqueline e as centrais Thaísa e Adenízia. A levantadora Fabíola integrou a Seleção durante os últimos anos, mas foi cortada pelo técnico José Roberto Guimarães após o Grand Prix. A líbero Camila Brait chegou a viajar com o grupo nacional para a Inglaterra, mas não foi inscrita nos Jogos e retornou ao País antes do início da competição.

“Esse supertime vai ter que mostrar na quadra por que é favorito e estou sentindo que essas jogadoras querem fazer história no vôlei, querem se manter no mais alto nível”, disse o técnico Luizomar de Moura, comandante do time de Osasco desde a temporada 2006/2007. “A gente queria jogadoras que muitos outros clubes também queriam e elas nos escolheram. Espero que a química dê certo”, completou.

O principal reforço do Sollys para a temporada 2012/2013 é a oposto Sheilla, medalha de ouro nas Olimpíadas de Pequim-2008 e Londres-2012. A atleta deixou a Unilever, vice-campeã da Superliga passada, para atuar ao lado de suas companheiras de Seleção Brasileira e chega para ocupar o lugar deixado pela norte-americana Hooker, que se transferiu para o Dynamo Krasnoda da Rússia.

“Defender esse clube é uma responsabilidade grande, mas acho que estou pronta, acostumada a ter grande desafios. Este vai ser mais um, vou dar o meu melhor para tentar manter este título da Superliga e trazer outros”, disse a oposto, um dos destaques do Brasil na campanha nas Olimpíadas britânicas.

Gazeta Press
Time do Sollys tem cinco campeãs das Olimpíadas de Londres-2012 (Foto: Gaspar Nóbrega/Gazeta Press)
Nesta temporada, o time de Osasco pode ter até quatro competições em seu calendário. A equipe já disputa o Paulista, em que lidera a primeira fase com três vitórias em três jogos, e também joga a Superliga. A partir do dia 3 de setembro, disputa com favoritismo o Campeonato Sul-americano em casa e, se vencer, classifica-se para o Mundial Interclubes.

As principais estrelas do Sollys se apresentaram a Luizomar de Moura apenas na última segunda-feira, com duas semanas de folga após o ouro em Londres, e ainda não estrearam. Fernanda Garay, Thaísa e Adenízia estiveram no banco de reservas na partida desta terça-feira contra o BMG/São Bernardo, mas não entraram em quadra. Já Jaqueline e Sheilla acompanharam a partida das arquibancadas.

“Vai ter o Sul-americano agora. A gente já se conhece da Seleção e isso pode ajudar, mas não vai ter tempo para treinar. Não vai estar 100%, nosso entrosamento também não, mas a gente vai estar lá para fazer o nosso melhor e tentar ganhar”, atestou Fernanda Garay, que jogou a última Superliga pelo Vôlei Futuro, equipe de Araçatuba.

Se quiser dar ao menos um pouco de ritmo de jogo a suas atletas antes do Sul-americano, Luizomar tem apenas uma oportunidade. No dia 1º de setembro, o Sollys recebe o Pinheiros no Ginásio José Liberatti, pela quarta rodada do Paulista, e três dias depois inicia a disputa da competição continental.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade