Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Ganso pode não estrear em 2012, segundo fisioterapeuta do São Paulo

São Paulo (SP)

Apesar da confiança demonstrada pelo técnico Ney Franco, a estreia do meio-campista Paulo Henrique Ganso com a camisa do São Paulo pode não ocorrer na temporada 2012, mesmo o jogador tendo sido inscrito no Campeonato Brasileiro e na Copa Sul-americana. De acordo com Luiz Rosan, fisioterapeuta do clube, o ‘histórico acentuado’ impede um diagnóstico rápido e conclusivo.

O departamento médico do São Paulo informou o nome do quadro clínico que o novo camisa 8 trata, mas não deu previsão de retorno aos gramados: é uma lesão na transição da região miotendínea proximal do tendão reto femoral da coxa esquerda. Rosan diz que é necessária a total cicatrização desta primeira lesão, então um processo de fortalecimento da perna direita, que está atrofiada em função da inatividade.

“É precipitado fazer qualquer projeção, pois o Ganso está conosco há apenas uma semana. Além da lesão, tratamos também a perna direita. Assim que a lesão na coxa esquerda estiver totalmente cicatrizada, ela vai passar por um processo de fortalecimento muscular e será comparada à outra coxa. Quando ele não tiver dor e estiver equilibrado, será entregue ao departamento físico e técnico, que dirá quando ele poderá estrear”, pontuou Rosan, à Rádio Globo.

Divulgação/Site Oficial
Ganso chega ao Reffis às 9 horas para tratamento nas duas coxas e depois vai para casa com um aparelho, sem folgas
A rotina de Ganso tem consistido em sessões de tratamento da lesão na coxa esquerda pela manhã, no Reffis, e, à tarde, fortalecimento muscular da perna direita. No período da noite, o ex-santista segue para sua casa com um aparelho para relaxar os músculos. Sem folga, o jogador até abriu mão do evento de uma empresa que o patrocina para dar sequência ao tratamento na última segunda-feira.

“O nosso objetivo é que o Ganso jogue ainda este ano, mas não posso afirmar categoricamente que isto irá acontecer. A diretoria nos deu ampla liberdade para recuperar o atleta sem pressa, e se não der para ele jogar este ano não será problema algum. Mas a nossa meta é para que ele volte nesta temporada”, encerrou Rosan, confiante, mas reticente.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade