Futebol/Campeonato Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

Fora de casa, Ponte Preta surpreende e vence Flamengo por 1 a 0

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

O Flamengo voltou a decepcionar sua torcida. Em partida disputada na noite desta quarta-feira, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, o time rubro-negro foi derrotado pela Ponte Preta por 1 a 0, gol marcado pelo lateral Uendel no primeiro tempo.

Foi o quarto jogo sem vitória da equipe dirigida pelo técnico Dorival Júnior, que voltou a atuar muito mal, apesar das mudanças efetuadas pelo treinador, escalando uma equipe mais experiente. A Ponte Preta soube aproveitar os espaços concedidos pelo adversário para construir o resultado e depois teve competência para defender a vantagem. Após o encerramento da partida, a torcida rubro-negra vaiou de forma intensa os seus jogadores.

Com a vitória, a Ponte Preta chega aos 30 pontos e agora ocupa a nona posição, enquanto o Flamengo permanece com 27 pontos e cai para a 13ª posição. Antes do início da partida, o lateral-direito Leonardo Moura foi homenageado pelo 400º jogo com a camisa do Flamengo. O lateral-direito recebeu do diretor de futebol Zinho uma placa registrando o feito.

Na próxima rodada, o Flamengo enfrentará o Coritiba no Couto Pereira. A Ponte Preta receberá o Figueirense no Moisés Lucarelli.

O jogo - O Flamengo começou a partida no ataque e aos dois minutos após cruzamento de Botinelli, Vagner Loves se antecipou aos zagueiros mas cabeceou por cima do travessão. O time carioca mostrava mais agressividade enquanto a equipe paulista não conseguia se organizar de forma ofensiva e mal passava da intermediária.

Aos sete minutos, o goleiro Édson Bastos saiu mal do gol após cobrança do escanteio, mas os atacantes cariocas não aproveitaram a falha. O domínio rubro-negro continuava acentuado e, aos onze minutos, Vagner Love recebeu na entrada da área, iludiu Ferron, mas chutou para fora, desperdiçando a oportunidade. Só aos 12 minutos é que a Ponte Preta chegou na área rubro-negra. Cicinho cobrou escanteio tentando surpreender Felipe, mas o goleiro do Flamengo conseguiu espalmar para novo escanteio.

Aos 14 minutos, Botinelli bateu falta, Edson Bastos saiu para cortar e a bola caiu nos pés de Vagner Love, que rolou para Ibson concluir mal. A resposta da Ponte Preta veio no minuto seguinte, em cobrança de falta de Marcinho, que obrigou Felipe a praticar boa defesa. O time dirigido por Dorival Júnior tinha mais posse de bola, mas encontrava dificuldade para penetrar na defesa da equipe paulista.

Mesmo sem jogar bem, a Ponte Preta abriu o placar aos 20 minutos. O goleiro Edson Bastos lançou Luan, que penetrou pela esquerda e lançou para o lateral-esquerdo Uendel, que apareceu livre de marcação e tocou na saída do goleiro Felipe.

Depois de sofrer o gol, a equipe da Gávea partiu para buscar o empate e, aos 24 minutos, Bottinelli, em belo chute, quase marcou, mas Edson Bastos espalmou para escanteio. Dois minutos depois, foi a vez de Vagner Love arriscar de esquerda, mas o goleiro da Ponte voltou a defender com segurança.

Aos 26 minutos, Liedson foi derrubado por Ferrón na entrada da área. Bottinelli cobrou colocado e a bola passou muito perto da trave esquerda, deixando o goleiro da equipe paulista apenas na torcida, inteiramente deslocado no lance.

Só aos 30 minutos é que a equipe campineira voltou à área rubro-negra. O zagueiro Thiago Medeiros tentou sair jogando e perdeu a bola para Giancarlo, que foi desarmado pelo goleiro Felipe, que estava atento e impediu a conclusão do atacante.

O time carioca seguia com a pressão, mas não mostrava capacidade de criar jogadas para penetrar na defesa adversária e preferia apelar para lançamentos longos que facilitavam a tarefa da defesa da Ponte Preta. Aos 41 minutos, o lateral-esquerdo Ramon tentou resolver a parada e partiu para a jogada individual. Driblou o zagueiro Tiago Alves e concluiu para difícil defesa de Edson Bastos. No minuto seguinte, Uendel foi agarrado pelo zagueiro Welinton dentro da área da equipe carioca, mas a arbitragem considerou o lance como normal, o que revoltou os jogadores da Ponte Preta, no último lance importante do primeiro tempo.

Para tentar mudar o resultado da partida, o Flamengo voltou com uma formação mais ofensiva. O técnico Dorival Júnior trocou o volante Amaral pelo atacante Negueba. O time rubro-negro passou a atuar com três jogadores na frente. E Negueba começou dando trabalho ao goleiro Edson Bastos ao cobrar um escanteio direto para o gol e exigir uma boa defesa do goleiro.

A resposta da Ponte veio aos quatro minutos, em cruzamento de Uendel que Tiago Alves cabeceou e Felipe defendeu com segurança. A Ponte se aproveitava do fato de o Flamengo ter menos jogadores no meio-campo para ficar mais tempo com a bola. E, aos sete minutos, Luan recebeu na esquerda, caiu para o meio e chutou. A bola bateu no seu companheiro Giancarlo e quase enganou o goleiro Felipe.

O técnico Gilson Kleina colocou em campo o experiente atacante Roger no lugar de Giancarlo. Insatisfeito com a atuação do veterano Liedson, que não participou de nenhum lance de perigo na área do clube paulista, Dorival Júnior colocou Hernane em seu lugar para fazer a dupla de ataque com Vagner Love.

Aos 16 minutos, Roger lançou Luan na esquerda. O atacante da Macaca cruzou, a defesa do Flamengo rebateu mal e a bola voltou para Luan que emendou de primeira, mas a bola desviou m Welinton e saiu para alívio da torcida rubro-negra, muito impaciente com o desempenho irregular da equipe, que não conseguia se organizar e permitia muitos espaços na defesa, principalmente nas costas de Leonardo Moura.

Aos 24, Dorival Júnior tornou o Flamengo ainda mais ofensivo. Tirou o volante Ibson, que vinha tendo uma atuação sem brilho, e colocou o jovem atacante Nixon, egresso das divisões de base. Aos 24 minutos, a Ponte perdeu uma grande chance para ampliar a vantagem. Uendel lançou André Luis, que se livrou com facilidade de Thiago Medeiros, mas concluiu fraco, permitindo a fácil defesa de Felipe.

O Flamengo mostrava muita vontade, mas pouca coordenação. E só chegava na área da equipe paulista em lances isolados. Como na cobrança de escanteio aos 30 minutos. O zagueiro Welinton ganhou da zaga da Ponte e cabeceou firme para grande defesa de Edson Bastos.

Aos 32 minutos, o técnico Dorival Júnior foi expulso por reclamação. Foi a segunda exclusão do técnico rubro-negro, que já tinha sofrido a mesma punição no jogo diante do Botafogo.

Aos 34 minutos, o Flamengo quase marcou o gol de empate. Negueba cruzou, Vágner Love chegou antes dos zagueiros e desviou para o gol, mas Edson Bastos salvou com as pernas. O lance animou o time carioca e, dois minutos depois, foi a vez de Negueba mandar uma bomba que Edson Bastos espalmou para escanteio, em outra grande defesa.

A Ponte recuou muito para defender o resultado e o Flamengo passou a jogar dentro do campo da equipe paulista, buscando, pelo menos, empatar a partida. Aos 45 minutos, Negueba tentou de longe, mas o goleiro da Ponte defendeu com segurança. E, nos acréscimos, Nikão colocou Roger na cara do gol, mas o atacante conseguiu perder quando só tinha o goleiro Felipe pela frente.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade